#CPCnaveia - Projeto 100 dicas! (02)

por Ricardo Haase em 27/10/2017
Bom dia, pessoa!
Excelente sexta feira de estudos para todos nós!
 
Vamos com mais um dica do nosso projeto #CPCnaveia?
 
Hoje iremos dar um pequeno bizu sobre o CPC 01 - Valor recuperável de ativos.
 
Bom galera, a primeira coisa a lembrar desse pronunciamento é que ele trata de uma OBRIGAÇÃO e não de uma POSSIBILIDADE. É isto mesmo, a empresa DEVERÁ realizar o teste de recuperação no imobilizado e no intangível, periodicamente, como nos informa o CPC 01:
 
''Art. 183, § 3º A companhia deverá efetuar, periodicamente, análise sobre a recuperação dos valores registrados no imobilizado e no intangível, a fim de que sejam:
I – registradas as perdas de valor do capital aplicado quando houver decisão de interromper os empreendimentos ou atividades a que se destinavam ou quando comprovado que não poderão produzir resultados suficientes para recuperação desse valor; ou
II – revisados e ajustados os critérios utilizados para determinação da vida útil econômica estimada e para cálculo da depreciação, exaustão e amortização.'' (grifo meu)
 
Qual o principal objetivo desse CPC?
 
O principal objetivo desse pronunciamento nada mais é do que assegurar que os seus ativos estão registrados contabilmente por valores que não ultrapassem o valor de sua recuperação. 
 
Vamos lá para um exemplo:
 
A empresa TEC Concursos possui um ativo em seu balanço. Como esse ativo pode gerar um benefício econômico para a entidade? Através do seu uso ou de sua venda, concordam?
 
E para que serve o famoso teste de recuperabilidade ou impairment?
 
A empresa TEC Concursos espera que esse ativo dê um retorno para ela. Logo, precisamos de atenção nesse ponto. Não podemos mensurar um ativo no balanço patrimonial com valor superior ao valor recuperável pelo USO ou pela VENDA.
 
Ou seja, pessoal, sempre que o valor contábil for MAIOR que o valor recuperável, teremos aqui uma perda por desvalorização.
 
D - Perda por desvalorização (Despesa)
C - Perda estimada - Valor recuperável (Retificadora do ativo)
 
Entendido, galera?
 
Vou dar um exemplo agora para finalizar e vocês poderão acertar a maioria esmagadora de questões de prova que cobrarem o CPC 01, afinal, o conhecimento citado acima é suficiente para vocês garantirem esse ponto. Vamos lá?
 
Uma empresa possui os seguintes valores em seu levantamento contábil:
 
  • Valor em uso do trator                                                R$ 534.000,00
  • Valor líquido de venda do trator                            R$ 520.000,00
  • Depreciação                                                                   R$ 45.000,00
  • Custo de aquisição                                                      R$ 690.000,00
 
Como vamos achar o VALOR CONTÁBIL desse trator?
 
Aquisição - depreciação - perdas
 
690.000 - 45.000 = R$ 645.000,00
 
E o valor recuperável? Ele é o MAIOR entre o uso e a venda.
Logo, valor recuperável R$ 534.000,00
 
Agora, devemos comparar o valor recuperável com o valor contábil.
 
Contábil > recuperável
 
Como estudamos acima, o contábil não pode ser maior que o recuperável. Portanto, devemos cadastrar uma perda por desvalorização no valor de R$ 111.000,00 neste caso.
 
Beleza galera?
 
Essa foi a nossa dica n° 02 no projeto #CPCnaveia.
Espero que seja útil na preparação de vocês e contem sempre comigo.
 
Forte abraço!
Até a próxima!
 
 
 
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.