Administração Geral para MPU - parte 7

por Adriel Sá em 27/04/2013
Olá a todos!

Mais um "post", agora sobre o assunto GESTÃO DA QUALIDADE.

Bons estudos e sucesso!


O coração do sábio adquire o CONHECIMENTO, e o ouvido dos sábios procura o saber. Provérbios 18.15.

Gestão da Qualidade

  1. 2012 - ANATEL - Técnico Administrativo

    Considere que determinada organização necessite solucionar um tipo de reclamação de usuários motivada por diversas causas e que, por limitação de recursos, a organização pretenda solucionar as causas mais relevantes. Nessa situação, o diagrama de Pareto seria uma ferramenta útil para a priorização das causas mais relevantes.

Item certo.

Na lição de Idalberto Chiavenato, o princípio ou diagrama de Pareto é um meio de comparação que permite analisar grupos de dados ou de problemas e verificar onde estão os mais importantes e prioritários. Assim, o diagrama de Pareto serve para tornar mais clara a relação entre ação e benefício priorizando dessa forma aquele que dará um resultado melhor para a empresa. Através da representação gráfica em barras, localiza-se facilmente a eliminação de perdas e ajuda a localizar os problemas da empresa.

  1. 2007 - ANVISA - Técnico Administrativo

    A eliminação de perdas é etapa independente e distinta da implantação da gestão da qualidade.

Item errado.

Conforme leciona Renato Araújo Abreu, a Gestão da Qualidade Total (GQT) possui entre seus dez princípios dois associados à busca de eliminação de perdas: “Abordagem de Processos” e “Melhoria Contínua”.

São os seguintes os 8 (oito) princípios da Gestão da Qualidade Total (ISO 9000 – 2004):

1. Foco no Cliente

A organização depende dos clientes e, portanto, devemos atender as necessidades atuais e futuras dos clientes, os seus requisitos, e procurar exceder as suas expectativas.

2. Liderança

Os líderes estabelecem a unidade de propósitos e o rumo da empresa. Convém que criem e mantenham um ambiente interno no qual as pessoas se tornem engajadas na obtenção dos objetivos da organização.

3. Envolvimento das pessoas

As pessoas, em todos os níveis, são a essência de uma organização. O efetivo engajamento dessas pessoas permite a utilização das suas habilidades para o benefício da organização.

4. Abordagem de processos

Um desejado resultado é alcançado mais eficientemente quando as atividades e os recursos relacionados são gerenciados como processos – a transformação de entradas em saídas, com agregação de valor.

5. Abordagem do sistema para gerenciamento

Identificar, compreender e gerenciar os processos inter-relacionados como um sistema contribui para a eficácia e eficiência da organização para alcançar os seus objetivos.

6. Melhoria Contínua

A melhoria contínua do desempenho da organização é um objetivo permanente. Nada é tão bom que não possa ser melhorado. As necessidades dos clientes evoluem sempre. Se a organização não melhorar seus processos e produtos, em algum momento o cliente ficará insatisfeito e deixará de ser fiel.

7. Abordagem com base em dados para a tomada de decisão

Decisões eficazes são baseadas na análise de dados e de informações. Você só consegue gerenciar aquilo que é medido. O gerenciamento dos indicadores é a chave deste princípio.

8. Relações de fornecimento mutuamente proveitosas

Uma organização e seus fornecedores são interdependentes; uma relação de benefícios mútuos aumenta a capacidade de ambos em agregar valor.

  1. 2007 - ANVISA - Técnico Administrativo

    A gestão da qualidade estabelece que os recursos humanos devem ser valorizados e entendidos como integrantes do sucesso da organização.

Item certo.

Segundo a ISO 9000, as pessoas, em todos os níveis, são a essência de uma organização. O efetivo engajamento dessas pessoas permite a utilização das suas habilidades para o benefício da organização.

  1. 2012 - ANCINE - Técnico Administrativo

    A gestão da qualidade prevê a eliminação ou a simplificação de processos que não adicionem valor ao produto.

Item certo.

Segundo Apte e Gohh (2004), o sistema de gestão de qualidade é utilizado para gerenciar a produção de forma que a operação trabalhe almejando atingir maiores níveis de eficiência, eliminação de desperdícios, redução de custos, agregação de valor ao produto e atendimento as necessidades dos clientes. Portanto, uma das importantes conseqüências da aplicabilidade da gestão de qualidade é a diminuição de perdas, isto é, a eliminação de atividades que não agregam valor ao produto final, seja ele um bem ou um serviço.

  1. 2012 - ANCINE - Técnico Administrativo

    A gestão da qualidade estabelece que os processos devem ser continuamente estudados e planejados para que melhorias sejam implementadas e controladas.

Item certo.

Leciona Marques Saraiva que a gestão da qualidade total, como ficou conhecida essa nova filosofia gerencial, marcou o deslocamento da análise do produto ou serviço para a concepção de um sistema da qualidade baseados em processos que devem ser continuamente estudados e planejados para que melhorias sejam implementadas e controladas.

  1. 2012 - TJ-AC - Analista Judiciário - Administração

O departamento de qualidade é o principal responsável pelo sistema de qualidade de uma organização. Contudo, isso não exime outros departamentos da instituição da responsabilidade em relação à qualidade.

Item certo.

Ishikawa preconiza que um departamento de Gestão da Qualidade tem como objetivo principal comunicar a política da qualidade e os seus processos, promulgando e descrevendo o Sistema de Gestão da Qualidade, além de apresentar o Sistema de Gestão da Qualidade da organização para fins externos. No entanto, uma das bases do TQC (Total Quality Control) é a gestão funcional cruzada, dado que a garantia efetiva da qualidade não pode ser obtida somente pelo departamento de qualidade.

  1. 2012 - TJ-AC - Analista Judiciário – Administração

    O modelo de excelência gerencial (MEG) proposto pela Fundação Nacional da Qualidade apoia-se no PDCA (plan, do, check, act), importante ferramenta de melhoria contínua proveniente da escola da qualidade.

Item certo.

Segundo leciona Agostinetto (2006), o Ciclo PDCA foi criado por Walter Shewhart na década de 20 e difundido por Deming na década de 50. Por esse motivo o ciclo é também conhecido como Ciclo de Deming, e é o método mais genérico de processo de melhoria contínua, sendo amplamente aplicado a políticas de gestão de qualidade. Ele consiste em quatro etapas, que são:

P: Planejar

D: Executar

C: Verificar

A: Agir

  1. 2012 - TJ-AC - Analista Judiciário – Administração

    O programa de excelência gerencial, voltado para organizações interessadas em implementar ou que já implementam o modelo de excelência gerencial (MEG), é fundamentado em três etapas — sensibilização, acompanhamento e medição do impacto.

Item errado.

Segundo a FNQ, o Programa de Excelência em gestão (PEG) é realizado pelas empresas interessadas em implantar uma sistemática para medir e acompanhar o desempenho da gestão. Com ele é possível avaliar os processos e identificar pontos para correções e melhorias. O Programa é implantado nas organizações e pode contar com um especialista indicado pela FNQ. A implementação ocorre em (seis) etapas e com ações diferenciadas, de acordo com as necessidades:

1ª etapa: sensibilização

2ª etapa: autoavaliação

3ª etapa: plano de melhorias

4ª etapa: apoio à implementação

5ª etapa: acompanhamento

6ª etapa: medição do impacto

  1. 2012 - TJ-AC - Analista Judiciário – Administração

    Acerca dos preceitos da gestão da qualidade e do modelo de excelência gerencial, julgue o item a seguir.

Na era do controle estatístico, a inspeção um a um de todos os produtos foi realizada no intuito de garantir excelência na produção.

Item errado.

Conforme Pitt (1994), o Controle Estatístico de Processos (CEP) é uma ferramenta da qualidade utilizada nos processos produtivos (e de serviços) com objetivo de fornecer informações para um diagnóstico mais eficaz na prevenção e detecção de defeitos/problemas nos processos avaliados e, consequentemente, auxilia no aumento da produtividade/resultados da empresa, evitando desperdícios de matéria-prima, insumos, produtos, etc.

 

Os elementos estatísticos baseiam-se num universo de amostras que podem ser retiradas aleatoriamente, em horários determinados ou em situações determinadas, bastando para isso seguir o conhecido plano PDCA (Plan, Do, Check, Act). Após a coleta dos dados eles devem ser compilados para retirar as informações necessárias sob a forma de gráficos, sendo o gráfico de linhas representado pelo plano cartesiano e graficamente distribuído sob forma de linhas horizontais oscilantes de acordo com o valor de leitura das amostras, onde o eixo y representa os valores e o eixo x representa a linha de tempo de cada leitura.

  1. 2012 - ANCINE - Técnico Administrativo

    O P do ciclo PDCA significa planejar, desenvolver e estudar os resultados gerados pelos processos.

Item errado.

Segundo Chiavenato (2000), o Ciclo PDCA está dividido em fases bem definidas e distintas:

Primeira Fase: P (Plan = Planejar). Esta fase é caracterizada pelo estabelecimento de um plano de ações e está dividida em duas etapas: a primeira consiste em definir o que se quer, com a finalidade de planejar o que será feito. Esse planejamento envolve a definição de objetivos, estratégias e ações, os quais devem ser claramente quantificáveis (metas); a segunda consiste em definir quais os métodos que serão utilizados para se atingir os objetivos traçados.

Segunda Fase: D (Do = Executar). Caracteriza-se pela execução do que foi planejado e, da mesma forma que a primeira fase, está dividida em duas etapas: Consiste em capacitar a organização para que a implementação do que foi planejado possa ocorrer. Envolve, portanto, aprendizagem individual e organizacional; Consiste em implementar o que foi planejado.

Terceira Fase: C (Check = Verificar). Esta fase consiste em checar, comparando os dados obtidos na execução com o que foi estabelecido no plano, com a finalidade de verificar se os resultados estão sendo atingidos conforme o que foi planejado. A diferença entre o desejável (planejado) e o resultado real alcançado constitui um problema a ser resolvido. Dessa forma, esta etapa envolve a coleta de dados do processo e a comparação destes com os do padrão e a análise dos dados do processo fornece subsídios relevantes à próxima etapa.

Quarta Fase: A (Action = Agir). Esta fase consiste em agir, ou melhor, fazer as correções necessárias com o intuito de evitar que a repetição do problema venha a ocorrer. Podem ser ações corretivas ou de melhorias que tenham sido constatadas como necessárias na fase anterior. Envolve a busca por melhoria contínua até se atingir o padrão, sendo que essa busca da solução dos problemas, por sua vez, orienta para: a necessidade de capacitação; o preenchimento das lacunas de conhecimento necessário à solução do problema, propiciando a criação de novos conhecimentos e a atualizações do padrão.

Assim, a expressão “estudar os resultados gerados pelos processos” estão inseridos na terceira fase (Check – Verificar).

  1. 2012 - ANCINE - Técnico Administrativo

    No ciclo PDCA, o controle implica não só o estudo de um processo, mas também a observação de seus efeitos.

Item errado.

Segundo Chiavenato (2000), o Ciclo PDCA está dividido em fases bem definidas e distintas:

Primeira Fase: P (Plan = Planejar). Esta fase é caracterizada pelo estabelecimento de um plano de ações e está dividida em duas etapas: a primeira consiste em definir o que se quer, com a finalidade de planejar o que será feito. Esse planejamento envolve a definição de objetivos, estratégias e ações, os quais devem ser claramente quantificáveis (metas); a segunda consiste em definir quais os métodos que serão utilizados para se atingir os objetivos traçados.

Segunda Fase: D (Do = Executar). Caracteriza-se pela execução do que foi planejado e, da mesma forma que a primeira fase, está dividida em duas etapas: Consiste em capacitar a organização para que a implementação do que foi planejado possa ocorrer. Envolve, portanto, aprendizagem individual e organizacional; Consiste em implementar o que foi planejado.

Terceira Fase: C (Check = Verificar). Esta fase consiste em checar, comparando os dados obtidos na execução com o que foi estabelecido no plano, com a finalidade de verificar se os resultados estão sendo atingidos conforme o que foi planejado. A diferença entre o desejável (planejado) e o resultado real alcançado constitui um problema a ser resolvido. Dessa forma, esta etapa envolve a coleta de dados do processo e a comparação destes com os do padrão e a análise dos dados do processo fornece subsídios relevantes à próxima etapa.

Quarta Fase: A (Action = Agir). Esta fase consiste em agir, ou melhor, fazer as correções necessárias com o intuito de evitar que a repetição do problema venha a ocorrer. Podem ser ações corretivas ou de melhorias que tenham sido constatadas como necessárias na fase anterior. Envolve a busca por melhoria contínua até se atingir o padrão, sendo que essa busca da solução dos problemas, por sua vez, orienta para: a necessidade de capacitação; o preenchimento das lacunas de conhecimento necessário à solução do problema, propiciando a criação de novos conhecimentos e a atualizações do padrão.

Portanto, é a fase “Plan - Planejamento” que implica o estudo de um processo.

a observação de seus efeitos ocorre na fase “Chek – Controle (verificar), uma vez que esta é responsável pela monitoração.

  1. 2012 - ANCINE - Técnico Administrativo

    A abordagem da qualidade fundamentada no produto concentra-se basicamente nas práticas relacionadas com a engenharia e a produção.

Item errado.

De acordo com Garvin (2002), podem-se identificar cinco abordagens principais para a definição da qualidade, sendo elas:

1 - Abordagem transcendental: sob a visão transcendente, a qualidade é sinônimo de excelência absoluta e universalmente reconhecível, marca de padrões irretorquíveis e de alto nível de realização.

2 - Abordagem fundamentada no produto: em relação à abordagem fundamentada no produto, a qualidade é considerada uma variável precisa e mensurável.

3 - Abordagem fundamentada no usuário: a premissa básica da abordagem fundamentada no usuário é que a qualidade está diante dos olhos de quem a observa.

4 - Abordagem fundamentada na produção: a abordagem fundamentada na produção se interessa basicamente pelas práticas relacionadas diretamente com a engenharia e a produção.

5 - Abordagem fundamentada no valor: a visão da qualidade fundamentada no valor, tida como um passo adiante em relação às anteriores, define qualidade em termos de custo e preço.

Assim, a abordagem da qualidade fundamentada na produção concentra-se basicamente nas práticas relacionadas com a engenharia e a produção.

  1. 2012 - ANCINE - Técnico Administrativo

    A gestão da qualidade no âmbito dos serviços busca estabelecer de maneira objetiva os limites entre produção e consumo, ou seja, delimitar onde termina a produção e onde começa o consumo.

Item errado.

Segundo Paladini (2000), uma das principais características da gestão da qualidade em ambiente de serviços é: produção e consumo são simultâneos e não há como definir onde termina uma e começa o outro.

A qualidade dos serviços é difícil de definir e avaliar, pelo que é fundamental conhecer o que os clientes esperam do serviço que lhes está a ser prestado. Tal pressupõe uma atenção constante ao cliente, uma vez que o comportamento deste, as suas expectativas e os seus desejos têm tendência a alterar-se constantemente. Somente se conseguir acompanhar essas alterações e ir ao encontro do esperado, ou superá-lo, é que a organização estará a prestar um serviço de qualidade.

  1. 2012 - ANCINE - Técnico Administrativo

    A qualidade é sinônimo de excelência absoluta e universalmente reconhecível segundo a abordagem transcendental da qualidade.

Item certo.

De acordo com Garvin (2002), podem-se identificar cinco abordagens principais para a definição da qualidade, sendo elas:

1 - Abordagem transcendental: sob a visão transcendente, a qualidade é sinônimo de excelência absoluta e universalmente reconhecível, marca de padrões irretorquíveis e de alto nível de realização.

2 - Abordagem fundamentada no produto: em relação à abordagem fundamentada no produto, a qualidade é considerada uma variável precisa e mensurável.

3 - Abordagem fundamentada no usuário: a premissa básica da abordagem fundamentada no usuário é que a qualidade está diante dos olhos de quem a observa.

4 - Abordagem fundamentada na produção: a abordagem fundamentada na produção se interessa basicamente pelas práticas relacionadas diretamente com a engenharia e a produção.

5 - Abordagem fundamentada no valor: a visão da qualidade fundamentada no valor, tida como um passo adiante em relação às anteriores, define qualidade em termos de custo e preço.

  1. 2012 - TJ-AL - Técnico Judiciário

    De acordo com Deming, para a promoção da qualidade, é essencial a criação de slogans e metas para os colaboradores em que sejam estabelecidos níveis mais altos de produtividade e a não existência de defeitos.

Item errado.

Segundo Bendell, Penson e Carr (1995), os 14 princípios de Deming são os seguintes:

1º princípio: Crie constância de propósito para melhorar produtos e serviços, objetivando tornar-se competitivo e manter-se em atividade, bem como criar emprego;

2º princípio: Adote uma nova filosofia para a nova era econômica, conscientizando-se de suas responsabilidades e tomando a liderança para mudanças. A administração ocidental deve despertar para o desafio, conscientizar-se de suas responsabilidades e assumir a liderança no processo de transformação;

3º princípio: Deixe de depender de inspeções para atingir a qualidade. Elimine a necessidade de inspeção em massa, introduzindo a qualidade no produto desde seu primeiro estágio;

4º princípio: Pare a prática de valorizar negócios com base no preço. Ao invés disso, minimize o custo total e estabeleça um único fornecedor para cada item, num relacionamento de longo prazo fundamentado na lealdade e na confiança;

5º princípio: Melhore constantemente e sempre o sistema de produção e de serviços para melhorar a qualidade e a produtividade e também reduzir custos;

6º princípio: Institua o treinamento no local de trabalho;

7º princípio: Institua liderança. A supervisão deve servir para ajudar as pessoas, máquinas e dispositivos a executarem um trabalho melhor. A supervisão de gestão e de trabalhadores de produção deve passar por uma revisão;

8º princípio: Elimine o medo, de modo que todos trabalhem efetivamente para a organização;

9º princípio: Elimine as barreiras entre departamentos. Funcionários de pesquisa, produção (design) e vendas devem trabalhar em conjunto para prever problemas de produção e de utilização do produto ou serviço;

10º princípio: Elimine slogans, exortações e metas numéricas para os trabalhadores, como “defeito zero” ou novos níveis de produtividade. Tais exortações criam apenas inimizades, visto que a maioria das causas de qualidade e produtividade baixas pertencem ao sistema e estão fora do alcance do poder de atuação dos trabalhadores;

11º princípio: Elimine cotas numéricas e padrões para a força de trabalho, assim como objetivos numéricos para o gerenciamento. Substitua as lideranças;

12º princípio: Remova as barreiras que privam as pessoas de seu direito de orgulhar-se de seu trabalho realizado. Elimine avaliações de desempenho anuais ou por mérito, bem como a gestão por objetivos.

13º princípio: Institua um forte programa de educação e auto-aprimoramento.

14º princípio: Coloque todos na organização para trabalhar visando alcançar a transformação.

  1. 2012 - TJ-AL - Técnico Judiciário

    Os princípios elencados por Deming incluem a elevação do nível de inspeção em massa da produção para auxiliar os mecanismos de controle de qualidade.

Item errado.

Segundo Bendell, Penson e Carr (1995), os 14 princípios de Deming são os seguintes:

1º princípio: Crie constância de propósito para melhorar produtos e serviços, objetivando tornar-se competitivo e manter-se em atividade, bem como criar emprego;

2º princípio: Adote uma nova filosofia para a nova era econômica, conscientizando-se de suas responsabilidades e tomando a liderança para mudanças. A administração ocidental deve despertar para o desafio, conscientizar-se de suas responsabilidades e assumir a liderança no processo de transformação;

3º princípio: Deixe de depender de inspeções para atingir a qualidade. Elimine a necessidade de inspeção em massa, introduzindo a qualidade no produto desde seu primeiro estágio;

4º princípio: Pare a prática de valorizar negócios com base no preço. Ao invés disso, minimize o custo total e estabeleça um único fornecedor para cada item, num relacionamento de longo prazo fundamentado na lealdade e na confiança;

5º princípio: Melhore constantemente e sempre o sistema de produção e de serviços para melhorar a qualidade e a produtividade e também reduzir custos;

6º princípio: Institua o treinamento no local de trabalho;

7º princípio: Institua liderança. A supervisão deve servir para ajudar as pessoas, máquinas e dispositivos a executarem um trabalho melhor. A supervisão de gestão e de trabalhadores de produção deve passar por uma revisão;

8º princípio: Elimine o medo, de modo que todos trabalhem efetivamente para a organização;

9º princípio: Elimine as barreiras entre departamentos. Funcionários de pesquisa, produção (design) e vendas devem trabalhar em conjunto para prever problemas de produção e de utilização do produto ou serviço;

10º princípio: Elimine slogans, exortações e metas numéricas para os trabalhadores, como “defeito zero” ou novos níveis de produtividade. Tais exortações criam apenas inimizades, visto que a maioria das causas de qualidade e produtividade baixas pertencem ao sistema e estão fora do alcance do poder de atuação dos trabalhadores;

11º princípio: Elimine cotas numéricas e padrões para a força de trabalho, assim como objetivos numéricos para o gerenciamento. Substitua as lideranças;

12º princípio: Remova as barreiras que privam as pessoas de seu direito de orgulhar-se de seu trabalho realizado. Elimine avaliações de desempenho anuais ou por mérito, bem como a gestão por objetivos.

13º princípio: Institua um forte programa de educação e auto-aprimoramento.

14º princípio: Coloque todos na organização para trabalhar visando alcançar a transformação.

  1. 2012 - TJ-AL - Técnico Judiciário

    O método de administração da qualidade de Deming estimula um relacionamento de longo prazo fundado na lealdade e confiança com um número reduzido de fornecedores.

Item certo.

Segundo Bendell, Penson e Carr (1995), os 14 princípios de Deming são os seguintes:

1º princípio: Crie constância de propósito para melhorar produtos e serviços, objetivando tornar-se competitivo e manter-se em atividade, bem como criar emprego;

2º princípio: Adote uma nova filosofia para a nova era econômica, conscientizando-se de suas responsabilidades e tomando a liderança para mudanças. A administração ocidental deve despertar para o desafio, conscientizar-se de suas responsabilidades e assumir a liderança no processo de transformação;

3º princípio: Deixe de depender de inspeções para atingir a qualidade. Elimine a necessidade de inspeção em massa, introduzindo a qualidade no produto desde seu primeiro estágio;

4º princípio: Pare a prática de valorizar negócios com base no preço. Ao invés disso, minimize o custo total e estabeleça um único fornecedor para cada item, num relacionamento de longo prazo fundamentado na lealdade e na confiança;

5º princípio: Melhore constantemente e sempre o sistema de produção e de serviços para melhorar a qualidade e a produtividade e também reduzir custos;

6º princípio: Institua o treinamento no local de trabalho;

7º princípio: Institua liderança. A supervisão deve servir para ajudar as pessoas, máquinas e dispositivos a executarem um trabalho melhor. A supervisão de gestão e de trabalhadores de produção deve passar por uma revisão;

8º princípio: Elimine o medo, de modo que todos trabalhem efetivamente para a organização;

9º princípio: Elimine as barreiras entre departamentos. Funcionários de pesquisa, produção (design) e vendas devem trabalhar em conjunto para prever problemas de produção e de utilização do produto ou serviço;

10º princípio: Elimine slogans, exortações e metas numéricas para os trabalhadores, como “defeito zero” ou novos níveis de produtividade. Tais exortações criam apenas inimizades, visto que a maioria das causas de qualidade e produtividade baixas pertencem ao sistema e estão fora do alcance do poder de atuação dos trabalhadores;

11º princípio: Elimine cotas numéricas e padrões para a força de trabalho, assim como objetivos numéricos para o gerenciamento. Substitua as lideranças;

12º princípio: Remova as barreiras que privam as pessoas de seu direito de orgulhar-se de seu trabalho realizado. Elimine avaliações de desempenho anuais ou por mérito, bem como a gestão por objetivos.

13º princípio: Institua um forte programa de educação e auto-aprimoramento.

14º princípio: Coloque todos na organização para trabalhar visando alcançar a transformação.

  1. 2012 - TJ-AL - Técnico Judiciário

    O controle estatístico é um mecanismo que garante a qualidade dos produtos e serviços inspecionados.

Item errado.

Segundo Bendell, Penson e Carr (1995), os 14 princípios de Deming são os seguintes:

1º princípio: Crie constância de propósito para melhorar produtos e serviços, objetivando tornar-se competitivo e manter-se em atividade, bem como criar emprego;

2º princípio: Adote uma nova filosofia para a nova era econômica, conscientizando-se de suas responsabilidades e tomando a liderança para mudanças. A administração ocidental deve despertar para o desafio, conscientizar-se de suas responsabilidades e assumir a liderança no processo de transformação;

3º princípio: Deixe de depender de inspeções para atingir a qualidade. Elimine a necessidade de inspeção em massa, introduzindo a qualidade no produto desde seu primeiro estágio;

4º princípio: Pare a prática de valorizar negócios com base no preço. Ao invés disso, minimize o custo total e estabeleça um único fornecedor para cada item, num relacionamento de longo prazo fundamentado na lealdade e na confiança;

5º princípio: Melhore constantemente e sempre o sistema de produção e de serviços para melhorar a qualidade e a produtividade e também reduzir custos;

6º princípio: Institua o treinamento no local de trabalho;

7º princípio: Institua liderança. A supervisão deve servir para ajudar as pessoas, máquinas e dispositivos a executarem um trabalho melhor. A supervisão de gestão e de trabalhadores de produção deve passar por uma revisão;

8º princípio: Elimine o medo, de modo que todos trabalhem efetivamente para a organização;

9º princípio: Elimine as barreiras entre departamentos. Funcionários de pesquisa, produção (design) e vendas devem trabalhar em conjunto para prever problemas de produção e de utilização do produto ou serviço;

10º princípio: Elimine slogans, exortações e metas numéricas para os trabalhadores, como “defeito zero” ou novos níveis de produtividade. Tais exortações criam apenas inimizades, visto que a maioria das causas de qualidade e produtividade baixas pertencem ao sistema e estão fora do alcance do poder de atuação dos trabalhadores;

11º princípio: Elimine cotas numéricas e padrões para a força de trabalho, assim como objetivos numéricos para o gerenciamento. Substitua as lideranças;

12º princípio: Remova as barreiras que privam as pessoas de seu direito de orgulhar-se de seu trabalho realizado. Elimine avaliações de desempenho anuais ou por mérito, bem como a gestão por objetivos.

13º princípio: Institua um forte programa de educação e auto-aprimoramento.

14º princípio: Coloque todos na organização para trabalhar visando alcançar a transformação.

  1. 2012 - TJ-AL - Técnico Judiciário

    O benchmarking é uma ferramenta criada com intuito de replicar os procedimentos de um concorrente para aprimorar o processo produtivo e, por isso, deve ser utilizado em organizações que atuam no mesmo ramo de negócios.

Item errado.

Benchmarking, segundo Robbins (2000), consiste na prática de comparação, através de parâmetros mensuráveis, visando avaliar o desempenho de um processo da empresa com um processo semelhante de outra organização.

Spendolini (1994) conceitua benchmarking como “um processo contínuo e sistemático para avaliar produtos, serviços e processos de trabalho de organizações que são reconhecidas como representantes das melhores práticas, com a finalidade de melhoria organizacional”.

Logo, não há a necessidade de as organizações em comparação pertencerem ao mesmo ramo de negócios.

  1. 2012 - TJ-AL - Técnico Judiciário

    O método just in time procura reduzir ao mínimo o tempo de fabricação e o volume de estoques e, para alcançar esse objetivo, dispõe de um grande cadastro de fornecedores.

Item errado.

Cheng (1996) explica que a redução do número de fornecedores para o mínimo possível é um dos fatores que mais contribui para alcançar os potenciais benefícios da política just in time. Esta redução, gera, porém, vulnerabilidade em eventuais problemas de fornecimento, já que fornecedores alternativos foram excluídos. A melhor maneira de prevenir esta situação é selecionar cuidadosamente os fornecedores e arranjar uma forma de proporcionar credibilidade dos mesmos de modo a assegurar a qualidade e confiabilidade do fornecimento.

  1. 2012 - TJ-AL - Técnico Judiciário

    A metodologia denominada seis sigma para a redução de desperdícios é muito utilizada pela escola da qualidade, pois foca na análise dos erros nos produtos para consertar as falhas nos processos que os provocam.

Segundo Smith e Adams (2000), uma metodologia que está se consolidando no mundo dos negócios e possibilitando grandes conquistas às empresas é o Seis Sigma, um método que se concentra na diminuição ou eliminação da incidência de erros, defeitos e falhas em um processo. A metodologia Seis Sigma visa também reduzir a variabilidade do processo. Ela pode ser aplicada na maioria dos setores da atividade econômica. Alcançar o Seis Sigma significa reduzir defeitos, erros e falhas a zero e atingir a quase perfeição no desempenho dos processos.

  1. 2012 - TJ-AL - Técnico Judiciário

    O princípio proposto pelo economista Vilfrido Pareto é uma técnica de priorização para as organizações, pois revela que, comumente, 5% das causas respondem por 95% dos efeitos.

Item errado.

Segundo Chiavenato, o Princípio de Pareto foi criado no Séc. XIX por um economista italiano chamado Alfredo Pareto, que, ao analisar a sociedade, concluiu que grande parte da riqueza se encontrava nas mãos de um número muito reduzido de pessoas.

Após concluir que este princípio era válido em muitas áreas da vida cotidiana, estabeleceu o designado método de análise de Pareto, também conhecido como regra dos 20-80% e que significa que um pequeno número de causas (geralmente 20%) é responsável pela maioria dos problemas (geralmente 80%).

  1. 2012 - TJ-AL - Técnico Judiciário

    O ciclo PDCA (plan, do, check, act) é um poderoso instrumento de controle de custos, pois permite verificar de forma recorrente a gestão de estoques.

Item errado.

Segundo leciona Agostinetto (2006), o Ciclo PDCA foi criado por Walter Shewhart na década de 20 e difundido por Deming na década de 50. Por esse motivo o ciclo é também conhecido como Ciclo de Deming, e é o método mais genérico de processo de melhoria contínua, sendo amplamente aplicado a políticas de gestão de qualidade. Ele consiste em quatro etapas, que são:

P: Planejar

D: Executar

C: Verificar

A: Agir

Assim, o ciclo PDCA é aplicado a políticas de qualidade, não se restringindo a controle de custos.

  1. 2012 - MPE-PI - Técnico Ministerial - Área Administrativa

    Tendo em vista que a gestão da qualidade — tema recorrente na administração da maioria das empresas — deixou de ser diferencial competitivo e se tornou essencial à permanência da organização no mercado, julgue o item seguinte.

O retrabalho e o comprometimento da imagem de uma organização são, respectivamente, custos internos e externos da falta de qualidade dos processos produtivos de uma entidade.

Item certo.

Segundo Juran (1988), os custos para se obter um determinado nível da qualidade podem ser divididos em custos evitáveis e custos inevitáveis. Os custos não evitáveis são aqueles que a organização irá incorrer de qualquer forma. Os evitáveis são aqueles que podem representar um aumento da lucratividade da organização. São esses que a organização deve buscar eliminar. Eles podem ser internos (como o retrabalho e desperdícios) e externos (como o comprometimento da imagem da organização).

  1. 2012 - MPE-PI - Técnico Ministerial - Área Administrativa IMAGEM 57

    Tendo em vista que a gestão da qualidade — tema recorrente na administração da maioria das empresas — deixou de ser diferencial competitivo e se tornou essencial à permanência da organização no mercado, julgue o item seguinte.

A observação direta do produto ou serviço ao final do processo produtivo, a inspeção com base em amostras e o surgimento dos departamentos de qualidade são as principais características da era da qualidade total.

Item errado.

Maximiano (2004) diz que considerar o cliente em primeiro lugar é a base da filosofia da qualidade total. A história da evolução que transformou o controle tradicional da qualidade na moderna administração da qualidade total tem três períodos, filosofias ou eras principais: a era da inspeção, a era do controle estatístico e a era da qualidade total (e da qualidade assegurada). Observe o quadro:

Portanto, a observação direta do produto ou serviço ao final do processo produtivo, a inspeção com base em amostras fazem parte da era do controle estatístico.

  1. 2012 - MPE-PI - Técnico Ministerial - Área Administrativa

    Tendo em vista que a gestão da qualidade — tema recorrente na administração da maioria das empresas — deixou de ser diferencial competitivo e se tornou essencial à permanência da organização no mercado, julgue o item seguinte.

O ciclo de Shewhart ou Deming, clássica ferramenta da escola da qualidade, proporciona ao programa de qualidade uma metodologia de caráter pontual sobre as atividades de planejamento, execução, checagem e correção.

Item errado.

Segundo Quinquiolo (2002), o Ciclo PDCA, também conhecido como Ciclo de Shewhart, Ciclo da Qualidade ou Ciclo de Deming, é uma metodologia que tem como função básica o auxílio no diagnóstico, análise e prognóstico de problemas organizacionais, sendo extremamente útil para a solução de problemas. Poucos instrumentos se mostram tão efetivos para a busca do aperfeiçoamento quanto este método de melhoria contínua, tendo em vista que ele conduz a ações sistemáticas que agilizam a obtenção de melhores resultados com a finalidade de garantir a sobrevivência e o crescimento das organizações.

  1. 2012 - MPE-PI - Técnico Ministerial - Área Administrativa

    Tendo em vista que a gestão da qualidade — tema recorrente na administração da maioria das empresas — deixou de ser diferencial competitivo e se tornou essencial à permanência da organização no mercado, julgue o item seguinte.

Entre os quatorze princípios que caracterizam a filosofia da qualidade de Deming, encontra-se a eliminação da administração por objetivos.

Item certo.

Segundo Bendell, Penson e Carr (1995), os 14 princípios de Deming são os seguintes:

1º princípio: Crie constância de propósito para melhorar produtos e serviços, objetivando tornar-se competitivo e manter-se em atividade, bem como criar emprego;

2º princípio: Adote uma nova filosofia para a nova era econômica, conscientizando-se de suas responsabilidades e tomando a liderança para mudanças. A administração ocidental deve despertar para o desafio, conscientizar-se de suas responsabilidades e assumir a liderança no processo de transformação;

3º princípio: Deixe de depender de inspeções para atingir a qualidade. Elimine a necessidade de inspeção em massa, introduzindo a qualidade no produto desde seu primeiro estágio;

4º princípio: Pare a prática de valorizar negócios com base no preço. Ao invés disso, minimize o custo total e estabeleça um único fornecedor para cada item, num relacionamento de longo prazo fundamentado na lealdade e na confiança;

5º princípio: Melhore constantemente e sempre o sistema de produção e de serviços para melhorar a qualidade e a produtividade e também reduzir custos;

6º princípio: Institua o treinamento no local de trabalho;

7º princípio: Institua liderança. A supervisão deve servir para ajudar as pessoas, máquinas e dispositivos a executarem um trabalho melhor. A supervisão de gestão e de trabalhadores de produção deve passar por uma revisão;

8º princípio: Elimine o medo, de modo que todos trabalhem efetivamente para a organização;

9º princípio: Elimine as barreiras entre departamentos. Funcionários de pesquisa, produção (design) e vendas devem trabalhar em conjunto para prever problemas de produção e de utilização do produto ou serviço;

10º princípio: Elimine slogans, exortações e metas numéricas para os trabalhadores, como “defeito zero” ou novos níveis de produtividade. Tais exortações criam apenas inimizades, visto que a maioria das causas de qualidade e produtividade baixas pertencem ao sistema e estão fora do alcance do poder de atuação dos trabalhadores;

11º princípio: Elimine cotas numéricas e padrões para a força de trabalho, assim como objetivos numéricos para o gerenciamento. Substitua as lideranças;

12º princípio: Remova as barreiras que privam as pessoas de seu direito de orgulhar-se de seu trabalho realizado. Elimine avaliações de desempenho anuais ou por mérito, bem como a gestão por objetivos.

13º princípio: Institua um forte programa de educação e auto-aprimoramento.

14º princípio: Coloque todos na organização para trabalhar visando alcançar a transformação.

Assim, pelo 11º princípio, Deming enfatiza que se elimine padrões de trabalho (quotas) na linha de produção. Substitua-os pela liderança; elimine-se o processo de administração por objetivos. Elimine-se o processo de administração por cifras, por objetivos numéricos. Substitua-os pela administração por processos através do exemplo de líderes.

  1. 2012 - MPE-PI - Técnico Ministerial - Área Administrativa

    Tendo em vista que a gestão da qualidade — tema recorrente na administração da maioria das empresas — deixou de ser diferencial competitivo e se tornou essencial à permanência da organização no mercado, julgue o item seguinte.

O diagrama de Ishikawa, o princípio de Pareto e os modelos estatísticos são instrumentos de gestão utilizados pelo departamento de qualidade, que deve ser o responsável único pelos programas de qualidade da organização.

Item errado.

Campos (1999) compreende que é grande a abrangência do conceito de gestão pela qualidade total (TQM). A gestão da qualidade é total por dois principais motivos: primeiro porque não devem existir lacunas, ou seja, o cliente-alvo da empresa deve ser totalmente satisfeito, e segundo porque todos os departamentos e funcionários da empresa devem trabalhar de forma integrada no sentido de preencher essas lacunas ao longo do tempo.

  1. 2012 - MPE-PI - Técnico Ministerial - Área Administrativa

    Tendo em vista que a gestão da qualidade — tema recorrente na administração da maioria das empresas — deixou de ser diferencial competitivo e se tornou essencial à permanência da organização no mercado, julgue o item seguinte.

Regularidade, conformidade e adequação ao uso são alguns dos aspectos pertencentes ao conceito de qualidade.

Item certo.

Maximiniano (2000) leciona que percepções conceituais de qualidade têm sido associadas a noções de excelência, valor, especificações, conformidade, regularidade e adequação ao uso. Assim, excelência consiste no padrão mais elevado de desempenho, o melhor que se pode fazer. Valor relaciona qualidade a luxo. Especificações correspondem à qualidade planejada, ou seja, a definição de como o produto ou serviço deve ser. Conformidade está relacionada ao grau de identidade entre o produto ou serviço e o que foi definido. Regularidade implica em uniformidade, ou seja, produtos ou serviços idênticos. Adequação ao uso corresponde à qualidade do projeto e ausência de deficiências.

  1. 2012 - TJ-RO - Analista Judiciário – Administração

    O gráfico de barras que ordena as frequências das ocorrências, da maior para a menor, possibilitando a preordenação dos problemas, a fim de identificar problemas, permitir a fácil visualização e reconhecimento das causas, comparar a situação anterior com a posterior ao aparecimento do problema, identificar itens responsáveis por causar impactos e eliminar as causas desses impactos, denomina-se Diagrama de Pareto.

Item certo.

Segundo Augustinho Paludo, o Diagrama de Pareto é um gráfico de barras que ordena as frequências das ocorrências, da maior para a menor, possibilitando a preordenação dos problemas. Indica ainda a curva de percentagens acumuladas; a maior utilidade deste diagrama é a de permitir uma fácil visualização e reconhecimento das causas ou problemas mais relevantes, possibilitando a centralização de esforços sobre os mesmos. É uma das ferramentas mais eficientes para identificar problemas, melhorar a visualização, confirmar os resultados, comparar o antes e depois do problema e identificar itens que são responsáveis pelos impactos eliminando as causas.

  1. 2011 - Correios - Analista de Correios – Administrador

    O PDCA é uma ferramenta de qualidade que representa um conjunto de ações de melhoria contínua nos processos organizacionais.

Item certo.

Segundo leciona Agostinetto (2006), o Ciclo PDCA foi criado por Walter Shewhart na década de 20 e difundido por Deming na década de 50. Por esse motivo o ciclo é também conhecido como Ciclo de Deming, e é o método mais genérico de processo de melhoria contínua, sendo amplamente aplicado a políticas de gestão de qualidade. Ele consiste em quatro etapas, que são:

P: Planejar

D: Executar

C: Verificar

A: Agir

  1. 2012 - TRE-RJ - Analista Judiciário - Área Administrativa

    A ferramenta de gestão da qualidade denominada 6 Sigma prevê a redução radical de desperdícios por meio da eliminação de produtos defeituosos.

Item certo.

Conforme Maximiano (2007), “Seis Sigma é uma metodologia de redução radical de desperdícios por meio da eliminação de produtos defeituosos”.

  1. 2011 - EBC - Analista – Administração

    Acerca das ideias e princípios defendidos por Deming, expoente da escola da qualidade, julgue o item a seguir.

O referido teórico defendia a eliminação da administração por objetivos nas organizações e dos slogans que exijam alta produtividade e defeito zero.

Item certo.

Segundo Bendell, Penson e Carr (1995), os 14 princípios de Deming são os seguintes:

1º princípio: Crie constância de propósito para melhorar produtos e serviços, objetivando tornar-se competitivo e manter-se em atividade, bem como criar emprego;

2º princípio: Adote uma nova filosofia para a nova era econômica, conscientizando-se de suas responsabilidades e tomando a liderança para mudanças. A administração ocidental deve despertar para o desafio, conscientizar-se de suas responsabilidades e assumir a liderança no processo de transformação;

3º princípio: Deixe de depender de inspeções para atingir a qualidade. Elimine a necessidade de inspeção em massa, introduzindo a qualidade no produto desde seu primeiro estágio;

4º princípio: Pare a prática de valorizar negócios com base no preço. Ao invés disso, minimize o custo total e estabeleça um único fornecedor para cada item, num relacionamento de longo prazo fundamentado na lealdade e na confiança;

5º princípio: Melhore constantemente e sempre o sistema de produção e de serviços para melhorar a qualidade e a produtividade e também reduzir custos;

6º princípio: Institua o treinamento no local de trabalho;

7º princípio: Institua liderança. A supervisão deve servir para ajudar as pessoas, máquinas e dispositivos a executarem um trabalho melhor. A supervisão de gestão e de trabalhadores de produção deve passar por uma revisão;

8º princípio: Elimine o medo, de modo que todos trabalhem efetivamente para a organização;

9º princípio: Elimine as barreiras entre departamentos. Funcionários de pesquisa, produção (design) e vendas devem trabalhar em conjunto para prever problemas de produção e de utilização do produto ou serviço;

10º princípio: Elimine slogans, exortações e metas numéricas para os trabalhadores, como “defeito zero” ou novos níveis de produtividade. Tais exortações criam apenas inimizades, visto que a maioria das causas de qualidade e produtividade baixas pertencem ao sistema e estão fora do alcance do poder de atuação dos trabalhadores;

11º princípio: Elimine cotas numéricas e padrões para a força de trabalho, assim como objetivos numéricos para o gerenciamento. Substitua as lideranças;

12º princípio: Remova as barreiras que privam as pessoas de seu direito de orgulhar-se de seu trabalho realizado. Elimine avaliações de desempenho anuais ou por mérito, bem como a gestão por objetivos.

13º princípio: Institua um forte programa de educação e auto-aprimoramento.

14º princípio: Coloque todos na organização para trabalhar visando alcançar a transformação.

  1. 2011 - EBC - Analista – Administração

    Acerca das ideias e princípios defendidos por Deming, expoente da escola da qualidade, julgue o item a seguir.

Em seus estudos de administração das organizações, Deming enfatizou a importância da mentalidade preventiva em lugar da corretiva, bem como a necessidade do envolvimento da alta administração no processo de produção.

Item certo.

Segundo Chiavenato, os 14 princípios de Deming são os seguintes:

1º) Criar e publicar para todas as pessoas os objetivos e propósitos da empresa quanto à melhoria do produto ou serviço. A alta direção deve demonstrar constantemente seu total apoio ao programa.

2º) A alta administração e todas as pessoas devem aprender e adotar a nova filosofia: não mais conviver com atrasos, erros e defeitos no trabalho.

3º) Conhecer os propósitos da qualidade, para melhorar os processos e reduzir os custos.

4º) Suspender a prática de fazer negócios apenas com base no preço.

5º) Melhorar sempre e constantemente o sistema de produção e serviços, identificando e solucionando problemas.

6º) Instituir treinamento no trabalho.

7º) Ensinar e instituir liderança para conduzir as pessoas na produção.

8º) Eliminar o medo de errar. Criar a confiança e um clima para inovação.

9º) Incentivar grupos e equipes para alcançar os objetivos e propósitos da empresa.

10º) Demolir as bareiras funcionais entre departamentos.

11º) Eliminar exortações à produtividade sem que os métodos não tenham sido providenciados.

12º) Remover as barreiras que impedem as pessoas de orgulhar-se de seu trabalho.

13º) Encorajar a educação e o auto-aperfeiçoamento de cada pessoa.

14º) Garantir a ação necessária para acompanhar essa transformação.

  1. 2011 - EBC - Analista – Administração

    Acerca das ideias e princípios defendidos por Deming, expoente da escola da qualidade, julgue o item a seguir.

Segundo esse teórico, para o alcance de níveis elevados de qualidade em uma organização, é essencial a realização da inspeção em massa.

Item errado.

Segundo Bendell, Penson e Carr (1995), os 14 princípios de Deming são os seguintes:

1º princípio: Crie constância de propósito para melhorar produtos e serviços, objetivando tornar-se competitivo e manter-se em atividade, bem como criar emprego;

2º princípio: Adote uma nova filosofia para a nova era econômica, conscientizando-se de suas responsabilidades e tomando a liderança para mudanças. A administração ocidental deve despertar para o desafio, conscientizar-se de suas responsabilidades e assumir a liderança no processo de transformação;

3º princípio: Deixe de depender de inspeções para atingir a qualidade. Elimine a necessidade de inspeção em massa, introduzindo a qualidade no produto desde seu primeiro estágio;

4º princípio: Pare a prática de valorizar negócios com base no preço. Ao invés disso, minimize o custo total e estabeleça um único fornecedor para cada item, num relacionamento de longo prazo fundamentado na lealdade e na confiança;

5º princípio: Melhore constantemente e sempre o sistema de produção e de serviços para melhorar a qualidade e a produtividade e também reduzir custos;

6º princípio: Institua o treinamento no local de trabalho;

7º princípio: Institua liderança. A supervisão deve servir para ajudar as pessoas, máquinas e dispositivos a executarem um trabalho melhor. A supervisão de gestão e de trabalhadores de produção deve passar por uma revisão;

8º princípio: Elimine o medo, de modo que todos trabalhem efetivamente para a organização;

9º princípio: Elimine as barreiras entre departamentos. Funcionários de pesquisa, produção (design) e vendas devem trabalhar em conjunto para prever problemas de produção e de utilização do produto ou serviço;

10º princípio: Elimine slogans, exortações e metas numéricas para os trabalhadores, como “defeito zero” ou novos níveis de produtividade. Tais exortações criam apenas inimizades, visto que a maioria das causas de qualidade e produtividade baixas pertencem ao sistema e estão fora do alcance do poder de atuação dos trabalhadores;

11º princípio: Elimine cotas numéricas e padrões para a força de trabalho, assim como objetivos numéricos para o gerenciamento. Substitua as lideranças;

12º princípio: Remova as barreiras que privam as pessoas de seu direito de orgulhar-se de seu trabalho realizado. Elimine avaliações de desempenho anuais ou por mérito, bem como a gestão por objetivos.

13º princípio: Institua um forte programa de educação e auto-aprimoramento.

14º princípio: Coloque todos na organização para trabalhar visando alcançar a transformação.

  1. 2011 - EBC - Analista – Administração

    De acordo com a escola da qualidade total, deve haver uma área que centralize, de modo exclusivo, o acompanhamento e controle da qualidade dos processos implantados em todas as áreas organizacionais.

Item errado.

Em síntese, Chiavenato leciona que, para a escola da Qualidade Total, a responsabilidade pelo controle e acompanhamento da qualidade dos produtos no âmbito dos processos produtivos deve ser compartilhada por todas as funções participantes e não atribuída a uma área restrita da operação (a área de qualidade).

  1. 2011 - EBC - Analista – Administração

    A escola da qualidade propôs o controle estatístico da qualidade, com base na amostragem de produtos, em contraposição ao modelo de produção massificada.

Item certo.

Maximiano (2004) diz que considerar o cliente em primeiro lugar é a base da filosofia da qualidade total. A história da evolução que transformou o controle tradicional da qualidade na moderna administração da qualidade total tem três períodos, filosofias ou eras principais: a era da inspeção, a era do controle estatístico e a era da qualidade total (e da qualidade assegurada). Observe o quadro:

  1. 2011 - EBC - Analista – Administração

    O diagrama de causa e efeito (diagrama de Ishikawa) é uma ferramenta que visa definir o conjunto de causas responsável por um ou mais efeitos.

Item certo.

Em suma, Chiavenato explica que o Diagrama de Ishikawa (diagrama de causa e efeito ou espinha de peixe) também é conhecido como 6M, pois em sua estrutura todos os tipos de problemas (causas) podem ser classificados como sendo de seis tipos diferentes: Método, Matéria-prima, Mão-de-obra, Máquinas, Medição e Meio ambiente. É uma ferramenta gráfica utilizada pela Administração para o Gerenciamento e o Controle da Qualidade.

  1. 2011 - TJ-ES – Analista Judiciário – Administração

    O diagrama de Pareto é uma das ferramentas que podem ser utilizadas para se comparar a situação anterior e a situação posterior à implantação das práticas de qualidade e produtividade no setor.

Item certo.

Segundo Augustinho Paludo, o Diagrama de Pareto é um gráfico de barras que ordena as frequências das ocorrências, da maior para a menor, possibilitando a preordenação dos problemas. Indica ainda a curva de percentagens acumuladas; a maior utilidade deste diagrama é a de permitir uma fácil visualização e reconhecimento das causas ou problemas mais relevantes, possibilitando a centralização de esforços sobre os mesmos. É uma das ferramentas mais eficientes para identificar problemas, melhorar a visualização, confirmar os resultados, comparar o antes e depois do problema e identificar itens que são responsáveis pelos impactos eliminando as causas.

  1. 2010 - Banco da Amazônia - Técnico Científico – Administração

    O diagrama de Ishikawa pode estar relacionado a aspectos como mão de obra, materiais, máquinas e métodos, entre outros.

Item certo.

Em suma, Chiavenato explica que o Diagrama de Ishikawa (diagrama de causa e efeito ou espinha de peixe) também é conhecido como 6M, pois em sua estrutura todos os tipos de problemas (causas) podem ser classificados como sendo de seis tipos diferentes: Método, Matéria-prima, Mão-de-obra, Máquinas, Medição e Meio ambiente. É uma ferramenta gráfica utilizada pela Administração para o Gerenciamento e o Controle da Qualidade.

  1. 2010 - Banco da Amazônia - Técnico Científico – Administração

    O diagrama de Pareto pode ser adotado quando se está diante de problemas e busca-se identificar quais são os itens responsáveis pela maior parcela deles.

Item certo.

Segundo Augustinho Paludo, o Diagrama de Pareto é um gráfico de barras que ordena as frequências das ocorrências, da maior para a menor, possibilitando a preordenação dos problemas. Indica ainda a curva de percentagens acumuladas; a maior utilidade deste diagrama é a de permitir uma fácil visualização e reconhecimento das causas ou problemas mais relevantes, possibilitando a centralização de esforços sobre os mesmos. É uma das ferramentas mais eficientes para identificar problemas, melhorar a visualização, confirmar os resultados, comparar o antes e depois do problema e identificar itens que são responsáveis pelos impactos eliminando as causas.

  1. 2008 - TCU - Analista de Controle Externo - Planejamento e Gestão - Prova 2

    Acerca de indicadores e da matriz GUT, julgue o item que se segue.

O número de horas de treinamento é um exemplo de indicador de resultado do objetivo de melhorar o atendimento ao público.

Item errado.

Segundo Filho (2007), indicadores são instrumentos que permitem identificar e medir aspectos relacionados a um determinado objeto, que no caso do plano estratégico será um objetivo ou um projeto (qualitativo). Já as metas de um indicador representam o desempenho quantitativo esperado para uma data futura.

Por exemplo:

Indicador: Aderência os padrões mínimos de TI.

Meta: Atender 100% dos padrões mínimos de TI.

  1. 2008 - TCU - Analista de Controle Externo - Planejamento e Gestão - Prova 2

    Na matriz GUT, o “U” diz respeito ao custo, ao quanto se perderia pelo fato de não se melhorar/otimizar determinado processo de trabalho ou não se adotarem determinadas medidas de inovação desse processo.

Item errado.

Na lição de Chiavenato (2011), a Matriz GUT refere-se a uma técnica de priorização de problemas, sendo que:

Gravidade diz respeito ao custo da não-resolução do problema;

Urgência relaciona-se com o prazo necessário para se evitar o dano; e

Tendência subordina-se ao efeito do que irá acontecer se nada for feito.

  1. 2008 - TCU - Analista de Controle Externo - Planejamento e Gestão - Prova 2

    Na matriz GUT, o “T” refere-se ao prazo necessário para se implementar melhorias no processo e ao espaço de tempo durante o qual o processo deve ser melhorado/otimizado, de forma a se evitar o risco de se causar dano à organização.

Item errado.

Na lição de Chiavenato (2011), a Matriz GUT refere-se a uma técnica de priorização de problemas, sendo que:

Gravidade diz respeito ao custo da não-resolução do problema;

Urgência relaciona-se com o prazo necessário para se evitar o dano; e

Tendência subordina-se ao efeito do que irá acontecer se nada for feito.

  1. 2008 - TCU - Analista de Controle Externo - Planejamento e Gestão - Prova 2

    O número de auditorias realizadas é um exemplo de indicador de tendência do objetivo de aumentar o volume de trabalho do departamento de auditorias.

Item errado.

Segundo Filho (2007), indicadores são instrumentos que permitem identificar e medir aspectos relacionados a um determinado objeto, que no caso do plano estratégico será um objetivo ou um projeto (qualitativo). Já as metas de um indicador representam o desempenho quantitativo esperado para uma data futura.

Por exemplo:

Indicador: Aderência os padrões mínimos de TI.

Meta: Atender 100% dos padrões mínimos de TI.


Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.