TCE PB - Prova de Português (Agente de Documentação)

por Denise Carneiro em 18/01/2018
Galera, tudo bom?
 
Estou por aqui para comentar rapidamente a prova do TCE PB 2018 (Agente de Documentação). Os comentários não serão muito detalhados como faço no sistema do site por questões práticas, mas, quando a prova estiver na base do TEC, esmiuçaremos como sempre cada alternativa, ok? 
 
OBSERVAÇÃO: Como havia dúvidas sobre possível recurso nas questões 1 e 5, elas estão mais detalhadas que as demais.
 
Vamos lá!!
 
QUESTÃO 1: Infere-se do texto 1A1AAA que a escrita é uma
 
A) invenção da primeira fase da modernidade, voltada a manter vivas as memórias sociais e culturais.
INCORRETA, não há nada no texto afirmando que a escrita é invenção da primeira fase da modernidade, apenas relato sobre o uso da escrita pelas sociedades europeias daquela época a fim de evitar o esquecimento.
 
B) forma de evitar o desaparecimento de informações importantes que não deveriam ser esquecidas ou perdidas. (grifo meu)
GABARITO DA BANCA. Gente, segundo o texto, a escrita de fato foi utilizada para evitar o desaparecimento de informações importantes, vejamos dois trechos:
INÍCIO DO TEXTO: "O medo do esquecimento obcecou as sociedades europeias da primeira fase da modernidade. Para dominar sua inquietação, elas fixaram, por meio da escrita, os traços do passado, a lembrança dos mortos ou a glória dos vivos e todos os textos que não deveriam desaparecer."
FIM DO TEXTO:  "Nem todos os escritos foram destinados a se tornar arquivos cuja proteção os defenderia da imprevisibilidade da história. Alguns foram traçados sobre suportes que permitiam escrever, apagar e depois escrever de novo."
 
Percebam que há destaque no início e no fim do texto sobre a escrita ser utilizada para viabilizar a manutenção de arquivos/informações considerados importantes, e não de qualquer um. 
 
C) manifestação efêmera, que podia ser registrada, depois apagada e, mais tarde, recuperada pela reescrita.
INCORRETA. A escrita é apresentada como capaz de evitar o desaparecimento de informações importantes, assim não podemos fazer essa inferência a partir da leitura do texto. O texto cita que essa manutenção não era tarefa fácil, mas deixa claro ser possível.
 
D) tecnologia ambígua, pois é capaz de, ao mesmo tempo, preservar informações úteis e contribuir para a disseminação de textos inúteis.
INCORRETA. 
Gente, confesso que de cara esta alternativa pareceu bem correta, mas observem o trecho em vermelho "PODERIA criar TALVEZ outro perigo", assim esse perigo não é apresentado como desencadeamento certo da escrita.
 
"No espaço aberto da cidade, no refúgio da biblioteca, na magnitude do livro e na humildade dos objetos mais simples, a escrita teve como missão conjurar contra a fatalidade da perda. Em um mundo no qual as escritas podiam ser apagadas, os manuscritos podiam ser perdidos e os livros estavam sempre ameaçados de destruição, a tarefa não era fácil. Paradoxalmente, seu sucesso poderia criar, talvez, outro perigo: o de uma incontrolável proliferação textual de um discurso sem ordem nem limites. O excesso de escrita, que multiplica os textos inúteis abafa o pensamento sob o acúmulo de discursos, foi considerado um perigo tão grande quanto seu contrário."
 
E) atividade que transforma escritos em arquivos, garantindo, assim, a integridade das informações frente às inconstâncias da história.
INCORRETA. Pois é dito expressamente que não há garantia total de integridade. A escrita foi utilizada como meio de preservar os documentos, mesmo sabendo-se que há possibilidade de perda dos manuscritos.
 
QUESTÃO 2: Seria mantida a correção gramatical do texto 1A1AAA, embora com alteração do sentido original, caso se inserisse uma vírgula logo após a palavra
 
E) “arquivos” (R.22).
CORRETA, vejamos o trecho original: Nem todos os escritos foram destinados a se tornar arquivos cuja proteção os defenderia da imprevisibilidade da história.
 
A oração em negrito é adjetiva restritiva, gente! A inserção de uma vírgula após "arquivos" é possível, mas há mudança de sentido, visto que a oração se tornará adjetiva explicativa. Como a questão pede apenas MANUTENÇÃO DE CORREÇÃO GRAMATICAL, tudo certo!
TRECHO REESCRITO: Nem todos os escritos foram destinados a se tornar arquivos, cuja proteção os defenderia da imprevisibilidade da história.
 
QUESTÃO 3: No texto 1A1AAA, as relações sintático-semânticas do período “Embora fosse temido, o apagamento era necessário, assim como o esquecimento também o é para a memória” (R. 20 e 21) seriam preservadas caso a conjunção “Embora” fosse substituída por
 
Galera, "embora" é uma clássica conjunção concessiva, ok? Assim precisamos buscar uma conjunção que expresse esse mesmo sentido.
 
A Por conseguinte.
INCORRETA. Conjunção conclusiva.

B) Ainda que.
CORRETA. Conjunção concessiva!

C Consoante.
INCORRETA. Conjunção conformativa. 
 
D Desde que.
INCORRETA. Conjunção condicional ou causal
 
E Uma vez que.
INCORRETA. Conjunção causal. 
 
QUESTÃO 4: Predomina no texto 1A1AAA a tipologia  
 
C) expositiva.
CORRETA, visto que o texto tem por objetivo informar o leitor sem uso de argumentação, sem interesse de convencimento. 
 
QUESTÃO 5: Conforme as ideias do texto 1A1BBB,
 
A) em sociedades letradas, a comunicação por meio da escrita supera a comunicação por meio da fala.
INCORRETA, vejamos:  "Não há por que negar que a fala é mais antiga que a escrita e que esta lhe é posterior e, em certo sentido, dependente. Mesmo considerando a enorme e inegável importância que a escrita tem nos povos e nas civilizações ditas “letradas”, continuamos povos orais."
Assim, o autor deixa claro que a comunicação por meio da fala é mais recorrente até em civilizações consideradas letradas. Vale destacar que não estamos falando sobre superioridade de uma ou de outra forma de comunicação, visto que o texto defende não haver essa superioridade.
 
B) o desenvolvimento da fala e o surgimento da escrita são eventos que, sob o enfoque histórico, se deram exatamente
nessa ordem.
GABARITO DA BANCA. Gente, o texto evidencia isso em mais de um trecho: a fala vem antes da escrita, assim, sob o enfoque histórico (que pode ser encarado como narrativa que segue ordem cronológica), os eventos se deram nessa ordem: desenvolvimento da fala e surgimento da escrita.
 
C) há uma ideologia compartilhada pelas sociedades contemporâneas de associar a escrita a uma manifestação superior à fala.
INCORRETA. O texto afirma que essa valoração de uma ou de outra forma de comunicação varia de sociedade para sociedade, assim não podemos dizer que há uma ideologia compartilhada, vejamos: "Existem sociedades que valorizam mais a fala, e outras que valorizam mais a escrita."

D) do ponto de vista linguístico, fala e escrita são manifestações idênticas, não havendo diferenças entre elas nem superioridade
de uma sobre a outra.
INCORRETA. Em nenhum momento, o texto afirma que são manifestações idênticas. Extrapolação!

E) ao longo da história e nas diversas civilizações, identificam-se momentos de maior e de menor valorização da língua escrita.
INCORRETA. As informações que temos são: "A própria escrita tem tido uma avaliação variada ao longo da história e nos diversos povos. Existem sociedades que valorizam mais a fala, e outras que valorizam mais a escrita."
Percebam que o texto traz algo diferente do enunciado! Parece ser, no geral, a mesma informação, mas não é!
No texto: existem sociedades que valorizam mais a fala e outras que valorizam mais a escrita.
No enunciado: ao longo da história e nas diversas civilizações identificam-se momentos de maior e menor valorização da língua escrita. (Como se, em dado momento, a fala estivesse mais valorizada por uma sociedade e em outro a escrita passasse a ser mais valorizada por ela, mas o texto fala que algumas sociedades valorizam mais a escrita e outras a fala.)
 
QUESTÃO 6: Em cada uma das opções a seguir, é mostrada uma proposta de reescrita para o seguinte período do texto 1A1BBB: “Não há por que negar que a fala é mais antiga que a escrita e que esta lhe é posterior e, em certo sentido, dependente” (R. 19 a 21). Assinale a opção em que a proposta apresentada mantém o sentido original e a correção gramatical do referido trecho.
 
A) Não tem por que negar que a fala é mais que a escrita e que esta lhe é posterior e, em sentido certo, dependente.
INCORRETA. Cadê o o termo "antiga"? Sem ele há alteração de sentido! A fala é mais antiga que a escrita, e não apenas "mais que a escrita". 
 
B) Não se pode negar de que a fala é mais antiga que a escrita e de que esta lhe é posterior e, em certo sentido, dependente.
INCORRETA. O verbo "negar" é transitivo direto não deve ser utilizado com a preposição "de": negar algo, negar alguém.
 
C) Não há por que negar que a fala será mais antiga que a escrita e que esta lhe seria posterior e, nesse sentido, dependente.
INCORRETA. Não podemos mudar o verbo "é" (presente do Indicativo) por "será" (futuro do presente do Indicativo) sem alteração de sentido.
 
D) Não há por que negar que a fala é mais antiga do que a escrita e que a fala é posterior à ela e, em certo sentido, dependente.
INCORRETA. Não ocorre crase antes de pronome pessoal.
 
E) Não há razão para negar que a fala é mais antiga que a escrita e que essa última é posterior e, em certo sentido, dependente
da primeira.
CORRETA
 
QUESTÃO 7: No texto 1A1BBB,
 
A) o vocábulo “constante” (L.8) foi empregado para qualificar o termo “aspecto” (L.6).
INCORRETA. A palavra "constante" qualifica o termo "relação": que essa relação não é nem homogênea nem constante.

B) a expressão “sobre a”, nas linhas 13 e 15, tem o sentido de a respeito da.
INCORRETA. A expressão tem sentido de "acima de":  a fala tem precedência sobre a escrita

C) o trecho “Quando nos referimos” (L.1) tem o mesmo sentido de Caso nos refiramos.
INCORRETA. O advérbio "quando", na frase em análise, indica noção temporal, enquanto "caso" tem noção condicional
Frase original: Quando nos referimos à supremacia de um fenômeno sobre outro, temos logo a impressão de que se está falando em superioridade.

D) o vocábulo “logo” (L2) tem o sentido adverbial de imediatamente.
CORRETA. Sim, essa palavra está empregada com sentido adverbial de "imediatamente", vejamos no texto: Quando nos referimos à supremacia de um fenômeno sobre outro, temos logo a impressão de que se está falando em superioridade...

E) o termo “lugar” (L.5) foi empregado para delimitar parte de um espaço ou região.
INCORRETA, pois o termo faz parte de uma expressão que indica "ordem": Em primeiro lugar, deve-se ter em mente o aspecto que se está comparando...
 
QUESTÃO 8: A correção gramatical e o sentido original do texto 1A1BBB seriam preservados caso se substituísse
 
A) “intrínseco” (L.16) por inerente.
CORRETA. Pois  palavra  tem sentido de "que faz parte", "que é essencial", "que é inerente": Não se trata, porém, de algum critério intrínseco nem de parâmetros linguísticos, e sim de postura ideológica
 
B) “inegável” (L.21) por incerta.
INCORRETA. Inegável é aquilo que não pode ser negado, refutado. Incerto é aquilo de que se tem dúvida, aquilo que não é certo. 
Trecho original: Mesmo considerando a enorme e inegável importância que a escrita tem nos povos e nas civilizações ditas “letradas”, continuamos povos orais.

C) “orais” (L.23) por comunicativos.
INCORRETA. A palavra "oral" diz respeito ao modo de comunicação (via oral, por meio da fala). A palavra "comunicativo" diz respeito á comunicação no geral, que pode ocorrer de diversos modos. Assim, temos palavras de sentidos diferentes.
 Trecho original: Mesmo considerando a enorme e inegável importância que a escrita tem nos povos e nas civilizações ditas “letradas”, continuamos povos orais.
 
D) “equivocada” (L.4) por desordenada.
INCORRETA.
Equivocada: que se enganou, que errou. 
Desordenada: desorganizado, sem ordem, desarrumado.
Trecho original: ...no caso da relação entre oralidade e escrita, essa é uma visão equivocada, pois não se pode afirmar que a fala seja superior à escrita ou vice-versa.

E) “precedência” (L.13) por preferência.
INCORRETA. Vejamos o texto: A única afirmação correta é a de que a fala veio antes da escrita. Portanto, do ponto de vista cronológico, a fala tem precedência sobre a escrita...
Assim, a palavra precedência foi utilizada com sentido "daquilo que vem antes" de algo. 
Preferência: relativo à ação de preferir.
 
Pronto, gente!! Espero que tenham feito uma prova maravilhosa, entretanto, se isso não aconteceu, PERSISTAM!
A aprovação só não vem para quem desiste!!
 
Um beijo e fiquem com Deus!
 
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.