Questão interessante para o TCE-CE 2015 - Contabilidade

por Marco Diniz em 08/05/2015
Olá amigos do Tec Concursos ! Firme e forte nos estudos? Espero que sim !
 
Foi lançado o edital para o concurso do TCE-CE (banca FCC) com provas marcadas para o dia 28/06/2015. É hora de dar aquele gás final, para chegar lá bem preparado. É uma excelente oportunidade para os alunos que estão se preparando com força total. Lembre-se, o edital é um prêmio para quem vem estudando com comprometimento !
 
Pensando em ajudá-los, trago uma questão que foi cobrada no TCE-GO em 2014 (questão recente), concurso que também foi elaborado pela FCC.
 
É uma questão muito interessante e diferenciada porque exigiu do candidato o conhecimento de alguns tópicos considerados avançados da matéria como cálculo do Imposto de Renda, Participações e Dividendos.
 
O concurseiro que consegue acertar essa questão, ganha pontos que a grande maioria dos alunos não conseguem atingir, e assim se torna um forte candidato para conquistar a vaga.
 
Vejamos, então, a questão:
 
Atenção: Considere as informações abaixo, para responder à questão.

Os Balancetes de Verificação da Cia. Forte apresentavam, no período 2009/2010, os saldos a seguir (Valores em reais):
 
Cia. Forte − Balancete de Verificação
Saldos Devedores 2009 2010 Saldos Credores 2009 2010
Aplicações Financeiras (1) (2) 5.000 0 Capital Social 50.000 60.000
Capital a Realizar 10.000 0 Contas a Pagar 13.000 12.050
Clientes 32.000 38.500 Depreciação Acumulada 12.000 5.500
CMV  28.000 34.000 Empréstimos a Pagar (5) 0 15.000
Depreciação 1.000 4.500 Financiamentos a Pagar (6) 16.000 17.000
Despesas com Créditos de Liquidação Duvidosa 200 500 Fornecedores 8.000 15.950
Despesas de Pessoal 20.000 38.000 Notas Promissórias a Pagar (4) 9.000 0
Despesas de Vendas 26.400 20.000 Provisão para Crédito de Liquidação
Duvidosa (PCLD)
200 500
Despesas Financeiras 3.800 1.960 Receitas de Aplicações Financeiras 10.200 600
Disponibilidades 4.000 1.000 Reservas de Lucros (7) 2.000 0
Equipamentos 15.000 15.000 15.000 4.000 0
Estoques 1.960 4.500 Resultado da Venda de Imobilizado 0 4.000
Imóveis (3) 22.000 27.000 Resultado de Equivalência Patrimonial 1.200 760
Participações Societárias 4.240 5.000 Vendas 68.000 104.500
Perdas com Clientes 0 900      
Veículos (3) 20.000 20.000      
Total de Saldo Devedor 193.600  235.860 Total de Saldo Credor 193.600 235.860
 
A empresa forneceu, ainda, as informações complementares abaixo:
 
(1) Os saldos apresentados correspondem aos saldos finais das contas listadas. Apenas os resultados dos exercícios não estão apurados.

(2) A conta de Aplicações Financeiras constituíam-se em aplicações em quotas de Fundo de Investimento, resgatáveis em quatro anos. Ao final de 2010, a empresa resgata antecipadamente o investimento, auferindo um rendimento de R$ 600,00.

(3) Ao final do segundo exercício, a direção da empresa opta por renovar integralmente a sua frota de veículos que acumulava depreciações, até a data da baixa, de 55%. No mesmo período, a empresa adquire uma nova frota de veículos, no valor R$ 45.000,00 e adquire novos imóveis.

(4) Título vencível em 90 dias.

(5) Empréstimos contraídos ao final do exercício de 2010, contratados com prazo de cinco anos e juros contratuais de 1,5% a.a. pagáveis mensalmente no ultimo dia útil do mês.

(6) A empresa renegocia com a instituição financeira parte do saldo de seus financiamentos quitando R$ 13.000,00 repactuando o restante da dívida juntamente com novos financiamentos a taxas mais vantajosas e prazo de quitação para 60 meses, com carência de dois anos.

(7) No início de 2010, a empresa integraliza totalmente o Capital a Realizar e aumenta o Capital Social, utilizando todo o saldo inicial de Reserva Legal e de Reservas nos Lucros. Na mesma ocasião, os sócios subscrevem e integralizam em moeda corrente parcela do capital.

(8) Dos resultados finais apurados, quando positivos, a empresa provisiona 20% para o Imposto de Renda e Contribuições, 10% para Participação nos Lucros para os Administradores e 10% para Participação nos Lucros aos Empregados. Distribuindo o Lucro Líquido 5% para Reserva Legal, 50% para Dividendos e o restante para Reservas de Lucros.
 
Em 2010, o total do Passivo Circulante era de
A) R$ 46.000,00
B) R$ 37.780,00
C) R$ 34.760,00
D) R$ 32.000,00
E) R$ 30.060,00
 
Comentário:
 
No cálculo do passivo circulante, você precisava considerar o valor do Imposto de Renda a Pagar, das Participações a Pagar, do Dividendo a Pagar e as contas de passivo dadas pela questão. Vamos calcular esses valores a partir do cálculo do lucro líquido.

Para apurarmos o lucro líquido precisamos somar todas as receitas e diminuir de todas as despesas, depois subtrair o Imposto de Renda e, por fim, subtrair as participações.
 
Após descobrirmos o valor do lucro líquido vamos calcular os dividendos e, finalmente, calcular o Passivo Circulante.
 
Vamos aos cálculos:
 
1) Cálculo do resultado

Receitas  = 104.500 + 600 + 4.000 + 760 = 109.860
Despesas  = 34.000 + 4.500 + 500 + 38.000 + 20.000 + 1.960 + 900 = 99.860
 
receitas = 109.860
(-) despesas = (99.860)
(=) LUCRO = 10.000,00
 
2) Cálculo do I.R e das participações

I.R = lucro x 20% = 10.000 x 20%
I.R = 2.000
 
Participação Empregados = (lucro - I.R) x 10% = (10.000 - 2.000) x 10%
Participação Empregados = 800

Participação Administradores = (lucro - I.R - participação empregado) x 10% = (10.000 - 2.000 - 800) x 10%
Participação Administradores = 720
 
3) Cálculo do lucro líquido
 
lucro líquido = lucro - I.R - participações
lucro líquido = 10.000 - 2.000 - 800 - 720
lucro líquido = 6.480,00
 
4) Cálculo dos Dividendos
 
Atenção: a questão informa expressamente que o dividendo será 50% sobre o lucro líquido, portanto, vamos seguir essa orientação!
 
Dividendo = 50% x LL = 50% x 6.480,00
Dividendo = 3.240,00
 
5) Calculando o Passivo Circulante
 
(+) contas a pagar = 12.050
(+) fornecedores = 15.950,00
(+) I. Renda a pagar = 2.000,00
(+) Participação Empregados a pagar = 800,00
(+) Participação Administradores = 720,00
(+) Dividendos = 3.240,00
(=) Passivo Circulante = 34.760,00
 
Confirmando, gabarito letra C.
 
 
 
OBS.:
 
 - Por que o valor de R$ 15.000,00 (Empréstimos a Pagar) não entrou nos cálculos do Passivo Circulante?
 
Resposta:
 
Perceba que a empresa renovou sua frota de veículos por R$ 45.000,00. Para isso a empresa pagou R$ 13.000,00 e financiou o restante (R$ 32.000,00) com prazo de quitação para 60 meses (ou cinco anos), com carência de 2 anos.
 
Os R$ 32.000,00 estão registrados da seguinte forma na contabilidade: R$ 15.000,00 está na conta empréstimos a pagar e os R$ 17.000,00 estão na conta Financiamentos a Pagar.
 
Portanto, R$ 15 mil é um valor de longo prazo e deve ser considerado como passivo não circulante.
 
 
Forte Abraço!

 
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.