Raio X da FCC - matemática para Sefaz/PE

por Vítor Menezes em 05/07/2014
Olá pessoal!
 
Acabei de lançar um curso de matemática financeira para a Sefaz/PE (segue link). O curso conta com 12 aulas e mais de 350 questões comentadas.
 
Na hora de preparar o material, tive a oportunidade de realizar um estudo sobre o histórico da banca, o que compartilho com vocês agora.

Conteúdo do edital
 
MATEMÁTICA FINANCEIRA 
1. Conceito de juros e regimes de capitalizações.
2. Capitalização simples e Capitalização composta - 2.1. Cálculo de montante, juros, principal, taxa e tempo; 2.2. Convenções linear e exponencial aplicadas a períodos fracionários; 2.3. Taxas equivalentes, nominais e efetivas. 2.4. Equivalência de capitais. Descontos simples e descontos compostos.
3. Séries finitas e perpétuas de pagamentos: postecipadas, antecipadas e diferidas.
4. Utilização de tabelas financeiras.
5. Métodos de avaliação de fluxos de caixa: valor presente líquido e taxa interna de retorno.
6. Sistemas de amortização de empréstimos: Sistema Francês, Tabela Price, Sistema de Amortização Constante e Sistema Americano de Amortização.
7. Inflação e atualização de valores monetários: índices de preços; atualização de valores através de indexadores; taxas aparente e real de juros; taxa de inflação.
 
 
Raio X da Banca
 
Como há poucas vagas para a Sefaz/PE, o ideal é que você realmente estude todo o conteúdo ministrado em nosso curso.
 
Entretanto, em eventual falta de tempo, é importante que você saiba o que priorizar. Para te ajudar nisso, fiz uma análise do histórico da FCC.
 
Reagrupando o conteúdo em macro-tópicos, temos:
  1. Porcentagem
  2. Juros simples
  3. Desconto simples
  4. Taxas efetivas, equivalentes e proporcionais no regime simples (Taxas eep)
  5. Juros compostos
  6. Desconto composto
  7. Taxas efetivas, equivalentes e nominais no regime composto (Taxas een)
  8. Taxas 
  9. Inflação, taxa real e taxa aparente
  10. Equivalência de capitais
  11. Rendas
  12. Amortização
  13. Análise de investimentos
  14. Números índices.
Muito bem, fiz o seguinte. Entrei no TecConcursos e filtrei apenas as questões de provas anteriores de matemática financeira da FCC, comentadas, para ver quais tópicos são os mais cobrados historicamente.
 
Observações sobre tal procedimento:
  • Considerei apenas questões de matemática financeira. Isto é relevante, pois o tópico "porcentagem" é muito cobrado pela FCC, mas não em provas de financeira, sim em provas de raciocínio lógico. 
  • Inclui o tópico "números índices", que geralmente é cobrado dentro de provas de estatística, mas que consta expressamente em nosso edital da Sefaz/PE.
O caderno resultante contou 235 questões.
 
O resultado está indicado no gráfico a seguir.
 
 
A primeira conclusão imediata é: o tópico de números índices (indicado no edital por "índices de preço"), é, historicamente, inútil, a banca quase nunca cobra. É o primeiro capítulo a ser cortado em eventual falta de tempo. 
 
Mas cuidado aqui: refiro-me tão somente aos números índices (índice de Laspeyres, Paasche, Preço relativo, etc). É o capítulo 12 do nosso curso, o último capítulo de nosso material.
 
Já as questões que tratam do relacionamento entre taxa de inflação, taxa nominal e taxa real, estas caem bastante (aparecem com 17 ocorrências no gráfico acima). Sem falar que é um assunto muito curtinho e fácil de aprender. Isso vale a pena estudar! É o nosso Capítulo 7.
 
Outro ponto interessante pode ser extraído do gráfico acima: tópicos iniciais da matéria, como juros simples, compostos, descontos simples, compostos, aparecem na parte esquerda do gráfico. Ou seja, são muito cobrados.
 
Isso sugere que, no caso de eventual falta de tempo, pode ser interessante focar apenas na parte inicial da matéria. O que, em exatas, é ainda mais importante. Seria absolutamente inútil o aluno tentar estudar diretamente VPL e TIR (tópico muito cobrado), se, antes disso, não tiver estudado juros simples e compostos, descontos simples e compostos, equivalência de capitais e rendas. Ou seja, VPL e TIR apresentam uma série de pré-requisitos.
 
Desta forma, a melhor estratégia na verdade é estudar o material na sequência, e avançar até onde o tempo permitir.
 
Exemplificando, se você estudar apenas até a aula 07, terá coberto 63% das questões.
 
 
E o conteúdo até a aula 7 é justamente o conteúdo mais tranquilo de matemática financeira. A matéria começa a ficar um pouco mais puxada justamente a partir da aula 8.
 
Observações:
  • tudo isso é dito considerando o histórico da banca. Nada impede que a FCC mude seu estilo e cobre exclusivamente, digamos, questões sobre números índices, justo o tópico que eu disse que nem vale a pena estudar. Não temos como dar garantia de nada. Só o que estou fazendo é olhar para o passado e com isso tentar ajudar uma estratégia para quem eventualmente não tenha tempo de estudar tudo.
  • sobre essas 235 questões analisadas para montar os quadros acima: utilizei-as tão somente para realizar este estudo. Não significa nem que eu tenha incluído todas elas no material (já adianto que não inclui, algumas ficaram de fora), nem que eu tenha me restringido tão somente a elas. Ou seja, incluí questões da FCC não contempladas nestas 235, tais como questões de porcentagem que caem em RL, bem como questões de outras bancas. Fiz assim porque uma coisa é analisar o histórico de cobrança. Outra completamente diferente é estudarmos e fixarmos conhecimento. Exemplo: na hora de fixarmos o conteúdo de porcentagem, escolhi questões de porcentagem, com prioridade para FCC, pouco importando se a questão caiu numa prova de RLQ ou de financeira, sendo suficiente apenas que seja uma questão interessante.
 
Bons estudos!
 
Vítor Menezes
 
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.