João Marco Matos Camilo, 1º (CN) - Técnico do MPU (DF) - Admnistração

Já conhece a história de sucesso de João Marco Matos Camilo? Veja mais depoimentos de alunos do TEC!

Iniciei os estudos para concursos em janeiro de 2016. Ao longo daquele ano, fiz três provas: Anac, Sergipe Gás S/A (Sergas) e Anvisa. Não passei em nenhuma delas. Tive a percepção de que estava abaixo do nível dos demais candidatos e tomei uma decisão: no final de dezembro, pedi demissão do meu emprego para dedicar o ano de 2017 exclusivamente à rotina de estudos. Ao me deparar com todo o dia livre, sabia que precisaria de um norte. Foi então que conheci o TEC Concursos.

Minha principal intenção era centralizar a aprendizagem. A internet é um mundo vasto, e boas pesquisas resultam, sim, na colheita de bons materiais disponibilizados gratuitamente – isso sem falar no YouTube. Mas eu queria algo unificado, onde eu pudesse estudar a teoria e, ali mesmo, resolver questões (àquela altura, estava começando a entender o significado da resolução de exercícios). Como eu já havia decidido que queria focar em provas da área administrativa, tinha em mente quais disciplinas eram prioritárias: Português, RLM, Informática, Administração, Direito Administrativo e Constitucional. E havia ainda outro foco mais específico: a meta era passar no MPU.

Para estudar as matérias que eu precisava dominar, o TEC Concursos me proporcionava todos os meios e instrumentos possíveis. Para quem não está habituado à área do Direito, ler a “lei seca” pode ser um ritual de decoreba. Porque não basta ler e memorizar sem entender, sem contextualizar, sem saber onde e como os examinadores vão cobrar.
 
Direito Constitucional e Administrativo ficaram inacreditavelmente mais simples e objetivos por meio do conteúdo teórico oferecido pelo TEC. Contabilidade Pública e AFO, que passei a incluir como disciplinas essenciais, tiveram total participação do TEC na minha aprendizagem, desde os princípios básicos à legislação específica. Se, por um lado, eu tinha certa facilidade com Português, foi aqui que eu conheci, do zero, o Manual de Redação da Presidência da República. Depois de muito procurar, finalmente havia encontrado um local que suprisse os itens dos editais para Informática e RLM. Neste ponto, destaco especialmente o conhecimento adquirido em Administração Geral, Gestão de Pessoas e Arquivologia. O andamento dos capítulos em cada caderno, o direcionamento das temáticas e a subdivisão dos tópicos foram primordiais para que eu compreendesse os assuntos de maneira linear. Se você ainda não conhece a parte teórica do TEC, permita-se conhecê-la. Os quadros-resumo, as dicas, a linguagem direta, sem rodeios e sem PDFs, tudo agregado numa plataforma usual, prática e visualmente arejada.

Enquanto 2017 avançava, eu aprendia a importância de treinar questões. E os recursos favorecem: as estatísticas, os comentários dos professores, o chat de debates entre os alunos, os percentuais de erros e acertos, os atalhos dos comandos, a variedade do banco de dados. Foi aqui que eu passei a resolver milhares de questões randomicamente, ao final dos estudos teóricos e, posteriormente, segregando por cada banca à medida que os concursos surgissem. E eles surgiram. Enquanto o MPU não anunciava seu edital, decidi fazer provas que seguissem aquelas mesmas disciplinas. Em agosto, veio o resultado para o Instituto Federal Baiano: 2º lugar. Iniciei 2018 concursado e novamente empregado. Em abril deste ano, veio o resultado para o Tribunal Regional Federal da 5ª Região: 29º lugar para Técnico e 7º lugar para Analista, ambos na listagem de aprovados no cadastro reserva.
 
Mas eu aprendi que meta a gente só para de buscar quando alcança. Obrigado, TEC Concursos. Enfim, aprovado para o cargo de Técnico Judiciário do MPU: 4º lugar no Distrito Federal e 7º lugar nacional.
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.