GABARITO COMENTADO DE LÍNGUA PORTUGUESA DO MPU 2013

por Henrique C. Branco em 20/05/2013
GABARITO COMENTADO DA PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA
MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO 2013
TÉCNICO ADMINISTRATIVO
 
 
Olá, pessoal.
 
Venho aqui apresentar para vocês o comentário da prova de língua portuguesa de Técnico Administrativo do MPU 2013. Vale ressaltar que a prova continha quinze questões de língua portuguesa e cinco de redação de correspondências oficiais. Em princípio, a prova estava relativamente fácil, pois não havia a exigência de conteúdos tão específicos da gramática ou de interpretação textual.
Um grande abraço,
Prof. Henrique Castelo Branco.
castelobranco.henrique@gmail.com
 
 
 
Questão 01 – Item Errado
 
         No trecho do texto (L.3-4) “(...). Dez anos atrás, época em que ainda se discutia a criação do conselho...”, a substituição da expressão ‘Dez anos atrás’ por Há dez anos não prejudica a correção gramatical, visto que preserva tanto a correção quanto o sentido original do vocábulo, indicando uma relação de temporalidade já passada marcada pelo tempo verbal no pretérito imperfeito do indicativo. Vale ressaltar que o uso simultâneo na expressão com os dois vocábulos “há” e “atrás” constituiria pleonasmo vicioso (emprego de palavras desnecessárias ao sentido condenada por muitos autores). O que é muito comum no falar brasileiro: Há dez anos atrás.
 
 
 
Questão 02 – Item Certo
 
         No trecho do texto (L.3-6) “Dez anos atrás, época em que ainda se discutia a criação do conselho, ao qual cabia o epíteto ‘órgão de controle externo do Judiciário’, a existência de um órgão nesses moldes, para controlar a atuação do Poder Judiciário...”, segundo o Dicionário Houaiss, a expressão sublinhada “epíteto” tem como significado: palavra ou frase que qualifica pessoa ou coisa. O que é percebido no caso em questão em virtude de tentar qualificar e explicar qual a função ou finalidade do Conselho Nacional de Justiça.
 
 
 
 
Questão 03 – Item Certo
 
         No trecho do texto (L.8-10) “Atualmente, o CNJ não só se tornou realidade, como ainda é citado em outro contexto. O órgão goza hoje de alto conceito como ferramenta de planejamento.”, a expressão sublinhada “O órgão” tem como referente textual anafórico (retomar um termo antecedente no texto) a expressão “CNJ” na tentativa de não repeti-la, contribuindo para a concisão textual.
 
 
        
Questão 04 – Item Certo
 
         Nos trechos do texto (L.8-9) Atualmente, o CNJ não só se tornou realidade, como ainda é citado em outro contexto. O órgão goza hoje de alto conceito como ferramenta de planejamento.” e (L.16-21)Antes, os quase cem tribunais do país funcionavam sem nenhuma coordenação, e pouco – às vezes, nada – se sabia sobre eles. (...) A partir da elaboração de relatórios como o Justiça em Números, o CNJ pôde, por exemplo, criar metas para desatar os nós da justiça braileira...”, percebe-se pela leitura desses trechos sublinhados que tal órgão, quando foi criado, não gozava de um alto conceito como hoje, no momento em que iniciou a implantação de metas para desatar os nós que atrapalhavam o andamento da justiça brasileira.
 
 
 
Questão 05 – Item Errado
 
         No trecho do texto (L.23-24) Identificaram-se quase 4,5 milhões de casos; 90% deles já foram julgados.”, a substituição do vocábulo sublinhado pela expressão “foram identificados” não prejudica a correção gramatical, visto que se trata de transposição da voz passiva sintética (Verbo + pronome apassivador ‘se’) para voz passiva analítica (locução verbal: verbo auxiliar “ser ou estar” + verbo principal). O que denota uma caso de paráfrase.
         Analisando, temos:
         Identificaram-se quase 4,5 milhões de casos; ou
         Quase 4,5 milhões de casos foram identificados;
Vale ressaltar que o vocábulo “milhão” é um numeral masculino. Por isso, o verbo está flexionado no masculino plural.
 
 
 
Questão 06 – Item Certo
 
         No trecho do texto (L.5-6) “Se as restrições históricas às transformações não prevalecerem...”, o emprego do sinal indicativo da crase na expressão “às transformações” é justificado pela regência nominal do vocábulo “restrições” que exige preposição “a” contraída com o artigo definido feminino plural, antecedendo o substantivo “transformações”.
 
 
 
Questão 07 – Item Certo
 
         No trecho do texto (L.5-9) “Se as restrições históricas às transformações não prevalecerem, a Câmara dos Deputados deverá dar início ao debate sobre uma série de inovações com chance de valerem já para as próximas eleições.”, percebe-se, pela leitura do trecho acima, que há uma relação de possibilidade ou hipótese introduzida pela conjunção condicional “se” e a forma verbal no futuro do subjuntivo (aquilo que pode ocorrer no futuro) de as restrições históricas às transformações do sistema político brasileiro permanecerem.
 
 
 
Questão 08 – Item Errado
 
         No trecho do texto (L.10-11) “o que faz que as atenções se concentrem em aspectos mais polêmicos...” e (L.13-14) “Se a intenção é mesmo reduzir as margens para desvios de dinheiro...”, as expressões sublinhadas não desempenham a mesma função morfológica, visto que no primeiro caso o vocábulo “se” é classificado como pronome apassivador, e, no segundo caso, como conjunção condicional.
         Analisando, temos:
         “as atenções se concentrem (=são concentradas)...”, logo “se”= pronome apassivador.
         “Se a intenção é mesmo reduzir...”, logo “se (= caso)” = conjunção condicional, introduzindo uma oração condicional.
 
 
 
Questão 09 – Item Certo
 
         No trecho do texto (L.1-3) Inalterado desde a redemocratização, o sistema político brasileiro está finalmente diante de uma oportunidade concreta de mudanças...” a oração subordinada adjetiva reduzida de particípio – Inalterado desde a redemocratização – deslocada no período poderia ser posicionada após o sujeito da oração principal entre vírgulas, ficando intercalada na oração principal. Escrevendo-se, assim: “O sistema político brasileiro, inalterado desde a redemocratização, está finalmente diante de uma oportunidade concreta de mudanças...”
 
 
 
Questão 10 – Item Errado
 
         No trecho do texto (L.4) “...que dão margem a uma série de deformações...”, a expressão sublinhada não poderia ser substituída por “à uma série”, visto que a inserção do sinal indicativo de crase antes de palavras com ideia indefinida (artigo ou pronome) constitui caso de proibição da ocorrência da crase. O que torna o item incorreto, pois não há relação de facultatividade quanto ao emprego do sinal.
 
 
 
Questão 11 – Item Certo
 
         No trecho do texto (L.11-14) “É ultrapassado o entendimento de que, ao não identificar os investigados, o STF estaria protegendo pessoas que, no desfecho dos processos, poderiam vir a ser absolvidas ou ter seus casos arquivados.” A flexão na terceira pessoa do plural dos verbos “vir” e “ser” constituirá erro gramatical, visto que se trata de uma locução verbal “poderiam vir a ser”. Em detrimento disso, segundo a Gramática Escolar da Língua Portuguesa de Evanildo Bechara, afirma-se que o infinitivo pertencente a uma locução verbal, normalmente, não se flexiona. O que poderia ocorrer somente se o verbo principal se achar afastado do auxiliar e se desejar avivar a pessoa a quem a ação se refere.
 
 
 
Questão 12 – Item Certo
 
         No trecho do texto (L.17-18) “Assegura o presidente que a presunção de inocência não justifica o que define como...”, a substituição do vocábulo “o” por “aquilo” preserva a correção gramatical e a coerência textual, pois o vocábulo sublinhado é classificado como pronome demonstrativo, antecedendo o pronome relativo “que”. Vale ressaltar que o autor Rocha Lima, em sua Gramática Normativa da Língua Portuguesa, afirma que os vocábulos “o, a, os, as” são demonstrativos quando: ‘o(s)’ representa aquele(s) ou aquilo; e ‘a’ representa aquela.
 
 
 
Questão 13 – Item Errado
 
         No trecho do texto (L.1-2) “Dependerá da adesão dos demais ministros o êxito de um apelo feito pelo presidente do Supremo Tribunal Federal...”, analisando sintaticamente, temos:
 
         A oração encontra-se na ordem inversa, colocando-a na ordem direta, temos:
    “O êxito de um apelo feito pelo presidente do STF dependerá da adesão...”
         sujeito                                                                     VTI             OI
 
A expressão “o êxito” tem função sintática de sujeito. Vale ressaltar que o termo “da adesão” tem função de complemento indireto.
 
 
 
Questão 14 – Item Errado
 
         No trecho do texto (L.5-6) “Ele defende que o STF deve livrar-se do costume de manter identidades em segredo...”, a flexão do infinitivo “manter” prejudicaria a correção gramatical; pois, segundo a Gramática Escolar da Língua Portuguesa de Evanildo Bechara,  a flexão poderá ocorrer se houver o interesse de se realçar a pessoa do sujeito. Entretanto, destaca-se que o sujeito léxico da oração é “STF” que se encontra no singular. Logo, não poderemos flexionar o infinitivo, mesmo que se deseje realçar a pessoa do sujeito. Vale ressaltar, ainda, que a banca examinadora está cobrando concordância gramatical, pois não poderíamos falar em concordância ideológica (silepse de número), caso entendêssemos que o STF é composto por vários ministros.
 
 
 
Questão 15 – Item Errado
 
         No trecho do texto (L.7-8) “Enfatiza o ministro que o bom senso recomenda a mudança...”, a substituição da expressão “que o” por “cujo” não preservaria a correção gramatical nem a informação original, visto que o vocábulo sublinhado no texto “que” é classificado como conjunção integrante (conectivo que introduz oração subordinada substantiva) e o termo “cujo” é classificado como pronome relativo (conectivo que introduz oração subordinada adjetiva). Além disso, a informação original não é preservada, pois no texto o ministro – presidente do STF – apela para o bom senso dos outros ministros para que haja mudança. O que não ocorre com a substituição, visto que o bom senso tratado passa a ser do próprio ministro – presidente do STF.
 
 
 
Questão 16 – Item Certo
        
         Segundo o Manual de Redação de Correspondências Oficiais, o item 2.3 diz: “Excluídas as comunicações assinadas pelo Presidente da República, todas as demais comunicações oficiais devem trazer o nome e o cargo da autoridade que as expede, abaixo do local de sua assinatura.”
 
Questão 17 – Item Certo
 
Segundo o Manual de Redação de Correspondências Oficiais, o item 4.2 diz:
A exposição de motivos é a principal modalidade de comunicação dirigida ao Presidente da República pelos Ministros. Além disso, pode, em certos casos, ser encaminhada cópia ao Congresso Nacional ou ao Poder Judiciário ou, ainda, ser publicada no Diário Oficial da União, no todo ou em parte.”
 
 
 
Questão 18 – Item Errado
 
Segundo o Manual de Redação de Correspondências Oficiais, o item 3.3.1 diz:
“Aviso e ofício são modalidades de comunicação oficial praticamente idênticas. A única diferença entre eles é que o aviso é expedido exclusivamente por Ministros de Estado, para autoridades de mesma hierarquia, ao passo que o ofício é expedido para e pelas demais autoridades. Ambos têm como finalidade o tratamento de assuntos oficiais pelos órgãos da Administração Pública entre si e, no caso do ofício, também com particulares.” Logo, só pode ser emitido por órgãos da Administração Pública.
 
 
 
Questão 19 – Item Errado
 
Segundo o Manual de Redação de Correspondências Oficiais, o item 3 diz:
“Há três tipos de expedientes que se diferenciam antes pela finalidade do que pela forma: o ofício, o aviso e o memorando. Com o fito de uniformizá-los, pode-se adotar uma diagramação única, que siga o que chamamos de padrão ofício. As peculiaridades de cada um serão tratadas adiante; por ora busquemos as suas semelhanças.” Destaca-se ainda que a exposição de motivos apresenta uma diagramação semelhante, entretanto outros expedientes oficiais – mensagem, telegrama, fax, entre outros – não apresentam a diagramação do padrão ofício.
 
 
 
Questão 20 – Item Certo
 
Segundo o Manual de Redação de Correspondências Oficiais, o item 2.1.3 diz:
O vocativo a ser empregado em comunicações dirigidas aos Chefes de Poder é Excelentíssimo Senhor, seguido do cargo respectivo. As demais autoridades serão tratadas com o vocativo Senhor, seguido do cargo respectivo: Senhor Senador, Senhor Juiz, Senhor Ministro, Senhor Governador,
 
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.