Ricardo Bruno Cabral Costa, 6º (CN) - Técnico Tributário da Receita Estadual (SEFAZ RS 2018)

Já conhece a história de sucesso de Ricardo Bruno Cabral Costa? Veja mais depoimentos de alunos do TEC!

Primeiramente quero dar meu muito obrigado ao Tec Concursos por oferecer, durante todos esses anos, qualidade nos serviços prestados !
 
Apesar de não ser minha última cartada e já ser militar de carreira do exército, estou muito feliz pelo resultado, pois tenho buscado há muitos anos essa nova oportunidade em outro ramo do serviço público.
 
Meu foco desde meados de 2013 foi uma prova para Auditor Fiscal (E continua sendo). E dessa forma vinha numa Batida bastante forte, no embalo desde o ICMS GO, apesar de minha dificuldade por conta do trabalho.

Infelizmente em Goiás me planejei mal e me enrolei no tempo, não querendo dar desculpas, mas tive que chutar mais de 40 questões direto no cartão de respostas. Conclusão, fiz 116 pontos e a nota de corte, se não me engano, foi entre 145 a 150. Fiquei longe.
 
Depois mantive o foco e um mês depois fiz o temido e disputadíssimo ICMS SC. Conclusão, outro resultado ruim. Fiz menos de 70% na prova. Parece que faltou mais planejamento e preparação psicológica do que conhecimento. Terminei a prova destruído. Só queria voltar pra casa e por sinal até isso foi difícil. Tive problemas no voo tanto de Goiás, como de SC para RR e nas duas viagens fui hospedado em hotéis, pela companhia aérea, e só consegui chegar no dia seguinte. Ainda bem que estava tirando uns dias de férias.
 
E depois disso tudo, sinceramente, não queria mais nada em 2018, só descansar. Já cheguei de SC direto para o trabalho Kkkkk.

Aí, à noite em casa, me lembrei que tinha feito a inscrição para TTE RS e tinha comprado a passagem para Porto Alegre.

Sem brincadeira, eu já tinha me esquecido que tinha essa prova ainda.

E pior, faltavam 9 dias da prova de SC até TTE RS. Pra completar, a banca ainda era Cespe Kkkkk. Pensei em desistir da prova, mas minha esposa me disse que eu tinha que fazer.

No mesmo dia conversando com um amigo que é Auditor Fiscal em Cuiabá, ele me disse quase a mesma coisa  "cara, vc tá há 5 anos estudando, acho que vc deve fazer tudo que aparecer da área fiscal".
 
Então eu decidi que iria estudar os 9 dias e ia fazer a prova do jeito que desse. Estudei nesses 9 dias a legislação tributária RS, só lei seca e exercícios. E estudei a parte de ética do RS que eu nunca tinha visto. No restante não vi praticamente nada, a não ser a prova anterior que fiz ela por completo, mesmo sendo da Fundadect, e resolvi também a prova do Cage RS, feita pelo Cespe.

Pra completar, no meu trabalho remarcaram um evento de caráter obrigatório exatamente na mesma data do voo para Porto Alegre. Tive que quase me humilhar pra conseguir ser liberado ( pra quem não sabe, quem estuda pra Concurso, em algumas instituições, não é bem visto, então costuma-se evitar esse procedimento).
 
Enfim, consegui ir lá fazer a prova.

Depois de tudo que aconteceu, fui despretensioso e decidi ir fazer o que dava, sem cobranças, diferente das outras, fui leve ( tão leve que no intervalo de uma prova para outra eu almocei e dormi no hotel em que estava hospedado Kkkkk Kkkkk... O hotel era bem próximo do local de prova).

Enfim, saí com a sensação de que tinha feito o que dava e que Deus tinha o melhor pra mim na hora certa e no lugar certo. E que se fosse lá ou não, tudo bem. Depois de receber dois tiros no peito Kkkkk (ICMS GO e SC) eu já tava tranquilo, afinal, TTE RS não era meu grande foco.
 
Na semana depois, joguei meu gabarito no olho na vaga e deixei rolar, só pra ter ideia de como tinha ido na prova.

Tava em 4 lugar na vaga das cotas para negros e pardos e já fora das vagas para ampla. Mas sinceramente não tava esperançoso em nenhuma das duas listas, até porque tinham muito poucas notas cadastradas.

No dia 23 de dezembro veio a surpresa, só que ruim KKK kkkkkkk Kkkkk.

O Cespe usou o critério do concurso para Auditor do RS eliminando quem tinha feito menos de 50% em cada matéria ( Meu caso em Matemática). Conclusão, estava fora das vagas e eu já meio que esperava.

Depois de várias impugnações e recursos, no dia 28 de dezembro, se não me engano, publicaram um novo resultado provisório retificado e usando os critérios corretos, conforme o edital.

Aí sim, meu nome apareceu lá e pelo menos nas cotas possivelmente teria chance. Mas não me convenceu muito. Falei: vou aguardar o resultado final e homologação, vai que Kkkkk Kkkkk...

Enfim, dia 11 de janeiro saiu o resultado final e pude viver a sensação que tanto esperei, ainda que não seja o objetivo final, mas é um começo. E veio aquela sensação de alívio. Tive a certeza de que realmente era capaz. Às vezes falta acreditarmos mais em nós. A Autoconfiança faz muita diferença no fator psicológico. E depois de tanto tempo estudando, veio ao menos um resultado positivo. Ver meu nome na lista de aprovados é indescritível.

Lembrei da minha primeira sensação parecida com essa há quase 12 anos atrás quando fui aprovado no concurso da Escola Sargentos.

Deus me presenteou com uma vaga logo no  início de ano.
 
Agora continuo minha rotina aguardando quais serão as diretrizes o Governo do RS que está em transição e se restabelecendo de uma crise econômica.
 
Sinceramente, já valeu ter esse privilégio.
 
Detalhe: trabalho todos os dias 9 h/d.
 
Tenho minhas obrigações e tarefas no trabalho.

Estou há quase 5 anos tentando os concursos com o tempo que tenho, do jeito que eu posso e às vezes até ir fazer a prova é difícil.

Sou casado, tenho minhas obrigações e tarefas dentro da minha casa como marido, MAS NÃO DESISTI, ENTÃO NÃO DESISTA !!!
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.