Prova de Contabilidade - ISS Teresina - FCC 2016

por Diego Cardoso em 31/08/2016
Olá Pessoal,
 
Abaixo, minhas considerações sobre a prova de Contabilidade, Tipo 1, do ISS Teresina.
 
Apenas há uma possibilidade de anulação na questão 82.
 
Abraço a todos,
 
Diego Cardoso.
 
 
Contabilidade Geral
 
81. As vendas realizadas por uma empresa durante o mês de dezembro de 2015 totalizaram R$ 2.610.300,00 e as informações disponíveis são as seguintes:
 
Data
Valores em Reais (R$)
Data de vencimento
01/12/2015
1.110.300,00
01/03/2017
10/12/2015
800.000,00
À vista
20/12/2015
700.000,00
À vista
 
 
Nas vendas a prazo, a empresa pratica a taxa de juros de 0,7% ao mês, o que equivale a uma taxa de juros de 11,03% para o prazo total da venda ocorrida em 01/12/2015.
 
Os efeitos evidenciados na Demonstração do Resultado do ano de 2015 da empresa, decorrentes especificamente das vendas efetuadas durante o mês de dezembro de 2015 foram:
 
(A) Receita de Vendas = R$ 2.610.300,00 apenas.
(B) Receita de Vendas = R$ 2.500.000,00 apenas.
(C) Receita de Vendas = R$ 2.500.000,00 e Receita Financeira = R$ 7.000,00.
(D) Receita de Vendas = R$ 1.500.000,00 e Receita Financeira = R$ 110.300,00.
(E) Receita de Vendas = R$ 2.500.000,00 e Receita Financeira = R$ 17.500,00.
 
Preliminarmente ao cálculo da Receita, podemos observar que foram realizadas venda à vista e venda a prazo. A venda a prazo, que é uma transação de longo prazo, deverá ser ajustada ao valor presente, obedecendo ao disposto na Lei 6.404/76, que diz:
 
“Art. 183. No balanço, os elementos do ativo serão avaliados segundo os seguintes critérios:
...
VIII – os elementos do ativo decorrentes de operações de longo prazo serão ajustados a valor presente, sendo os demais ajustados quando houver efeito relevante. (Incluído pela Lei nº 11.638, de 2007)”
 
Assim, faremos o reconhecimento da receita de vendas à vista separadamente das receitas de vendas à prazo.
 
  1. Receita de vendas à vista
 
D – Caixa/Bancos              R$ 1.500.000,00
C – Receita de vendas       R$ 1.500.000,00
 
 
Ressaltamos que:
  • A conta Caixa ou Bancos será debitada pela entrada do dinheiro das vendas à vista (R$ 800.000,00 + R$ 700.000,00)
 
  1. Receita de vendas à prazo
 
Aqui é importante realizar o ajuste ao valor presente deste venda, como dispõe o pronunciamento técnico:
 
"A quantificação do ajuste a valor presente deve ser realizada em base exponencial (juros compostos) pro rata die, a partir da origem de cada transação, sendo os seus efeitos apropriados nas contas a que se vinculam."
 
Valor presente da venda = 1.110.300,00/1.1103
 
Valor presente da venda = R$ 1.000.000,00
 
D – Clientes R$ 1.110.300,00
C – Ajuste a valor presente R$ 110.300,00
C – Receita de Vendas R$ 1.000.000,00
 
Ressaltamos que:
  • A conta Clientes será debitada pelos recebíveis decorrentes de vendas a prazo (R$ 1.110.300,00)
  • A conta Ajuste ao Valor Presente, que retificará a conta Clientes, será creditada pelos juros ainda não apropriados ao resultado e que será apropriado como receita financeira até o vencimento do recebível. (R$ 110.300,00)
  • A conta Receita de Vendas será creditada pelo seu valor atual (R$ 1.000.000,00) e não por seu valor nominal. O valor atual é obtido descontando-se o valor nominal até o presente.
Assim, o lançamento agregado das receitas de vendas são:
 
D – Caixa/Bancos                  R$ 1.500.000,00
D – Clientes                           R$ 1.110.300,00
C – Ajuste a valor presente    R$ 110.300,00
C – Receita de vendas            R$ 2.500.000,00
 
A receita financeira a ser apropriada, no mês de dezembro, será obtida pelo produto da taxa de juros mensal da operação (0,7%) com o saldo líquido da conta clientes.
 
Valor atual do recebível: R$ 1.000.000,00
Taxa de juros: 0,7%
Receita de juros = R$ 1.000.000,00 x 0,7% = R$ 7.000,00
 
O lançamento da apropriação dos juros será:
 
D – Ajuste ao Valor Presente R$ 7.000,00
C – Receita Financeira  R$ 7.000,00
 
Portanto,
Gabarito preliminar: “C”
Gabarito: “C”
 
82. Uma empresa contratou os serviços de uma transportadora pelo prazo de um ano e o valor total do contrato negociado foi R$ 1.200.000,00. O contrato foi assinado em 01/09/2015, entrou em vigor imediatamente, sendo que o volume mensal a ser transportado já estava estabelecido em cláusula contratual e era constante durante todo prazo contratado. A empresa efetuará o pagamento do valor total no final do prazo do contrato, e este somente poderá ser rescindido antecipadamente com o pagamento integral do valor contratado, sem qualquer desconto.
 
Os valores evidenciados na Demonstração do Resultado de 2015 e os saldos das contas do Balanço Patrimonial em 31/12/2015, decorrentes do contrato assinado e efetivado em 01/09/2015, foram:
 
(A) Despesa com Transporte = R$ 400.000,00 e Contas a pagar = R$ 400.000,00.
(B) Despesa com Transporte = R$ 400.000,00; Contas a pagar = R$ 400.000,00 e Despesas Antecipadas = R$ 800.000,00.
(C) Despesas Antecipadas = R$ 1.200.000,00 e Contas a pagar = R$ 1.200.000,00.
(D) Despesa com Transporte = R$ 400.000,00; Contas a pagar = R$ 1.200.000,00 e Despesas Antecipadas = R$ 800.000,00.
(E) Despesas com Transporte = R$ 400.000,00 e Despesas Antecipadas = R$ 400.000,00.
 
Em 01/09 entrou em vigor o contrato de transporte com vigência de 12 meses e com pagamento integral no final do contrato. Assim, faremos o seguinte lançamento:
 
C – Contas a Pagar R$ 1.200.000,00
D – Despesas a apropriar R$ 1.200.000,00
 
Em 31/12 transcorreram 4 meses do referido contrato e portando as despesas do período devem ser apropriadas ao resultado em obediência ao regime de competência.
 
Como o contrato é de R$ 1.200.000,00 com vigência de 12 meses, a apropriação mensal de despesa de transporte será de R$ 100.000,00
 
D – Despesas com transporte R$ 400.000,00
C – Despesas a apropriar R$ 400.000,00
 
Portanto, o saldo das contas envolvidas da transação em 31/12 será de
 
Contas a pagar R$ 1.200.000,00
Despesas a apropriar R$ 800.000,00
Despesas com transportes R$ 400.000,00
 
Salvo melhor juízo, não há gabarito para a questão. Entretanto o gabarito preliminar foi pela alternativa “D”. O Examinador classificou indevidamente as despesas a apropriar como despesas antecipadas. Como o próprio enunciado da questão afirmou não houve despesa antecipada, não houve desembolso prévio ao fato gerador da despesa.
 
Gabarito preliminar: “D”
Gabarito proposto: anulação
 
83. No dia 30/04/2015, a empresa Sempre Comprando S.A. adquiriu 80% das ações da empresa Perspectiva S.A. por R$ 80.000.000,00 e passou a deter controle sobre esta. O valor pago corresponde a 80% do valor justo líquido dos ativos e passivos adquiridos pela empresa Sempre Comprando S.A. No ano de 2015, a empresa Perspectiva S.A. apurou um lucro líquido de R$ 24.000.000,00. Os valores evidenciados no Balanço Patrimonial de 31/12/2015 e na Demonstração do Resultado do ano de 2015, nas demonstrações contábeis individuais da empresa Sempre Comprando S.A., foram, respectivamente, em reais,
 
(A) Dividendos a Receber = 19.200.000,00 e Resultado de Participação Societária = 19.200.000,00.
(B) Investimentos = 99.200.000,00 e Resultado de Participação Societária = 19.200.000,00.
(C) Dividendos a Receber = 24.000.000,00 e Resultado de Participação Societária = 24.000.000,00.
(D) Investimentos = 104.000.000,00 e Resultado de Participação Societária = 24.000.000,00.
(E) Investimentos = 80.000.000,00 e Resultado de Participação Societária = 0.
 
Em 30/04 a empresa Sempre Comprando S.A. adquiriu 80% das ações da empresa Perspectiva S.A. por R$ 80.000.000,00. Esse valor corresponde a 80% do valor justo. Ela adquiriu o controle da Perspectiva S.A.
 
Em 2015 a empresa Perspectiva S.A. apurou um lucro líquido de R$ 24.000.000,00.
 
Quais os valores a serem evidenciados nas demonstrações contábeis individuais da empresa Sempre Comprando S.A.?
 
Lançamento da aquisição do controle
 
D – Investimentos R$ 80.000.000,00
C – Caixa/Bancos R$ 80.000.000,00
 
Lançamento da equivalência patrimonial
 
O valor a ser lançado como receita será de 80% x R$ 24.000.000,00 =
 
C – Receita de equivalência patrimonial R$ 19.200.000,00
D – Investimentos R$ 19.200.000,00
 
Portanto,
Gabarito Preliminar: “B”
Gabarito: “B”
 
84. O índice de liquidez corrente de uma empresa era 1,7, obtido a partir dos valores constantes no Balanço Patrimonial de 31/12/2014. O Passivo Circulante da empresa, nesta mesma data, correspondia a 40% do passivo total. Sabendo-se que o Ativo Circulante da empresa totalizava R$ 170.000,00 e que o valor total dos ativos constantes do balanço era R$ 550.000,00, o valor do Patrimônio Líquido constante do Balanço Patrimonial, na mesma data, era, em reais,
 
(A) 300.000,00.
(B) 410.000,00.
(C) 330.000,00.
(D) 150.000,00.
(E) 261.000,00.
 
  1. Índice de Liquidez Corrente = (ativo circulante/passivo circulante) = 1,7
  2. Passivo circulante = 0,4 x Passivo Total
  3. Ativo Circulante = R$ 170.000,00
  4. Ativo Total = R$ 550.000,00
  5. Patrimônio Líquido = X
 
1) e 3)      170.000,00 = 1,7 x Passivo Circulante
                 Passivo Circulante = 100.000,00
 
2)             100.000,00 = 0,4 x Passivo Total
                 Passivo Total = 250.000,00
 
5)             Patrimônio Líquido = Ativo Total – Passivo Total
                 Patrimônio Líquido = 550.000,00 – 250.000,00
                 Patrimônio Líquido = 300.000,00
 
Gabarito preliminar: “A”
Gabarito proposto: “A”
 
85. O Balanço Patrimonial, em 31/12/2014, de uma empresa constituída na forma de sociedade por ações apresentava o valor de R$ 300.000,00 para o grupo do Patrimônio Líquido. Durante o ano de 2015, foram identificados os seguintes eventos e valores correspondentes à atividade da empresa no período:
 
− Não houve aumento de Capital.
− Não houve distribuição de dividendos extraordinários nem pagamento de Juros sobre o Capital Próprio.
− A empresa apurou um lucro líquido de R$ 90.000,00.
− Destinação do lucro líquido em decorrência da Lei das Sociedades por Ações e do que estabelece o estatuto social da empresa:
− Reserva Legal: constituída nos termos da Lei no 6.404/76.
− Constituição de Reserva Estatutária no valor de R$ 3.000,00.
− Destinação de R$ 6.000,00 para Reserva para Expansão.
 
O Estatuto Social da empresa prevê pagamento de Dividendo Obrigatório no valor de 25% do Lucro Líquido, ajustado nos termos da Lei no 6.404/76. Os valores apresentados no Balanço Patrimonial de 31/12/2015 como Dividendos a Pagar e Patrimônio Líquido são, respectivamente,
 
(A) R$ 21.375,00 e R$ 355.125,00.
(B) R$ 21.375,00 e R$ 368.625,00.
(C) R$ 19.125,00 e R$ 370.875,00.
(D) R$ 22.500,00 e R$ 367.500,00.
(E) R$ 22.500,00 e R$ 354.000,00.
 
A questão não informa o valor do capital social e da reserva legal para fins de apuração da base de cálculo dos dividendos obrigatórios. Assim, assumiremos que o valor de R$ 300.000,00 do grupo do Patrimônio Líquido seja o saldo do capital social.
 
Limite obrigatório da Reserva Legal = 20% x Capital Social = 20% x 300.000,00 = 60.000,00
 
Constituição da Reserva Legal = 5% x Lucro Líquido = 5% x 90.000,00 = 4.500,00
 
Base de cálculo dos dividendos = Lucro líquido ajustado
 
Lucro líquido ajustado = Lucro Líquido – Reserva Legal – Reserva de incentivos fiscais – Reserva de Contingência + Reversão de Reserva de incentivos fiscais + Reversão de Reserva de Contingência
 
Base de cálculo dos dividendos = 90.000 – 4.500 = 85.500
 
Dividendos a pagar = 25% x 85.500 = 21.375
 
Destinação do lucro
 
Lucro líquido = 90.000
 
Reserva Legal = 4.500
Dividendos = 21.375
Reserva Estatutária = 3.000
Reserva para expansão = 6.000
Lucros Acumulados = 55.125
 
Patrimônio Líquido = PL inicial + Reservas
Patrimônio Líquido = 300.000 + 4.500 + 3.000 + 6.000 + 55.125
Patrimônio Líquido = 368.625
 
Gabarito preliminar: “B”
Gabarito proposto: “B”
 
Contabilidade Avançada
 
86. A Cia. Expansão obteve, em 01/12/2015, um empréstimo para financiar a expansão da sua atividade operacional. O valor do empréstimo obtido foi R$ 10.500.445,00, para pagamento integral (principal e juros) em 01/12/2016 e a taxa de juros compostos negociada foi 3% ao mês. Os custos incorridos e pagos para a obtenção deste empréstimo foram R$ 500.445,00. Sabendo-se que este empréstimo é mensurado pelo custo amortizado e que a taxa de custo efetivo é 3,42% a.m., o valor dos encargos financeiros reconhecido na Demonstração do Resultado de 2015, referente a este empréstimo, foi, em reais,
 
(A) 315.013,00.
(B) 300.000,00.
(C) 342.000,00.
(D) 800.445,00.
(E) 842.445,00.
 
O CPC 08 – Custos de Transação e Prêmio na Emissão de Títulos e Valores Mobiliários, nos diz que os custos de transação são somente aqueles incorridos e diretamente atribuíveis às atividades necessárias exclusivamente à consecução de transações. Tais custos são gastos incrementais por natureza, pois não existiriam se essas transações não ocorressem.
 
Diferentemente dos custos de transação, as despesas financeiras representam o ônus pago ou a pagar como remuneração do recurso tomado emprestado do financiador.
 
Os encargos financeiros são a soma das despesas financeiras e dos custos de transação.
 
Captação do empréstimos
 
D – Bancos (pela captação líquida) R$ 10.000.000,00
D – Encargos Financeiros a Transcorrer R$ 500.445,00
C – Empréstimos a pagar R$ 10.500.445,00
 
Lançamento dos encargos financeiros
 
Convém observar que a taxa de juros nominal do empréstimo é de 3% e a taxa efetiva é de 3,42%. Essa diferença provém do fato de que os custos de transação reduzem a captação líquida aumentando portanto a taxa efetiva da operação.
 
D – Encargos Financeiros (3,42% x 10.000.000,00)    R$ 342.000,00
C - Encargos Financeiros a Transcorrer    R$ 342.000,00
 
Gabarito preliminar: “C”
Gabarito proposto: “C”
 
87. Determinada empresa adquiriu, em 31/12/2013, uma máquina por R$ 400.000,00, à vista. A vida útil estimada pela empresa para a máquina, na data da aquisição, era 4 anos e o valor residual estimado em R$ 40.000,00. Em 31/12/2014, a empresa reavaliou a vida útil remanescente da máquina para 5 anos e reestimou o valor residual, no final da nova vida útil, em R$ 10.000,00. A empresa adota o método das quotas constantes para o cálculo da despesa de depreciação. Em 31/12/2015, a empresa realizou o teste de recuperabilidade do ativo (teste de impairment) e, para isto, obteve as seguintes informações sobre a máquina:
 
− Valor em uso: R$ 280.000,00.
− Valor justo líquido das despesas de venda: R$ 230.000,00.
 
Com base nestas informações, o valor contábil da máquina apresentado no Balanço Patrimonial da empresa, em 31/12/2015, foi, em reais,
 
(A) 280.000,00.
(B) 230.000,00.
(C) 270.000,00.
(D) 250.000,00.
(E) 240.000,00.
 
Em 31/12/2013 – Aquisição da máquina
 
D – Imobilizado R$ 400.000,00
C – Caixa  R$ 400.000,00
 
Depreciação anual = (400.000,00 - 40.000,00)/4 = 90.000,00
 
Em 31/12/2014 – Reestimativa da vida útil e do valor residual
 
No diário:
 
D – Depreciação R$ 90.000,00
C – Depreciação Acumulada R$ 90.000,00
 
No BP:
 
Imobilizado = R$ 400.000,00
Depreciação Acumulada = R$ 90.000,00
Valor contábil = R$ 310.000,00
 
Novo valor residual = R$ 10.000,00
Vida útil remanescente= 5 anos
 
Nova Depreciação anual = (310.000,00 - 10.000,00)/5 = 60.000,00
 
Em 31/12/2015
 
No Diário:
 
D – Depreciação R$ 60.000,00
C – Depreciação Acumulada R$ 60.000,00
 
No BP:
 
Imobilizado: R$ 400.000,00
Depreciação Acumulada: R$ 150.000,00
Valor contábil: R$ 250.000,00
 
Teste de recuperabilidade
 
O Pronunciamento define valor recuperável como o maior valor entre o preço líquido de venda do ativo e o seu valor em uso. Caso um desses valores exceda o valor contábil do ativo, não haverá desvalorização nem necessidade de estimar o outro valor.
 
Valor justo = R$ 230.000,00
Valor em uso = R$280.000,00
 
Valor recuperável = Valor em uso = R$ 280.000,00
 
Se o valor recuperável do ativo for menor que o valor contábil, a diferença existente entre esses valores deve ser ajustada pela constituição de provisão para perdas, redutora dos ativos, em contrapartida ao resultado do período.
 
Após o reconhecimento da provisão para perdas, a despesa de depreciação, amortização e exaustão dos ativos desvalorizados deve ser calculada em períodos futuros pelo novo valor contábil apurado, ajustado ao período de sua vida útil remanescente.
 
A entidade deve avaliar na data de encerramento do exercício se há alguma indicação, de que uma perda reconhecida em anos anteriores deva ser reduzida ou eliminada. Em caso positivo, a provisão constituída deve ser revertida total ou parcialmente a crédito do resultado do período, desde que anteriormente a ele debitada.
 
Valor contábil = R$ 250.000,00
Valor recuperável = R$ 280.000,00
 
Não reconhece perda por impairment. O ativo continuará a ser registrado pelo contabilidade por R$ 250.000,00
 
Gabarito preliminar: “D”
Gabarito proposto: “D”
 
 
Instruções: Para responder às questões de números 88 e 89, considere as informações abaixo.
 
Em 01/01/2015 a Cia. Olímpica adquiriu, à vista, 80% das ações da Cia. Atlética pelo valor de R$ 10.000.000,00. Na data da aquisição, o valor do Patrimônio Líquido constante do Balanço Patrimonial da Cia. Atlética era R$ 5.000.000,00 e o valor justo líquido dos ativos e passivos identificáveis da Cia. Atlética que foram adquiridos, de acordo com o laudo de avaliação, era R$ 9.000.000,00. A Participação dos Não Controladores foi avaliada pela parte que lhes cabe no valor justo líquido dos ativos e passivos identificáveis da adquirida. Sabe-se que a diferença entre o patrimônio líquido contábil e o valor justo líquido dos ativos e passivos identificáveis era decorrente de um ativo intangível com vida útil indefinida.
 
Durante o ano de 2015, a Cia. Atlética reconheceu em seu Patrimônio Líquido as seguintes mutações:
− Lucro líquido de 2015: R$ 400.000,00
− Dividendos distribuídos: R$ 150.000,00
− Ajustes de avaliação patrimonial: R$ 50.000,00 (saldo credor).
 
88. O valor apresentado pela Cia. Olímpica na conta Investimento, no Balanço Patrimonial individual de 31/12/2015, e o valor reconhecido na Demonstração do Resultado individual de 2015 referente a este investimento foram, respectivamente, em reais,
 
(A) 10.320.000,00 e 320.000,00.
(B) 10.200.000,00 e 200.000,00.
(C) 7.440.000,00 e 320.000,00.
(D) 10.240.000,00 e 360.000,00.
(E) 10.240.000,00 e 320.000,00.
 
Cia Olímpica adquiriu 80% das ações da Cia. Atlética.
 
Valor pago = R$ 10.000.000,00
 
Valor do Patrimônio Líquido da Cia. Atlética = R$ 5.000.000,00
Valor do Justo da Cia. Atlética = R$ 9.000.000,00
 
Lançamento da aquisição na Cia Olímpica
 
D – Investimentos R$ 10.000.000,00
       Participações societárias R$ 4.000.000,00
       Mais Valia R$ 3.200.000,00
       Goodwill R$ 2.800.000,00
C – Caixa/Bancos R$ 10.000.000,00
 
Lançamento da equivalência patrimonial
 
D – Investimentos (80% x 400.000,00) R$ 320.000,00
C – Receita de equivalência patrimonial R$ 320.000,00
 
Lançamento dos dividendos
 
D – Dividendos a receber (80% x 150.000,00) R$ 120.000,00
C – Investimentos R$ 120.000,00
 
Lançamento do ajuste de avaliação patrimonial (compõe os resultados abrangentes)
 
D – Investimentos (80% x 50.000,00) R$ 40.000,00
C – Ajuste de avaliação patrimonial de controladas R$ 40.000,00
 
A conta Investimentos ficará com o seguinte saldo no BP:
 
10.000.000,00 + 320.000,00 – 120.000,00 + 40.000,00 = 10.240.000,00
 
Na DRE só será lançada a receita de equivalência patrimonial de R$ 320.000,00
 
Gabarito preliminar: “E”
Gabarito proposto: “E”
 
89. Sabendo que durante o ano 2015 não foi reconhecida nenhuma perda por impairment (teste de recuperabilidade do ativo), relacionada com o investimento efetuado na Cia. Atlética, o valor reconhecido como Intangível correspondente ao Ágio pago por Expectativa de Rentabilidade Futura na aquisição de Controladas, no Balanço Consolidado da Cia. Olímpica de 31/12/2015, foi, em reais,
 
(A) 2.800.000,00.
(B) 6.000.000,00.
(C) 1.000.000,00.
(D) 5.000.000,00.
(E) 1.800.000,00.
 
No Balanço Consolidado o valor contabilizado no Goodwill da controladora será classificado no Intangível na consolidação.
 
Goodwill = R$ 2.800.000,00
 
Gabarito preliminar: “A”
Gabarito proposto: “A”
 
90. A Cia. Brasileira atua no mercado nacional e sua moeda funcional é o Real. Em 30/11/2015 a Cia. Brasileira constituiu a subsidiária Cia. Americana para atuar nos Estados Unidos, e integralizou 100% do Capital Social no valor de US$100.000,00 (cem mil dólares). A moeda funcional da Cia. Americana é o dólar e, em 31/12/2015, apresentou o seguinte Balanço Patrimonial:
 
Cia. Americana
Balanço Patrimonial (valores em dólares US$)
Ativo
Ativo Circulante 150.000
Disponível 70.000
Contas a Receber 80.000
Ativo Não Circulante 50.000
Imobilizado 50.000
Passivo
Passivo Circulante 60.000
Fornecedores 40.000
Empréstimos 20.000
Patrimônio Líquido 140.000
Capital Social 100.000
Lucro Líquido 40.000
Total Ativo 200.000 Total Passivo + PL 200.000
 
A receitas e despesas da Cia. Americana ocorreram de maneira uniforme no mês de dezembro de 2015 e as informações sobre a taxa de câmbio são as seguintes:
 
Data Taxa de Câmbio
Taxa média de dezembro de 2015 3,90 R$/US$
 
Com base nestas informações, o saldo credor da conta Ajustes Acumulados de Conversão apresentado no Balanço Patrimonial da Cia. Americana em 31/12/2015 foi, em reais,
 
(A) 4.000,00.
(B) 24.000,00.
(C) 20.000,00.
(D) 28.000,00.
(E) 14.000,00.
 
Para os ajustes acumulados de conversão, as contas patrimoniais serão mensuradas pela variação da taxa de câmbio no período demonstrações contábeis e as contas de resultado serão mensuradas pela variação taxa inicial e média de câmbio
 
Ajuste de conversão do Patrimônio Líquido = (4,00 – 3,80) x 100.000,00 = 20.000,00
Ajuste de conversão do Lucro Líquido = (3,90 – 3,80) x 40.000,00 = 4.000,00
 
Ajustes acumulados de conversão = 20.000,00 + 4.000,00 = 24.000,00
 
Gabarito preliminar: “B”
Gabarito proposto: “B”
 
Contabilidade de Custos
 
Instruções: Para responder às questões de números 91 e 92, considere as informações abaixo.
 
A Indústria Magnata S.A. produz um único produto e incorreu nos seguintes gastos durante o mês de julho de 2015, para produzir integralmente 5.000 unidades:
 
Custos fixos: R$ 35.000,00
 
Custos variáveis:
− Matéria-prima: R$ 6,00/unidade
− Mão de obra direta: R$ 3,50/unidade
 
Despesas fixas: R$ 7.500,00
 
Despesas variáveis: R$ 2,50/unidade
 
Comissões de venda: 10% do preço bruto de venda
 
Informações adicionais:
− Preço bruto de venda: R$ 140,00/unidade
− Impostos sobre a Venda: 10% da receita bruta de vendas
− Quantidade vendida no mês de julho de 2015: 3.500 unidades
 
91. Sabendo que a Indústria Magnata S.A. utiliza o método de Custeio por Absorção, o custo unitário da produção do período em julho de 2015 foi, em reais,
 
(A) 9,50.
(B) 7,00.
(C) 16,50.
(D) 19,00.
(E) 20,50.
 
No método do Custeio por Absorção todos os custos fixos e variáveis são alocados aos produtos.
 
Custo variável unitário = 6,00 + 3,50 = 9,50
Custo fixo unitário = 35.000/5.000 = 7,00
 
Custo unitário de produção = custo variável unitário + custo fixo unitário = 16,50
 
Gabarito preliminar: “C”
Gabarito proposto: “C”
 
92. O ponto de equilíbrio contábil da Indústria Magnata S.A. era, em quantidade,
(A) 373.
(B) 300.
(C) 75.
(D) 326.
(E) 425
 
Margem de Contribuição Unitária = Preço de venda unitário – Despesa variável unitária - Custo variável unitário – Impostos sobre a venda – comissões de vendas
 
Margem de Contribuição Unitária = 140,00 - 2,50 – 9,50 – 14,00 – 14,00
 
Margem de Contribuição Unitária = 100,00
 
 
Ponto de equilíbrio contábil = (Custos fixos + Despesas Fixas)/ Margem de Contribuição Unitária
 
Ponto de equilíbrio contábil = (35.000 + 7.500)/102,50
 
Ponto de equilíbrio contábil = 42.500,00/100,00
 
Ponto de equilíbrio contábil = 425 unidade
 
Gabarito preliminar: “E”
Gabarito proposto: “E”
 
93. A Cia. Peso Pesado é uma empresa industrial que produz um único produto. Durante o mês de abril de 2016 incorreu nos seguintes gastos, em reais:
 
Mão de obra direta ...................................................................................................................... 41.000,00
Compra de matéria-prima ........................................................................................................... 85.000,00
Energia elétrica (sendo 80% referente à fábrica) ......................................................................... 15.000,00
Aluguel (sendo 40% referente à fábrica) ..................................................................................... 20.000,00
Salário do supervisor da fábrica .................................................................................................. 12.000,00
Comissões dos vendedores ........................................................................................................ 6.000,00
Frete sobre as compras de matéria-prima ................................................................................... 9.000,00
Frete sobre vendas ..................................................................................................................... 11.000,00
Depreciação do setor administrativo ........................................................................................... 7.000,00
Depreciação dos equipamentos da fábrica ................................................................................... 10.000,00
 
Sabendo-se que o estoque inicial de produtos em processo era R$ 18.000,00, que o estoque final de produtos em processo era R$ 22.000,00, que o estoque inicial de matéria-prima era R$ 8.000,00 e que o estoque final de matéria prima era R$ 3.000,00, o custo da produção acabada no mês de abril de 2016, utilizando o método de custeio por absorção, foi, em reais,
 
(A) 169.000,00.
(B) 217.000,00.
(C) 182.000,00.
(D) 184.000,00.
(E) 178.000,00.
 
Matéria prima consumida = Estoque inicial + Compras Líquidas – Estoque final
Matéria prima consumida = 8.000 + 85.000 + 9.000 – 3.000 = 99.000
 
Custo de Produção do Período = Matéria Prima Consumida + Mão de Obra Direta + Custos Indiretos de Fabricação
 
Custos Indiretos de Fabricação
 
Energia elétrica (sendo 80% referente à fábrica) ......................................................................... 15.000,00
Aluguel (sendo 40% referente à fábrica) ..................................................................................... 20.000,00
Salário do supervisor da fábrica .................................................................................................. 12.000,00
Depreciação dos equipamentos da fábrica ................................................................................... 10.000,00
 
CIF total = (80% x 15.000) + (40% x 20.000) + 12.000 + 10.000
CIF total = 12.000 + 8.000 + 12.000 + 10.000
CIF total = 42.000
 
Custo de Produção do Período = 99.000 + 41.000 + 42.000 = 182.000
 
Custo de Produção Acabada = Estoque inicial + Custo de Produção do Período – Estoque final
Custo de Produção Acabada = 18.000 + 182.000 – 22.000 = 178.000
 
Gabarito preliminar: “E”
Gabarito proposto: “E”
 
94. A Cia. Líder produz três produtos em um único departamento e utiliza o método de custeio por absorção para avaliação dos estoques e apuração dos custos dos produtos. Ao analisar o processo produtivo no mês de dezembro de 2015, a empresa obteve as seguintes informações:
 
Produto
Matéria-prima
Mão de obra direta
 
Quantidade total produzida
Preço de venda
Horas de mão de obra direta
 
A
$15/unidade
$20/unidade
2.000
$250/unidade
2h/unidade
 
B
$10/unidade
$20/unidade
1.000
$200/unidade
2h/unidade
 
C
$10/unidade
$10/unidade
2.000
$180/unidade
1h/unidade
 
 
 
 
Os custos indiretos totais incorridos no mês de dezembro de 2015 totalizaram R$ 360.000,00 e a Cia. Líder os aloca aos produtos em função da quantidade total de horas de mão de obra direta utilizada. Com base nestas informações e sabendo que não havia estoques iniciais e finais de produtos em processo, os custos unitários de produção, no mês de dezembro de 2015, para os produtos A, B e C foram, respectivamente, em reais,
 
(A) 35; 30; 20.
(B) 107; 102; 92.
(C) 80; 75; 65.
(D) 125; 120; 65.
(E) 125; 80; 115.
 
Custos indiretos totais = R$ 360.000,00
Critério de rateio = Horas de MOD
 
Custo unitário de produção = Custo unitário direto + Custo unitário indireto
 
Custo Unitário Direto
 
Produto
Matéria-prima
Mão de obra direta
 
Custo unitário direto
A
$15/unidade
$20/unidade
$ 35
B
$10/unidade
$20/unidade
$ 30
C
$10/unidade
$10/unidade
$ 20
 
 
Custo Unitário Indireto
 
Produto
Quantidade total produzida
Horas de mão de obra direta
 
Horas totais
Critério de rateio
Custos Indiretos Totais
Custos Indiretos Unitários
A
2.000
2h/unidade
 
4.000
4.000/(4.000 + 2.000 + 2.000) = 50%
360.000 x 50% = 180.000
180.000/2.000 = $ 90
B
1.000
2h/unidade
 
2.000
4.000/(4.000 + 2.000 + 2.000) = 25%
360.000 x 25% = 90.000
90.000/1.000 = $ 90
C
2.000
1h/unidade
 
2.000
4.000/(4.000 + 2.000 + 2.000) = 25%
360.000 x 25% = 90.000
90.000/2.000 = $ 45
 
 
Custo Unitário de Produção
 
Produto
Custo unitário direto
Custos Indiretos Unitários
Custo unitário de produção
A
$ 35
$ 90
$ 125
B
$ 30
$ 90
$ 120
C
$ 20
$ 45
$ 65
 
 
Gabarito preliminar: “D”
Gabarito proposto: “D”
 
95. A Cia. Play Foot produz três produtos: A, R e D. Considerando as quantidades produzidas no período e o critério de alocação de custos e despesas fixas adotado pela empresa, as informações referentes a cada um dos produtos estão apresentadas na tabela a seguir:
 
 
Produtos
A
R
D
Preço de venda (unitário)
100
90
110
Custos fixos (unitário)
10
30
30
Custos variáveis (unitário)
30
10
45
Despesas fixas (unitário)
5
5
5
Despesas variáveis (unitário)
25
10
10
 
Supondo que o objetivo da empresa seja a maximização do lucro, ela deve incentivar a venda de seus produtos, em ordem de prioridade,
 
(A) A, D e R.
(B) D, A e R.
(C) A, R e D.
(D) R, D e A.
(E) R, A e D.
 
A maximização do lucro vem através dos produtos que têm maior margem de contribuição.
 
Produtos
A
R
D
Preço de venda (unitário)
100
90
110
(-) Custos variáveis (unitário)
(30)
(10)
(45)
(-) Despesas variáveis (unitário)
(25)
(10)
(10)
Margem de Contribuição (unitária)
45
70
55
 
Portanto a prioridade de venda dos produtos deverá obedecer a ordem decrescente das Margens de Contribuição Unitárias. Portanto, primeiramente priorizar o produto R, depois o D e depois o A
 
Gabarito preliminar: “D”
Gabarito proposto; “D”
 
 
 
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.