Revisão de Auditoria-Auditor Público Externo TCE RS FCC 2018

por Tonyvan de Carvalho em 24/08/2018
Olá, Concursante!
 
Hoje farei uma REVISÃO DE AUDITORIA GOVERNAMENTAL COM MAPAS E ESQUEMAS para o TCE RS, especificamente para o cargo de Auditor Público Externo, banca FCC.
 
Chamarei a sua atenção nos pontos com maior probabilidade de aparecer na sua prova no Domingo, dia 26/08/2018.
 
Atenção: esta Revisão, em especial as partes 01 e 03, pode ser  perfeitamente aproveitada para os concursos da SEFAZ GO e SEFAZ SC!  
 
Preliminarmente, irei dividir os assuntos previstos no edital em partes, expondo considerações pontuais sobre assuntos que entendo serem mais relevantes:
 
Parte 01 - Normas de Auditoria Independente: Auditoria Interna e Auditoria Externa. Conceito, Objetivos, Responsabilidades, Funções, Atribuições.  Desenvolvimento do Plano de Auditoria. Planejamento de Auditoria. Programas de Auditoria. Estratégia de Auditoria, Sistema de Informações, Papéis de trabalho, Risco de Auditoria. Relatório de Auditoria. Amostragem. Testes de Auditoria: Substantivos, de Observância, Revisão Analítica. Procedimentos de Auditoria: Inspeção, Observação, Investigação, Confirmação, Cálculo, Procedimentos Analíticos, Procedimentos de Auditoria em áreas específicas das demonstrações contábeis.
 
a) Considerações: A FCC adora essa parte – Normas de Auditoria Independente, embora o cargo seja da área de Controle.
 
Veja as minhas sugestões de leitura:
 
Norma
Item da norma
NBC TA 200(R1)
Item 13 (definições), A20 (detalhes do ceticismo profissional)
NBC TA 230(R1)
Itens 2 e 3 (finalidades/objetivos principais e adicionais da documentação de auditoria); A23(prazo de retenção da documentação de auditoria)
NBC TA 300(R1)
Itens 8 e 9 (finalidades da estratégia global e plano de auditoria), e A2 (informações gerais do planejamento de auditoria)
NBC TA 500(R1)
Item 5 (definição e características das evidências de auditoria) c/c com A1, A4 e A5; A30 (detalhes da confiabilidade das informações) e Mapa mental contendo os procedimentos de Auditoria.
NBC TA 530
Item 5 (definições), A10 e Apêndice 4.
NBCTA 700
Apenas os mapas mentais abaixo sobre opinião do auditor
NBC TA 705
NBCTA 706
NBCTA 701
Item 11 (Comunicação dos principais assuntos)
NBC TI 01
Item 12.2.1.2 (fatores relevantes do planejamentos), 12.2.3 (Procedimentos da Auditoria Interna).
 
Mapas mentais úteis para sua revisão:
 
 
b) Minha aposta: é possível que apareçam até 5 questões (com probabilidade de serem 4 questões).
 
Exemplo de questões recentes da FCC da parte 01
 
Assunto: Opinião do auditor independente/Relatórios e Pareceres de Auditoria
1. (Analista (PGE MT) / 2016 / / Contador /FCC) De acordo com a Norma Brasileira de Contabilidade do Trabalho de Auditoria (NBC TA 701), os principais assuntos de auditoria são aqueles que
a) foram abordados no contexto da auditoria das demonstrações contábeis tomadas em conjunto e, ao formar sua opinião sobre elas, o auditor não fornece uma opinião separada sobre os referidos assuntos.
b) devem ser destacados no relatório final de seu trabalho, indicando aos acionistas da empresa auditada se devem ou não continuar investindo em seu capital, segundo a formação profissional do auditor.
c) devem ser tratados de forma extraordinária nos relatórios da empresa de auditoria, impondo os riscos ao Estado em permitir que as empresas continuem operando, em conformidade com a Legislação Societária em vigor.
d) devem ser considerados no relatório do auditor por terem tomado mais o seu tempo de trabalho ou aqueles que lhes exigiram maior grau de conhecimento técnico na identificação e elaboração das provas de auditoria.
e) permitem aos gestores da companhia avaliar os riscos econômicos do negócio que gerenciam e permitem fazer a melhor escolha quanto aos caminhos estratégicos que devem empreender.
 
Comentários:
 
Questão aborda aspecto da comunicação dos principais assuntos de auditoria, segundo a NBC TA 701. “Principais assuntos de auditoria são assuntos que, segundo o julgamento profissional do auditor, foram os mais significativos na auditoria das demonstrações contábeis do período corrente. Os principais assuntos de auditoria são selecionados entre os assuntos comunicados aos responsáveis pela governança”.
 
Segundo essa norma:
Comunicação dos principais assuntos de auditoria
 
11.O auditor deve descrever cada um dos principais assuntos de auditoria, utilizando um subtítulo adequado para cada um deles, em seção separada do relatório, sob o título “Principais assuntos de auditoria”, a menos que se apliquem as circunstâncias dos itens 14 e 15. O texto de introdução dessa seção do relatório deve afirmar que:
 
(a)os principais assuntos de auditoria são aqueles que, segundo o julgamento profissional do auditor, foram os mais significativos na auditoria das demonstrações contábeis do período corrente; e
 
(b) esses assuntos foram abordados no contexto da auditoria das demonstrações contábeis tomadas em conjunto e, ao formar sua opinião sobre elas, o auditor não fornece uma opinião separada sobre os referidos assuntos (ver A31 a A33).[grifo nosso]
Portanto, alternativa correta é A.
 
Ressalte-se que as demais alternativas não têm correlação com os principais assuntos de auditoria.
 
Assunto: Risco de auditoria
2. (Analista Legislativo (ALESE) / 2018 / Contabilidade / Apoio Técnico Administrativo /FCC) A NBC TA 200, que estabelece os objetivos gerais do auditor independente e a condução da auditoria em conformidade com normas de auditoria, definiu alguns termos e expressões de relevância para interpretação destas Normas. De acordo com a referida NBC TA 200,
a) risco de auditoria é o risco de que o auditor expresse uma opinião de auditoria inadequada quando as demonstrações contábeis contiverem distorção relevante. O risco de auditoria é uma função dos riscos de distorção relevante e do risco de detecção.
b) asseguração razoável é, no contexto da auditoria de demonstrações econômico-financeiras da entidade, a interpretação de dados desta natureza, flexibilizada pelo ceticismo profissional.
c) risco de distorção relevante é o risco de que os procedimentos executados pelo auditor para reduzir o risco de auditoria a um nível aceitavelmente baixo não detectem uma distorção existente que possa ser relevante, individualmente ou em conjunto, com outras distorções.
d) risco de detecção é o risco de que as demonstrações contábeis contenham distorção relevante antes da auditoria.
e) ceticismo profissional é postura do auditor que reflete a maneira de processar, cautelosamente, informação expressa em termos financeiros, a respeito de eventos econômicos positivos ocorridos em períodos passados, relativamente a uma entidade específica.
 
Comentários:
 
Questão aborda conceitos expressos no item 13, da NBC TA 200(R1).
 
Analisando cada alternativa:
 
a) risco de auditoria é o risco de que o auditor expresse uma opinião de auditoria inadequada quando as demonstrações contábeis contiverem distorção relevante. O risco de auditoria é uma função dos riscos de distorção relevante e do risco de detecção. Alternativa correta. Está alinhada a norma supracitada. Veja:
13.  Para fins das NBCs TA, os seguintes termos possuem os significados atribuídos a seguir:
[...]
 
(c) Risco de auditoria é o risco de que o auditor expresse uma opinião de auditoria inadequada quando as demonstrações contábeis contiverem distorção relevante. O risco de auditoria é uma função dos riscos de distorção relevante e do risco de detecção.  
 
[...]
b) asseguração razoável é, no contexto da auditoria de demonstrações econômico-financeiras da entidade, a interpretação de dados desta natureza, flexibilizada pelo ceticismo profissional. Alternativa errada. Segundo a norma supracitada, “Asseguração razoável é, no contexto da auditoria de demonstrações contábeis, um nível alto, mas não absoluto, de segurança”. As normas de auditoria exigem que o auditor obtenha segurança razoável de que as demonstrações contábeis como um todo estão livres de distorção relevante, independentemente se causadas por fraude ou erro. Contudo, asseguração razoável não é um nível absoluto de segurança porque há limitações inerentes em uma auditoria.
 
c) risco de distorção relevante é o risco de que os procedimentos executados pelo auditor para reduzir o risco de auditoria a um nível aceitavelmente baixo não detectem uma distorção existente que possa ser relevante, individualmente ou em conjunto, com outras distorções. Alternativa errada. Essa é a definição de risco de auditoria. Veja mapa mental acima.
 
d) risco de detecção é o risco de que as demonstrações contábeis contenham distorção relevante antes da auditoria. Alternativa errada. Essa é a definição de risco inerente. Veja mapa mental acima.
 
e) ceticismo profissional é postura do auditor que reflete a maneira de processar, cautelosamente, informação expressa em termos financeiros, a respeito de eventos econômicos positivos ocorridos em períodos passados, relativamente a uma entidade específica. Segundo a norma supracitada, “Ceticismo profissional é a postura que inclui uma mente questionadora e alerta para condições que possam indicar possível distorção devido a erro ou fraude e uma avaliação crítica das evidências de auditoria”.
 
Portanto, alternativa correta é A.
 
Assunto: Normas Técnicas do Auditor Interno (NBC TI 01 - ex NBC-T-12)     
3. (Analista Executivo (SEGEP MA) / 2018 / / Contador //FCC) No que se refere às normas de auditoria interna,
a) uma das aplicações do termo fraude é para ato intencional ou não intencional de omissão e/ou manipulação de transações e operações, adulteração de documentos, registros, relatórios, informações e demonstrações contábeis, tanto em termos físicos quanto monetários.
b) a informação sobre uma fraude deve ser feita por escrito ou, excepcionalmente, para a segurança do auditor, verbalmente e de forma reservada.
c) os riscos de auditoria estão relacionados à gravidade das falhas encontradas e à forma de reação dos auditados.
d) o planejamento deve considerar a natureza, a oportunidade e a extensão dos procedimentos de auditoria interna a serem aplicados, alinhados com a política de gestão de riscos da entidade.
e) a obtenção de subsídios para a conclusão da auditoria é feita por meio de informações, sendo adequada aquela que é factual e convincente, de tal forma que uma pessoa prudente e informada possa entendê-la da mesma forma que o auditor interno.
 
Comentários:
 
Questão aborda aspectos gerais de auditoria interna, segundo a NBC TI 01. Analisando cada alternativa:
a) uma das aplicações do termo fraude é para ato intencional ou não intencional de omissão e/ou manipulação de transações e operações, adulteração de documentos, registros, relatórios, informações e demonstrações contábeis, tanto em termos físicos quanto monetários. Alternativa errada. Ato não intencional é erro.
 
b) a informação sobre uma fraude deve ser feita por escrito ou, excepcionalmente, para a segurança do auditor, verbalmente e de forma reservada. Alternativa errada. A alternativa quis confundi-lo quanto à comunicação da fraude. A auditoria interna é sempre por escrito. Veja:
12.1.3.1 – A Auditoria Interna deve assessorar a administração da entidade no trabalho de prevenção de fraudes e erros, obrigando-se a informá-la, sempre por escrito, de maneira reservada, sobre quaisquer indícios ou confirmações de irregularidades detectadas no decorrer de seu trabalho. [grifo nosso]
Já a comunicação verbal da auditoria externa/independente é possível. Em regra, a comunicação das divergências é feita por escrito no relatório de auditoria externa. Segundo a NBC TA 260, “o auditor deve comunicar por escrito aos responsáveis pela governança as observações significativas decorrentes da auditoria se, no julgamento profissional do auditor, a comunicação verbal não for adequada. As comunicações por escrito não precisam incluir todos os assuntos que surgiram no curso da auditoria”.
 
c) os riscos de auditoria estão relacionados à gravidade das falhas encontradas e à forma de reação dos auditados. Alternativa errada. Eles estão relacionados à possibilidade de não se atingir, de forma satisfatória, o objetivo dos trabalhos.
 
d) o planejamento deve considerar a natureza, a oportunidade e a extensão dos procedimentos de auditoria interna a serem aplicados, alinhados com a política de gestão de riscos da entidade. Alternativa correta. Esse é um dos fatores relevantes a ser considerado no planejamento. Veja:
12.2.1 – Planejamento da Auditoria Interna
 
12.2.1.1 –  O planejamento do trabalho da Auditoria Interna compreende os exames preliminares das áreas, atividades, produtos e processos, para definir a amplitude e a época do trabalho a ser realizado, de acordo com as diretrizes estabelecidas pela administração da entidade.
 
12.2.1.2 – O planejamento deve considerar os fatores relevantes na execução dos trabalhos, especialmente os seguintes:
 
a) o conhecimento detalhado da política e dos instrumentos de gestão de riscos da entidade;
 
b) o conhecimento detalhado das atividades operacionais e dos sistemas contábil e de controles internos e seu grau de confiabilidade da entidade;
 
c) a natureza, a oportunidade e a extensão dos procedimentos de auditoria interna a serem aplicados, alinhados com a política de gestão de riscos da entidade;
 
d) a existência de entidades associadas, filiais e partes relacionadas que estejam no âmbito dos trabalhos da Auditoria Interna;
 
e) o uso do trabalho de especialistas;
 
f) os riscos de auditoria, quer pelo volume ou pela  complexidade das transações e operações;
 
g) o conhecimento do resultado e das providências tomadas em relação a trabalhos anteriores, semelhantes ou relacionados;
 
h) as orientações e as expectativas externadas pela administração aos auditores internos; e
 
i) o conhecimento da missão e objetivos estratégicos da entidade.[grifo nosso]
e) a obtenção de subsídios para a conclusão da auditoria é feita por meio de informações, sendo adequada aquela que é factual e convincente, de tal forma que uma pessoa prudente e informada possa entendê-la da mesma forma que o auditor interno. Alternativa errada. Inverteu-se a definição de informação suficiente ao invés de adequada. Veja a definição de evidência e suas características, segundo a NBC TI 01:
12.2.3.4 – As informações que fundamentam os resultados da Auditoria Interna são denominadas de “evidências”, que devem ser suficientes, fidedignas, relevantes e úteis, de modo a fornecer base sólida para as conclusões e recomendações à administração da entidade.
 
12.2.3.5 – O processo de obtenção e avaliação das informações compreende:
 
I – a obtenção de informações sobre os assuntos relacionados aos objetivos e ao alcance da Auditoria Interna, devendo ser observado que:
 
a) a informação suficiente é aquela que é factual e convincente, de tal forma que uma pessoa prudente e informada possa entendê-la da mesma forma que o auditor interno;
 
b) a informação adequada é aquela que, sendo confiável, propicia a melhor evidência alcançável, por meio do uso apropriado das técnicas de Auditoria Interna;
 
c) a informação relevante é a que dá suporte às conclusões e às recomendações da Auditoria Interna;
 
d) a informação útil é a que auxilia a entidade a atingir suas metas.
 
II – a avaliação da efetividade das informações obtidas, mediante a aplicação de procedimentos da Auditoria Interna, incluindo testes substantivos, se as circunstâncias assim o exigirem. [grifo nosso]
Portanto, alternativa correta é D.
 
Assunto: Documentação de Auditoria/Papéis de Trabalho
4. (Analista Legislativo (ALESE) / 2018 / Contabilidade / Apoio Técnico Administrativo /FCC) A NBC TA 230 estabelece, no tocante especificamente à forma, conteúdo e extensão da documentação de auditoria, que o auditor deve preparar documentação de auditoria que seja suficiente para permitir que um auditor experiente, sem nenhum envolvimento anterior com a auditoria, entenda
a) a natureza, época e extensão dos procedimentos de auditoria executados para cumprir com as normas de auditoria e exigências legais e regulamentares aplicáveis, devendo registrar, inclusive, as características que identificam os itens ou assuntos específicos testados, vedados estes registros quando a entidade for instituição financeira.
b) a natureza, época e extensão dos procedimentos de auditoria executados, sendo obrigatório o registro da data em que foi concluída a auditoria, mas vedado o registro da pessoa que executou o trabalho, exceto quando houver determinação judicial específica nesse sentido.
c)  os resultados dos procedimentos de auditoria executados e a evidência de auditoria obtida, bem como a natureza, época e extensão dos procedimentos de auditoria executados para cumprir com as normas de auditoria e exigências legais e regulamentares aplicáveis, devendo registrar, inclusive, quem revisou o trabalho de auditoria executado, bem como a data e extensão de tal revisão.
d)  assuntos significativos identificados durante a auditoria, as conclusões obtidas a respeito deles e os julgamentos profissionais significativos exercidos para chegar a essas conclusões, sendo facultativa a documentação da discussão destes assuntos, quando mantidas apenas com os responsáveis pela governança da entidade, mas vedada, em qualquer caso, a identificação da pessoa com quem as discussões ocorreram.
e)  assuntos significativos identificados durante a auditoria, as conclusões obtidas a respeito deles e os julgamentos profissionais significativos exercidos para chegar a essas conclusões, dispensada a documentação referente ao modo como foram tratadas as informações que se mostraram inconsistentes com a sua conclusão final.
 
Comentários:
 
Auditor experienteé um indivíduo (interno ou externo à firma de auditoria) que possui experiência prática de auditoria e conhecimento razoável de:
(i) processos de auditoria;
 
(ii) normas de auditoria e exigências legais e regulamentares aplicáveis;
 
(iii) ambiente de negócios em que opera a entidade; e
 
(iv) assuntos de auditoria e de relatório financeiro relevantes ao setor de atividade da entidade”.
 
A questão aborda os assuntos que devem ser documentados pelo auditor que estar conduzindo a auditoria de modo que o auditor experiente entenda aspectos específicos da auditoria, segundo a NBC TA 230(R1). Veja:
8. O auditor deve preparar documentação de auditoria que seja suficiente para permitir que um auditor experiente, sem nenhum envolvimento anterior com a auditoria, entenda (ver itens A2 a A5 e A16 e A17):
 
(a) a natureza, época e extensão dos procedimentos de auditoria executados para cumprir com as normas de auditoria e exigências legais e regulamentares aplicáveis (ver itens A6 e A7);
 
(b) os resultados dos procedimentos de auditoria executados e a evidência de auditoria obtida; e
 
(c) assuntos significativos identificados durante a auditoria, as conclusões obtidas a respeito deles e os julgamentos profissionais significativos exercidos para chegar a essas conclusões (ver itens A8 a A11).
 
9.Ao documentar a natureza, a época e a extensão dos procedimentos de auditoria executados, o auditor deve registrar:
 
(a)  as características que identificam os itens ou assuntos específicos testados (ver item A12);
 
(b)  quem executou o trabalho de auditoria e a data em que foi concluído; e
 
(c) quem revisou o trabalho de auditoria executado e a data e extensão de tal revisão (ver item A13). [grifo nosso]
Portanto, alternativa correta é C.
 
Comentários das demais alternativas:
 
a) a natureza, época e extensão dos procedimentos de auditoria executados para cumprir com as normas de auditoria e exigências legais e regulamentares aplicáveis, devendo registrar, inclusive, as características que identificam os itens ou assuntos específicos testados, vedados estes registros quando a entidade for instituição financeira. Independentemente de ser instituição financeira, itens ou assuntos específicos testados devem ser documentados.
 
b) a natureza, época e extensão dos procedimentos de auditoria executados, sendo obrigatório o registro da data em que foi concluída a auditoria, mas vedado o registro da pessoa que executou o trabalho, exceto quando houver determinação judicial específica nesse sentido. Independentemente de determinação judicial, o auditor deve documentar quem executou o trabalho de auditoria e a data em que foi concluído.
 
d) assuntos significativos identificados durante a auditoria, as conclusões obtidas a respeito deles e os julgamentos profissionais significativos exercidos para chegar a essas conclusões, sendo facultativa a documentação da discussão destes assuntos, quando mantidas apenas com os responsáveis pela governança da entidade, mas vedada, em qualquer caso, a identificação da pessoa com quem as discussões ocorreram. A documentação desses assuntos é obrigatória.
 
e) assuntos significativos identificados durante a auditoria, as conclusões obtidas a respeito deles e os julgamentos profissionais significativos exercidos para chegar a essas conclusões, dispensada a documentação referente ao modo como foram tratadas as informações que se mostraram inconsistentes com a sua conclusão final. A documentação desses assuntos é obrigatória.
 
Assunto: Testes e procedimentos de auditoria
5. (Analista em Gestão (DPE AM) / 2018 / Ciências Contábeis / Especializado de Defensoria /FCC) A obtenção de evidência quanto à suficiência, exatidão e validade dos dados produzidos pelos sistemas de informação da entidade é o objetivo
a) dos testes de políticas públicas.
b) da auditoria operacional.
c) dos testes substantivos.
d) dos testes de observância.
e) dos testes de investigação e confirmação.
 
Comentários:
 
Questão aborda os procedimentos de auditoria utilizados pela auditor durante a realização de seus trabalhos – Testes substantivos.
 
A NBC TI 01 define testes de observância e testes substantivos:
12.2.3 – Procedimentos da Auditoria Interna
 
12.2.3.1 – Os procedimentos da Auditoria Interna constituem exames e investigações, incluindo testes de observância e testes substantivos, que permitem ao auditor interno obter subsídios suficientes para fundamentar suas conclusões e recomendações à administração da entidade.
 
12.2.3.2 – Os testes de observância visam à obtenção de razoável segurança de que os controles internos estabelecidos pela administração estão em efetivo funcionamento, inclusive quanto ao seu cumprimento pelos funcionários e administradores da entidade. Na sua aplicação, devem ser considerados os seguintes procedimentos:
 
a) inspeção – verificação de registros, documentos e ativos tangíveis;
 
b) observação – acompanhamento de processo ou procedimento quando de sua execução; e
 
c) investigação e confirmação – obtenção de informações perante pessoas físicas ou jurídicas conhecedoras das transações e das operações, dentro ou fora da entidade.
 
12.2.3.3 – Os testes substantivos visam à obtenção de evidência quanto à suficiência, exatidão e validade dos dados produzidos pelos sistemas de informação da entidade.[grifo nosso]
Atualmente esses testes têm novas designações. Segundo A NBC TA 330 (R1):
4.  Para fins das normas de auditoria, os termos abaixo têm os seguintes significados:
 
(a) Procedimento substantivo é o procedimento de auditoria planejado para detectar distorções relevantes no nível de afirmações. Os procedimentos substantivos incluem:
 
(i) testes de detalhes (de classes de transações, de saldos de contas e de divulgações); e
 
(ii)   procedimentos analíticos substantivos.
 
(b)Teste de controle é o procedimento de auditoria planejado para avaliar a efetividade operacional dos controles na prevenção ou detecção e correção de distorções relevantes no nível de afirmações.
Resumidamente:
  1. Testes de observância (atualmente Testes de controle) faz a verificação dos controles internos. É analisado se os procedimentos são executados corretamente (existência, efetividade e continuidade).
  2. Testes substantivos (atualmente Procedimentos analíticos substantivos) faz a verificação da informação propriamente dita, tais como: classes de transações, de saldos de contas e de divulgações. 
Portanto, alternativa correta é C.
 
Ressalte-se que há previsão normativa dos testes de políticas públicas e segundo o Manual de Auditoria Operacional do TCU,  “ auditoria operacional é o exame independente e objetivo da economicidade, eficiência, eficácia e efetividade de organizações, programas e atividades governamentais, com a finalidade de promover o aperfeiçoamento da gestão pública”.
 
Assunto: Evidência de auditoria
6. (Analista Judiciário (TST) / 2017 / Contabilidade / Apoio Especializado /FCC) Evidências de auditoria são as informações utilizadas pelo auditor para fundamentar suas conclusões em que se baseia sua opinião, devendo ser suficiente, que é a medida da quantidade dessas evidências. Nos termos da NBC TA 200, essa quantidade pode ser afetada
a) pela avaliação do auditor dos riscos de distorção.
b) pela complexidade dos riscos de auditoria.
c) pelo percentual dos riscos de detecção.
d) pela estrutura das demonstrações contábeis.
e) pelo histórico da informação contábil.
 
Comentários:
Questão aborda detalhes de uma das características da evidência de auditoria – a suficiência. Segundo a NBC TA 200(R1):
13. [...]
 
(b) Evidências de auditoria são as informações utilizadas pelo auditor para fundamentar suas conclusões em que se baseia a sua opinião. As evidências de auditoria incluem informações contidas nos registros contábeis subjacentes às demonstrações contábeis e outras informações. Para fins das NBCs TA:
 
(i) a suficiência das evidências de auditoria é a medida da quantidade da evidência de auditoria. A quantidade necessária da evidência de auditoria é afetada pela avaliação do auditor dos riscos de distorção relevante e também pela qualidade de tal evidência;
 
(ii) a adequação da evidência de auditoria é a medida da qualidade da evidência de auditoria; isto é, sua relevância e confiabilidade no fornecimento de suporte às conclusões em que se baseia a opinião do auditor.[grifo nosso]
Dessa forma, a quantidade necessária de evidência de auditoria é afetada pela avaliação do auditor dos riscos de distorção, ou seja, quanto mais elevados os riscos avaliados, maior a probabilidade de que seja necessária mais evidência de auditoria.  
 
Portanto, alternativa correta é A.
 
Assunto: Opinião do auditor independente/Relatórios e Pareceres de Auditoria
7. (Analista (DPE RS) / 2017 / / Contabilidade /FCC) Durante os trabalhos, um auditor independente concluiu que não seria possível obter segurança razoável, bem como que uma opinião com ressalva no relatório seria insuficiente nas circunstâncias para atender aos usuários previstos nas demonstrações contábeis. Nesse caso, a NBC TA 200 requer que o auditor
a) amplie a amostragem inicial.
b) interrompa os trabalhos e faça um novo planejamento da auditoria.
c) faça uma revisão das anotações dos papéis de trabalho.
d) solicite mais auditores para auxiliar os trabalhos.
e) se abstenha de emitir sua opinião ou renuncie ao trabalho, quando a renúncia for possível de acordo com lei ou regulamentação aplicável.
 
Comentários:
 
A principal condição para emissão da opinião do auditor é que haja segurança razoável de que as demonstrações contábeis da entidade auditada estão livres de distorções relevantes. Caso essa condição não seja atendida o auditor deve renunciar ao trabalho ou se abster de emitir opinião.
 
Segundo item 12, da NBC TA 200(R1):
12. Em todos os casos em que não for possível obter segurança razoável e a opinião com ressalva no relatório do auditor for insuficiente nas circunstâncias para atender aos usuários previstos das demonstrações contábeis, as NBCs TA requerem que o auditor se abstenha de emitir sua opinião ou renuncie ao trabalho, quando a renúncia for possível de acordo com lei ou regulamentação aplicável.[grifo nosso]
Questão extraída literalmente dessa norma. Portanto, alternativa correta é E.
 
Em relação às demais atitudes a serem tomadas pelo auditor (ampliação da amostragem inicial; interrupção dos trabalhos com elaboração de um novo planejamento da auditoria; revisão das anotações dos papéis de trabalho e solicitação de mais auditores para auxiliar os trabalhos), são todas válidas e podem ajudar na obtenção de segurança razoável de que as demonstrações contábeis da entidade auditada estão livres de distorções relevantes e, com isso, evitar  que o auditor se abstenha de emitir opinião ou renunciar o trabalho. Porém a questão que quer seja em conformidade com a norma supracitada, o que leva a correção da alternativa “e”. Ressalte-se que nesse tipo de questão devemos nos preocupar com a literalidade da norma.
 
Assunto: Opinião do auditor independente/Relatórios e Pareceres de Auditoria
8. (Assistente Técnico (ARSETE) / 2016 / Técnico Contábil / Administrativo / FCC) O Auditor se concluir que as demonstrações contábeis tomadas em conjunto apresentam distorções relevantes, deve modificar a opinião em seu relatório de auditoria. A NBC TA 705 estabelece os tipos de opinião modificada na seguinte ordem:
a)  opinião sem ressalva, opinião com ressalva e opinião adversa.
b)  opinião com ressalva, opinião adversa e abstenção de opinião.
c)  opinião sem ressalva, opinião com recomendação e opinião pela irregularidade.
d)  opinião pela regularidade, opinião com ressalva e opinião pela irregularidade.
e)  opinião com ressalva, opinião pela irregularidade e abstenção de opinião.
 
Comentários:
 
As NBC TA 700, 705 e 706 mostram a opinião do auditor acerca das demonstrações contábeis (relatórios/pareceres).Segundo essas normas, os pareceres (relatórios) são de dois tipos: não modificados (sem ressalva/limpo) e modificados (subtipos: com ressalva, com abstenção de opinião e opinião adversa).
 
A tabela a seguir mostra como a opinião do auditor sobre a natureza do assunto que gerou a modificação, e a disseminação de forma generalizada dos seus efeitos ou possíveis efeitos sobre as demonstrações contábeis, afeta o tipo de opinião a ser expressa:
 
Resumidamente:
Portanto, alternativa correta é B.
 
Ressalte-se que essa mesma questão fora cobrado pela FCC, em 2016, para o cargo de Contador da Assembleia Legislativa do Mato Grosso do Sul. Veja:
“Concluída a auditoria das demonstrações contábeis, caso o auditor não esteja convencido de que a entidade elaborou as demonstrações contábeis de acordo com as normas de auditoria aplicável, na emissão do relatório deverá expressar uma opinião modificada. Segundo a NBC TA 705, a opinião modificada compreende:
a)  opinião com ressalva, opinião adversa ou abstenção de opinião.
b)  opinião sem ressalva, opinião com ressalva ou opinião adversa.
c)  opinião com ressalva, opinião pela irregularidade com recomendação ou abstenção de opinião.
d)  opinião com recomendação, opinião pela irregularidade ou abstenção de opinião.
e)  opinião com ressalva, opinião adversa ou opinião pela irregularidade.”
 
Assunto: Objetivos gerais do auditor independente
8. (Assistente Técnico (ARSETE) / 2016 / Técnico Contábil / Administrativo / FCC) A Autarquia de Serviços e Saneamento Ambiental do Município de Floresta Verde contratou a firma de auditoria Acertos e Consertos Ltda., para auditar as demonstrações contábeis do exercício de 2015. Segundo a NBC TA 200, o objetivo da auditoria das demonstrações contábeis é
a) verificar se a entidade cometeu erros ou irregularidades nos registros e na elaboração dos demonstrativos contábeis.
b)  avaliar a adequação, eficácia, eficiência e economicidade dos processos operacionais e administrativos e os sistemas de controles internos, com vistas a assistir à administração da entidade no cumprimento de seus objetivos.
c)  assessorar a administração da entidade no trabalho de gerenciamento de suas atividades e na prevenção de fraudes e erros.
d)  aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos usuários.
e)  verificar a situação financeira e patrimonial da entidade, com vistas a aumentar o grau de competitividade no mercado.
Comentários:
Questão aborda os objetivos gerais da auditoria, segundo a NBC TA 200(R1). Veja:
3. O objetivo da auditoria é aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos usuários. Isso é alcançado mediante a expressão de uma opinião pelo auditor sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos relevantes, em conformidade com uma estrutura de relatório financeiro aplicável. No caso da maioria das estruturas conceituais para fins gerais, essa opinião expressa se as demonstrações contábeis estão apresentadas adequadamente, em todos os aspectos relevantes, em conformidade com a estrutura de relatório financeiro. [...] [grifo nosso]
Esse, certamente, é um dos dispositivos que mais aparece em provas. Segue mapa mental para ajudá-los na memorização.
Questão extraída literalmente dessa norma. Portanto, alternativa correta é D.
 
Ressalte-se que, segundo a supracitada norma, “a opinião do auditor sobre as demonstrações contábeis trata de determinar se as demonstrações contábeis são elaboradas, em todos os aspectos relevantes, em conformidade com a estrutura de relatório financeiro aplicável. A opinião do auditor, portanto, não assegura, por exemplo, a viabilidade futura da entidade nem a eficiência ou eficácia com a qual a administração conduziu os negócios da entidade. Em algumas situações, porém, lei e regulamento aplicáveis podem exigir que o auditor forneça opinião sobre outros assuntos específicos, tais como a eficácia do controle interno ou a compatibilidade de um relatório separado da administração junto com as demonstrações contábeis. Embora as NBC TAs incluam exigências e orientação em relação a tais assuntos na medida em que sejam relevantes para a formação de uma opinião sobre as demonstrações contábeis, seria exigido que o auditor empreendesse trabalho adicional se tivesse responsabilidades adicionais no fornecimento de tais opiniões”. Isso torna as demais alternativas erradas.
 
Assunto: Risco
9. (Auditor Fiscal da Receita Municipal (Teresina) / 2016 / /FCC) O risco de distorção relevante é o risco de que as demonstrações contábeis contenham distorção relevante antes da auditoria.
Segundo a NBC TA 200, podem ocorrer no nível
a) geral da demonstração contábil e no nível da afirmação para classes de transações, saldos contábeis e divulgações.
b) de controle das normas e registros contábeis e no nível dos processos operacionais e administrativos.
c)  da implementação e manutenção do controle interno e no nível da afirmação para classes de transações, saldos contábeis e divulgações.
d) de controle das normas e registros contábeis e no nível da afirmação para classes de transações, saldos contábeis e divulgações.
e)  geral da demonstração contábil e no nível dos processos operacionais e administrativos.
 
Comentários:
 
Questão aborda detalhes do risco de distorção relevante, segundo a NBC TA 200(R1), especificamente item A34. Veja:
Risco de distorção relevante
 
A34. Os riscos de distorção relevante podem existir em dois níveis:
 
no nível geral da demonstração contábil; e
 
• no nível da afirmação para classes de transações, saldos contábeis e divulgações. [grifo nosso]
https://www.tecconcursos.com.br/imageRender/imagem?uuid=0bbb1edb-1e00-4f85-9adc-cd80b3f2283e
Ressalte-se que os riscos de distorção relevante no nível geral da demonstração contábil referem-se aos riscos de distorção relevante que se relacionam de forma disseminada às demonstrações contábeis como um todo e que afetam potencialmente muitas afirmações.
 
Já os riscos de distorção relevante no nível da afirmação são avaliados para que se determine a natureza, a época e a extensão dos procedimentos adicionais de auditoria necessários para a obtenção de evidência de auditoria apropriada e suficiente. Essa evidência possibilita ao auditor expressar uma opinião sobre as demonstrações contábeis em um nível aceitavelmente baixo de risco de auditoria.
 
Por fim, os riscos de distorção relevante no nível da afirmação que consistem em dois componentes: risco inerente e risco de controle. O risco inerente e o risco de controle são riscos da entidade; eles existem independentemente da auditoria das demonstrações contábeis.
Portanto, questão extraída literalmente dessa norma. Alternativa correta é A.
 
Assunto: Testes e procedimentos de auditoria
10. (Auditor Fiscal da Receita Municipal (Teresina) / 2016 / /FCC) A evidência de auditoria para a obtenção de conclusões para fundamentar a opinião do auditor é conseguida pela execução de procedimentos de auditoria.
O exame de registros ou documentos, internos ou externos, em forma de papel, em forma eletrônica ou em outras mídias, ou o exame físico de um ativo é efetuado mediante o procedimento de auditoria denominado
a) observação.
b) circularização.
c) investigação.
d) confirmação.
e) inspeção.
 
Comentários:
 
Raramente uma prova de auditoria não contempla, pelo menos, uma questão sobre procedimentos de auditoria. Aqui, você deve ficar atento às palavras-chave. O mapa mental abaixo vai ajudá-los na resolução dessa questão.
Ao realizar o cotejo entre as alternativas e o mapa acima, concluímos que se trata da inspeção. Portanto, alternativa correta é E.
 
Assunto: Amostragem em Auditoria
11. (Auditor Fiscal da Fazenda Estadual (SEFAZ PI) / 2015 / FCC) Entre os principais métodos de seleção de amostras citados nas Normas Brasileiras de Contabilidade Técnicas de Auditoria, aquela em que o tamanho, a seleção e a avaliação da amostra resultam em uma conclusão em quantias de dinheiro é a amostragem
a) em bloco.
b) aleatória.
c) de unidades monetárias.
d) ao acaso.
e) estatística.
 
Comentários:
 
Segundo a norma NBC TA 530, Amostragem em auditoria é a aplicação de procedimentos de auditoria em menos de 100% dos itens de população relevante para fins de auditoria, de maneira que todas as unidades de amostragem tenham a mesma chance de serem selecionadas para proporcionar uma base razoável que possibilite o auditor concluir sobre toda a população.
 
O apêndice 4 da referida norma elenca exemplos dos principais métodos utilizados pelo auditor para selecionar amostras, a saber:
Portanto, alternativa correta é C.
 
Assunto: Testes em Áreas Específicas das Demonstrações Contábeis
12. (Auditor Fiscal da SEFAZ MA/ 2016 /FCC) O auditor concluiu, se a despesa com seguro do exercício de 2015 tivesse sido apropriada corretamente, o lucro do exercício de 2015 passaria de R$ 1.390.000,00, para, em reais, de
(A) 1.165.000,00.
(B) 1.465.000,00.
(C) 1.190.000,00.
(D) 1.440.000,00.
(E) 1.615.000,00.
 
Comentários:
 
Questão mais direcionada à Contabilidade. Durante a realização da auditoria o auditor faz uso de procedimentos ou normas para validar as informações. O auditor, durante a realização de seus trabalhos, detectou uma apropriação irregular de uma despesa antecipada (pagamento de seguros). Segue a sequência a ser observada para encontrar o valor do lucro líquido corretamente:
  1. Primeiramente, iremos encontrar o lucro líquido correto. Como foi apropriado indevidamente R$300.000,00, iremos estornar essa quantia e o lucro líquido correto é R$1.690.000,00 (R$ 1.390.000,00 + R$300.000,00).
  2. Como a despesa com seguros é R$600.000,00 com vigência de 24 meses, temos uma despesa de R$25.000,00 por mês (R$600.000,00 / 24).
  3. Durante 2015, houve apropriação de 3 meses, perfazendo R$75.000,00 ( 3x R$25.000,00).
  4. Novo lucro líquido é R$1.615.000,00 (R$1.690.000,00 - R$75.000,00)
Portanto, alternativa correta é E.
 
Assunto: Testes em Áreas Específicas das Demonstrações Contábeis
 
13. (Auditor Fiscal da SEFAZ MA/ 2016 /FCC) A despesa de seguro paga antecipadamente (seguro a vencer), segundo o auditor, deveria ter sido classificada, respectivamente, nos grupos de contas e valores
(A) ativo circulante – R$ 300.000,00 e ativo não circulante – R$ 225.000,00.
(B) passivo circulante – R$ 75.000,00 e passivo não circulante – R$ 300.000,00.
(C) ativo imobilizado – R$ 300.000,00 e passivo não circulante – R$ 225.000,00.
(D) ativo circulante – R$ 75.000,00 e ativo não circulante – R$ 525.000,00.
(E) ativo realizável curto prazo – R$ 225.000,00 e ativo realizável longo prazo – R$ 300.000,00.
 
Questão mais direcionada à Contabilidade. Durante a realização da auditoria o auditor faz uso de procedimentos ou normas para validar as informações. O auditor, durante a realização de seus trabalhos, detectou uma apropriação irregular de uma despesa antecipada (pagamento de seguros). Segue a sequência da classificação das contas que envolvem a despesa antecipada:
  1. Em 2015, despesa com seguros: R$75.000,00 (3 x R$25.000,00).
  2. Em 2016, seguros a vencer: R$300.000,00 (12 x R$25.000,00). (Ativo Circulante)
  3. Em 2017, seguros a vencer R$225.000,00 (9 x R$25.000,00).(Ativo Não Circulante)
Portanto, alternativa correta é A.
 
Parte 02 - Governança Corporativa, Controle e Análise de Risco: Governança e análise de risco. Governança no setor público. O papel da Auditoria na estrutura de governança. Elementos de risco e controle. Aplicação da estrutura conceitual de análise de risco.
 
 
a) Considerações: a FCC não costuma cobrar muitas questões dessa parte. Acredito que dessa vez ela possa surpreender e cobrar mais questões do que do o habitual.  
 
Veja as minhas sugestões de leitura:
 
Norma
Item da norma
COSO I
Apenas os mapas mentais abaixo sobre opinião do auditor.
COSO II
Governança corporativa
Princípios básicos de governança para o setor público
 
Mapas mentais úteis para sua revisão:
 
Observação:  os componentes de 1 ao 5 têm nas estruturas do Coso I e Coso II. Já os componentes 6 ao 8, somente no Coso II. 
 
b) Minha aposta: é possível que pareçam até três questões (probabilidade de duas).
 
Exemplo de questões recentes da FCC da parte 02
 
Assunto: Modelos de Controle e de Análise de Risco do COSO
14. (Auditor Público Externo (TCE-RS) / 2014 / / Ciências Contábeis / FCC) O Modelo The Committee of Sponsoring Organizations of the Treadway Commission − COSO é mecanismo de auditoria que tem como foco os riscos corporativos. Dentre os componentes do COSO 1 estão: a definição de uma filosofia de tratamento dos riscos e a observação do sistema de controle interno. Esses componentes são denominados, respectivamente,
a) atividade de controle e monitoramento.
b) ambiente de controle e identificação de riscos.
c) identificação de riscos e avaliação de riscos.
d) ambiente de controle e monitoramento.
e) monitoramento e ambiente de controle.
 
Comentários:
 
COSO é o Comitê das Organizações Patrocinadas, da Comissão Nacional sobre Fraudes em Relatórios Financeiros. É uma entidade do setor privado, sem fins lucrativos, voltada para o aperfeiçoamento da qualidade de relatórios financeiros. O COSO destaca cinco componentes essenciais de um sistema de controle interno eficaz, quais sejam:
1. Ambiente de controle: compreende o tom de uma organização e fornece a base pela qual os riscos são identificados e abordados pelo seu pessoal, inclusive a filosofia de gerenciamento de riscos, o apetite a risco, a integridade e os valores éticos, além do ambiente em que estes estão.
 
2. Avaliação do risco. envolve a identificação e a análise pela gestão dos riscos relevantes para o alcance dos objetivos predeterminados.
 
3.Atividades de controle: políticas e procedimentos para assegurar que as diretrizes sejam seguidas.
 
4. Informação e comunicação: suporta todos os outros componentes de controle através da comunicação das responsabilidades de controle aos empregados e através do fornecimento de informação que permita às pessoas o cumprimento das suas responsabilidades, ou seja, identifica, captura e troca as informações.
 
5. Monitoramento: abrange a supervisão externa dos controles internos por parte da gestão ou de outras partes externas ao processo, ou seja, avalia e observa a qualidade do desempenho dos controles internos.
Portanto, alternativa correta é D.
 
Assunto: Modelos de Controle e de Análise de Risco do COSO
15. (Auditor de Controle Interno (CGM São Luís) / 2015 / / Abrangência Geral / FCC) Um dos elementos essenciais que compõem a rotina do Auditor Interno são os riscos de auditoria, que devem ser tratados na fase de planejamento. Uma das ferramentas de controle interno mais modernas no trato desse tipo de risco é denominada
a) modelo COSO.
b) comparativo de riscos.
c) auditoria de riscos.
d) estratégia de antecipação de riscos.
e) auditoria de resultado.
 
Comentários:
 
COSO é o Comitê das Organizações Patrocinadas, da Comissão Nacional sobre Fraudes em Relatórios Financeiros. É uma entidade do setor privado, sem fins lucrativos, voltada para o aperfeiçoamento da qualidade de relatórios financeiros.
 
Há mais de uma década, o Committee of Sponsoring Organizations of the Treadway Commission (COSO) publicou a obra Internal Control – Integrated Framework (Gerenciamento de Riscos Corporativos - Estrutura Integrada), para ajudar empresas e outras organizações a avaliar e aperfeiçoar seus sistemas de controle interno.
 
Desde então, a referida estrutura foi incorporada em políticas, normas e regulamentos adotados por milhares de organizações para controlar melhor suas atividades visando o cumprimento dos objetivos estabelecidos. Nos últimos anos, intensificou-se o foco e a preocupação com o gerenciamento de riscos, e tornou-se cada vez mais clara a necessidade de uma estratégia sólida, capaz de identificar, avaliar e administrar riscos.
 
Segundo o COSO II, o gerenciamento de riscos corporativos é constituído de oito componentes inter-relacionados, que se originam com base na maneira como a administração gerencia a organização, e que se integram ao processo de gestão. Esses componentes são os seguintes:
Ambiente Interno – A administração estabelece uma filosofia quanto ao tratamento de riscos e estabelece um limite de apetite a risco. O ambiente interno determina os conceitos básicos sobre a forma como os riscos e os controles serão vistos e abordados pelos empregados da organização.
 
Fixação de Objetivos – Os objetivos devem existir antes que a administração identifique as situações em potencial que poderão afetar a realização destes. O gerenciamento de riscos corporativos assegura que a administração adote um processo para estabelecer objetivos e que os escolhidos propiciem suporte, alinhem-se com a missão da organização e sejam compatíveis com o apetite a risco.
 
Identificação de Eventos – Os eventos em potencial que podem impactar a organização devem ser identificados, uma vez que esses possíveis eventos, gerados por fontes internas ou externas, afetam a realização dos objetivos.
 
Avaliação de Riscos – Os riscos identificados são analisados com a finalidade de determinar a forma como serão administrados e, depois, serão associados aos objetivos que podem influenciar. Avaliam-se os riscos considerando seus efeitos inerentes e residuais, bem como sua probabilidade e seu impacto.
 
Resposta a Risco – Os empregados identificam e avaliam as possíveis respostas aos riscos: evitar, aceitar, reduzir ou compartilhar. A administração seleciona o conjunto de ações destinadas a alinhar os riscos às respectivas tolerâncias e ao apetite a risco.
 
Atividades de Controle – Políticas e procedimentos são estabelecidos e implementados para assegurar que as respostas aos riscos selecionados pela administração sejam executadas com eficácia.
 
Informações e Comunicações – A forma e o prazo em que as informações relevantes são identificadas, colhidas e comunicadas permitam que as pessoas cumpram com suas atribuições. Para identificar, avaliar e responder ao risco, a organização necessita das informações em todos os níveis hierárquicos. A comunicação eficaz ocorre quando esta flui na organização em todas as direções, e quando os empregados recebem informações claras quanto às suas funções e responsabilidades.
 
Monitoramento – A integridade do processo de gerenciamento de riscos corporativos é monitorada e as modificações necessárias são realizadas. Desse modo, a organização poderá reagir ativamente e mudar segundo as circunstâncias. O monitoramento é realizado por meio de atividades gerenciais contínuas, avaliações independentes ou uma combinação desses dois procedimentos.
Portanto, alternativa correta é A.
 
Parte 03 - Auditoria Governamental: Normas Brasileiras de Auditoria no Setor Público (NBASPs).  Tipos de Auditoria: Auditoria de conformidade; Auditoria operacional; Auditoria de demonstrações contábeis; Auditoria de sistemas financeiros; atividades de estudo e consultoria; atividades de detecção de fraude. Controle Interno.
 
a) Considerações: aqui a banca deve explorar as classificações de auditoria mais usuais.
 
Veja as minhas sugestões de leitura:
 
Norma
Item da norma
Demais assuntos
Apenas os mapas mentais abaixo sobre opinião do auditor).
NBC T 16.8
Item 4 (classificação de controle interno) e itens 5 ao 8 (seus componentes)
 
b) Minha aposta: podem parecer até três questões.
 
Mapas mentais úteis para sua revisão:
 
Exemplo de questões recentes da FCC da parte 03
 
Assunto: Tipos e Formas de Auditoria Governamental
16. (Analista Técnico de Controle Externo (TCE-AM) / 2013 / / Auditoria Governamental /FCC) A verificação realizada em entidades da Administração Direta e Indireta em função, subfunção, programas e ações é denominada auditoria
a) de controle oficial.
b) pública.
c) governamental.
d) de Estado.
e) oficial.
 
Comentários:
 
Segundo o item 1102.1, das Normas de Auditoria Governamental (NAGs), Auditoria Governamental é exame efetuado em entidades da administração direta e indireta, em funções, subfunções, programas, ações (projetos, atividades e operações especiais), áreas, processos, ciclos operacionais, serviços, sistemas e sobre a guarda e a aplicação de recursos públicos por outros responsáveis, em relação aos aspectos contábeis, orçamentários, financeiros, econômicos, patrimoniais e operacionais, assim como acerca da confiabilidade do sistema de controles internos (SCI). É realizada por profissionais de auditoria governamental, por intermédio de levantamentos de informações, análises imparciais, avaliações independentes e apresentação de informações seguras, devidamente consubstanciadas em evidências, segundo os critérios de legalidade, legitimidade, economicidade, eficiência, eficácia, efetividade, equidade, ética, transparência e proteção do meio ambiente, além de observar a probidade administrativa e a responsabilidade social dos gestores da coisa pública. Questão extraída literalmente dessa norma. Portanto, alternativa correta é C.
 
Ressalte-se que as demais tipos de auditorias (de controle oficial, pública, de Estado e oficial) não estão previstos em normas de auditoria.
 
Assunto: Auditoria Interna (Controle Interno)
17. (Auditor de Controle Interno (CGM São Luís) / 2015 / / Abrangência Geral / FCC) O setor de contabilidade da Prefeitura Municipal de São Luís do Maranhão verificou a ocorrência de informações contábeis registradas de forma intempestiva. Diante desse problema, foi determinado a um Auditor de Controle Interno a adoção de procedimentos concomitantes e a posteriori para identificar outras falhas dessa natureza, bem como erros, omissões e outras inadequações. Nos termos da NBC T 16, para essa finalidade devem ser utilizados procedimentos de
a) prevenção.
b) investigação.
c) detecção.
d) avaliação.
e) corroboração.
 
Comentários:
 
Questão trata de procedimentos que servem como referenciais para o controle interno como suporte do sistema de informação contábil, no sentido de minimizar riscos e dar efetividade às informações da contabilidade, visando contribuir para o alcance dos objetivos da entidade do setor público.
Segundo a NBC T 16.8, a estrutura de controle interno compreende ambiente de controle; mapeamento e avaliação de riscos; procedimentos de controle; informação e comunicação; e monitoramento. Procedimentos de controle são medidas e ações estabelecidas para prevenir ou detectar os riscos inerentes ou potenciais à tempestividade, à fidedignidade e à precisão da informação contábil, classificando-se em:
(a) procedimentos de prevenção – medidas que antecedem o processamento de um ato ou um fato, para prevenir a ocorrência de omissões, inadequações e intempestividade da informação contábil;
 
(b) procedimentos de detecção – medidas que visem à identificação, concomitante ou a posteriori, de erros, omissões, inadequações e intempestividade da informação contábil.
Ao realizar o cotejo entre o enunciado da questão e a norma, concluiremos que se trata de procedimentos de detecção. Questão extraída literalmente dessa norma. Portanto, alternativa correta é C.
Assunto: Tipos de Auditoria governamental
18.( Auditor (TCE-AM) / 2015 / FCC) O Tribunal de Contas, no mês de junho de 2015, realizou auditoria na Secretaria Estadual da Saúde, objetivando examinar a legalidade e a legitimidade dos atos de gestão do responsável pela secretaria, quanto aos aspectos contábil, financeiro, orçamentário e patrimonial. Segundo as Normas de Auditoria do Tribunal de Contas da União − NAT, quanto à natureza, esta auditoria é classificada de auditoria
a) de acompanhamento de gestão.
b) integral.
c) operacional.
d) de regularidade.
e) de avaliação de gestão.
 
Comentários:
 
Questão aborda a classificação de auditoria, segundo as NAT. As Normas de Auditoria do Tribunal de Contas da União (NAT) têm por objetivo a obtenção de qualidade e a garantia de atuação suficiente e tecnicamente consistente do auditor na condução dos trabalhos de auditoria. Quanto à natureza, as auditorias classificam-se em:
1. Auditorias de regularidade, que objetivam examinar a legalidade e a legitimidade dos atos de gestão dos responsáveis sujeitos à jurisdição do Tribunal, quanto aos aspectos contábil, financeiro, orçamentário e patrimonial. Compõem as auditorias de regularidade as auditorias de conformidade e as auditorias contábeis.
 
2. Auditorias operacionais, que objetivam examinar a economicidade, eficiência, eficácia e efetividade de organizações, programas e atividades governamentais, com a finalidade de avaliar o seu desempenho e de promover o aperfeiçoamento da gestão pública.
Portanto, alternativa correta é D.
 
Comentário das demais alternativas.
 
a) de acompanhamento de gestão: realizada ao longo dos processos de gestão, com o objetivo de se atuar em tempo real sobre os atos efetivos e os efeitos potenciais positivos e negativos de uma unidade ou entidade federal, evidenciando melhorias e economias existentes no processo ou prevenindo gargalos ao desempenho da sua missão institucional.(IN nº01/SFCI/2001)
 
b) integral:  é a pesquisa ou exame crítico das atividades, operações e fatos econômicos, incluídos seus processos integrantes, realizados por um ente econômico qualquer que seja seu âmbito, mediante a utilização de um conjunto estruturado de processos que tem como objetivo a avaliação sistemática e permanente do ente econômico no seu universo, para obter e valorar evidência, formar-se um julgamento sobre as asserções verificáveis e os achados obtidos, conforme a parâmetros e critérios existentes (Vásquez,1999).
 
c) operacional: que objetivam examinar a economicidade, eficiência, eficácia e efetividade de organizações, programas e atividades governamentais, com a finalidade de avaliar o seu desempenho e de promover o aperfeiçoamento da gestão pública.
 
e) de avaliação de gestão: esse tipo de auditoria objetiva emitir opinião com vistas a certificar a regularidade das contas, verificar a execução de contratos, acordos, convênios ou ajustes, a probidade na aplicação dos dinheiros públicos e na guarda ou administração de valores e outros bens da União ou a ela confiados. (IN nº01/SFCI/2001)
 
Ao realizar o cotejo entre o enunciado da questão e a norma, concluiremos que se trata de um controle operacional. Questão extraída literalmente dessa norma. Portanto, alternativa correta é A.
 
Assunto: Tipos e Formas de Auditoria Governamental
19. (Analista de Controle Externo (TCE-CE) / 2015 / Auditoria Governamental / Controle Externo / FCC) A auditoria realizada em determinada autarquia pública na qual o relatório emitido pelos auditores aborda os aspectos da economicidade e da eficiência na aquisição e aplicação dos recursos, assim como da eficácia e da efetividade dos resultados alcançados, refere-se à auditoria
a)  operacional.
b)  de acompanhamento de gestão.
c)  de avaliação de gestão.
d)  orçamentária.
e)  de gestão de recursos.
 
Comentários:
 
Há diversas classificações para a Auditoria, segundo a doutrina e os normativos em vigor. Será apresentada a classificação da IN nº 01/2001 – SFCI MF. Essa classificação é mais cobrada nas questões de concursos públicos.
Segundo essa norma, a auditoria classifica-se em:
Ressalte-se que tanto a auditoria orçamentária quanto à gestão de recursos têm aspectos correlatos à Auditoria de Avaliação da Gestão.
 
Confrontando essas informações com os tipos de auditorias elencadas na IN 01-2001/SCI MF, conclui-se que a auditoria que aborda os aspectos da economicidade e da eficiência na aquisição e aplicação dos recursos, assim como da eficácia e da efetividade dos resultados alcançados, refere-se à auditoria operacional. Portanto, alternativa correta é A.
 
Assunto: Auditoria de regularidade e auditoria operacional
20. (Analista Judiciário (TRF 5ª Região) / 2017 / Contadoria / Apoio Especializado /FCC) De acordo com as Normas de Auditoria do Tribunal de Contas da União − NAT, as auditorias são classificadas quanto à natureza em auditorias
a) contábeis e orçamentárias.
b) de regularidade e operacionais.
c) de legalidade e de legitimidade.
d) contábeis e de desempenho.
e) financeiras e de conformidade.
 
Comentários:
 
Questão aborda a classificação das auditorias quanto à natureza, segundo as Normas de Auditoria do Tribunal de Contas da União – NAT (2011, p.16). Veja:
CLASSIFICAÇÃO DAS AUDITORIAS
Quanto à natureza, as auditorias classificam-se em:
 
• Auditorias de regularidade, que objetivam examinar a legalidade e a legitimidade dos atos de gestão dos responsáveis sujeitos à jurisdição do Tribunal, quanto aos aspectos contábil, financeiro, orçamentário e patrimonial. Compõem as auditorias de regularidade as auditorias de conformidade e as auditorias contábeis.
 
Auditorias operacionais, que objetivam examinar a economicidade, eficiência, eficácia e efetividade de organizações, programas e atividades governamentais, com a finalidade de avaliar o seu desempenho e de promover o aperfeiçoamento da gestão pública. [grifo nosso]
Questão extraída literalmente dessa norma.
 
Portanto, alternativa correta é B.
 
Ufa!
 
Desculpe-me pelo excesso de informação, mas não queria deixar de chamar à sua atenção aos tópicos que podem aparecer na sua prova no Domingo! Meu objetivo principal é otimizar a sua revisão de Auditoria Governamental para TCE RS. Espero que você tenha gostado e consiga gabaritar essa prova.  
 
Quero ratificar o meu convite para você conhecer o meu material aqui no TEC. São Módulos de Auditoria – Teoria e Questões, elaborados e comentados por mim. Esse material está adaptado às novas alterações das normas de auditoria e contempla mapas mentais, tabelas e esquemas para facilitar a memorização dos tópicos mais recorrentes em provas.
 
Em breve, o nosso material teórico estará em conformidade com a nova árvore de assuntos do TEC, referente à Auditoria (Privada e Governamental). Aguardem!!!
 
 
Firme nos estudos e BOA PROVA!
 
Grande abraço,
 
Prof. Tonyvan
 
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.