Comentários: Contabilidade CLDF Especialidade Contador

por Renato Valente em 24/09/2018
Olá pessoal
 
Aqui quem fala é o Renato Valente, comentarista nas questões de Contabilidade Geral e de Direito tributário.
 
Em razão da proximidade da prova do ICMS-GO, que ocorrerá este final de semana (30/09/2018), comentarei as questões de contabilidade geral e tributária que foram cobradas no último domingo (23/09/2018) na prova da CLDF para Consultor Técnico-Legislativo Categoria Contador.
 

 
 
37. A Cia. das Viradas realizou, durante o mês de dezembro de 2017, as vendas nas condições apresentadas na tabela a seguir:
A taxa de juros compostos cobrada nas vendas a prazo é de 0,76% ao mês, que equivale a uma taxa de juros de 20% para o
prazo total da venda ocorrida em 01/12/2017. Os efeitos evidenciados na Demonstração do Resultado do ano de 2017 da Cia.
das Viradas, decorrentes especificamente das vendas efetuadas durante o mês de dezembro de 2017, foram
(A) Receita de Vendas no valor de R$ 2.420.000,00 e Receita Financeira no valor de R$ 6.460,00.
(B) Receita de Vendas no valor de R$ 2.250.000,00 e Receita Financeira no valor de R$ 8.500,00.
(C) Receita de Vendas no valor de R$ 2.250.000,00 e Receita Financeira no valor de R$ 170.000,00.
(D) Receita de Vendas no valor de R$ 2.216.000,00 e Receita Financeira no valor de R$ 8.500,00.
(E) Receita de Vendas no valor de R$ 2.250.000,00 e Receita Financeira no valor de R$ 6.460,00
 
Resolução:
 
Em relação às vendas à vista, o valor total delas será reconhecido no resultado, dessa forma, teremos:
 
D - Disponibilidade  1.400.000
C - Receita de vendas 1.400.000
 
Contudo, em relação às vendas a prazo, o valor deve ser ajustado a valor presente, sendo somente a parcela resultante do quociente entre as vendas brutas e do juros acumulado apropriado no resultado no período de 2017:
 
\mbox{Ajuste a valor presente} = {\mbox{1.020.000} \over \mbox{1,2}} = \mbox{850.000}
 
D Clientes 1.020.000
C Receita de vendas 850.000
C Ajuste a valor presente 170.000 (retifica clientes no ativo)
 
Como essa venda a prazo ocorrera em 01/12/2017, e a questão pede a DRE de 31/12/2017, temos que reconhecer 1 mês de receita financeira, sobre o valor corrigido de clientes:
 
850.000 x 0,76% = 6.460
 
Assim, essa empresa reconheceu Receita de Vendas no valor de R$ 2.250.000,00 e Receita Financeira no valor de R$ 6.460,00
 
Gabarito Letra E
 
 
38. A Cia. das Caixas é uma empresa comercial e apresentava as seguintes demonstrações contábeis, com valores em reais:
 
Sabendo-se que a despesa financeira não foi paga e que o terreno foi vendido à vista, o fluxo de caixa decorrente das Atividades Operacionais gerado no ano de 2017 foi, em reais,
(A) 208.000,00
(B) 240.000,00
(C) 274.000,00
(D) 233.000,00
(E) 213.000,00
 
Resolução:
 
Lucro Líquido 220.000 Ajustes na DRE
Despesa financeira 25.000 Não é fluxo de caixa, já que não foi pago
Lucro na venda de terreno (32.000)
É fluxo de caixa investimento
Desp. Depreciação 20.000
Não é fluxo de caixa
(=) Lucro líquido ajustado 233.000  
   
Ajustes no BP
Aumento Duplicatas a Receber (70.000) Variação das contas do Ativo
Diminuição Estoques
15.000
Diminuição Seguros Antecipados 5.000
Aumento Fornecedores 50.000 Variação das contas do Passivo
Diminuição Adiantamentos de Clientes (25.000)
(=) Fluxo de caixa operacional 208.000  
 
Gabarito Letra A
 
 
39. A Cia. Brasileira apresentava em seu Balanço Patrimonial de 31/12/2017, na conta Provisões, o valor de R$ 580.000,00, composto dos seguintes valores:
Em 30/06/2018, a Cia. obteve as seguintes informações relacionadas aos diversos processos a que está respondendo
O impacto que a Cia. Brasileira reconheceu na Demonstração do Resultado do primeiro semestre de 2018, referente às Provisões, foi, em reais,
(A) 300.000,00, negativo.
(B) 260.000,00, negativo.
(C) 420.000,00, negativo.
(D) 380.000,00, negativo.
(E) 40.000,00, positivo.
 
Resolução:
 
Trabalhista: tinha 250.000, manteve-se provável mas reduziu seu valor para 220.000, então deveremos reverter no mesmo montante para a DRE como receita = 30.000
Fiscal: tinha saldo de 330.000, manteve-se provável mas reduziu seu valor para 320.000, então deveremos reverter no mesmo montante para a DRE como receita = 10.000
Ambiental: Não tinha saldo, mas se tornou provavel com valor de 300.000, então deveremos reconhecer despesas com provisão no mesmo montante na DRE = 300.000
Trabalhista II: Não tinha saldo, e se surgiu possível. De acordo com o CPC 25, não devemos reconhecer obrigações possíveis = sem impacto na DRE
 
Saldo líquido na DRE com provisão: 30.000 + 10.000 - 300.000 = - 260.000 (negativo)
 
Gabarito Letra B
 
 
40. A Cia. Metais Pesados possuía, em 31/12/2017, uma patente com vida útil indefinida, a qual estava contabilizada por
R$ 730.000,00, composto dos seguintes valores:
− Custo de aquisição: R$ 880.000,00
− Perda por desvalorização (reconhecida em 2016): R$ 150.000,00
Em dezembro de 2017, a Cia. realizou novamente o Teste de Recuperabilidade do Ativo (Teste de Impairment) e obteve as
seguintes informações:
− Valor em uso da patente: R$ 940.000,00.
− Valor justo líquido das despesas de venda da patente: R$ 670.000,00.
Sabendo que as evidências indicaram que a vida útil desse ativo continua indefinida, a Cia. Metais Pesados, em dezembro em de 2017,
(A) não alterou o valor contábil da Patente.
(B) reconheceu perda por desvalorização no valor de R$ 60.000,00.
(C) reconheceu um ganho no valor de R$ 210.000,00.
(D) reconheceu um ganho no valor de R$ 150.000,00.
(E) reconheceu um ganho no valor de R$ 60.000,00
 
Resolução:
 
O teste de imparment consiste em comparar o valor de custo com o valor recuperável (o MAIOR valor entre valor justo e valor em uso).
 
Na questão, temos o valor de custo a 730.000 e um valor recuperável de 940.000 (Valor em uso da patente).
 
Como o valor recuperável superou monetariamente o valor de custo, o CPC 01 estabelece que haverá reversão das Perda acumuladas por desvalorização de anos anteriores, exceto no caso de Goodwill.
 
CPC 01 119. A reversão de perda por desvalorização de um ativo, exceto o ágio por expectativa de rentabilidade futura (goodwill), deve ser reconhecida imediatamente no resultado do período, a menos que o ativo esteja registrado por valor reavaliado de acordo com outra norma. Qualquer reversão de perda por desvalorização sobre ativo reavaliado deve ser tratada como aumento de reavaliação conforme tal norma.
 
Como o valor recuperável suplantou em 210.000 o valor de custo, mas as Perda acumuladas por desvalorização montam somente em 150.000, este será o valor reconhecido na DRE como reversão.
 
Gabarito Letra D
 
 
41. A empresa Dinheiro & Cia. realizou 3 aplicações financeiras em 01/12/2017 e as características de cada uma delas são apresentadas na tabela a seguir
O valor total apresentado no Balanço Patrimonial da empresa, em 31/12/2017, e o efeito total apresentado na Demonstração do Resultado de 2017, para as três aplicações em conjunto foram, respectivamente, em reais,
(A) 1.214.000,00 e 14.000,00
(B) 1.217.500,00 e 17.500,00
(C) 1.216.000,00 e 18.000,00
(D) 1.214.000,00 e 16.000,00
(E) 1.216.000,00 e 16.000,00
 
Resolução:
 
Título
Mensuração
no BP
Rendimento
Variação do Valor de Mercado
ativo financeiro mensurado ao custo amortizado
Custo x Taxa DRE Resultado Não varia a valor de mercado
ativo financeiro mensurado ao valor justo por meio do resultado
Valor justo DRE resultado
ativo financeiro mensurado ao valor justo por meio de outros resultados abrangentes
Valor justo
Ajuste de Avaliação Patrimonial (PL)
 
BP = 1.216.000
  • valor justo por meio de outros resultados abrangentes = 503.000
  • custo amortizado = 400.000 x 2% = 408.000
  • valor justo por meio do resultado = 305.000
 
DRE = 18.000
  • valor justo por meio de outros resultados abrangentes = 5.000 de rendimento e 2.000 de AAP devedor pela variação a valor de mercado
  • custo amortizado = 8.000 de rendimento
  • valor justo por meio do resultado = 4.500 de rendimento e 500 de variação a valor de mercado
 
Gabarito Letra C
 
 
42. Em 31/12/2015, a Cia. dos Esportes adquiriu um equipamento por R$ 320.000,00 à vista. Estimou que a vida útil econômica era 6 anos e o valor residual esperado era R$ 20.000,00. Em 01/01/2017, a empresa reavaliou a vida útil econômica remanescente do equipamento para 4 anos e o valor residual para R$ 10.000,00. Em 31/12/2017, a Cia. dos Esportes resolveu trocar o equipamento e o vendeu por R$ 200.000,00, à vista.
O resultado obtido pela Cia. dos Esportes com a venda do equipamento foi
(A) prejuízo no valor de R$ 120.000,00.
(B) prejuízo no valor de R$ 5.000,00.
(C) lucro no valor de R$ 5.000,00.
(D) lucro no valor de R$ 4.000,00.
(E) lucro no valor de R$ 14.000,00.
 
Resolução:
 
31/12/2015 até 01/01/2017 = 1 ano de depreciação
 
\mbox{320.000} - {\mbox{320.000 - 20.000} \over \mbox{6}} = \mbox{270.000}
 
01/01/2017 até 31/12/2017 = 1 ano de depreciação, com reavaliação da vida útil em 4 anos e valor residual em 10.000
 
\mbox{270.000} - {\mbox{270.000 - 10.000} \over \mbox{4}} = \mbox{205.000}
 
Por fim, temos uma venda no valor de 200.000, como o valor da venda foi inferior ao valor de custo desse imobilizado, teremos um prejuizo de 5.000 reais.
 
Gabarito Letra B
 
 
43. A Cia. Azul produz um único produto e para produzir integralmente 5.000 unidades incorreu nos seguintes gastos durante o mês de junho de 2018:
Custos fixos: R$ 50.000,00
Custos variáveis:
− Matéria-prima: R$ 21,00/unidade
− Mão de obra direta: R$ 4,00/unidade
Despesas fixas: R$ 25.000,00
Despesas variáveis: R$ 2,00/unidade
Comissões de venda: 10% do preço de venda
Preço de venda: R$ 100,00/unidade
Impostos sobre a venda: 12% da receita bruta de vendas
Sabendo que a Cia. Azul utiliza o Custeio por Absorção, o custo unitário da produção de junho de 2018 foi, em reais,
(A) 25,00
(B) 49,00
(C) 35,00
(D) 40,00
(E) 64,00
 
Resolução:
 
Custo de absorção propugna que será custo tanto os custos fixos como os custos variáveis. A questão pediu os custos unitários. Vejamos:
 
{\mbox{50.000} \over \mbox{5.000 unid.}}\mbox{CFu} + \mbox{21 MP} + \mbox{4 MOD}= \mbox{35,00}
 
Gabarito Letra C
 
 
44. A Só Zebra S.A. é uma empresa industrial e produz um único produto. Durante o mês de junho de 2018 incorreu nos seguintes gastos:
Mão de obra direta .................................................................................................... R$ 80.000,00
Energia elétrica (fábrica) ........................................................................................... R$ 23.000,00
Aluguel (administração) ............................................................................................ R$ 15.000,00
Salário do supervisor da fábrica ............................................................................... R$ 25.000,00
Comissões de vendedores ....................................................................................... R$ 12.000,00
Compra de matéria-prima ......................................................................................... R$ 220.000,00
Depreciação das máquinas e equipamentos (fábrica) .............................................. R$ 40.000,00
O estoque inicial de matéria-prima, em 31/05/2018, era R$ 30.000,00 e o estoque final, em 30/06/2018, era R$37.000,00.
O estoque inicial de produtos em processo, em 31/05/2018, era R$ 44.000,00 e o estoque final, em 30/06/2018, era R$ 18.000,00.
O custo da produção acabada no período utilizando o custeio por absorção foi, em reais,
(A) 407.000,00
(B) 414.000,00
(C) 381.000,00
(D) 422.000,00
(E) 434.000,00
 
Resolução:
 
Estoque inicial MP..................................................................................................... R$ 30.000,00
Compra de matéria-prima ......................................................................................... R$ 220.000,00
() Estoque final MP.................................................................................................... R$ 37.000,00
Mão de obra direta .................................................................................................... R$ 80.000,00
Energia elétrica (fábrica) ............................................................................................. R$ 23.000,00
Salário do supervisor da fábrica ................................................................................. R$ 25.000,00
Depreciação das máquinas e equipamentos (fábrica) ................................................... R$ 40.000,00
Estoque inicial produtos em processo.......................................................................... R$ 44.000,00
() Estoque final produtos em processo ......................................................................... R$ 18.000,00
(=) custo da produção acabada ................................................................................ R$ 407.000,00
 
Gabarito Letra A
 
 
45. De acordo com o Regulamento do Imposto de Renda – RIR (Decreto federal no 3.000/1999), as pessoas físicas domiciliadas ou residentes no Brasil estão sujeitas à incidência imposto de renda, se titulares de
(A) disponibilidade econômica de renda, excetuados os estrangeiros, em relação aos ganhos de capital.
(B) disponibilidade jurídica de renda, ainda que se trate de pessoa física de nacionalidade estrangeira, menor de idade.
(C) proventos de qualquer natureza, exceto quando se tratar de pessoa física não naturalizada e originária de país em que tais rendimentos não são tributados.
(D) disponibilidade jurídica de renda, exceto no caso de se tratar de rendimentos e ganhos de capital de que sejam titulares
menores de idade.
(E) disponibilidade jurídica de renda, exceto se perceberem rendimentos de bens de que tenham a posse como se lhes
pertencessem.
 
Resolução:
 
De acordo com o art. 2º do referido decreto, os  pessoas físicas domiciliadas ou residentes no Brasil, titulares de disponibilidade econômica ou jurídica de renda ou proventos de qualquer natureza, inclusive rendimentos e ganhos de capital, são contribuintes do imposto de renda, sem distinção da nacionalidade, sexo, idade, estado civil ou profissão.
 
Demais alternativas:
A) Na verdade aplica-se aos estrangeiros domiciliados ou residentes no Brasil, sendo tributado inclusive os rendimentos e ganhos de capital.
C) Como dito na alternativa "A", o IR incide sobre estrangeiros domiciliados ou residentes no Brasil, observe o decreto quando diz "sem distinção da nacionalidade".
D) Os ganhos de capitais cuja titularidade sejam de menores também incide IR, sendo que nesses casos eles serão tributados em seus respectivos nomes, com o número de inscrição próprio no Cadastro de Pessoas Físicas - CPF
E) A vedação prevista na alternativa está de encontro com o que estabelece o art. 2 do Decreto 3000;99 (RIR).
 
Gabarito Letra B
 
46. O Regulamento do ISSQN de um Município hipotético contempla várias normas jurídicas, sendo que, dentre elas, encontra-se uma que obriga o contribuinte desse imposto a emitir documentos fiscais em determinadas situações, e outra, que o obriga a efetuar o pagamento do imposto devido. De acordo com o Código Tributário Nacional, a obrigação de emitir documento fiscal e a obrigação de pagar o imposto denominam-se, respectivamente,
(A) acessória e principal.
(B) pecuniária e documental.
(C) escritural e financeira.
(D) econômica e epistolar.
(E) documental e pecuniária
 
Resolução:
 
De modo simples, obrigação principal envolve caráter pecuniário (tributo ou multa) e obrigação acessória envolve obrigações de fazer e de não fazer. Dessa forma, emitir documentos fiscais e pagar imposto devido constituem-se em obrigações acessórias e principal, respectivamente
 
Gabarito Letra A
 
 
47. O Sistema Tributário Nacional disciplinado pela Constituição Federal contempla diversas exações, sendo que, algumas delas, recebem a denominação de “contribuições”. De acordo com a atribuição de competências expressa no texto constitucional, as  contribuições
(A) de melhoria, decorrentes de obras realizadas no território da pessoa jurídica de direito público, podem ser instituídas por essa pessoa jurídica e, de acordo com o Código Tributário Nacional, desde que essas obras acarretem o incremento
organizado do processo de urbanização da região em que a obra venha a ser realizada.
(B) especiais para a modernização dos órgãos estaduais de segurança podem ser instituídas pelos Estados e pelo Distrito
Federal.
(C) para o custeio dos regimes previdenciários estatutários próprios da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos
Municípios, em benefício dos servidores titulares de cargos efetivos dessas pessoas jurídicas de direito público, podem ser
por elas instituídas.
(D) extraordinárias para o reforço da segurança das fronteiras, podem ser instituídas exclusivamente pela União, na iminência ou no caso de guerra externa, sem prejuízo da instituição dos impostos extraordinários constitucionalmente previstos.
(E) para o custeio do serviço de iluminação pública, na forma das respectivas leis, podem ser instituídas pelos Estados, pelo
Distrito Federal e pelos Municípios.
 
Resolução:
 
A) Errado, a contribuição de melhoria é cobrada pela União, pelos Estados, pelo Distrito Federal ou pelos Municípios, no âmbito de suas respectivas atribuições, para fazer face ao custo de obras públicas de que decorra valorização imobiliária, tendo como limite total a despesa realizada e como limite individual o acréscimo de valor que da obra resultar para cada imóvel beneficiado (CTN Art. 81)
B) Errado, as únicas contribuições que podem ser instituídas pelos Estados e DF são aquelas para o custeio do RPPS respectivo (Art. 149 §1), sendo que o DF também pode instituir a COSIP (Art. 149-A)
C) CERTO: é a previsão do Art. 149 §1 da CF/88
D) Não existe "contribuição extraordinária", mas sim impostos extraordinários de guerra (IEG), alternativa incorreta.
E) COSIP é instituída pelos municípios e DF, e não pelos Estados, alternativa incorreta
 
Gabarito Letra C
 
 
48. Relativamente ao Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISSQN, a Lei Complementar Federal no 116/03 estabelece que este tributo
(A) tem como fato gerador a prestação de quaisquer serviços, desde que tais serviços não estejam contemplados no campo
de incidência do ICMS.
(B) não incide sobre as exportações de serviços para o exterior do país, inclusive quando esses serviços forem desenvolvidos
no Brasil, e o resultado deles aqui se verificar, mas o pagamento por eles for feito por residente no exterior.
(C) não incide sobre os serviços prestados mediante a utilização de bens e serviços públicos explorados economicamente
mediante autorização, permissão ou concessão da União ou dos Estados, com o pagamento de tarifa, preço ou pedágio
pelo usuário final do serviço, pois a tributação recíproca é constitucionalmente vedada.
(D) não incide sobre a prestação de serviços em relação de emprego, inclusive no âmbito do mercado de títulos e valores
mobiliários, mas incide sobre o valor intermediado neste mercado de títulos e valores mobiliários.
(E) incide sobre a prestação de serviço proveniente do exterior do país, ou cuja prestação se tenha iniciado no exterior do
país, desde que tais serviços constem da lista anexa à Lei Complementar Federal no 116/03
 
Resolução:
 
A) O FG do ISS é a prestação de serviços constantes da lista anexa, ainda que esses não se constituam como atividade preponderante do prestador., ou seja, a incidência é taxativa e não residual como no caso do ICMS. alternativa incorreta.
B) O ISS não incide sobre as exportações de serviços para o exterior do País, não se enquadrando nessa hipótese os serviços desenvolvidos no Brasil, cujo resultado aqui se verifique, ainda que o pagamento seja feito por residente no exterior. alternativa incorreta.
C) O ISS incide sobre serviços prestados mediante a utilização de bens e serviços públicos explorados economicamente mediante autorização, permissão ou concessão, com o pagamento de tarifa, preço ou pedágio pelo usuário final do serviço, alternativa incorreta.
D) O ISS não incide sobre prestação de serviços em relação de emprego, dos trabalhadores avulsos, dos diretores e membros de conselho consultivo ou de conselho fiscal de sociedades e fundações, bem como dos sócios-gerentes e dos gerentes-delegados. Todavia, ele também não incide sobre o valor intermediado no mercado de títulos e valores mobiliários, o valor dos depósitos bancários, o principal, juros e acréscimos moratórios relativos a operações de crédito realizadas por instituições financeiras, contrariando o final da alternativa. alternativa incorreta.
E) CERTO: é a previsão do art. 1º, §1 da referida LC
 
Gabarito Letra E
 
 
49. De acordo com a Instrução Normativa RFB no 971, de 13 de novembro de 2009, que dispõe sobre normas gerais de tributação previdenciária e de arrecadação das contribuições sociais destinadas à Previdência Social e as destinadas a outras entidades ou fundos, administradas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB),
(A) o apenado recolhido à prisão sob regime semiaberto, que, nessa condição, presta serviços remunerados, fora da unidade
penal, a uma ou mais empresas, com intermediação da organização carcerária, poderá contribuir como segurado
facultativo, vedada essa possibilidade ao presidiário que não exerce atividade remunerada, nem está vinculado a qualquer
regime de previdência social.
(B) a missão diplomática, a repartição consular de carreiras estrangeiras, a organização não governamental estrangeira
(ONGs), bem como o órgão e a entidade da Administração pública direta ou indireta são, por equiparação, empresa, para
fins de cumprimento de obrigações previdenciárias.
(C) Eustácio, contratado pela empresa QUEIJO & VINHO (indústria alimentícia), sem intermediação de qualquer entidade e
com vínculo empregatício, deve contribuir como segurado facultativo, na qualidade de trabalhador avulso.
(D) a pessoa que admite, a seu serviço, um piloto de avião que lhe presta serviços de natureza contínua, mediante
remuneração, no âmbito residencial desta, em atividade sem fins lucrativos, é considerado empregador doméstico.
(E) o médico-residente e o residente em área profissional da saúde, qualquer que seja a forma de suas contratações, devem
contribuir, facultativamente, na qualidade de contribuinte individual.
 
Resolução:
 
De acordo com a referida IN da RFB, temos:
 
Art. 8º Deve contribuir obrigatoriamente na qualidade de segurado empregado doméstico, aquele que presta serviços de natureza contínua, mediante remuneração, à pessoa, à família ou à entidade familiar, no âmbito residencial desta, em atividade sem fins lucrativos
 
Gabarito Letra D
 
 
56. Considere as informações abaixo obtidas a partir das demonstrações contábeis das empresas Flores S.A. e Rosas S.A. em
determinada data
Com base nessas informações, é correto afirmar que o
(A) passivo não circulante da empresa Flores S.A. é igual a R$ 20.000,00.
(B) total de recursos de terceiros da empresa Rosas S.A. é igual a R$ 14.400,00.
(C) patrimônio líquido da empresa Flores S.A. é igual a R$ 10.000,00.
(D) passivo não circulante da empresa Rosas S.A. é igual a R$ 15.000,00.
(E) lucro líquido apurado pela empresa Flores S.A. foi R$ 1.000,00
 
Comentário
 
Empresa FLORES SA Empresa ROSA SA
Liquidez Corrente = AC/PC
1,5 = 12.000/PC
PC = 8.000
 
Índice de composição do endividamento  = PC/ (PC+PNC)
0,4 = 8.000/ (8.000 + PNC)
PNC = 12.000
 
Grau de endividamento = (PC+PNC)/ (PC+PNC+PL)
0,8 = 20.000/ (20.000+PL)
PL = 5.000
 
Retorno sobre o PL = Lucro líquido/ PL
0,2 = LL/5.000
LL = 1.000
 
Liquidez Corrente = AC/PC
2 = 18.000/PC
PC = 9.000
 
Índice de composição do endividamento  = PC/ (PC+PNC)
0,6 = 9.000/ (9.000 + PNC)
PNC = 6.000
 
Grau de endividamento = (PC+PNC)/ (PC+PNC+PL)
0,6 = 15.000/ (15.000+PL)
PL = 10.000
 
Retorno sobre o PL = Lucro líquido/ PL
0,15 = LL/10.000
LL = 1.500
 
 
Analisando os resultado acima com as alternativas da questão, podemos afirmar que o lucro líquido apurado pela empresa Flores S.A. foi R$ 1.000,00
 
Gabarito Letra E
 
 
57. Considere as informações abaixo obtidas das demonstrações contábeis da empresa comercial Só Fritas S.A.
Sabendo que o saldo dos Estoques da empresa, em 31/12/2016, era R$ 100.000,00, a empresa Só Fritas S.A. apresentou
(A) giro do ativo igual a 0,90 e prazo médio de pagamento de compras de 140 dias.
(B) giro do ativo igual a 0,75 e prazo médio de recebimento das vendas de 60 dias.
(C) giro do ativo igual a 0,90 e prazo médio de recebimento das vendas de 50 dias.
(D) prazo médio de recebimento das vendas de 50 dias e prazo médio de renovação dos estoques de 112 dias.
(E) prazo médio de recebimento das vendas de 60 dias e prazo médio de pagamento de compras de 72 dias.
 
Comentário
 
Primeiro farei pelos cálculos da FCC:
 
\mbox{Giro do Ativo} = {\mbox{Receita Líquida} \over \mbox{Ativo Total}} = {\mbox{1.800} \over \mbox{2.400}} = \mbox{0,75}
 
\mbox{PMRE} = {\mbox{360 x Estoque médio} \over \mbox{CMV}} = {\mbox{360 x 280} \over \mbox{1.800 - 900}} = \mbox{112 dias}
 
\mbox{PMRV} = {\mbox{360 x cliente médio} \over \mbox{vendas a prazo}} = {\mbox{360 x 300} \over \mbox{2.160}} = \mbox{50 dias}
 
CMV = Estoque inicial + Compras - Estoque Final
900.000 = 100.000 + Compras - 280.000
Compras = 1.080.000
 
\mbox{PMPC} = {\mbox{360 x fornecedor médio} \over \mbox{compras a prazo}} = {\mbox{360 x 216} \over \mbox{1.080}} = \mbox{72 dias}
 
 
Contudo, apesar de estar faltando uma série de dados para o cálculo dos outros índices, a falta mais grosseira está em relação ao prazo medio de pagamento das compras, já que o enunciado nos informa o saldo inicial e final do estoque, então para a fórmula deveríamos levar o saldo médio de estoque, e não o saldo final como a FCC fez. O cálculo correto seria:
 
\mbox{PMRE} = {\mbox{360 x Estoque médio} \over \mbox{CMV}} = {\mbox{360 x (280+100)/2} \over \mbox{1.800 - 900}} = \mbox{76 dias}
 
Estamos ainda em fase de de recursos, para essa questão sugiro que interponham com base nesse fundamento, com a justificativa de falta de alternativa correta.
 
Gabarito Preliminar: Letra D
 
 
 
Por enquanto é isso. Grande abraço a todos e bons estudos
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.