Prova de Português Comentada da Assefaz-MA (Cargo: Técnico)

por Denise Carneiro em 16/09/2016
Olá, minha gente!
 
Estou aqui para comentar a prova do cargo de Técnico da ASSEFAZ-MA deste ano de 2016.  Usarei o mesmo esquema da prova de Auditor: comentários mais rápidos e diretos ao ponto, apenas para que possíveis dúvidas sejam sanadas. O detalhamento das questões será dado em breve na plataforma normal do TEC, beleza?
 
Vamos lá!
 
1) O texto permite afirmar que

(A) a tecnologia usada nas técnicas de fertilização in vitro causa otimismo entre os cientistas, que a celebram como grande aliada no sucesso da preservação dos rinocerontes.
(B) a ânsia por ganhos exorbitantes a partir do comércio de uma parte do animal é tida como a causa primordial para que os rinocerontes estejam ameaçados de extinção.
(C) as pesquisas científicas no campo da reprodução de rinocerontes em cativeiro, devido à sua eficácia, prescindem de ações humanas de outra ordem, sendo suficientes para se evitar a extinção das espécies ameaçadas.
(D) a morte da rinoceronte Nabiré foi sentida como um acontecimento funesto por se tratar de uma das últimas fêmeas pertencentes à sua subespécie com capacidade de se reproduzir em cativeiro.
(E) uma das consequências da guerra civil do Congo, que já perdura há várias décadas, foi a retirada de quatro rinocerontes brancos-do-norte do local, que foram levados a uma reserva no Quênia.
 
O trecho do texto que respalda a alternativa "B" é: "Surgido como um adorno que conferia sucesso reprodutivo ao portador (como a juba, no caso do leão), o chifre acabaria por selar o destino trágico do paquiderme. Passou a ser usado para tratar diversas doenças na medicina oriental. De nada valeram inúmeros estudos científicos mostrando a inocuidade da substância. O chifre virou artigo valiosíssimo no mercado negro da caça."
 
2) Considere as afirmações abaixo a respeito da pontuação do texto.
 
I. O segmento que faziam companhia a Nabiré (6o parágrafo) pode ser isolado por vírgulas, sem alteração do sentido original.
INCORRETA. Caso isolemos o trecho com vírgulas, provocaremos alteração de sentido, vejamos:
 
...os quatro rinocerontes-brancos-do-norte que faziam companhia a Nabiré foram levados...
Temos oração adjetiva restritiva. (SEM VÍRGULA)
 
...os quatro rinocerontes-brancos-do-norte, que faziam companhia a Nabiré, foram levados...
Passamos a ter oração adjetiva explicativa. (COM VÍRGULA)
 
II. No segmento O rinoceronte-branco-do-norte era endêmico do Congo – país que... (5o parágrafo), o sinal de travessão pode ser substituído por vírgula, sem prejuízo da correção gramatical.
CORRETA. Tanto a vírgula quanto o travessão podem ser empregados tranquilamente para isolar termos ou orações explicativas. 
 
O rinoceronte-branco-do-norte era endêmico do Congo – país que ainda sofre os efeitos de uma guerra civil iniciada em 1996 que já deixou um saldo de ao menos 5 milhões de pessoas mortas. 
O rinoceronte-branco-do-norte era endêmico do Congo, país que ainda sofre os efeitos de uma guerra civil iniciada em 1996 que já deixou um saldo de ao menos 5 milhões de pessoas mortas. 

III. Sem prejuízo da correção gramatical, uma vírgula pode ser inserida imediatamente após “Hoje” no segmento Hoje restam apenas 29 mil, divididos em cinco espécies... (4o parágrafo). 
CORRETA. Galera, "hoje" é um adjunto adverbial de pequena extensão, assim, seu isolamento por vírgula é facultativo e não prejudica nem a correção gramatical, nem o sentido do texto, vejamos: 
 
Hoje restam apenas 29 mil, divididos em cinco espécies.
Hoje, restam apenas 29 mil, divididos em cinco espécies.
 
Está correto o que se afirma APENAS em
 
(A) I e III.
(B) I e II.
(C) II e III.
(D) III.
(E) I. 
 
3) No contexto, está usado em sentido figurado o elemento que se encontra em destaque em:
 
(A) Foi a rinoceronte mais doce que tivemos no zoológico.
(B) ... a ordem dos rinocerontes era representada por um plantel de meio milhão de animais.
(C) Surgido como um adorno que conferia sucesso reprodutivo ao portador...
(D) São todos idosos e, até que se prove o contrário, inférteis.
(E) O restante – uma fêmea chamada Nola – mora num zoológico nos Estados Unidos
 
Esta questão estava "dada", viu? Por favor, não percam pontos como este. 
 
SENTIDO FIGURADO = SENTIDO CONOTATIVO = SENTIDO CRIADO PARA O CONTEXTO
Em suma, é o oposto do sentido literal.
 
A letra "A" diz que a rinoceronte era a mais "doce", ou seja, a mais "afetuosa", "terna". A palavra foi empregada no sentido figurado, afinal ela não era literalmente doce, como uma colher de acúçar, por exemplo.
 
4) A tragédia vinha sendo anunciada...
O segmento grifado exerce na frase acima a mesma função sintática que o segmento também grifado em:
 
(A) ... devido à ganância humana...
(B)     Hoje restam apenas 29 mil...
(C) ... havia a esperança última de que um habitat selvagem pudesse surtir algum efeito.
(D) ... país que ainda sofre os efeitos de uma guerra civil iniciada em 1996...
(E) ... o diretor da instituição descreveria a perda como “terrível”...
 
Galera, "A tragédia" exerce função de SUJEITO, ok? Precisamos identificar a assertiva cujo termo destacado também exercça esta função.
 
Letra A: INCORRETA.
Galera, sujeito nunca pode vir preposicionado, ok? Se temos a expressão "à ganância humana" com sinal grave, nunca poderemos dizer que ela exerce função de sujeito. No caso, temos complemento nominal.
 
Letra B: CORRETA
Colocando na ordem direta, é possível visualizar melhor -> Apenas 29 mil restam hoje. 
Percebam, inclusive, que o vebro "restam" está flexionado no plural para concordar com "29 mil".
 
Letra C: INCORRETA
Haver com sentido de existir => oração SEM SUJEITO. 
 
Letra D: INCORRETA
A expressão "os efeitos" é objeto direto do verbo "sofre".
 
Letra E: INCORRETA
Gente, "fêmea" é parte do aposto explicativo "uma fêmea chamada Nola", não exerce função de sujeito.
 
5) Nabiré representava 20% dos rinocerontes-brancos-do-norte ainda vivos.
Transpondo-se a frase acima para a voz passiva, a forma verbal resultante será:
 
(A) representa-se
(B) era representado
(C) são representados
(D) foi representado
(E) eram representados 
 
Quem estudou pelo material teórico da professora que aqui escreve (rsrsrs), conhece o passo-a-passo para conversão da voz ativa em voz passiva, suficiente para matar esta questão e várias outras que envolvam a temática, vejamos:
 
1) O objeto direto da voz ativa passa a ser o sujeito da voz passiva.
2) Sujeito passa a ser agente da passiva.
3) O verbo na forma ativa passa a ser uma locução (verbo ser/estar + particípio do verbo da voz ativa)
4) A locução verbal (voz passiva) deve manter o tempo e o modo verbal original  (da voz ativa)
 
Na voz ativa, temos o verbo "representava" no pretérito imperfeito do Indicativo, assim, o verbo "ser" da locução da voz passiva precisa estar neste mesmo tempo e modo, ok?
 
VOZ ATIVA: Nabiré representava 20% dos rinocerontes-brancos-do-norte ainda vivos.
VOZ PASSIVA: 20% dos rinocerontes-brancos-do-norte ainda vivos eram representados por Nabiré.
 
6) Diante desse quadro, não houve quem zelasse pelo animal.
Mantendo-se a correção da frase, o segmento grifado pode ser corretamente substituído pelo que se encontra em:
 
(A) retesse os caçadores do animal. (O correto é "retivesse".)
(B) mantesse o animal fora de perigo. (O correto é "mantivesse".)
(C) oponha resistência aos combatentes do animal. (O correto e adequado à frase é "opusesse".)
(D) cuidasse da segurança do animal.
(E) sabesse como resguardar o animal.  (O correto é "soubesse".)
 
7) Ainda assim, atravessou aquele 27 de julho em relativa normalidade. (1o parágrafo)
Porém, não houve resultado. (6o parágrafo)
Sem prejuízo da correção e do sentido, os elementos sublinhados acima podem ser substituídos, respectivamente, por:
 
(A) Desse modo – Conquanto
(B) Com isso – No entanto
(C) Não obstante – Contudo
(D) Portanto – Embora
(E) Todavia − Porquanto 
 
Gente, só poderia ser a letra C: ambas as expressões possuem sentido adversativo, de oposição. Quem estuda comigo, sabe que sempre destaco: "decorem as principais conjunções e seus respectivos sentidos". 
Também alerto para este trio que confunde muita gente: 
 
PORTANTO - conclusivo
CONQUANTO- concessivo
PORQUANTO - causal, explicativo
 
8) ... definindo-a como “um símbolo do declínio catastrófico dos rinocerontes devido à ganância humana". (1o parágrafo)
... os efeitos de uma guerra civil iniciada em 1996 que já deixou um saldo de ao menos 5 milhões de pessoas mortas. (5o parágrafo)
Nabiré não viajou com o grupo por ser portadora de uma doença: nasceu com ovário policístico, o que a tornava infértil. (7o parágrafo)
 
Os pronomes das frases acima se referem, respectivamente, a: 
 
Às vezes, para resolvermos questões como esta, precisamos ir ao texto. Em outros caso, sequer é necessário. Só não "vale" querer "adivinhar", a informação deve ser checada, ok?
 
ITEM 1:
No dia seguinte, o diretor da instituição descreveria a perda como “terrível”, definindo-a como “um símbolo do declínio catastrófico dos rinocerontes devido à ganância humana”. 
 
Olha o que diz o período completo: descreveria a perda como "terrível", definindo-a... definindo o quê?? A perda.
Simples né?
 
ITEM 2: ... os efeitos de uma guerra civil iniciada em 1996 que já deixou um saldo de ao menos 5 milhões de pessoas mortas. 
O pronome relativo "que" retoma "guerra civil", podem checar: quem já deixou um saldo de ao menos 5 milhões de pessoas mortas? Uma guerra civil iniciada em 1996.
Neste caso, nem precisamos ir ao texto, a resposta já está na nossa face, rsrsrsrs.
 
OBS: Quem identificou os termos referenciados pelos pronomes destacados do trecho 1 e do trecho 2, já pode marcar a letra "E", só restou ela como opção.
 
ITEM 3: Nabiré não viajou com o grupo por ser portadora de uma doença: nasceu com ovário policístico, o que a tornava infértil. 
O ovário policisto tornava quem infértil, heim? Perguntem ao texto, sem timidez. Resposta: Nabiré!
 
(A) perda – efeitos − doença
(B) Nabiré – efeitos – doença
(C) perda – pessoas – Nabiré
(D) Nabiré – guerra civil – doença
(E) perda – guerra civil – Nabiré
 
9) As normas de concordância verbal estão plenamente respeitadas na redação da seguinte frase:

(A) Os rinocerontes proliferaram ao longo de 40 milhões de anos, tempo durante o qual ocuparam regiões da África e da Ásia, dividindo-se em mais de 100 espécies.
CORRETA. Concordância "redondinha", sem problemas, sem polêmicas.

(B) Embora as semelhanças físicas entre o rinoceronte e o hipopótamo seja ampla, a anta e o cavalo são os parentes mais
próximos do paquiderme. 
INCORRETA, pois a expressão "sejam amplas" deveria estar flexionada no plural para concordar com "semelhanças físicas". 

(C) Já se comprovou que, há mais de 50 milhões de anos, o antepassado da anta, do cavalo e do rinoceronte habitaram a América do Norte.
INCORRETA, pois o verbo deveria estar no singular (habitou) para concordar com "o antepassado".

(D) Alguns dos antepassados do rinoceronte, com o passar do tempo, ganhou um chifre de queratina, o mesmo componente
encontrado no cabelo e na unha humana.
INCORRETA, pois o verbo deveria estar no plural (ganharam) para concordar com "Alguns parentes".

(E) Os chifres de rinocerontes africanos costumam ser ilegalmente contrabandeados, pois muitos acreditam que tem propriedades afrodisíacas e curativas.
INCORRETA, pois o verbo deveria estar no plural (têm - com acento) para concordar com "os chifres dos rinocerontes..."
 
ATENÇÃO! Não posso passar por uma questão como esta sem indicar para vocês minha paródia "Malandramente", ela aborda justamente pegadinhas das bancas envolvendo concordância verbal. 
 
10) Identifica-se noção de finalidade no segmento que se encontra em:
 
(A) ... mas também possui influência da França. (3o parágrafo) 
-> sentido adversativo, de oposição.
 
(B) ... pela longevidade de seu uso. (5o parágrafo)
-> sentido causal.

(C) ... para enriquecer a estética das casas e dos prédios comerciais. (2o parágrafo)
-> sentido de finalidade
 
(D) Por isso, a cidade preserva o maior aglomerado urbano de azulejos dos séculos XVIII e XIX. (5o parágrafo)
-> sentido conclusivo.
 
(E) ... devido aos matizes de branco que refletem os raios solares. (5o parágrafo) 
-> sentido causal.
 
Meu povo, esta questão dá para acertar até sem ir ao texto. Não estou recomendando isto, que fique claro, mas quem já treinou bastante, sabe que "para enriquecer..." é uma construção clássica que indica finalidade de algo. Vamos checar?
 
Foi no século XVIII, período colonial, que os azulejos lusitanos começaram a chegar à capital maranhense, em um contexto de crescimento urbano, para enriquecer a estética das casas e dos prédios comerciais. 
 
Percebam que os azulejos lusitanos começaram a chegar à capital maranhense com a finalidade de/para: enriquecer a estética das casas e dos prédios comerciais. 
 
11) Considere as afirmações abaixo.
 
I. Os portugueses se dedicaram à produção de azulejos...
O sinal indicativo de crase deverá ser mantido caso o segmento grifado seja substituído por: produzir azulejos.
INCORRETA, pois não ocorre crase antes de verbo.

II. ... resistindo a tempos chuvosos e amenizando o calor do verão...
Sem que se faça nenhuma outra alteração, a frase se manterá gramaticalmente correta se o segmento sublinhado for substituído por: qualquer intensidade de chuva.
CORRETA. Não ocorre crase antes de pronome indefinido (qualquer), assim, a construção fica correta deste modo: resistindo a qualquer intensidade de chuva.

III. ... devido aos matizes de branco que refletem os raios solares.
O segmento sublinhado está corretamente substituído por: às tonalidades brancas. 
CORRETA. Se na forma masculina temos "aos", na feminina equivalente teremos "às". Dica clássica de checagem da ocorrência de crase.
 
Está correto o que se afirma APENAS em
(A) II.
(B) I e II.
(C) I e III.
(D) III.
(E) II e III. 
 
12) Lá é possível confirmar com historiadores que o patrimônio azulejar maranhense é em sua maior parte proveniente de Portugal, mas também possui influência da França. (3o parágrafo)
O elemento que justifica a flexão do verbo em destaque é:
 
(A) historiadores.
(B) o patrimônio azulejar maranhense.
(C) Portugal.
(D) maior parte.
(E) influência
 
Gente, presta atenção no verbo ser, empregado logo após "património azulejar maranhense":
 
...que o patrimônio azulejar maranhense é em sua maior parte proveniente de Portugal, mas também possui influência da França.
(riscando para facilitar a visualização)
 
...o patrimônio azulezar maranhense é proveniente de Portugal, mas também possui influência...
 
Quem possui influência? O patrimônio azulezar maranhense. É por isso que o verbo "possui" está no singular. 
 
13) Uma redação alternativa para um segmento do texto, em que se mantêm a correção, a lógica e, em linhas gerais, o sentido
original, está em:

(A) O maior acervo de azulejos em exposição − todos oriundos de doações − encontra-se no Museu Histórico e Artístico do
Maranhão, onde se pode confirmar que a maior parte do patrimônio azulejar maranhense provém de Portugal, embora
também possua influência francesa.
CORRETA, estando de acordo com o padrão culto escrito.

(B) Um dos patrimônios culturais mais belos da cidade de São Luís é composto de seus azulejos, cujos se encontram não apenas nas fachadas das casas antigas, mas nas igrejas e nos interiores de casarões.
INCORRETA, pois o pronome relativo "cujo" só deve ser empregado entre dois substantivos e com sentido de posse.

(C) Durante o período colonial, no século XVIII, momento em que se dava um forte crescimento urbano no Maranhão, os azulejos lusitanos, começaram a chegar à capital maranhense.
INCORRETA. A vírgula empregada após "lusitanos" está separando o sujeito do verbo.
 
...os azulejos lusitanos, começaram a chegar à capital maranhense.
Construção correta: ...os azulejos lusitanos começaram a chegar à capital maranhense.
 
(D) Uma vez que desenvolveram técnicas exclusivas, a partir também de trabalho artesanal, os portugueses se dedicaram à produção de azulejos, onde também buscou-se formas de construção visual na qual o mesmo azulejo, dependendo da posição em que está, assume formas diversas.
INCORRETA. Só devemos empregar o pronome relativo onde com sentido de lugar (físico ou fictício).

(E) Embora tenha havido forte influência de Portugal, São Luís tornou-se, a mais lusitana das capitais brasileiras, preservando
o maior aglomerado urbano de azulejos, dos séculos XVIII e XIX, em toda a América Latina. 
INCORRETA, pois a vírgula empregado após "tornou-se" está separando o verbo de seu predicativo (a mais lusitana das capitais brasileiras). A vírgula empregada após "azulejos" também está incorreta, pois separa o nome (azulejos) de seu adjunto adnominal (dos séculos XVIII e XIX).
 
14) Os árabes usavam mosaicos de azulejos para ornamentar as paredes de seus palácios, conferindo às paredes brilho e ostentação.
Influenciados pela técnica mourisca, artesãos espanhóis e portugueses simplificaram a técnica e adaptaram a técnica aos padrões ocidentais.
 
Fazendo-se as devidas alterações, os elementos sublinhados acima estão corretamente substituídos por um pronome, na ordem
dada, em:
 
(A) conferindo-as – adaptaram-lhe
(B) lhe conferindo − a adaptaram
(C) conferindo-lhes − adaptaram-na
(D) conferindo-a – lhes adaptaram
(E) conferindo-as – as adaptaram 
 
Sabendo disto, matamos a questão: 
 
-> Os pronomes o(s), a(s) ocupam  função de objeto direto.
-> Os pronomes lhe(s) ocupam função de objeto indireto.
-> Quando os pronomes oblíquos "a(s), o(s)" acompanharem verbos terminados em som nasal (am, em, ão, õe), serão transformados em : na(s), no(s). 
 
... conferindo às paredes... (O.I)
Como "às paredes" é objeto indireto, não pode ser substituído pelo pronome oblíquo "as". Podemos eliminar as letras A, D e E.
 
...adaptaram a técnica...(O.D)
Como "a técnica" é objeto direto, não pode ser substituído pelo pronome oblíquo "lhe". Permanecemos na dúvida entre B e C, mas vamos acertar, pois aprendemos que pronome oblíquo "a/o" + verbo com som nasal: verbo + na/no. Assim: adaptaram-na.
 
15) Não raro, o homem moderno considera construções antigas como bens ultrapassados, ____ deveriam ceder lugar a edificações mais arrojadas.
Preenche corretamente a lacuna I da frase o que se encontra em:
 
(A) dos quais
(B) nos quais
(C) onde
(D) os quais
(E) aonde 
 
Eliminem a letra C e a letra E, pois ambos só podem ser usados para referenciar locais físicos ou fictícios. 
ONDE: lugar, sem ideia de deslocamento.
AONDE: lugar, com ideia de deslocamento, de movimento. 
 
As letras A e B também podem ser eliminadas, pois não há termo que autorize a presença das preposições DE OU EM (DOS = DE + OS, NOS = EM + OS).
 
É isto, meus amores! Prova tranquila, sem questões passíveis de recurso. 
Como já falei, as elas serão detalhadas em breve aqui na plataforma do TEC. Abordamos apenas os pontos crucias de cada uma delas, sem aprofundamento. O objetivo é apenas acalmar o coração de vocês.
 
Estou na torcida por cada um! Contem comigo!
 
smiley Um grande beijo e sorriam, vocês serão aprovados! smiley
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.