Comentários da Prova de Auditoria do ISS Campinas Vunesp2019

por Tonyvan de Carvalho em 16/09/2019
Olá, Concursante!
 
Hoje comentarei a prova de Auditoria do ISS Campinas, especificamente para o cargo de Auditor Fiscal - Vunesp.
 
O nosso material do TEC – Auditoria Recortada da Norma-, para quem é assinante avançado, contemplou todos os pontos do edital. Foi elaborado um Guia de Estudos direcionado para este concurso.
 
Link do Guia: https://tec.ec/s/Qlidk
 
De maneira geral,  a Vunesp não fugiu do seu padrão e cobrou normas típicas como a NBC TA 530 e NBC 500(R1), bem como os Procedimentos em áreas específicas das demonstrações contábeis (aqui, a banca tem pesado a mão!). Veja o quadro a seguir com a distribuição por conteúdo:
 
 
Vamos aos comentários?
 
Assunto: Amostragem em auditoria
36. (VUNESP – Auditor Fiscal/ISS CAMPINAS – 2019) De acordo com o disposto na NBC TA 530, do Conselho Federal de Contabilidade, que trata de amostragem em auditoria, é correto afirmar que
(A) na execução dos testes de detalhes, em que há grandes desvios de valores entres as contas auditadas, a eficiência da auditoria pode ser melhorada se o auditor utilizar um processo de amostragem totalmente randômico.
(B) nos testes de controles ou de observância, o auditor deve projetar, para a população, as distorções encontradas na amostra por meio de interpolação linear, num papel de trabalho destinado especificamente para tal fim.
(C) no caso de populações grandes, o tamanho real da população geralmente tem pouco efeito no tamanho da amostra, ao contrário de populações menores, quando a amostragem pode não ser tão eficiente quanto outros meios para obter evidência de auditoria apropriada e suficiente.
(D) a seleção ao acaso, que é uma técnica de amostragem aplicada por meio de geradores de números aleatórios, é o tipo de amostragem estatística ideal e deve ser utilizada para definir a amostra de testes de detalhes de saldos de contas que sejam extremamente significativos para a entidade auditada.
(E) taxa tolerável de desvio é um valor monetário definido pelo auditor para obter um nível apropriado de segurança de que esse valor monetário não seja excedido pela distorção real na população.
Comentários:
Questão aborda aspectos gerais de amostragem em auditoria, segundo a NBC TA 530.
 
Analisando cada alternativa:
 
LETRA A) ERRADA. A eficiência da auditoria pode ser melhorada se o auditor utilizar um processo de estratificação. Veja:
1. A eficiência da auditoria pode ser melhorada se o auditor estratificar a população dividindo-a em subpopulações distintas que tenham características similares. O objetivo da estratificação é o de reduzir a variabilidade dos itens de cada estrato e, portanto, permitir que o tamanho da amostra seja reduzido sem aumentar o risco de amostragem. [grifos não constantes no original]
LETRA B) ERRADA. O correto seria dizer nos “testes de detalhes” ou invés “de controles ou de observância”. Outro ponto é que o meio de projeção das distorções para população não é necessário ser a interpolação linear. Veja:
Projeção de distorções
14. Para os testes de detalhes, o auditor deve projetar, para a população, as distorções encontradas na amostra (ver itens A18 a A20). [grifos não constantes no original]
LETRA C) CORRETA. Trata-se de um dos fatores que influenciam o tamanho da amostra para os testes de controles, segundo Apêndice 1 da NBC TA 530:
Para populações grandes, o tamanho real da população tem pouco efeito, se houver, no tamanho da amostra. Para pequenas populações, entretanto, a amostragem de auditoria pode não ser tão eficiente quanto os meios alternativos para obter evidência de auditoria apropriada e suficiente. [grifos não constantes no original]
LETRA D) ERRADA. Essa é a seleção aleatória. A seleção ao acaso é aquela que o auditor seleciona a amostra sem seguir uma técnica estruturada.
 
 
LETRA E) ERRADA. Essa é a definição de distorção tolerável. Já a Taxa tolerável de desvio é a taxa de desvio dos procedimentos de controles internos previstos, definida pelo auditor para obter um nível apropriado de segurança de que essa taxa de desvio não seja excedida pela taxa real de desvio na população.
 
Gabarito: C.
 
Assunto: Testes e procedimentos de auditoria
37. (VUNESP – Auditor Fiscal/ISS CAMPINAS – 2019) Para obtenção de evidências de auditoria apropriada e suficiente, um dos tipos de procedimentos analíticos consiste
(A) no exame do processo ou procedimento executado por outros, por exemplo, a observação pelo auditor da contagem do estoque pelos empregados da entidade ou da execução de atividades de controle.
(B) na execução independente pelo auditor de procedimentos ou controles que foram originalmente realizados como parte do controle interno da entidade, mas que foram considerados inadequados para o auditor obter evidência de auditoria apropriada ou suficiente.
(C) na busca de informações junto a pessoas com conhecimento, financeiro e não financeiro, dentro ou fora da entidade e pode ser efetuada por meio de perguntas escritas formais ou informações orais informais.
(D) na evidência de auditoria obtida pelo auditor como resposta escrita de terceiro (a parte que confirma) ao auditor, em forma escrita, eletrônica ou em outra mídia, não se restringindo a confirmação de saldos de contas, mas também informações sobres os contratos da entidade.
(E) na investigação de flutuações e relações identificadas que sejam inconsistentes com outras informações relevantes ou que se desviem significativamente dos valores previstos.
Comentários:
Questão aborda um dos procedimentos de auditoria – procedimento analítico. Segundo a NBC TA 500(R1):
Procedimentos analíticos
A21. Os procedimentos analíticos consistem em avaliação das informações feitas por meio de estudo das relações plausíveis entre dados financeiros e não financeiros. Os procedimentos analíticos incluem também a investigação de flutuações e relações identificadas que sejam inconsistentes com outras informações relevantes ou que se desviem significativamente dos valores previstos. Ver NBC TA 520 para orientação adicional. [grifos não constantes no original]
Gabarito: E.
Comentário das demais alternativas:
LETRA A) ERRADA. Trata-se do procedimento observação.
LETRA B) ERRADA. Trata-se do procedimento reexecução.
LETRA C) ERRADA. Trata-se do procedimento indagação.
LETRA D) ERRADA. Trata-se do procedimento confirmações com terceiros.
 
Assunto: Procedimentos de auditoria em áreas específicas das demonstrações contábeis
38. (VUNESP – Auditor Fiscal/ISS CAMPINAS – 2019) O Passivo Fictício corresponde a
(A) obrigações contingentes para com terceiros, para as quais o desembolso de recursos pareça altamente improvável ou que não possam ser estimados com segurança.
(B) títulos de crédito decorrentes de compra a prazo já pagos, mas não baixados da contabilidade da sociedade devedora.
(C) dívidas oriundas da aquisição de mercadorias ou insumos de produção sem a respectiva emissão da nota fiscal pela sociedade vendedora.
(D) obrigações para com terceiros, que ainda não se tornaram exigíveis em função de não ter ocorrido o seu fato gerador.
(E) soma total do Passivo da sociedade que não pode ser coberto pela transformação em numerário de todos os ativos da sociedade.
Comentários:
Questão trata da definição de Passivo Fictício. Segundo a doutrina, o passivo oculto compreende dívidas (obrigações) não registradas ou registradas a menor. É, portanto, oculto para a contabilidade, mas existe, de fato. Veja esquema a seguir:
 
 
Gabarito: B.
 
Assunto: Procedimentos de auditoria em áreas específicas das demonstrações contábeis
39. (VUNESP – Auditor Fiscal/ISS CAMPINAS – 2019) De acordo com as atuais Normas Brasileiras de Contabilidade, na auditoria das doações e subvenções governamentais para investimento recebidas pela entidade auditada, deve-se verificar se a contrapartida credora do aumento do Ativo por elas gerado foi registrada corretamente em conta de
(A) outros resultados abrangentes.
(B) ajustes de avaliação patrimonial.
(C) receita de exercícios futuros.
(D) receita, diferida ou não, conforme o caso.
(E) reserva de capital.
Comentários:
Questão eminentemente de contabilidade avançada que aborda aspectos da contrapartida das doações e subvenções governamentais.
Segundo os ensinamentos do CPC 07 (Doações e subvenções governamentais):
12. Uma subvenção governamental deve ser reconhecida como receita ao longo do período e confrontada com as despesas que pretende compensar, em base sistemática, desde que atendidas as condições deste Pronunciamento. A subvenção governamental não pode creditada diretamente no patrimônio líquido.
 
[...]
 
15A. Enquanto não atendidos os requisitos para reconhecimento da receita com subvenção na demonstração do resultado, a contrapartida da subvenção governamental registrada no ativo deve ser feita em conta específica do passivo.
 
[...]
 
Redução ou isenção de tributo em área incentivada
38D. Certos empreendimentos gozam de incentivos tributários de imposto sobre a renda na forma de isenção ou redução do referido tributo, consoante prazos e condições estabelecidos em legislação específica. Esses incentivos atendem ao conceito de subvenção governamental.
 
38E. O reconhecimento contábil dessa redução ou isenção tributária como subvenção para investimento é efetuado registrando-se o imposto total no resultado como se devido fosse, em contrapartida à receita de subvenção equivalente, a serem demonstrados um deduzido do outro. [grifos não constantes no original]
Cabe ressaltar que se essas doações e subvenções governamentais tivessem que cumprir requisitos, elas ficariam no passivo como receita diferida. Por outro lado, não tendo que cumprir requisitos, elas ficariam no resultado direto.
Gabarito: D.
 
Assunto: Procedimentos de auditoria em áreas específicas das demonstrações contábeis
40. (VUNESP – Auditor Fiscal/ISS CAMPINAS – 2019) Na auditoria das contas de resultado de uma empresa industrial, se uma despesa for lançada incorretamente como custo de produção do período, o valor do
(A) custo das mercadorias vendidas será superavaliado.
(B) lucro líquido do exercício será superavaliado.
(C) custo da produção acabada será subavaliado.
(D) estoque final de matérias-primas será subavaliado.
(E) estoque final de produtos em elaboração será menor do que o verdadeiro.
Comentários:
Questão aborda o reflexo de um lançamento incorreto, especificamente se de uma despesa que foi lançada incorretamente como custo de produção. Aqui, devemos lembrar de alguns conceitos relacionados à contabilidade de custos, bem como os conceitos de superavaliação e subavaliação.
Da contabilidade de custo temos as seguintes fórmulas:
1)  CPV = EI + CPP – EF : uma despesa for lançada incorretamente como custo de produção do período à CPP estará superavaliado, então CPV estará superavaliado.
2) CPA = EIPE + CPP – EFPE CPP superavaliado, então CPA estará superavaliado.
3) CPV = EIPA + CPA – EFPA: CPA superavaliado, então CPV estará superavaliado.
4) Resultado (LLE) = Vendas – CPV : CPV superavaliado, então Resultado(LLE) estará subavaliado.
Por analogia, como CPV superavaliado, então o CMV também está superavaliado.
Em que:
CPV = Custo de produtos vendidos: total dos gastos incorridos no processo de produção dos bens que foram sacrificados para que a empresa gerasse receita de vendas de produtos.
CMV: Custo da Mercadoria Vendida: valor dos gastos incorridos no processo de aquisição dos bens que foram sacrificados para que a empresa gerasse receitas de vendas de mercadorias.
EI = Estoque inicial
EF = Estoque final
CPA = Custo de produtos acabados
CPP = Custo de produtos produzidos
Analisando as alternativas:
(A) custo das mercadorias vendidas será superavaliado. Correta.
(B) lucro líquido do exercício será superavaliado. Errada. Subavaliado.
(C) custo da produção acabada será subavaliado. Errada. Superavaliado.
(D) estoque final de matérias-primas será subavaliado. Errada. Não influencia.
(E) estoque final de produtos em elaboração será menor do que o verdadeiro. Errada. Superavaliado (“maior”).
Gabarito: A.
 
Até a próxima!
 
Grande abraço e bons estudos!
 
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.