Análise do edital da SEFIN RO 2017 - Auditoria

por Tonyvan de Carvalho em 27/10/2017
 
Análise do edital da SEFIN RO 2017 - Auditoria
 
Olá, Concursante1!
 
Recentemente foi publicado o edital para Concurso Público para a Secretaria de Estado de Finanças - SEFIN/RO (ICMS RO). Ele oferece vagas para os cargos de Auditor Fiscal de Tributos Estaduais, Técnico Tributário e Contador, de Nível Superior, conforme consta do Edital.
 
Hoje irei disponibilizar: (1) um roteiro correlacionando cada ponto do edital da disciplina de Auditoria (cargo de Auditor Fiscal de Tributos Estaduais) com suas respectivas normas e/ou aspectos doutrinário e (2) 20 questões comentadas recentes da FGV, mostrando-lhes os cuidados que vocês devem ter com a banca examinadora.
 
O nosso material do TEC – Auditoria Recortada da Norma-, para quem é assinante avançado, contempla todos os pontos do edital. Foi elaborado um guia de estudos direcionado para esse concurso (https://www.tecconcursos.com.br/modulos-compartilhados/129402).
 
Nota:1Segundo o professor Dr. Wandercy de Carvalho, com tese em Estudos Linguísticos pela Universidade Federal Fluminense, RJ, a palavra concurseiro é formada por um sufixo sem muito prestígio social. Por isso, não deveria ser usada para referir-se a pessoas que dedicam tantas horas de estudos e tanto esforço na esperança de preparar-se para fazer concursos. Veja outros exemplos de palavras que estão no mesmo campo semântico de concurseiro: aventureiro, fanqueiro, olheiro, bicheiro, barbeiro (aquele que dirige mal) etc. Por outro lado, existe outro sufixo com valor semântico de grande prestígio social, já que ele tem origem no latim. Exemplos: amante (aquele que ama), estudante (aquele que estuda), acompanhante (aquele que acompanha), socializante (aquele que socializa), CONCURSANTE (aquele que faz concurso, aquele que tem perspectivas de vida melhor).
 
O sufixo –ANTE, forma o particípio presente ativo dos verbos e indica um processo em ação.
 
Concursante é um neologismo mais atraente, principalmente porque o individuo que se prepara para fazer o concurso se sentirá mais prestigiado social e psicologicamente. Outra vantagem: esta palavra não tem desinência de gênero, ou seja, pode ser usada tanto para o masculino, quanto para o feminino. E por estarmos de acordo com ele, resolvemos adotar esta palavra para esquentar ainda mais os ânimos dos nossos futuros colegas de profissão! 
 
Agora, veremos o Roteiro da Disciplina e, posteriormente, a resolução de 20 questões recentes!
 
Roteiro de Estudo de Auditoria
(Pontos do edital agrupados por assuntos correlatos)
 
1. Conceitos de auditoria e da pessoa do auditor. Responsabilidade legal. Ética profissional. Objetivos gerais do auditor independente. Concordância com os termos do trabalho de auditoria independente. Controle de qualidade da auditoria de demonstrações contábeis. Independência nos trabalhos de auditoria.
 
2. Documentação de auditoria.
 
3.  Fraudes e a responsabilidade do auditor.
 
4. Planejamento da auditoria. Execução dos trabalhos de auditoria. Materialidade e relevância no planejamento e na execução dos trabalhos de auditoria. Avaliação das distorções identificadas. 
 
5. Evidenciação. Testes.
 
6. Uso de trabalhos técnicos de especialistas. Utilização de trabalhos da auditoria interna.
 
7. Amostragem.
 
8. Relatórios de auditoria.
 
9. Eventos subsequentes.
 
10. Auditoria: normas brasileiras para o exercício da auditoria interna: independência, competência profissional, âmbito do trabalho, execução do trabalho e administração do órgão de auditoria interna.
 
11. Auditoria: normas internacionais para o exercício da auditoria interna: independência, competência profissional, âmbito do trabalho, execução do trabalho e administração do órgão de auditoria interna.
 
12. Auditoria no setor público federal: finalidades e objetivos; abrangência de atuação; formas e tipos; normas relativas à execução dos trabalhos; normas relativas à opinião do auditor; relatórios e pareceres de auditoria; operacionalidade. Objetivos, técnicas, procedimentos e planejamento dos trabalhos de auditoria; programas de auditoria; papéis de trabalho; testes de auditoria; amostragens estatísticas em auditoria; eventos ou transações subsequentes; revisão analítica; entrevista; conferência de cálculo; confirmação; interpretação das informações; observação;
 
13. Procedimentos de auditoria em áreas específicas das demonstrações contábeis. Auditoria de estimativas contábeis.
 
 
Observação: Normas e procedimentos de auditoria do IBRACON – Instituto dos Auditores Independentes do Brasil. Todas as normas brasileiras de contabilidade vigentes relativas à auditoria interna, externa e pública, emanadas pelo Conselho Federal de Contabilidade – CFC.  (vejo esse tópico como sendo uma forma de “blindar” a banca, pois deixa o edital fechado em relação a futuros recursos com alegações de que algum conteúdo não consta no edital, ou seja, item protetivo da banca). Devemos nos preocupar precipuamente com os tópicos que vieram expressos no edital, pois é muito conteúdo para pouca questão!
 
Cuidados com a FGV – 20 questões recentes comentadas!
 
Preliminarmente, não subestimem a FGV! Ela é uma banca que pega muito “pesado” na parte de Auditoria nos concursos das Áreas Fiscal e Gestão. Motivo: explora normas não usuais e/ou pontos atípicos de normas recorrentes, bem com aspectos doutrinários acerca da matéria.
 
Em relação ao edital, Auditoria veio agregada à disciplina de Contabilidade Geral. Dessa forma, ela faz parte das disciplinas que tem a maior pontuação da prova (16 questões com peso 2 = 32 pontos). Pela quantidade de conteúdo, acredito que o número de questões que irão aparecer na sua prova de Auditoria será entre 5 a 7 questões. Esses pontos farão a diferença na sua aprovação!!!!   
 
 
Separei algumas questões recentes da FGV para mostrar a vocês o quanto uma prova pode vir difícil, principalmente devido à grande quantidade de conteúdo, o que leva a banca a cobrar quase tudo de auditoria (interna, externa e governamental). Vejamos as questões:
 
Assunto: Testes em Áreas Específicas das Demonstrações Contábeis
1. (Analista de Gestão (COMPESA) / 2016 / / Contador / FGV) Uma sociedade empresária prestadora de serviços possuía 60 computadores. No processo de auditoria externa foi verificado que 15% destes computadores estavam danificados, sendo impossível sua utilização.
Assinale a opção que indica o posicionamento contábil correto do auditor frente a essa situação.
 
a) Determinar que os computadores danificados sejam baixados do ativo da empresa em seu balanço patrimonial, com contrapartida no resultado operacional.
 
b) Determinar que os computadores danificados sejam baixados do ativo da empresa em seu balanço patrimonial, com contrapartida no resultado financeiro.
 
c) Evidenciar o fato em nota explicativa sem reconhecimento nas demonstrações contábeis.
 
d) Determinar a transferência física dos computadores danificados para o almoxarifado.
 
e) Comunicar o fato à direção da empresa e aguardar sua decisão.
 
Comentários:
 
Questão aborda procedimento adotado pelo auditor numa área específica da entidade auditada. Da leitura, conclui-se que os computadores fazem parte da atividade operacional da prestadora de serviços. Em regra, o auditor externo, quando está realizando seus trabalhos e constata irregularidades ou impropriedades, não faz determinações, mas solicitações à entidade auditada para tomar medidas corretivas.
 
Analisando cada alternativa:
 
a) Determinar que os computadores danificados sejam baixados do ativo da empresa em seu balanço patrimonial, com contrapartida no resultado operacional. Na realidade, o auditor deveria solicitar que os computadores fossem baixados do BP, em contrapartida no resultado operacional, ao invés de determinar à entidade auditada.   
 
b) Determinar que os computadores danificados sejam baixados do ativo da empresa em seu balanço patrimonial, com contrapartida no resultado financeiro. Alternativa errada. Mesma explicação da alternativa “a” quando à determinação. Além disso, a contrapartida, após esses computadores serem baixados não poderia ser no resultado financeiro, já que este é oriundo de aplicações e transações financeiras diversas, o que não acontece no caso em tela.
 
c) Evidenciar o fato em nota explicativa sem reconhecimento nas demonstrações contábeis. Alternativa errada. O auditor não elabora das demonstrações contábeis, mas a própria entidade auditada.
 
d) Determinar a transferência física dos computadores danificados para o almoxarifado. Alternativa errada. Mesma explicação da alternativa “a” quando à determinação. Além disso, a destinação mais adequada desses computadores é de inteira responsabilidade da entidade auditada.
 
e) Comunicar o fato à direção da empresa e aguardar sua decisão. Alternativa errada. O auditor tem autonomia e independência para que ele não precise aguardar um posicionamento da entidade auditada.
 
A melhor alternativa, ou a menos incorreta, é A.
 
Portanto, alternativa correta é A.
 
Assunto: Opinião do auditor independente/Relatórios e Pareceres de Auditoria
2. (Analista de Gestão (COMPESA) / 2016 / / Contador / FGV) No Relatório de Auditor Independente sobre as Demonstrações Financeiras Individuais e Consolidadas, de acordo com as Normas Brasileiras de Contabilidade, após o parágrafo da opinião, deve ser tratada em parágrafo de outros assuntos, a seguinte demonstração contábil:
 
a) Demonstração do Valor Adicionado.
 
b) Demonstração dos Resultados Abrangentes.
 
c) Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos.
 
d) Demonstração dos Fluxos de Caixa.
 
e) Balanço Social.
 
Comentários:
 
Questão especifica sobre o tratamento da Demonstração do Valor Adicionado, segundo a NBC CAT 02 (que trata da emissão do relatório do auditor independente sobre demonstrações contábeis individuais e consolidadas). Veja:
Apresentação da demonstração do valor adicionado
 
17. É importante destacar que a demonstração do valor adicionado (DVA) é obrigatória, segundo a legislação societária brasileira, somente para as companhias abertas, enquanto que de acordo com as IFRS, por não ser uma demonstração obrigatória no conjunto de demonstrações contábeis, deve ser considerada uma informação suplementar. Para simplificar a redação e o entendimento do relatório do auditor independente, a DVA deve ser tratada em parágrafo de outros assuntos, após o parágrafo da opinião, observando os exemplos apresentados nos Anexos II e III. Para manter a uniformidade dos relatórios de auditoria, a referência à DVA deve seguir essa disposição para todas as entidades.
Questão extraída literalmente dessa norma. Portanto, alternativa correta é A.
 
Ratificando tal entendimento, o OFÍCIO-CIRCULAR/CVM/SNC/GNA/n.º 01/2013 explicita que:
Considerando que não fica claro em tais normas qual deveria ser o tratamento da DVA nos relatórios de auditoria emitidos sobre demonstrações contábeis elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil que não sejam apresentadas em conjunto com demonstrações contábeis elaboradas de acordo com as IFRSs e considerando, ainda, que o CTA 02 foi emitido após a NBC TA 700, a CVM entende que a DVA deve ser tratada em parágrafo de outros assuntos para todas as entidades, conforme determinado no CTA 02, após o parágrafo de opinião, para manter a uniformidade entre os relatórios de auditoria, fazendo a adaptação necessária para o entendimento do usuário. [grifo nosso]
Assunto: Controle Interno Federal (IN SFC nº 01/2001)
3. (Analista Judiciário (TJ PI) / 2015 / Contador / Apoio Especializado /FGV) Os controles internos administrativos, conforme dispõe a Instrução Normativa nº 01/2001, devem ser executados em obediência a algumas características. Analise as características dos processos de controles internos administrativos a seguir.
 
I) São prioritariamente preventivos;
 
II) Estão, exclusivamente, voltados para a correção de eventuais desvios em relação aos parâmetros estabelecidos;
 
III) Prevalecem como instrumentos auxiliares de gestão;
 
IV) São direcionados para o atendimento dos altos níveis hierárquicos da administração.
 
É correto apenas o que se afirma em:
 
a) I e II;
 
b) I e III;
 
c) II e III;
 
d) III e IV;
 
e) II, III e IV.
 
Comentários:
 
Segundo a IN nº01/SFCI/CGU/2001, "controle interno administrativo é o conjunto de atividades, planos, rotinas, métodos e procedimentos interligados, estabelecidos com vistas a assegurar que os objetivos das unidades e entidades da administração pública sejam alcançados, de forma confiável e concreta, evidenciando eventuais desvios ao longo da gestão, até a consecução dos objetivos fixados pelo Poder Público". Eles implementados em uma organização devem:
I. prioritariamente, ter caráter preventivo;
 
II. permanentemente, estar voltados para a correção de eventuais desvios em relação aos parâmetros estabelecidos;
 
III. prevalecer como instrumentos auxiliares de gestão; e
 
IV. estar direcionados para o atendimento a todos os níveis hierárquicos da administração.
Ao realizar o cotejo entre os itens e a norma, concluímos que apenas I e III estão corretos.  O erro do item II é “exclusivamente”, ao invés de “permanentemente”. Já o erro do item IV é que os controles internos estão direcionados para o atendimento a todos os níveis hierárquicos da administração, e não somente aos altos níveis.
 
Portanto, alternativa correta é B.
 
Assunto: Testes e Procedimentos em Auditoria
4. (Analista Judiciário (TJ PI) / 2015 / Contador / Apoio Especializado /FGV) Uma das atividades realizadas nos trabalhos de auditoria é a revisão analítica, que consiste em um conjunto de procedimentos com o objetivo de identificar áreas prioritárias ou que devem concentrar maiores esforços do auditor. Entre as características desse conjunto de procedimentos, destaca-se:
 
a) circularização de informações;
 
b) dispensa de elaboração de papéis de trabalho;
 
c) exame dos registros analíticos;
 
d) realização de inspeções físicas;
 
e) utilização de índices econômico-financeiros.
 
Comentários:
 
A revisão analítica (atualmente designada por procedimentos analíticos) consiste na avaliação das informações feitas por meio de estudo das relações plausíveis entre dados financeiros e não financeiros. Os procedimentos analíticos incluem também a investigação de flutuações e relações identificadas que sejam inconsistentes com outras informações relevantes ou que se desviem significativamente dos valores previstos, ou seja, eles são utilizados quando há atipicidades ou anormalidades. Isso é realizado por meio da verificação do comportamento de valores significativos, mediante índices, quocientes, quantidades absolutas ou outros meios, com vistas à identificação de situação ou tendências atípicas. Portanto, alternativa correta é E. As demais alternativas são adotados outros procedimentos de auditoria (confirmações externas na letra “a”; nas letras “c” e “d” usa-se a inspeção). Segue mapa mental para ajudá-los na memorização dos procedimentos com respectivas palavras-chave.
 
 
Assunto: Testes e Procedimentos em Auditoria
5. (Analista Judiciário (TJ PI) / 2015 / Contador / Apoio Especializado /FGV) Durante um trabalho de auditoria, um auditor, a partir da constatação de variações bruscas no relatório diário de produtos acabados, resolveu verificar a possível existência de problemas nas rotinas de registro de informações no departamento de produção. A técnica recomendada para essa verificação é a:
 
a) análise documental;
 
b) correlação de informações;
 
c) corte das operações;
 
d) indagação oral;
 
e) observação de atividades e condições.
 
Comentários:
 
Questão aborda procedimento de auditoria a ser adotado pelo auditor diante de uma irregularidade constatada, qual seja: variações bruscas no relatório diário de produtos acabados, resolveu verificar a possível existência de problemas nas rotinas de registro de informações no departamento de produção. Nesse tipo de questão deve-se observar a palavra-chave que nos direcione para o procedimento mais adequado. Aqui, a preocupação do auditor é verificar a existência de rotinas e o dentre os procedimentos citados, o mais adequado é a observação das atividades e condições, uma vez que é feito a verificação das atividades que exigem a aplicação de testes flagrantes, com a finalidade de revelar erros, problemas ou deficiências que de outra forma seriam de difícil constatação. Os elementos da observação são: a) a identificação da atividade específica a ser observada; b) observação da sua execução; c) comparação do comportamento observado com os padrões; e d) avaliação e conclusão. Comentário das demais alternativas:
 
a) análise documental: exame de processos, atos formalizados e documentos avulsos.
 
b) correlação de informações: cotejamento de informações obtidas de fontes independentes, autônomas e distintas, no interior da própria organização. Essa técnica procura a consistência mútua entre diferentes amostras de evidência.
 
c) corte das operações ou “Cut-Off”: corte interruptivo das operações ou transações para apurar, de forma seccionada, a dinâmica de um procedimento. Representa a “fotografia” do momento-chave de um processo.
 
d) indagação oral: uso de entrevistas e questionários junto ao pessoal da unidade/entidade auditada, para a obtenção de dados e informações.
 
Portanto, alternativa correta é E.
 
Assunto: Normas Internacionais de Auditoria Interna (IIA)
6. (Analista Judiciário (TJ PI) / 2015 / Contador / Apoio Especializado /FGV) De acordo com as Normas internacionais para a prática profissional de auditoria interna, emitidas pelo Institute of Internal Auditors, a avaliação do ambiente de controle é componente essencial para se atingir os principais objetivos do sistema de controle interno. São elementos constituintes do ambiente de controle, EXCETO:
 
a) atividades de controle sobre a tecnologia;
 
b) atribuição de autoridade e responsabilidade;
 
c) estilo operacional da administração;
 
d) integridade e valores éticos;
 
e) políticas e práticas de recursos humanos.
 
Comentários:
 
Segundo as Normas do IIA, o ambiente de controle proporciona a disciplina e a estrutura para se atingir os principais objetivos do sistema de controle interno. O ambiente de controle inclui os seguintes elementos:
• Integridade e valores éticos.
 
• Filosofia e estilo operacional da administração.
 
• Estrutura organizacional.
 
• Atribuição de autoridade e responsabilidade.
 
• Políticas e práticas de recursos humanos.
 
• Competência do pessoal.
 
Ao realizar o cotejo entre a norma e as alternativas, concluímos que o único componente que não faz parte do ambiente de controle, segundo o IIA é atividades de controle sobre a tecnologia. Portanto, alternativa correta é A.
 
Assunto: Evidência de auditoria
7. (Analista Judiciário (TJ PI) / 2015 / Auditor / Apoio Especializado /FGV) Evidência de auditoria compreende as informações utilizadas pelo auditor para chegar às conclusões em que se fundamentam a sua opinião. A evidência de auditoria apropriada e suficiente:
 
a) decorre apenas dos registros contábeis da entidade;
 
b) não deve se basear em auditorias anteriores;
 
c) pode decorrer de ausência de informações;
 
d) pode ser obtida a partir da indagação;
 
e) tem natureza não cumulativa.
 
Comentários:
 
"Evidência de auditoria compreende as informações utilizadas pelo auditor para chegar às conclusões em que se fundamentam a sua opinião". A evidência de auditoria inclui as informações contidas nos registros contábeis que suportam as demonstrações contábeis e outras informações.
 
O item A1, da NBC TA 500, relata que a evidência de auditoria é necessária para fundamentar a opinião e o relatório do auditor. Ela tem natureza cumulativa (o que invalida a letra “e”) e é obtida principalmente a partir dos procedimentos de auditoria realizados durante o curso do trabalho. Contudo, ela também pode incluir informações obtidas de outras fontes, como auditorias anteriores (o que invalida as letras “a” e “b”) ou procedimentos de controle de qualidade da firma de auditoria para aceitação e continuidade de clientes. Além de outras fontes, dentro e fora da entidade, os seus registros contábeis são importantes fontes de evidência de auditoria. Ademais, informações que podem ser utilizadas como evidência de auditoria podem ter sido elaboradas com a utilização do trabalho de especialista da administração. A evidência de auditoria abrange informações que suportam e corroboram as afirmações da administração e qualquer informação que contradiga tais afirmações. Além disso, em alguns casos, a ausência de informações (por exemplo, a recusa da administração em fornecer uma representação solicitada) é utilizada pelo auditor e, portanto, também constitui evidência de auditoria. Embora a indagação possa fornecer importante evidência de auditoria e possa produzir evidência de distorção, a indagação, sozinha, geralmente não fornece evidência de auditoria suficiente da ausência de distorção relevante no nível da afirmação nem da eficácia operacional dos controles (o que invalida a letra “d”). Portanto, alternativa correta é C.
 
Assunto: Normas de Execução do Trabalho do Auditor Independente
8. (Analista Judiciário (TJ PI) / 2015 / Auditor / Apoio Especializado /FGV) O objetivo da auditoria ao examinar as demonstrações financeiras é expressar uma opinião sobre suas propriedades e assegurar que elas representem adequadamente a posição patrimonial e financeira.
 
Nesse contexto, a responsabilidade pela elaboração das demonstrações financeiras é da:
 
a) administração da entidade;
 
b) auditoria independente;
 
c) auditoria interna;
 
d) contabilidade;
 
e) gerência financeira.
 
Comentários:
 
A responsabilidade pela elaboração das demonstrações financeiras é da administração da entidade. Veja:
4. As demonstrações contábeis sujeitas à auditoria são as da entidade, elaboradas pela sua administração, com supervisão geral dos responsáveis pela governança. [...] [NBC TA 200]
Na letra “b”, a responsabilidade da auditoria independente, segundo a NBC TA 200, é “emitir uma opinião sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos relevantes, em conformidade com uma estrutura de relatório financeiro aplicável”. Já na letra “c”, a auditoria interna tem a responsabilidade de assistir à administração da entidade no cumprimento de seus objetivos. Por outro lado, nas letras “d” e “e”, as responsabilidades da contabilidade e da gerência financeira são, respectivamente, cuidar do planejamento das finanças da entidade (atuando decisivamente na prestação de contas para a diretoria e auxiliar na tomada de decisões) e transformar e gerenciar dados contábeis da organização, tornando-os utilizáveis as demais atividades tanto transformar e gerenciar dados contábeis da organização, tornando-os utilizáveis pelos usuários interessados, tanto internos quanto externos. Portanto, alternativa correta é A.
 
Assunto: Controle interno da entidade auditada
9. (Analista Judiciário (TJ PI) / 2015 / Auditor / Apoio Especializado /FGV) O gráfico a seguir apresenta os resultados da avaliação da estrutura de controle interno em cinco entidades, bem como a amplitude dos testes de auditoria a serem executados em cada uma delas.
 
 
A partir da análise do gráfico, é correto afirmar que:
 
a) a amplitude dos testes de auditoria é diretamente proporcional à eficiência do controle interno;
 
b) a amplitude dos testes de auditoria independe da eficiência do controle interno;
 
c) a eficiência do controle interno é o único fator relevante na definição da amplitude dos testes de auditoria;
 
d) quando a eficiência do controle interno for plena, deve-se reduzir a zero os testes de auditoria;
 
e) quando a eficiência do controle interno for alta, deve-se executar ao menos um volume mínimo de testes.
 
Comentários:
 
Questão aborda uma das dimensões de desempenho de análise, utilizada nas auditorias, especificamente a eficiência dos controles internos.
 
A eficiência é definida como a relação entre os produtos (bens e serviços) gerados por uma atividade e os custos dos insumos empregados para produzi-los, em um determinado período de tempo, mantidos os padrões de qualidade. Essa dimensão refere-se ao esforço do processo de transformação de insumos em produtos. Pode ser examinada sob duas perspectivas: minimização do custo total ou dos meios necessários para obter a mesma quantidade e qualidade de produto; ou otimização da combinação de insumos para maximizar o produto quando o gasto total está previamente fixado (COHEN; FRANCO, 1993).
 
Analisando o gráfico acima, podemos inferir que a eficiência dos controles internos está inversamente relacionada à quantidade de testes de auditoria. A única alternativa que está coerente com esse gráfico é a “e”, o que invalida as letras “a”, “d” e “d”. Já a letra “c” não é possível chegar a conclusão de que eficiência do controle interno é o único fator relevante na definição da amplitude dos testes de auditoria.
 
Portanto, alternativa correta é E.
 
Assunto: Utilização do trabalho de outros profissionais
10. (Analista Judiciário (TJ PI) / 2015 / Auditor / Apoio Especializado /FGV) A NBC TA 610 dispõe sobre a utilização do trabalho de auditoria interna. Na determinação da utilização do trabalho da auditoria interna para os fins da auditoria, são itens a serem avaliados, EXCETO:
 
a) o nível de competência da função de auditoria interna;
 
b) o controle de qualidade da função da auditoria interna;
 
c) políticas que propiciem objetividade ao trabalho dos auditores internos;
 
d) se a função de auditoria interna aplica uma abordagem sistemática e disciplinada;
 
e) utilização da auditoria interna em trabalhos de auditoria anteriores.
 
Comentários:
 
Auditoria interna refere-se à função ou pessoas de uma entidade que executem atividades de asseguração e consultoria projetadas para avaliar e melhorar a eficácia da governança, dos processos de controle interno e gestão de risco da entidade. Segundo item 15, da NBC TA 610, o auditor independente deve determinar se o trabalho da auditoria interna pode ser utilizado para os fins da auditoria, considerando o seguinte:
(a) a extensão na qual a posição hierárquica da auditoria interna na organização e suas políticas e procedimentos propiciam objetividade dos auditores internos (letra “c”);
 
(b) o nível de competência da função de auditoria interna (letra “a”); e
 
(c) se a função de auditoria interna aplica uma abordagem sistemática (letra “d”) e disciplinada, incluindo controle de qualidade (letra “b”).
Ao realizar o cotejo entre a norma e as alternativa, concluímos que o único item que não é avaliado quando se utiliza o trabalho da auditoria interna para os fins da auditoria é sua utilização em trabalhos de auditoria anteriores. Portanto, alternativa correta é E.   
 
Assunto: Documentação de auditoria – papéis de trabalho
11. (Analista Judiciário (TJ PI) / 2015 / Auditor / Apoio Especializado /FGV) Os papéis de trabalho constituem a documentação preparada pelo auditor ou fornecida a este na execução da auditoria; sua guarda é responsabilidade do (a):
 
a) auditor responsável;
 
b) auditoria interna;
 
c) administração da entidade auditada;
 
d) contador da entidade auditada;
 
e) conselho fiscal.
 
Comentários:
 
Segundo itens 14 e 15, da NBC TA 230, "o auditor deve montar a documentação em arquivo de auditoria e completar o processo administrativo de montagem do arquivo final de auditoria tempestivamente após a data do relatório do auditor. Após a montagem do arquivo final de auditoria ter sido completada, o auditor não apaga nem descarta documentação de auditoria de qualquer natureza antes do fim do seu período de guarda dessa documentação". Além disso, a NBC PA 01, item 47, requer que as firmas estabeleçam políticas e procedimentos para a retenção da documentação de trabalhos. O período de retenção para trabalhos de auditoria geralmente não é inferior a cinco anos a contar da data do relatório do auditor ou, se posterior, da data do relatório do auditor do grupo. Portanto, alternativa correta é A.
 
 
Assunto: Documentação de auditoria – papéis de trabalho
12. (Analista Judiciário (TJ PI) / 2015 / Auditor / Apoio Especializado /FGV) Os papéis de trabalho devem ser organizados conforme sua finalidade. São consideradas comuns:
 
I . Pasta permanente;
 
II . Pasta corrente;
 
III . Pasta de análise das contas;
 
IV . Pasta de correspondência.
 
Constitui um exemplo de papel de trabalho que compõe a pasta corrente:
 
a) análise da evolução do capital social;
 
b) controles do fluxo de informações;
 
c) descrição do sistema em escrituração contábil;
 
d) estatuto da entidade auditada e suas alterações;
 
e) planejamento do trabalho.
 
Comentários:
 
Questão doutrinária acerca do arquivamento dos papéis de trabalho. Crepaldi, em sua obra, na versão digital, Auditoria Contábil: teoria e prática. 10ª ed. São Paulo: Atlas, 2016” explicita que os papéis de trabalho devem ser organizados conforme sua finalidade, separando-os em dois grupos:
I- Pasta permanente: inclui todos os papéis que são de importância de importância diária e contínua, ano após ano para consulta, por conterem dados sobre o sistema, área ou objeto da auditoria.   Exemplos: histórico da empresa, estatuto, composição do capital social, informações contábeis, dos sistemas contábeis e operacionais e ainda informações relativas a participação da empresa no mercado.
 
II- Pasta corrente: é composta de todos os papéis do exercício em curso. Exemplos: planejamento do trabalho, balancetes, demonstrações contábeis e análise de contas etc.
Portanto, alternativa correta é E.
 
Ressalte-se que os demais papéis de trabalhos enumerados na questão são do tipo permanente.
 
Assunto: Normas Internacionais de Auditoria Interna (IIA)
13. (Analista (IBGE) / 2016 / / Auditoria //FGV) De acordo com as Normas Internacionais para a Prática Profissional de Auditoria Interna, emitidas pelo Institute of Internal Auditors, ao elaborar um código de auditoria interna, a descrição da natureza dessa auditoria, bem como seus critérios de qualidade devem ser baseados nas normas:
 
a) de atributos;
 
b) de desempenho;
 
c) de implantação;
 
d) de gestão;
 
e) de observância.
 
Comentários:
 
Questão aborda aspectos das normas do IIA (Institute of Internal Auditors).  As normas do IIA compreendem as Normas de Atributos (série 1000), as Normas de Desempenho (série 2000) e as Normas Implantação. As Normas de Atributos tratam das características de organizações e indivíduos que realizam atividades de auditoria. As Normas de Desempenho descrevem a natureza das atividades da auditoria interna e apresentam critérios de qualidade contra os quais o desempenho desses serviços é avaliado. Enquanto as Normas de  Atributos e de Desempenho aplicam-se a todos os serviços de auditoria interna, as Normas de Implantação aplicam-se a tipos específicos de trabalhos de auditoria. Portanto, alternativa correta é B. Ressalte-se que IIA não completa normas de gestão e de observância, dispostas nas alternativas “d” e “e”.
 
Assunto: Normas Internacionais de Auditoria Interna (IIA)
14. (Analista (IBGE) / 2016 / / Auditoria //FGV) Conforme as definições propostas pelas Normas Internacionais para a Prática Profissional de Auditoria Interna, emitidas pelo Institute of Internal Auditors, a atividade cuja natureza e escopo estão sujeitos a um acordo com o cliente do trabalho é:
 
a) asseguração;
 
b) assurance;
 
c) auditoria interna;
 
d) auditoria externa;
 
e) consultoria.
 
Comentários:
 
Questão aborda definições, segundo o glossário das normas internacionais para a prática profissional de auditoria interna (normas do IIA). O serviço de consultoria é a atividade de aconselhamento e serviços relacionados ao cliente, cuja natureza e amplitude sejam com ele acordados e que se destinem a adicionar valor e melhorar as operações da organização. Exemplos incluem aconselhamento, assessoramento, facilitação, desenho de processos e treinamento. Portanto, alternativa correta é E
 
a) asseguração: é gênero do qual a auditoria é uma espécie.
 
b) assurance: é a auditoria de avaliação.
 
c) auditoria interna: é uma atividade independente e objetiva que presta serviços de avaliação (assurance) e consultoria e tem como objetivo adicionar valor e melhorar as operações de uma organização.
 
d) auditoria externa: é a auditoria cujo objetivo “ é aumentar o grau de confiança nas demonstrações contábeis por parte dos usuários. Isso é alcançado mediante a expressão de uma opinião pelo auditor sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos relevantes, em conformidade com uma estrutura de relatório financeiro aplicável.” [NBC TA 200, item 3].
 
Assunto: Testes e Procedimentos em Auditoria
15. (Especialista Legislativo de Nível Superior (ALERJ) / 2017 / / Qualquer Nível Superior //FGV) Quando em determinada entidade o auditor tiver necessidade de averiguar informações junto aos funcionários responsáveis pelo acompanhamento das vendas, da posição dos investimentos e dos controles internos, deverá usar a técnica:
 
a) da amostragem;
 
b) da conferência de cálculos;
 
c) da circularização;
 
d) do exame de registros auxiliares;
 
e) do inquérito.
 
Comentários:
 
Questão doutrinária acerca das técnicas utilizadas pelo auditor para obtenção de provas obtidas de fontes externas. Crepaldi, em sua obra, na versão digital, “Auditoria Contábil: teoria e prática.  10ª ed. São Paulo: Atlas, 2016,p. 7” explicita que:
Entre as provas obtidas de fonte externa incluem-se:
 
Comprovação física e contagens – verificação in loco, que deverá fornecer à auditoria a formação de opinião quanto à existência dos objetos ou itens examinados;
 
Confirmações de terceiros – obtenção de declaração, forma e isenta, de pessoas independentes à companhia;
 
Exame dos documentos de suporte das operações – exame voltado para a comprovação das transações que por questões legais ou comerciais ou de controle são evidenciadas por documentos comprobatórios da efetividade dessas transações;
 
Conferência de cálculos – é o exame de auditoria votado para a constatação da veracidade das informações contábeis;
 
Rastreamento de escrituração – utilizado para a constatação da veracidade das informações contábeis;
 
Análise crítica e minuciosa – nada mais é que o exame em profundidade da matéria auditoria que pode ser um documento, uma análise, informação detida;
 
Inquérito – consiste na formulação de perguntas e na obtenção de respostas satisfatórias;
 
Exame de registros auxiliares – o auditor deve estar atento à autenticidade e às possibilidades de adulteração deles;
 
Correlação entre saltos e informações – relacionamento harmonioso do sistema contábil das partidas dobradas;
 
Observação das atividades – envolve o poder de constatação visual do auditor. [grifo nosso]
Comentário das alternativas:
 
a) da amostragem: Segundo a NBC 530, “amostragem em auditoria é a aplicação de procedimentos de auditoria em menos de 100% dos itens de população relevante para fins de auditoria, de maneira que todas as unidades de amostragem tenham a mesma chance de serem selecionadas para proporcionar uma base razoável que possibilite o auditor concluir sobre toda a população”. Logo, não tem correlação com o enunciado da questão.
 
b) da conferência de cálculos. A questão sequer mencionou divergências de cálculos para haver uma conferência. Portanto, não tem correlação com o enunciado da questão.
 
c) da circularização ou confirmação com terceiros: até poderia ser essa alternativa, mas a questão nos leva a restringir que tal confirmação é dentro da empresa (interno) - junto aos funcionários responsáveis. Logo, não poderia ser essa alternativa.
 
d) do exame de registros auxiliares: o auditor deve estar atento à autenticidade e às possibilidades de adulteração deles. Não tem informações suficientes na questão, como adulterações, que levem o auditor a adotar tal técnica.
 
e) do inquérito. No nosso entendimento, essa é a melhor resposta, mesmo sendo uma forma de obtenção de evidência obtida de fonte externa, posição doutrinária acima. Acreditamos que o examinador colocou inquérito com o mesmo sentido de investigação e confirmação, que consiste, segundo a NBC TI 01, “na obtenção de informações perante pessoas físicas ou jurídicas conhecedoras das transações e das operações, dentro ou fora da entidade”.
 
Portanto, alternativa correta é E.
 
Assunto: Aspectos Gerais da Auditoria Interna
16. (Especialista Legislativo de Nível Superior (ALERJ) / 2017 / / Qualquer Nível Superior //FGV) Em um determinado município foram criados centros digitais para que a população pudesse ter acesso à internet, por meio de diversos quiosques instalados em pontos estratégicos da cidade. Foram instalados os quiosques, com computadores, rede de internet e softwares antivírus, além de um sistema de cadastro dos usuários. O município optou por não instalar programa de controle do tempo de uso dos computadores pelos usuários, pois iria onerar o projeto além dos valores previstos e por sua menor relevância.
 
Essa decisão da administração municipal está de acordo com o seguinte princípio do controle interno:
 
a) aderência a diretrizes e normas;
 
b) controle sobre as transações;
 
c) formalização de instruções;
 
d) delegação de responsabilidades;
 
e) relação custo-benefício.
 
Comentários:
 
Questão aborda princípios que norteiam o controle interno. Segundo a doutrina, o controle interno é baseado em nove princípios norteadores:
 
1. Custo x Benefício do Controle: o custo dos controles internos de uma entidade não deve ser superior aos benefícios por eles gerados;
 
2. Atribuição de Responsabilidades: todos devem saber quais são suas responsabilidades – o que podem e o que não podem fazer;
 
3. Definição Rotinas Internas: a empresa deve definir em seus manuais de organização todos os seus processos, procedimentos e rotinas.
 
4. Limitação do Acesso aos Ativos: a empresa deve limitar o acesso de seus funcionários a seus ativos e estabelecer controles físicos sobre eles.
 
5. Segregação de Funções: as operações da empresa precisam ser estruturadas de forma que indivíduos não realizem funções incompatíveis, ou seja, estabelecer que uma mesma pessoa (ou setor) não pode exercer atividades que gerem conflito de interesses.
 
6. Confronto dos Ativos como os Registros: a empresa deve estabelecer procedimentos de forma que seus ativos, que estão sob a responsabilidade de algum funcionário, sejam periodicamente confrontados com os registros da contabilidade.
 
7. Amarrações do Sistema: é necessário que o sistema esteja “amarrado”, ou seja, com mecanismos robustos e capazes de confrontar os dados, inibindo fraudes e erros.
 
8. Auditoria Interna: é a atividade que permite que sejam verificadas se as normas internas estão sendo seguidas e que avalia a necessidade de novas normas; e
 
9. Limitações do Controle Interno: Custo x benefício, Conluio entre empregados e Eventos externos;
 
Resumo da situação encontrada:
 
1. Criação de centros digitais com acesso à internet para a população. O município optou por não instalar programa de controle do tempo de uso dos computadores pelos usuários, pois iria onerar o projeto além dos valores previstos e por sua menor relevância.
 
Ao confrontar os princípios de controle interno com a situação apresentada, o princípio que melhor se adequa é o da relação custo-benefício, devido a implementação desse controle ser de baixa relevância e alto custo.
 
Portanto, alternativa correta é E.
 
Ressalta-se que as demais alternativas não têm correlação com a situação encontrada na questão.
 
Assunto: Evidência de auditoria
17. (Especialista Legislativo de Nível Superior (ALERJ) / 2017 / / Qualquer Nível Superior //FGV) Um dos esforços do trabalho do auditor consiste em buscar evidências que possam fundamentar suas conclusões sobre as demonstrações contábeis. As evidências podem ser relacionadas à finalidade para a qual são colhidas ou à sua natureza.
 
As evidências relacionadas à natureza correspondem a provas que servem para validar os registros contábeis.
 
Dos exemplos a seguir, o que NÃO constitui evidência quanto à natureza é:
 
a) constatação de existência física de bens;
 
b) declaração de fontes verbalmente consultadas;
 
c) incapacidade financeira de pagar credores no vencimento;
 
d) eventos subsequentes à data das demonstrações contábeis;
 
e) documentos comprobatórios da legitimidade de transações.
 
Comentários:
 
Questão doutrinária acerca dos exemplos de evidências de auditoria relacionadas à natureza. Crepaldi, em sua obra, na versão digital, “Auditoria Contábil: teoria e prática. 10ª ed. São Paulo: Atlas, 2016, p. 28” explicita que:
1.2.1    Evidência quanto à natureza:
 
[...]
 
No decorrer do processo de obtenção de evidências, o auditor poderá encontrar os seguintes tipos de provas, que servem para validar os registros contábeis:
Constatação da existência física de bens, pessoalmente, pelo auditor; [Alternativa “a”]
 
Declaração de fontes consultadas, verbal ou formalmente escrita; [Alternativa “b”]
 
Repetição, pelo auditor, dos cálculos que produziram situações ou resultados;
 
Documentos que comprovem a legitimidade das transações, elaboradas internamente, ou preparados por fonte externa à empresa; [Alternativa “e”]
 
Correlacionamento dos dados examinados;
 
Procedimentos de controle interno;
 
Acontecimentos posteriores à data das demonstrações contábeis. [Alternativa “d”]
Ao realizar o cotejo entre as alternativas e o posicionamento doutrinário acerca da matéria, concluímos que o único exemplo que não faz parte desse rol é incapacidade financeira de pagar credores no vencimento, uma vez que este é um exemplo de evidência quando à finalidade, especificamente sobre a continuidade. Portanto, alternativa correta é C.
 
Assunto: Normas Internacionais de Auditoria Interna (IIA)
18. (Especialista Legislativo de Nível Superior (ALERJ) / 2017 / / Ciências Contábeis /FGV) Segundo as Normas Internacionais para a Prática Profissional de Auditoria Interna, a atividade de auditoria interna deve ser independente e os auditores internos devem ser objetivos ao executar seus trabalhos.
 
A independência dentro da organização é alcançada de forma efetiva quando o executivo chefe de auditoria se reporta funcionalmente ao conselho.
 
São exemplos de reporte funcional quando o Conselho tem autonomia para:
 
I - aprovar o estatuto de auditoria interna;
 
II - aprovar o orçamento de auditoria;
 
III - aprovar a remuneração do executivo chefe de auditoria;
 
IV - definir o escopo da auditoria interna.
 
Está correto somente o que se afirma em:
 
a) I e II;
 
b) II e III;
 
c) III e IV;
 
d) I, II e III;
 
e) I, II e IV.
 
Comentários:
 
Questão aborda exemplos de reporte funcional quando o Conselho tem autonomia, segundo as Normas Internacionais para a Prática Profissional de Auditoria Interna. Veja:
1110 – Independência Organizacional
 
O executivo chefe de auditoria deve reportar-se a um nível dentro da organização que permita à atividade de auditoria interna cumprir suas responsabilidades. O executivo chefe de auditoria deve confirmar junto ao conselho, pelo menos anualmente, a independência organizacional da atividade de auditoria interna.
 
Interpretação:
 
A independência dentro da organização se alcança de forma efetiva quando o executivo chefe de auditoria se reporta funcionalmente ao conselho. Alguns exemplos de reporte funcional ao Conselho implicam que este:
 
Aprove o estatuto de auditoria interna; [item I]
 
• Aprove o planejamento de auditoria baseado em riscos;
 
Aprove o orçamento de auditoria e o plano de recursos; [item II]
 
• Receba comunicações do executivo chefe de auditoria sobre o desempenho do plano de auditoria interna e outros assuntos;
 
• Aprove as decisões referentes à nomeação e demissão do executivo chefe de auditoria;
 
Aprove a remuneração do executivo chefe de auditoria; [item III] e
 
• Formule questionamentos adequados à administração e ao executivo chefe de auditoria para determinar se existem escopos inadequados ou limitações de recursos. [grifo nosso]
Ao realizar o cotejo entre as normas e os itens, concluímos que apenas o item IV não faz parte desse rol. Quem define o escopo é o executivo chefe da auditoria. Portanto, alternativa correta é D.
 
Assunto: Opinião do auditor independente/Relatórios e Pareceres de Auditoria
19. (Analista de Planejamento e Finanças / SEPOG/RO /2017/FGV) No relatório do auditor independente sobre as demonstrações contábeis, a ordem de apresentação de cada assunto na seção dos “Principais Assuntos de Auditoria” deve ser determinada de acordo com
 
a) a liquidez das transações.
 
b) o julgamento do auditor.
 
c) os montantes envolvidos.
 
d) a ordem cronológica dos fatos de origem.
 
e) a ordem como estão divulgados os fatos nas demonstrações contábeis.
 
Comentários:
 
As normas do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), que determinam a emissão do Relatório dos Auditores Independentes em um novo formato, já estarão em vigor no Brasil. O relatório atual está mais descritivo e menos sintético.
 
Devido à evolução das normas de auditoria, o International Auditing and Assurance Standards Board (IAASB), vem estudando as alterações que poderiam ser introduzidas, neste que é o principal produto dos trabalhos de auditoria.  No Brasil, o CFC já editou uma nova norma a respeito, é a NBC TA 701 – Principais assuntos de auditoria.
 
Os Principais Assuntos de Auditoria é uma dessas grandes mudanças na estrutura de relatório, mas somente será exigida para as empresas listadas em Bolsa de Valores, podendo ser adotada para outras sociedades, opcionalmente. Por ser um tema integralmente novo em relação ao relatório dos auditores, foi necessária a emissão de uma norma específica sobre isso, que é a NBC TA 701.
 
Segundo essa norma:
“O auditor deve descrever cada um dos principais assuntos de auditoria, utilizando um subtítulo adequado para cada um deles, em seção separada do relatório, sob o título de Principais assuntos de auditoria.”
 
“O texto de introdução dessa seção do relatório deve afirmar que: os principais assuntos de auditoria são aqueles que, segundo o julgamento profissional do auditor, foram os mais significativos na auditoria das demonstrações contábeis do período corrente.” [grifo nosso]
Tipo de questão “cara-crachá”. Nesse caso, a banca examinadora não testa conhecimento, mas que saber apenas se você leu os dispositivos que normalmente vêm expressos no edital. Questão extraída literalmente. Portanto, alternativa correta é B.
 
Assunto: Opinião do auditor independente/Relatórios e Pareceres de Auditoria
20. (Analista de Planejamento e Finanças / SEPOG/RO /2017/FGV) As situações a seguir são exemplos de circunstâncias em que o auditor, de acordo com as normas vigentes, considera necessário incluir um parágrafo de ênfase, à exceção de uma. Assinale-a.
 
a) Existência de incerteza relativa ao desfecho futuro de litígio excepcional.
 
b) Existência de incerteza relativa ao desfecho futuro de ação regulatória.
 
c) Aplicação antecipada de nova norma contábil com efeito disseminado de forma generalizada nas demonstrações contábeis, antes da sua data de vigência, quando permitido.
 
d) Grande catástrofe que tenha tido, ou continue a ter, efeito significativo sobre a posição patrimonial e financeira da entidade.
 
e) Descumprimento de norma contábil com efeito relevante no resultado.
 
Comentários:
 
Questão aborda situações que devemos incluir um parágrafo de ênfase. Segundo a NBC 706, “parágrafo de ênfase é o parágrafo incluído no relatório do auditor referente a um assunto apropriadamente apresentado ou divulgado nas demonstrações contábeis que, de acordo com o julgamento do auditor, é de tal importância que é fundamental para o entendimento pelos usuários das demonstrações contábeis”.
 
A inteligência do item A5 da norma supracitada cita situações que podemos incluir um parágrafo de ênfase:
A5.  Exemplos de circunstâncias em que o auditor pode considerar necessário incluir um parágrafo de ênfase são:
 
• existência de incerteza relativa ao desfecho futuro de litígio excepcional ou ação regulatória; [alternativa “a”]
 
• evento subsequente significativo ocorrido entre a data das demonstrações contábeis e a data do relatório do auditor (NBC TA 560, item 6); [alternativa “b”]
 
• aplicação antecipada (quando permitida) de nova norma contábil com efeito relevante sobre as demonstrações contábeis; [alternativa “c”]
 
• grande catástrofe que tenha tido, ou continue a ter, efeito significativo sobre a posição patrimonial e financeira da entidade. [alternativa “d”] [grifo nosso]
 
Como mencionei no inicio desse artigo, a FGV adora normas “atípicas” e é quase certo aparecer esse modelo na sua prova. Tipo de questão “cara-crachá”. Nesse caso, a banca examinadora não testa conhecimento, mas que saber apenas se você leu os dispositivos que normalmente vêm expressos no edital. Confrontando-se a norma e as alternativas, concluímos que a única situação que não podemos incluir uma ênfase é o descumprimento de norma contábil com efeito relevante no resultado, por ausência de previsão normativa. Questão extraída literalmente dessa norma. Portanto, alternativa correta é E.
 
Quero ratificar o meu convite a vocês para conhecer meu material aqui no TEC. São Módulos de Auditoria e Questões das disciplinas comentadas por mim que podem ser acessadas no TEC. Esse material está adaptado às novas alterações das normas de auditoria e contempla mapas mentais, tabelas e esquemas para facilitar a memorização dos tópicos mais recorrentes em provas.
 
Firme nos estudos!
 
Grande abraço e até outra oportunidade,
 
Tonyvan
 
 
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.