The death of a country (The Economist)

por Ena Glaucia em 25/02/2013
Hi class,
Quem vai fazer ICMS/SP  e deixou o Inglês pra última hora, ou quem estudou por outro material e gostaria de revisar os pontos mais importantes da disciplina de Língua Inglesa, eis a solução: Lançamos  no site do Estratégia o curso resumido de Inglês para esta reta final, este tipo de curso dá direito ao fórum de dúvidas também, e para deixá-los atualizados com os últimos acontecimentos mundiais e incrementar seu vocabulário, segue abaixo texto extraído do The Economist desta semana:


Syria
The death of a country
A morte de um país

As Syria disintegrates, it threatens the entire Middle East. The outside world needs to act before it is too late
Como a Síria se desintegra, isto ameaça todo o Oriente Médio. O mundo exterior precisa agir antes que seja tarde demais

Feb 23rd 2013

AFTER the first world war Syria was hacked from the carcass of the Ottoman empire. After the second, it won its independence. After the fighting that is raging today it could cease to function as a state.

DEPOIS da Primeira Guerra Mundial a Síria foi cortada da carcaça do Império Otomano. Após a segunda, ganhou sua independência. Depois da luta que está sendo travada hoje pode deixar de funcionar como um Estado.

As the world looks on (or away), the country jammed between Turkey, Lebanon, Jordan, Iraq and Israel is disintegrating. Perhaps the regime of Bashar Assad, Syria’s president, will collapse in chaos; for some time it could well fight on from a fortified enclave, the biggest militia in a land of militias. Either way, Syria looks increasingly likely to fall prey to feuding warlords, Islamists and gangs—a new Somalia rotting in the heart of the Levant.

Enquanto o mundo observa (ou desvia o olhar), o país encravado entre a Turquia, Líbano, Jordânia, Iraque e Israel está se desintegrando. Talvez o regime de Bashar Assad, presidente da Síria, vai desmoronar em um caos; por algum tempo, pode muito bem lutar a partir de um enclave fortificado, a maior milícia em uma terra de milícias. De qualquer maneira, a Síria parece cada vez mais provável a ser vítima de senhores da guerra, brigando islamitas e gangues, uma nova Somália apodrecendo no coração do Levante (Mediterrâneo Oriental).
 
If that happens, millions of lives will be ruined. A fragmented Syria would also feed global jihad and stoke the Middle East’s violent rivalries. Mr Assad’s chemical weapons, still secure for now, would always be at risk of falling into dangerous hands. This catastrophe would make itself felt across the Middle East and beyond. And yet the outside world, including America, is doing almost nothing to help.
Fonte (adapted): http://www.economist.com/news/leaders/21572193-syria-disintegrates-it-threatens-entire-middle-east-outside-world-needs-act

Se isso acontecer, milhões de vidas serão arruinadas. A Síria  fragmentada também alimentaria luta global e atiçaria o Oriente Médio a rivalidades violentas. As armas químicas do Sr.Assad, ainda seguras para agora, estariam sempre em risco de cair em mãos perigosas. Esta catástrofe seria sentida em todo o Oriente Médio e além. E ainda assim o mundo exterior, incluindo os Estados Unidos, que não estão fazendo quase nada para ajudar.

Segue o link do curso:

http://www.estrategiaconcursos.com.br/professor/800/cursos
 
Abraços e bons estudos,

Ena Smith
http://www.facebook.com/ena.smith.79

 
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.