Vinícius Peron Fineto, 50º - Auditor - Fiscal da Receita Estadual - Auditoria e Fiscalização (SEFAZ SC)

Já conhece a história de sucesso de Vinícius Peron Fineto? Veja mais depoimentos de alunos do TEC!

Meu nome é Vinícius Peron Fineto, tenho 28 anos, sou natural do Rio de Janeiro e fui aprovado nos seguintes concursos:
 
  •  Auditor Fiscal do Estado de Santa Catarina (ICMS-SC);
  •  Auditor de Controle Externo do TCE-PE;
  •  Auditor do Estado do Rio Grande do Sul (CAGE-RS);
  •  Auditor de Controle Externo do TCE-RS.
 
Dividirei em tópicos um pouco da minha jornada de estudos para tentar ajudar e motivar aqueles que percorrem essa caminhada:
 
Tempo de estudo: comecei meus estudos para concursos em 2016, logo são 3 anos estudando. Desse período, pelo menos em metade dele não havia bons concursos abrindo. Por isso tive que me manter estudando por mais de um ano e meio sem ter no horizonte nenhum concurso específico. Meu objetivo inicial sempre foi a área fiscal, mas tive que adaptar um pouco meus estudos para a área de controle (TCE e Órgãos de Controle Interno), já que nesse período não abriam provas pra área fiscal e a área de controle despontou na frente.
 
Tempo até conseguir aprovações: antes do ICMS SC, fui aprovado em outros 3 concursos, nessa ordem: TCE-PE, SEFAZ-RS (CAGE) e TCE-RS. O concurso do TCE- PE aconteceu em setembro de 2017, ou seja, mais de um ano e meio após início dos estudos. Para quem concilia estudo com trabalho, ou então com qualquer outra atividade, acho que esse é o período necessário para começar a estar em nível de concorrer por vagas em concursos de alto nível, tanto na área fiscal quanto de controle.
 
Rotina de estudos: durante esses 3 anos, não houve interrupção dos estudos. Obviamente que a intensidade sempre varia, mas o importante é nunca parar.  No meu caso, concilio o estudo com meu trabalho. Meu trabalho ocupa praticamente 12h úteis do dia, contando o tempo de trânsito. Sendo assim, meus estudos sempre iniciaram por volta de 19h e iam até 00h. Nos períodos sem edital, estudava uma média de 4h líquidas por dia durante a semana e um pouco mais nos finais de semana. Com edital aberto e mais próximo da reta final das provas, conseguia estudar algo em torno de 6h durante a semana e 10h nos finais de semana. Não se importe com pessoas que dizem estudar 12h a vida toda. O segredo não está no número de horas, e sim na continuidade e no foco que você mantém nas suas horas de estudo, mesmo que sejam poucas.
 
Metodologia de estudo: como sempre tive pouco tempo no dia, não utilizava vídeo aulas e nunca fui a cursos presenciais. Entre estudar em tablet, notebook e papel, na maioria das matérias optava pelo papel. Imprimia e marcava o material, principalmente quando era estudo de lei seca. Quando achava necessário fazer um resumo, fazia no computador e imprimia o resumo, ao invés do material original. Outra ferramenta fundamental, principalmente no pós-edital, foi o TEC Concursos. Depois de um ciclo básico de estudos, exercitar se torna mais importante que qualquer outra coisa. Ali você aprende e revisa com uma absorção muito maior, além da praticidade de poder usar o site até mesmo no ônibus voltando do trabalho. Sempre digo que não consigo imaginar meu caminho até a aprovação sem o TEC Concursos.
 
Motivação: tenho pra mim que a disciplina está acima da motivação. Assim como em qualquer atividade, você terá altos e baixos de motivação, mas a disciplina serve justamente pra te carregar nos momentos de desmotivação. No meu caso, iniciei os estudos no momento de maior crise no país. As notícias eram sempre sobre concursos suspensos, poucas vagas etc. Tive que estudar um bom tempo sem perspectiva de concursos abrirem e, quando abriram, as vagas eram mínimas e a concorrência absurda. Obviamente não era algo motivador, então foram a disciplina e a fé em Deus que me carregaram por um bom tempo no colo.

Em síntese, compartilho com todos as seguintes conclusões e conselhos sobre nossa árdua e gratificante caminhada, os quais eu gostaria de ter sabido desde o início do meu processo:
 
  • Seja você mesmo a sua maior fonte de inspiração. Mesmo que seja importante ter exemplos a seguir, jamais se diminua perante eles. O que acontece naquelas poucas horas de uma prova que decidem sua vida talvez esteja mais ligado à sua automotivação do que com o número de horas líquidas de estudo;
  • Não coloque as condições da sua vida como desculpa para te impedir. Você pode e deve criar as suas próprias condições;
  • Entenda que se você pretende ser diferente da massa da sociedade, você terá que fazer as coisas diferentes e em momentos diferentes da maioria. Não se importe tanto com os julgamentos e regras sociais. Escolha poucos e bons conselheiros, e fale sobre seus planos apenas para eles. Não existe receita de bolo para felicidade e todas as escolhas devem ser respeitadas;
  • Sinta prazer na caminhada e não apenas no resultado, mesmo que durante a caminhada você fique longe de aproveitar a vida como se cada dia fosse o último;
  • Tenha sede de vitória, tenha pressa, mas não estabeleça prazos para as coisas acontecerem. Principalmente no momento político e econômico que atravessa o país, o intervalo de tempo entre o início de sua preparação e a aprovação não ditam seu sucesso ou fracasso. Seja otimista, mas não deixe que o otimismo domine o realismo;
  • Entenda que a regra do jogo é perder, e a exceção é a vitória. Jamais encare a derrota como fim de linha. Depois de muito pensar que as coisas estavam dando errado, hoje sou a prova de que quando tudo parece dar errado, acontecem coisas boas que não teriam acontecido se tudo tivesse dado certo;
  • Entenda que a aprovação é uma combinação de competência e luz no momento de prova. Não desista se você é competente e o seu dia ainda não chegou. Ele só chega para os que não desistem;
  • Seja grato pelas suas derrotas e por todas as pessoas que te apoiam incondicionalmente. Ninguém alcança a vitória sem esses dois fatores;
  • Se você se lançou ao mar para atravessar o oceano, não se dê por satisfeito com as pequenas ilhas que irão aparecer no caminho. No desespero do meio do mar, você jamais enxergará o continente e as pequenas ilhas irão parecer atrativas. Não se iluda. Mesmo que com braços fadigados, continue nadando na sua velocidade, mas nunca deixe de seguir em frente. Se não fizer isso por motivação, faça por disciplina e fé.
 
Sejam felizes e, em hipótese alguma, desistam daquilo que acreditam.
 
Abraços
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.