Português + Música: O Cheiro da Carolina

por Denise Carneiro em 20/06/2016
Olá, meus concurseiros aprumados*!
(*aprumados = lindos)
 
A proximidade do São João inspirou este "Português + Música": revisaremos alguns temas da Língua Portuguesa com ajuda desta música deliciosa de Luiz Gonzaga, vamos lá?
 
AVISO:  Esta música é cheia de palavras e expressões empregadas de forma coloquial, certo? 
 
Carolina foi pro samba
O verbo "ir" é intransitivo, ou seja, não tem sentido complementado nem por objeto direto, nem por objeto indireto, mas, na maioria das vezes, aparece com adjunto adverbial de lugar e é isto que ocorre nesse trecho da música.
Atenção! O verbo “ir” rege as preposições “para” e “a”, mas NUNCA a preposição “em”, vejamos:
Carolina foi para o samba. / Carolina foi ao samba. CORRETO
Carolina foi no samba. ERRADOOOOO
 
Pra dançá o xenhenhém
Gente, qual a função sintática deste trecho? De adjunto adverbial de finalidade, mas temos ainda outra diferença em relação ao termo “pro samba”, neste caso, temos uma oração subordinada adverbial reduzida de infinitivo.
A preposição “PARA” é tipicamente empregada para introduzir sentido de FINALIDADE. Vamos ver o período todo junto?

Carolina        foi     pro samba        pra dançá o xenhenhém
sujeito     verbo       adj. adverbial         oração sub. adverbial reduzida de infinitivo
 
Todo mundo é caidinho
 
Quero aproveitar este trecho para destacar um aspecto semântico muito interessante dos diminutivos: eles podem ter sentido aumentativo! Oi, professora? Como assim? Exatamente como neste trecho de Gonzaga: Todo mundo é caidinho = todo mundo é muito "caído"/apaixonado pelo cheiro que ela...
Vamos ver outros exemplos de diminutivo com sentido de aumentativo? 
Exemplo 1: Você mora nesta casinha? (Referindo-se a uma mansão.)
Exemplo 2: Paguei uma continha ontem que me deixou sem dinheiro por umas semanas. (A conta foi cara, rsrsrsrs.)
 
Pelo cheiro que ela tem
Hum, hum, hum
Carolina, hum, hum, hum
 
Aproveitaremos este trecho apenas para lembrar: "hum" é interjeição.
 
Gente que nunca dançou
Nesse dia quis dançá
 
Colocando o trecho acima na ordem direta: Gente que nunca dançou quis dançar nesse dia.
Gente: sujeito
que nunca dançou: oração subordinada adjetiva RESTRITIVA, sem vírgula (as adjetivas explicativas são isoladas por vírgula).
quis dançar: locução verbal
nesse dia: adjunto adverbial de tempo
 
Só por causa do cheirinho
Todo mundo tava lá
 
Colocando o trecho acima na ordem direta: Todo mundo tava lá só por causa do cheirinho.
Todo mundo: sujeito
tava (estava): verbo 
lá: adjunto adverbial de lugar
só: adjunto adverbial de exclusão
por causa do cheirinho: adjunto adverbial de causa
Agora um detalhe: esse verbo "estava" é classificado como verbo de ligação? Neste caso, não! Ele é verbo intransitivo. 
Alguns gramáticos defendem a classificação como "de ligação" até neste caso, mas a maioria permanece com a clássica de verbo intransitivo, pois não temos predicativos, mas adjuntos adverbiais.
 
Foi chegando o Delegado
Pra oiá os que dançava
O Xerife entrou na dança
E no fim também cheirava
 
Vamos revisar umas "coisinhas" sobre verbos? 
- AR : infinitivo 
-ANDO: gerúndio
- ADO: particípio
 
As terminações -AVA e -IA normalmente indicam verbo no pretérito imperfeito do Indicativo.
Já a terminação -SSE  indica verbo no pretérito imperfeito do Subjuntivo.
 
Hum, hum, hum
Carolina, hum, hum, hum
Carolina, hum, hum, hum
 
Agora, no meio da música, temos um diálogo, vejamos:
 
Aí chegou dono da casa
O dono da casa chegou com a mulesta
Chamou atenção de D. Carolina e:
- D. Carolina venha cá. O povo anda falando aí que a senhora tem um cheiro diferente, é verdade?
- Moço, sei disso não, é invenção do povo.
- Ah, é invenção do povo, não é?
- É sim senhor
- Então dá licença
 
Percebam que as falas diretas que ocorrem entre o dono da festa e Dona Carolina estão demarcadas por travessões, mas o travessão serve apenas para demarcar diálogo? Não! 
Os travessões podem ser usados para separar palavras, expressões ou frases explicativas intercaladas:
Exemplo: A imagem de minha avó - mulher honesta, trabalhadora - não sai da minha cabeça.
 
Ainda aproveitando este trecho da música, aviso: ela é predominantemente narrativa. Vocês lembram o que caracteriza uma narração?
Narração: enredo, sucessão de fatos, personagens, narrador, diálogos. Percebam que a música conta a história do cheiro da Carolina, narra fatos, como a ida dela ao samba, as pessoas terem ido ao local por causa do cheiro dela, etc.

Hum, hum, hum
Carolina, hum, hum, hum

Eu quisera está por lá
Pra dançar contigo o xote
Pra também dá um cheirinho
E fungar no teu cangote
Hum, hum, hum
Carolina, hum, hum, hum
Carolina
E fungá no teu cangote
Carolina
Lá, lá, lá, lá, lá, lá, lá...
 
Vamos finalizar destacando o sentido do verbo "quisera", conjugado no pretérito Mais-que-perfeito do Indicativo: fato passado que ocorreu antes de outro fato também passado. 
Sabendo disso, o narrador quis estar lá (no samba em que a Carolina foi dançar) antes mesmo dela ter ido, rsrsrs. Expressa também, no contexto apresentado, vontade, desejo.
 
É isso, galera!! Espero que vocês tenham gostado e entrado no clima de São João! Quem não conhece a festa, recomendo que, ao menos uma vez na vida, venha para o Nordeste curtir as festas juninas em Campina Grande, Patos, Bananeiras ou Caruaru! 
 
Beijão para todos!
 
https://www.facebook.com/profdenisecarneiro/ -> Minha página no Facebook.
https://www.youtube.com/watch?v=tup18CJMIWQ -> A música "Cheiro da Carolina", cantada pelos Gonzagas, banda da minha terrinha. =)
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.