Comentário da Prova de ACE TCE MG CESPE 2018

por Tonyvan de Carvalho em 21/11/2018
Olá, Concursante!
 
Hoje comentarei a prova de Auditoria do TCE MG, especificamente para o cargo de Analista de Controle Externo (Todas as especialidades, exceto Contador), banca CESPE.
 
O nosso material do TEC – Auditoria Recortada da Norma-, para quem é assinante avançado, contemplou todos os pontos do edital. Foi elaborado um Guia de estudos direcionado para esse concurso.
 
 
De maneira geral, a CESPE não surpreendeu. Cobrou questões clássicas – Opinião do auditor, Planejamento e Documentação de Auditoria, bem como questões sobre as NAGs.
 
As questões desta prova ficaram distribuídas da seguinte forma:
 
Auditoria Independente:
 
01 questões: Opinião do auditor independente/Relatórios e Pareceres de Auditoria– NBC TA 700 (R1).
 
01 questão: Documentação de auditoria - NBC TA 230(R1)
 
01 questão: Planejamento de auditoria – NBC TA 300(R1)
 
Auditoria Governamental:
 
02 questões: Normas de Auditoria Governamental (NAGs) – Conceito iniciais
 
Vamos aos comentários das questões:
 
ASSUNTO: Normas de Auditoria Governamental (NAGs) – Conceitos iniciais
46.(ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO/TODAS AS ESPECIALIDADES – EXCETO CONTADOR/TCE MG/CESPE/2018) Um auditor independente examinou se determinado critério de avaliação do objeto de asseguração inclui os devidos pontos de referência e pode influenciar as conclusões no contexto do trabalho. Nessa situação hipotética, o auditor realizou o exame de
A) neutralidade.
B) integridade.
C) entendimento.
D) relevância.
E) confiabilidade.
 
Comentários:
 
Questão aborda uma das características de um dos elementos – CRITÉRIO - do trabalho de asseguração.
 
Segundo a NBC TO 01 - Trabalho de Asseguração Diferente de Auditoria e Revisão:
Avaliação da adequação dos critérios
 
19.O auditor independente deve avaliar a adequação dos critérios de avaliação ou de mensuração do objeto. Critérios adequados têm as seguintes características:
 
(a) Relevância - critérios relevantes contribuem para a tomada de decisão pelos usuários previstos;
 
(b) Integridade - critérios são suficientemente completos quando os fatores relevantes, que podem influenciar nas conclusões no contexto do trabalho, não foram omitidos. Critérios completos incluem, quando relevantes, pontos de referência (benchmarks) para divulgação e apresentação;
 
(c) Confiabilidade - critérios confiáveis permitem avaliação ou mensuração razoavelmente uniformes do objeto que inclui, quando relevante, a apresentação e a divulgação, de acordo com a prática de mercado reconhecida em situações similares;
 
(d) Neutralidade - critérios neutros contribuem para conclusões sem vícios;
 
(e) Entendimento - critérios compreensíveis possibilitam conclusões claras e completas e sem risco de interpretações significativamente diferentes. [grifo nosso]
Portanto, alternativa correta é B.
 
ASSUNTO: Normas de Auditoria Governamental (NAGs) – Conceitos iniciais
47. (ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO/TODAS AS ESPECIALIDADES – EXCETO CONTADOR/TCE MG/CESPE/2018) Ao verificar a racionalidade com que os recursos alocados a determinados programas em um órgão público são aplicados, o auditor governamental realiza o exame de  
A) eficiência.
B) efetividade.
C) contas.
D) economicidade.
E) eficácia.
 
Comentários:
 
A NAG (Normas de Auditoria Governamental) 1000 estão definidos os conceitos básicos de termos e expressões relacionados à auditoria governamental e são apresentados os objetivos gerais e específicos destas normas, a aplicabilidade, a amplitude e a atualização de suas políticas e diretrizes. Questão aborda um desses conceitos. Veja:
1100 – Conceitos Básicos Para fins de aplicação destas normas, são adotados os seguintes conceitos básicos:
 
[...]
 
1103 – CONTAS: conjunto de informações orçamentárias, financeiras, econômicas, patrimoniais, de custos, operacionais, sociais e de outra natureza, registradas de forma sistematizada, ética, responsável e transparente com o objetivo de evidenciar os atos e fatos da gestão pública em determinado período, possibilitando o controle, a aferição de resultados e responsabilidades e o atendimento dos princípios e das normas.
 
[...]
 
1106 – ECONOMICIDADE: refere-se à alternativa mais racional (binômio preço x qualidade) para a solução de um determinado problema. Quando relacionado às aquisições, refere-se à oportunidade de redução de custos na compra de bens ou serviços, mantendo-se um nível adequado de qualidade.
 
1107 – EFETIVIDADE: refere-se ao resultado real obtido pelos destinatários das políticas, dos programas e dos projetos públicos. É o impacto proporcionado pela ação governamental.
 
1108 – EFICÁCIA: diz respeito ao grau de realização de objetivos e de alcance das metas.
 
1109 – EFICIÊNCIA: racionalidade com que os recursos alocados a determinados programas governamentais são aplicados. Refere-se à extensão em que a unidade econômica maximiza seus benefícios com um mínimo de utilização de tempo e recursos. Preocupa-se com os meios, os métodos e os procedimentos planejados e organizados, a fim de assegurar a otimização da utilização dos recursos disponíveis.
Portanto, alternativa correta é A.
 
ASSUNTO: Documentação de Auditoria/papéis de trabalho
48. (ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO/TODAS AS ESPECIALIDADES – EXCETO CONTADOR/TCE MG/CESPE/2018) Sabendo que a documentação de auditoria, independentemente do meio de sua elaboração, deve ser organizada e agrupada segundo sua finalidade, assinale a opção que indica a informação que deve ser arquivada como documentação de conteúdo corrente.
A) composição da estrutura organizacional
B) cópias de demonstrações financeiras
C) correspondência enviada ou recebida
D) planos e metas de longo prazo
E) pedidos e comprovantes de diárias
 
Comentários:
Segundo a NBC TA 230(R1), “documentação de auditoria é o registro dos procedimentos de auditoria executados, da evidência de auditoria relevante obtida e conclusões alcançadas pelo auditor” (usualmente é também utilizada a expressão “papéis de trabalho”)”. Quanto à sua natureza, Crepaldi, em sua obra, na versão digital, “Auditoria Contábil: teoria e prática.  10ª ed. São Paulo: Atlas, 2016,p.17” explicita que os papéis de trabalho devem ser organizados conforme sua finalidade, separando-os  em dois grupos:
I- Pasta permanente: inclui todos os papéis que são de importância de importância diária e contínua, ano após ano para consulta, por conterem dados sobre o sistema, área ou objeto da auditoria.  Exemplos: histórico da empresa, estatuto, composição do capital social, informações contábeis, dos sistemas contábeis e operacionais e ainda informações relativas a participação da empresa no mercado.
 
II- Pasta corrente: é composta de todos os papéis do exercício em curso. Exemplos: planejamento do trabalho, balancetes, demonstrações contábeis e análise de contas etc.[grifo nosso]
No mesmo sentido, a NAG 4408.7 explicita que independentemente do meio de sua elaboração, a documentação de auditoria deve ser organizada e agrupada segundo sua finalidade. A forma mais prática é mantê-la em pastas ou arquivos magnéticos apropriados, conforme a natureza do conteúdo nela arquivado:
4408.7.1 – Conteúdo permanente: abrange importantes informações de caráter contínuo, utilizados por um longo período de tempo, superior a um exercício, sendo obtidas no passado ou no presente, para uso atual ou futuro. Normalmente seu conteúdo é composto de elementos da estrutura organizacional, legislação e negócios do ente; planos e metas de longo prazo; contratos e ajustes importantes; atas, planos de contas, normas e rotinas. As informações constantes desse conteúdo devem ser revisadas e atualizadas frequentemente para servirem de subsídios para os próximos trabalhos auditoriais.
 
4408.7.2 – Conteúdo corrente: envolve documentação de auditoria de uso corrente, relativa à execução de cada auditoria governamental especificamente. No caso de auditorias de regularidade, em geral, atinge apenas um exercício. Nos casos de auditorias operacionais, podem atingir mais de um exercício. No seu conteúdo encontram-se: registros do planejamento e da execução dos trabalhos; cópias de demonstrações, resumos, balancetes e fluxos de transações; programas de auditoria e documentos detalhados para cada área auditada; documentos de análises, entrevistas, questionários, fluxogramas para avaliação do sistema de controles internos (SCI); cópia do relatório; carta de confirmação; cartas de advogados ou procuradores jurídicos, entre outros documentos comprobatórios das evidências. [grifo nosso]
Comentários:
 
CABE RECURSOS!!! Aqui a banca se equivocou, pois temos mais duas alternativas corretas, quais sejam: correspondência enviada ou recebida e pedidos e comprovantes de diárias são documentos de análises e, portanto, também são correntes, uma vez que são utilizadas apenas no exercício em curso. Dessa forma, por apresentar três alternativas corretas – B, C e E, pede-se a anulação da questão.
 
Gabarito da banca: B.
 
Nosso entendimento: ANULAÇÃO!
 
ASSUNTO: Planejamento de Auditoria
49. (ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO/TODAS AS ESPECIALIDADES – EXCETO CONTADOR/TCE MG/CESPE/2018) O auditor designado para planejar a supervisão dos membros da equipe de auditoria poderá, em seu planejamento, ignorar
A) os riscos de distorções relevantes.
B) a capacidade dos membros individuais da equipe.
C) as auditorias anteriormente realizadas.
D) o porte e a complexidade da entidade.
E) a área da auditoria.
 
Comentários:
 
Questão aborda aspectos que devem ser considerados no planejamento de auditoria, segundo a NBC TA 300(R1). Veja:
Direcionamento, supervisão e revisão (ver item 11)
 
A16. A natureza, a época e a extensão do direcionamento e da supervisão dos membros da equipe e a revisão do seu trabalho podem variar dependendo de diversos fatores, incluindo:
 
(a) o porte e a complexidade da entidade;
 
(b) a área da auditoria;
 
(c) os riscos de distorções relevantes (por exemplo, um aumento no risco de distorções relevantes para uma dada área de auditoria costuma exigir um correspondente aumento na extensão e no direcionamento e supervisão tempestiva por parte dos membros da equipe e uma revisão mais detalhada do seu trabalho);
 
(d) a capacidade e a competência dos membros individuais da equipe que realiza o trabalho de auditoria.[grifo nosso]
Confrontando-se a norma supracitada e as alternativas, a única que não faz parte desse rol é as auditorias anteriormente realizadas, por ausência de disposição normativa. Questão extraída literalmente dessa norma.
 
Portanto, alternativa correta é C.
 
ASSUNTO: Opinião do auditor independente/Relatórios e Pareceres de Auditoria
50. (ANALISTA DE CONTROLE EXTERNO/TODAS AS ESPECIALIDADES – EXCETO CONTADOR/TCE MG/CESPE/2018) A respeito da formação da opinião do auditor e da emissão do relatório de auditoria, assinale a opção correta.
A) A conclusão do auditor deve restringir-se à obtenção de evidência de auditoria apropriada.
B) A avaliação da adequação da apresentação das demonstrações contábeis é obrigatória.
C) O parágrafo introdutório do relatório deve fazer referência ao resumo das principais práticas contábeis.
D) O relatório do auditor independente pode ser emitido por escrito ou oralmente.
E) O relatório do auditor independente deve ser endereçado com exclusividade à administração da entidade auditada  
 
Comentários:
 
Questão aborda aspectos gerias de relatório de auditoria. Comentários de cada alternativa:
 
A) A conclusão do auditor deve restringir-se à obtenção de evidência de auditoria apropriada. Alternativa errada.  A evidência deve ser apropriada e suficiência. Segundo a NBC TA 200(R1):
Evidência de auditoria apropriada e suficiente e risco de auditoria
17.   Para obter segurança razoável, o auditor deve obter evidência de auditoria apropriada e suficiente para reduzir o risco de auditoria a um nível baixo aceitável e, com isso, possibilitar a ele obter conclusões razoáveis e nelas basear a sua opinião (ver itens A28 a A52).[grifo nosso]
 
B) A avaliação da adequação da apresentação das demonstrações contábeis é obrigatória. Alternativa errada.  A questão acabou redigindo uma informação equivocada. O correto seria, segundo a NBC TA 200(R1), “a maior parte do trabalho do auditor na formação de sua opinião consiste na obtenção e avaliação da evidência de auditoria”. A adequação é a medida da qualidade da evidência de auditoria, isto é, a sua relevância e confiabilidade no suporte das conclusões em que se baseia a opinião do auditor. Dessa forma, o que é obrigatório é a avaliação das características da evidência – suficiência e adequação, já que a evidência tem natureza cumulativa.
 
C) O parágrafo introdutório do relatório deve fazer referência ao resumo das principais práticas contábeis. Alternativa correta. O item 23, da NBC TA 700, enumera os itens que devem conter no parágrafo introdutório. Veja:
Parágrafo introdutório
23.   O parágrafo introdutório do relatório do auditor independente deve (ver itens A17 a A19):
 
(a) identificar a entidade cujas demonstrações contábeis foram auditadas;
 
(b) afirmar que as demonstrações contábeis foram auditadas;
 
(c)  identificar o título de cada demonstração que compõe as demonstrações contábeis;
 
(d) fazer referência ao resumo das principais práticas contábeis e demais notas explicativas; e
 
(e) especificar a data ou o período de cada demonstração que compõe as demonstrações contábeis. [grifo nosso]
 
Ressalte-se que a NBC 700 sofreu alterações em 2016 – NBC TA 700(R1), dentre estas, no que tange ao parágrafo introdutório. Segundo a NBC TA 700(R1):
Opinião do auditor
 
23. A primeira seção do relatório do auditor deve incluir a opinião do auditor independente e deve ter “Opinião” como título.
 
24. A seção “Opinião” do relatório do auditor também deve:
 
(a) identificar a entidade cujas demonstrações contábeis foram auditadas;
 
(b) afirmar que as demonstrações contábeis foram auditadas;
 
(c) identificar o título de cada demonstração que compõe as demonstrações contábeis;
 
(d)   fazer referência às notas explicativas, incluindo o resumo das principais políticas contábeis; e
 
(e) especificar a data ou o período de cada demonstração que compõe as demonstrações contábeis (ver itens A22 e A23).
D) O relatório do auditor independente pode ser emitido por escrito ou oralmente. Alternativa errada.  Veja:
Relatório do auditor independente
 
20. O relatório do auditor deve ser por escrito (ver itens A18 e A19). [grifo nosso]
E) O relatório do auditor independente deve ser endereçado com exclusividade à administração da entidade auditada, Veja:
Destinatário (ver item 22)
 
A21. Lei, regulamento ou termos da contratação podem especificar para quem o relatório do auditor deve ser endereçado naquela jurisdição específica. O relatório do auditor é normalmente endereçado às pessoas para quem o relatório do auditor é elaborado, frequentemente para os acionistas ou para os responsáveis pela governança da entidade, cujas demonstrações contábeis estão sendo auditadas.[grifo nosso]
Portanto, alternativa correta é C.
 
Depois de mais uma prova comentada, quero ratificar o meu convite para você conhecer o meu material teórico que está disponível juntamente com os comentários das questões, em conformidade com a árvore de assuntos de Auditoria. Esse material está ATUALIZADO e adaptado às novas alterações das normas de auditoria e contempla mapas mentais, tabelas e esquemas para facilitar a memorização dos tópicos mais recorrentes em provas.
 
Firme nos estudos!
 
Grande abraço,
 
Prof. Tonyvan
 
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.