Prova Comentada: Prefeitura de Paulista-PE (nível médio)

por Denise Carneiro em 23/08/2018
Olá, meus amores! 
Hoje quero comentar para vocês a prova da Prefeitura de Paulista-PE, aplicada no final de julho deste ano. Se você está se preparando para algum certame cuja banca seja UPENET/IAUPE, venha comigo! 
 
QUESTÃO 1: Com base na leitura do Texto 1, assinale a afirmativa que está em conformidade com as suas informações e ideias.
A) A vida na Terra só é possível, porque o nosso planeta fica a uma distância do Sol que permite a existência da água em estado líquido.
CORRETA. Gente, esta alternativa é a única viável, vejamos o que o texto diz: "A Terra fica no que chamamos de zona de habitabilidade, a faixa de distância duma estrela onde a água, se houver, tem chance de ser líquida. A premissa, aqui, é que, sem água, a vida é impossível."
Assim, segundo o texto, a vida na Terra, de fato, só é possível porque estamos na chamada "zona de habitabilidade" em que a água tem a chance de ser líquida. O autor ainda enfatiza:  "sem água, a vida é impossível". 
 
B) Estudos sobre o passado geológico de Marte evidenciam que o Planeta Vermelho evolui para alcançar um estágio com água em estado líquido na sua superfície.
INCORRETA. Cuidado, gente! O texto afirma que Marte, no passado, provavelmente teve água em abundância, mas a sua atmosfera foi desaparecendo aos poucos e hoje o planeta é um deserto gelado. Assim, a alternativa contradiz o conteúdo do texto, pois Marte não evolui para alcançar um estágio com água líquida, aconteceu justamente o contrário.
Vejamos: "Marte, o oposto, é um deserto gelado, com cânions de rios e outras estruturas geológicas que mostram que seu passado foi diferente. Acreditamos que, na sua infância, o Planeta Vermelho tinha água em abundância e até, quem sabe, algum tipo de vida rudimentar. Mas sua atmosfera foi desaparecendo aos poucos, vítima da gravidade mais fraca e dos ventos solares, radiação que sai do Sol e se espalha pelo Sistema Solar."
 
C) A presença de água no nosso planeta permitiu que a vida, em todos as suas formas, estivesse presente na Terra, desde o início de seu surgimento.
INCORRETA. Gente, o texto afirma explicitamente que as formas vivas começaram a surgir há cerca de 3,5 bilhões de anos e que nosso Planeta tem uma idade aproximada de 4,53 bilhões de anos, ou seja, ficamos aí alguns anos (um bilhão, rsrs) sem vida por aqui. 
Vejamos: "A Terra tem uma idade aproximada de 4,53 bilhões de anos. Nos primeiros 600 milhões de anos, a situação foi bem dramática, com bombardeios constantes vindos dos céus, asteroides e cometas que "sobraram" durante a formação dos planetas e suas luas. Esses visitantes trouxeram uma gama de compostos químicos e muita água, ingredientes da sopa que, em torno de 3,5 bilhões de anos atrás ou mesmo antes disso, daria origem às primeiras formas vivas."
 
D) O fenômeno da fotossíntese permitiu o resfriamento da Terra, o que fez surgirem as primeiras formas de vida no nosso planeta.
INCORRETA. Gente, cuidado! O autor afirma que as primeiras formas vivas surgiram (seres unicelulares) e que durante um bilhão de anos pouco aconteceu. Afirma ainda que a Terra começou a se resfriar e, depois, em torno de 2,4 bilhões de anos atrás, esses seres vivos descobriram a fotossíntese. Assim, a fotossíntese NÃO provocou o resfriamento, nem fez surgir as primeiras formas de vida, que já existiam e evoluíram quando descobriram a fotossíntese. Vejamos: "Durante um bilhão de anos, pouco aconteceu. Mas a Terra foi se resfriando, os oceanos já bem formados, e regiões com terra firme foram cobrindo pequenas partes da superfície. Foi então que, em torno de 2,4 bilhões de anos atrás, esses seres unicelulares passaram por uma mutação fundamental: descobriram a fotossíntese, a capacidade de transformar a energia solar em energia metabólica, consumindo gás carbônico e produzindo oxigênio."
 
E) A relativa estabilidade da Terra e a sua atmosfera rica em oxigênio são indicadoras irrefutáveis de que a vida no nosso planeta nunca será extinta.
INCORRETA. Gente, o texto é finalizado da seguinte forma: "Somos poderosos no nosso conhecimento, mas frágeis quando comparamos forças com a natureza. Tratar a Terra e suas formas de vida com humildade e respeito é a única opção que temos, se queremos continuar por aqui, por outros tantos milhares de anos."
Assim, é evidente que a possibilidade de extinção da vida na Terra não é tratada pelo texto como algo impossível.
 
QUESTÃO 2:  Se observarmos a organização que o autor dá ao seu texto, vamos identificar que ele emprega certas estratégias para obter alguns efeitos de sentido. Assinale a alternativa que identifica e relaciona CORRETAMENTE as estratégias e os efeitos de sentido obtidos. A) Ao anunciar o tema que vai abordar (1º parágrafo), o autor pretende destacar o seu papel de especialista, mas acaba por marcar certo distanciamento do seu leitor.
INCORRETA. Gente, não há intenção de distanciamento, pois o autor utiliza a expressões como "nossa casa cósmica", "devemos" (terceira pessoa do plural) e "a gente" típica da linguagem falada, justamente para promover aproximação com o leitor.
 
B) O emprego de uma linguagem predominantemente científica mostra que o autor restringe o diálogo sobre a evolução do nosso planeta a outros cientistas.
INCORRETA. O autor utiliza o padrão culto escrito, mas de forma acessível aos leitores em geral, e não uma linguagem técnica destinada a cientistas. 
 
C) Ao marcar o seu discurso com a autoridade de quem detém amplo conhecimento sobre o tema, o autor pretende não abrir espaço para questionamentos.
INCORRETA. Gente, mais uma vez, não encontramos no texto uma linguagem de autoridade e que se apresenta como inquestionável, mas um texto que trata do assunto de forma leve, aproximando autor e leitor. 
 
D) Quando afirma: “mutações transformaram bactérias em pessoas” (penúltimo parágrafo), o autor quer desqualificar a humanidade ante a situação do Planeta.
INCORRETA. Não, gente! O próprio autor enfatiza que não há intenção de diminuição do ser humano, vejamos: "Portanto, viva a Terra! Não estamos aqui por acaso. Somos produto disso tudo, das inúmeras mutações que transformaram bactérias em pessoas, dos acidentes cataclísmicos que redefiniram as condições planetárias, das inúmeras mudanças que ocorreram no decorrer de bilhões de anos de história.  Saber disso não nos diminui; pelo contrário, nos remete ao topo dessa cadeia de vida, nós que somos as criaturas capazes de reconstruir nosso passado com tanto detalhe e, ao mesmo tempo, nos questionar sobre o futuro."
 
E) Na conclusão do texto (dois últimos parágrafos), o autor sintetiza o assunto, ao mesmo tempo em que responsabiliza e envolve o leitor na causa ambiental.
CORRETA. O autor afirma que somos produto dessas condições e evoluções do planeta, alerta sobre a nossa fragilidade e destaca a necessidade de tratarmos a Terra e suas formas de vida com respeito, se quisermos prosseguir aqui por mais alguns milhares de anos: "Do poder vem a responsabilidade, no caso, de guardar a vida e o planeta, entendendo que somos parte dessa dinâmica planetária, na verdade, completamente dependentes dela. Somos poderosos no nosso conhecimento, mas frágeis quando comparamos forças com a natureza. Tratar a Terra e suas formas de vida com humildade e respeito é a única opção que temos, se queremos continuar por aqui, por outros tantos milhares de anos.
 
QUESTÃO 3: Analise as relações de sentido propostas a seguir, para determinados segmentos do Texto 1.
 
1. Em: “a gente pouco se dá conta do que ocorre ao nível planetário” (1º parágrafo), a expressão “ao nível planetário” significa “em escala inimaginável”.
INCORRETA. Gente, a expressão fala literalmente sobre o contexto do nosso planeta, assim a expressão "ao nível planetário" trata realmente de "planeta", e não de "escala inimaginável" (sentido figurado). 
 
2. O trecho: “Temos uma cumplicidade com o Sol (...)” (2º parágrafo) equivale a: “Temos uma camaradagem com o Sol”.
CORRETA. O autor utiliza a palavra "cumplicidade" para destacar a relação de companheirismo/camaradagem que possuímos com o Sol.
 
3. Afirmar que “as rochas são incandescentes” (3º parágrafo) é o mesmo que dizer que “as rochas são reluzentes”.
INCORRETA. O adjetivo "incandescente" é utilizado com sentido de "brasa" (que queima), e não apenas de "emitir luz" (reluzente). Vejamos o trecho: "Vênus é um verdadeiro inferno, tão quente que as rochas, lá, são incandescentes."
 
4. “Algum tipo de vida rudimentar” (3º parágrafo) é o mesmo que “algum tipo de vida incipiente”.
CORRETA. O autor fez uso da palavra "rudimentar" para qualificar um tipo de vida sem muito desenvolvimento, em fase inicial, ou seja, incipiente com C, viu? 
INCIPIENTE: principiante, em fase inicial, que ainda não foi muito desenvolvido.
INSIPIENTE: tolo, insensato, ignorante.
 
Assim, o gabarito é LETRA D: 2 e 4. 
 
QUESTÃO 4: Ao compor um texto, empregamos diferentes recursos para “amarrar” uma ideia à outra, ou seja, para promover a coesão textual. Um dos recursos da coesão é a substituição de palavras ou expressões. Assinale os itens que identificam CORRETAMENTE o emprego da substituição entre os termos indicados por aspas.
 
1. “casa cósmica” (1º parágrafo) substitui “Terra” (título).
CORRETA. Vejamos: "Hoje, escrevo sobre nossa casa cósmica. Vivendo em cidades, na correria do dia a dia, a gente pouco se dá conta do que ocorre ao nível planetário, ou de como nosso planeta é especial. Mas a Terra é única, e devemos nossa existência a ela."
 
2. “correria do dia a dia” substitui “cidades”. (1º parágrafo)
INCORRETA. Gente, a expressão "correria do dia a dia" não substitui "cidades", apenas acrescenta informação sobre a vida nas cidades.
Vejamos: "Vivendo em cidades, na correria do dia a dia, a gente pouco se dá conta do que ocorre ao nível planetário, ou de como nosso planeta é especial."
 
3. “estrela-mãe” substitui “Sol”. (2º parágrafo)
CORRETA. Inegável, galera. Percebam que o autor utiliza a expressão "nossa estrela-mãe" como aposto da palavra Sol: "Primeiro, temos uma cumplicidade com o Sol, nossa estrela-mãe."
 
4. “propriedades adequadas” substitui “talento”. (2º parágrafo)
INCORRETA.  Gente, alguém poderia se confundir aqui, mas o termo "propriedades adequadas" NÃO substitui "talento", vejamos:  "Como no futebol, estar bem posicionado não é suficiente para marcar um gol. O que, num jogador, chamamos de talento, num planeta chamamos de propriedades adequadas." O autor tece uma comparação entre a posição da Terra e a posição de um jogador de futebol em campo. Em suma, para o jogador, é necessário talento; para um planeta, propriedades adequadas. 
Percebam que não há substituição de "talento", mas apenas uma comparação.
 
5. “essas bactérias” (7º parágrafo) substitui “esses seres unicelulares”. (6º parágrafo)
CORRETA. Tranquilo de identificar, vejamos: "Foi então que, em torno de 2,4 bilhões de anos atrás, esses seres unicelulares passaram por uma mutação fundamental: descobriram a fotossíntese, a capacidade de transformar a energia solar em energia metabólica, consumindo gás carbônico e produzindo oxigênio. Aos poucos, essas criaturas foram mudando a composição da atmosfera, que foi ficando cada vez mais rica em oxigênio. Devemos, em grande parte, nossa existência a essas bactérias e a essa mutação."
 
Assim, o gabarito é a LETRA "C": 1, 3 e 5.
 
QUESTÃO 5: No trecho: “Vênus é um verdadeiro inferno, tão quente que as rochas, lá, são incandescentes.” (3º parágrafo), observa-se uma relação sintático-semântica de
GABARITO: C
Gente, este é um dos sentidos mais cobrados pela banca UPENET/IAUPE: consequência.
Vênus é um verdadeiro inferno, tão quente que as rochas, lá, são incandescentes.”
Muita atenção!! Os conectores "tão...que", "tanto...que", "tamanho...que", "de sorte que" expressam sentido consecutivo!
Está revisando conectores? Foque também no sentido "concessivo", especialmente nestes conectores: apesar de, mesmo que, ainda que, por mais que, embora, conquanto.
 
QUESTÃO 6: A gramática tradicional separa as palavras em classes e lhes atribui funções relativamente estáveis. Entretanto, dependendo das intenções de quem fala (ou escreve), uma palavra pode funcionar como uma classe gramatical diferente da “original”. Assinale a alternativa em que o segundo elemento constitui exemplo da ocorrência desse fenômeno.  (Grifos da professora)
 
Gente, o que a questão pede? Basicamente que você encontre a expressão cujo segundo elemento esteja funcionando como uma classe gramatical diferente da original/comum/clássica.
 
A) Planeta Vermelho
INCORRETA, pois vermelho é classicamente um adjetivo. 
 
B) Seres unicelulares
INCORRETA, pois unicelulares é classicamente um adjetivo. 
C) Planeta único
INCORRETA, pois único é classicamente um adjetivo. 
D) Casa cósmica
INCORRETA, pois cósmica é classicamente um adjetivo. 
E) Estrela-mãe
CORRETA. A palavra "mãe" normalmente é empregada como substantivo, mas nesta expressão funciona como adjetivo que qualifica "estrela".
 
QUESTÃO 7:  Assinale, entre as proposições abaixo, a que analisa CORRETAMENTE relações sintático-semânticas do Texto 1.
A) Em: “Vênus é um verdadeiro inferno, tão quente que as rochas, lá, são incandescentes. Além do mais, sua atmosfera ultradensa é rica em muitos compostos de enxofre (...).” (3º parágrafo), a expressão destacada sinaliza uma oposição entre as informações acerca de Vênus.
INCORRETA. Gente,  temos aqui ideia de acréscimo, e não de oposição. Percebam que o autor começa a falar sobre Vênus (um verdadeiro inferno, tão quente que...) e acrescenta informação que não se opõe à primeira: rica em muitos compostos de enxofre.
 
B) No trecho: “Mas a Terra foi se resfriando, os oceanos já bem formados, e regiões com terra firme foram cobrindo pequenas partes da superfície.” (5º parágrafo), as formas verbais destacadas partilham o mesmo sujeito, “a Terra”.
INCORRETA. O sujeito de "foi se resfriando" é a "Terra", já o sujeito de "foram cobrindo" é "regiões com terra firme".
 
C) Em: “Aos poucos, essas criaturas foram mudando a composição da atmosfera, que foi ficando cada vez mais rica em oxigênio.” (6º parágrafo), o pronome destacado substitui “essas criaturas”, evitando, assim, a sua repetição.
INCORRETA. Gente, temos um pronome relativo que retoma "atmosfera". Quem foi ficando cada vez mais rica em oxigênio? A atmosfera. Percebam, inclusive, que a locução verbal "foi ficando" está no singular, justamente para concordar com o "que" que retoma "atmosfera", e não "essas criaturas".
 
D) “Mas formas de vida só podem se transformar quando o planeta em que existem oferece condições para tal.” (7° parágrafo), ou seja, oferece condições para se transformarem.
CORRETA. O trecho fala que as formas de vida só podem se transformar quando o planeta oferece condições para... o quê? Para a transformação. 
 
E) O trecho: “Apesar das grandes transformações no decorrer de sua existência, a Terra permaneceu relativamente estável (...)” (7º período) deve ser lido como: “Como houve grandes transformações no decorrer de sua existência, a Terra permaneceu relativamente estável”.
INCORRETA. Gente, a expressão "apesar de" tem sentido concessivo.
Cuidado!! Este sentido, como já falei, é um dos queridinhos da UPENET e de várias bancas.
E por que está errado, professora? Porque "como" NÃO pode ser utilizado para expressar esse sentido. 
COMO: pode ser conformativo. Exemplo: Como diz Zé Ramalho, eu vou te jogar num pano de guardar confetes.
COMO: pode ser causal. Exemplo: Como queria ser concursada, ela estudou até passar.
COMO: pode ser comparativo. Exemplo: E era um cão vagabundo e uma onça pintada se amando na praça como os animais. (Alceu Valença)
 
QUESTÃO 8: Considerando alguns aspectos formais da língua portuguesa, assinale a afirmativa CORRETA.
A) No enunciado: “Diferentes formas de energia vem facilitar a nossa vida, mas só a energia solar garante a vida na Terra”, a forma verbal sublinhada atenderia as normas vigentes se grafada com acento gráfico (vêem).
INCORRETA. Gente, a forma destacada corresponde ao verbo VIR conjugado na terceira do singular. Para que a concordância verbal seja respeitada, precisamos utilizar a forma "vêm" (terceira do plural), pois "diferentes formas de energia" é o sujeito da oração. 
ATENÇÃO! A forma "veem" corresponde ao verbo VER e, com a entrada em vigor do Novo Acordo ortográfico, não pode mais ser utilizada com acento.
 
B) Assim como em “asteroides” (4º parágrafo), as palavras “heroi” e “ilheu” passaram a ser grafadas sem acento gráfico, após o último Acordo Ortográfico.
INCORRETA. As palavras "herói" e "ilhéu" permanecem acentuadas, mas asteroides não. 
Os ditongos ÉI, ÉU e ÓI não recebem mais acento quando aparecem em palavras paroxítonas.
 
C) As normas da concordância verbal estão cumpridas em: “Fazem 600 milhões de anos que a situação ficou bem dramática”.
INCORRETA. Gente, o verbo fazer com sentido de TEMPO não pode ir para o plural, ok? Neste caso, temos oração sem sujeito, verbo impessoal.
CORREÇÃO: Faz 600 milhões de anos que a situação ficou bem dramática”.
 
D) O sinal indicativo de crase está corretamente empregado em: “uma gama de compostos químicos e muita água dariam origem à milhões de formas vivas”.
INCORRETA. Não ocorre crase quando temos a estrutura "a + palavra no plural" (crase nem a pau, rsrs), muito menos antes de palavra masculina.
 
E) As normas da regência verbal também estão cumpridas em: “formas de vida só podem se transformar quando o planeta a que pertencem oferece condições para tal”.
CORRETA. Tudo certinho! O verbo pertencer pede a preposição "a" (pertencer a algo, a alguém), assim essa preposição deve ser utilizada com o pronome relativo: planeta a que pertencem.
 
QUESTÃO 9:  Acerca do emprego dos sinais de pontuação no Texto 1, analise as afirmativas a seguir.
1. Em: “Mas vemos Vênus e Marte, nossos planetas vizinhos também na zona de habitabilidade do Sol, e a história lá é bem diferente.” (2º parágrafo), as vírgulas separam um segmento explicativo. (grifos da professora)
CORRETA. Gente, as vírgulas foram empregadas justamente para isolar um segmento que acrescenta explicação sobre Vênus e Marte. 
 
2. Em: “Os cataclismos que ocorreram – enormes erupções vulcânicas, emissão de metano, bombardeios de asteroides e cometas – mudaram as condições planetárias” (8º parágrafo), o emprego do duplo travessão pretende, também, dar maior destaque ao trecho separado.
CORRETA. Temos um trecho explicativo isolado por travessões que, sim, conferem maior ênfase, maior destaque. Por quê, professora? Porque, ao usarmos travessões no lugar das vírgulas, automaticamente damos ao trecho maior visibilidade, visto que os travessões chamam mais atenção que as vírgulas. 
 
3. O autor emprega parênteses para introduzir um comentário em: “Mas nunca a ponto de eliminar a vida por completo. (Se bem que a grande extinção do Permiano-Triássico chegou perto, eliminando cerca de 95% das formas de vida na Terra.)” (8º parágrafo)
CORRETA. Esta é uma das utilidades dos parênteses, isolar comentários! Atenção para esta função, galera!
 
4. Em: “Saber disso não nos diminui; pelo contrário, nos remete ao topo dessa cadeia de vida (...)” (último parágrafo), a substituição do ponto-e-vírgula por vírgula seria inadequada e comprometeria os sentidos pretendidos pelo autor para esse trecho.
INCORRETA. Gente, a substituição do ponto e vírgula pela vírgula não provoca problema gramatical ou de sentido, visto que temos orações que possuem o mesmo sujeito, vejamos: Saber disso não nos diminui, pelo contrário, nos remete ao topo dessa cadeia de vida.
 
GABARITO B: 1, 2 e 3 CORRETAS.
 
QUESTÃO 10: Diferentes tipos (gêneros) de textos fazem parte da vida social e cumprem diferentes funções na comunicação e nos nossos afazeres do dia a dia. Dentro da comunicação oficial e administrativa, considere a situação hipotética de uma reunião entre membros de um determinado setor de instituição pública ou privada, e assinale a alternativa que indica o gênero adequado para se fazer o relato de todas as ocorrências da citada reunião.  (grifos da professora)
GABARITO A: Ata.
Gente, questão tranquila. O documento adequado para registro de ocorrências durante uma reunião, de fato, é a ata.  
 
É isto, gente! Fiquem com Deus e até a próxima! =)
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.