Administração Geral para MPU - parte 6

por Adriel Sá em 25/04/2013
Olá a todos!

No "post" de hoje, ainda manterei a forma do último artigo, com as questões comentadas logo abaixo de cada item. Isso porque o assunto é vasto e optei para que sirva como revisão teórica.

Grande abraço a todos e que Deus os ilumine!

Adquire sabedoria, adquire inteligência (...). Provérbios 4.5.

Adquire sabedoria, adquire inteligência, e não te esqueças nem te apartes das palavras da minha boca.
Provérbios 4:5
Adquire sabedoria, adquire inteligência, e não te esqueças nem te apartes das palavras da minha boca.
Provérbios 4:5
Adquire sabedoria, adquire inteligência, e não te esqueças nem te apartes das palavras da minha boca.
Provérb

Processo Administrativo (Administração Geral)

  1. 2012 - ANATEL - Técnico Administrativo

    O processo de administração adequadamente executado envolve atividades como planejar, organizar, liderar e controlar. Com relação ao processo administrativo, julgue o item a seguir.

A decisão acerca do tipo de departamentalização que a organização deve adotar é um processo característico da atividade de liderança.

Item errado.

Segumndo Maximiano (2010), o processo de organizar consiste em dividir tarefas entre os blocos de trabalho chamados departamentos. A escolha das tarefas atribuídas aos departamentos baseia-se nos critérios de departamentalização. Um critério de departamentalização é uma forma de atribuir tarefas e de especializar blocos de organização. Por exemplo:

Pode-se atribuir a cada departamento a tarefa de atender a um tipo especifico de cliente, se o objetivo é atender diferentes tipos de clientes. Cada departamento se especializa em um tipo de cliente.

Pode-se atribuir a cada departamento a tarefa de fornecer um tipo especifico de produto ou serviço:se o objetivo é fornecer diferentes tipos de produtos ou serviços. Cada departamento se especializa em um tipo de produto ou serviço.

Pode-se atribuir a cada departamento a tarefa de atender a determinada área geográfica, se o objetivo é cobrir um grande território. Cada departamento se especializa na cobertura de determinada área geográfica.

Assim, a decisão acerca do tipo de departamentalização que a organização deve adotar é um processo característico da atividade de organização.

  1. 2012 - ANATEL - Técnico Administrativo

    A análise do ambiente interno, o estabelecimento de objetivos e a escolha das estratégias são atividades inerentes ao processo de planejamento.

Item certo.

Segundo Kotler (2005), o planejamento, a organização a direção e o controle, considerados separadamente, constituem as funções administrativas; quando visualizadas no conjunto para o alcance dos objetivos, elas formam o processo administrativo.

Planejar é definir os objetivos e escolher o melhor curso de ação para alcançá-los (estratégia), pois as empresas não trabalham na base da improvisação. O planejamento define aonde se quer chegar, o que deve ser feito, quando deve ser feito e em que seqüência, sendo uma técnica para absorver a incerteza permitir mais consistência no desempenho da empresa, mediante a anáilse de seu ambiente interno.

  1. 2012 - ANATEL - Técnico Administrativo

    Comparar o desempenho alcançado com o previsto e adotar medidas corretivas são características do processo de controle.

Item certo.

Em síntese de Kotler (2005), a função controle está relacionada com as demais funções do processo administrativo: o planejamento, a organização e a direção repercutem nas atividades de controle da ação. Muitas vezes se torna necessário modificar o planejamento, a organização ou a direção, para que os sistemas de controle possam ser mais eficazes.

O controle propicia a mensuração e a avaliação dos resultados da ação empresarial obtida a partir do planejamento, da organização e da direção. É a fase do processo administrativo que mede e avalia o desempenho e toma a ação corretiva quando necessária.

  1. 2012 - TJ-AC - Analista Judiciário – Administração

    De acordo com a atitude e visão interativa da função de planejamento, os quatro princípios considerados como específicos são: contribuição para a missão organizacional e para os objetivos gerais da organização; precedência do planejamento, em relação às demais funções; penetração e abrangência em relação às características e atividades da empresa; e maior eficiência, eficácia e efetividade dos resultados.

Item errado.

Ackoff (1974), com base na atitude e na visão interativa diante do planejamento, apresenta quatro princípios de planejamento que podem ser considerados como específicos:

Planejamento participativo: onde o principal benefício do planejamento não é seu produto, ou seja, o plano, mas o processo envolvido. O papel do responsável pelo planejamento não é só elaborá-lo, mas facilitar o processo de sua elaboração pela própria empresa e deve ser realizado pelas áreas pertinentes ao processo.

Planejamento coordenado: onde todos os aspectos envolvidos devem ser projetados de forma que atuem interdependentemente.

Planejamento interligado: os vários escalões de uma empresa devem ter seus planejamentos integrados.geralmente os objetivos são escolhidos de cima para baixo e os meios para atingi-los de baixo para cima, sendo esse fluxo usualmente invertido em uma empresa cuja função primária é servir aos seus membros.

Planejamento permanente: essa condição é exigida pela própria turbulência do ambiente, pois nenhum plano mantém seu valor com o tempo.

Já Oliveira (2007) leciona que são quatro os princípios gerais para os quais os executivos devem estar atentos:

O princípio da contribuição aos objetivos, e neste aspecto o planejamento deve sempre visar aos objetivos máximos da empresa. No processo de planejamento deve-se hierarquizar os objetivos estabelecidos e procurar alcançá-los em sua totalidade, tendo em vista a interligação entre eles.

O princípio da precedência do planejamento, corresponde a uma função administrativa que vem antes das outras ( organização, direção e controle). Na realidade é difícil separar e seqüenciar as funções administrativas, mas pode-se considerar que, de maneira geral, o planejamento “do que é como vai ser feito” aparece na ponta do processo. Como conseqüência, o planejamento assume uma situação de maior importância no processo administrativo.

O princípio da maior penetração e abrangência, pois o planejamento pode provocar uma série de modificações nas características e atividades da empresa. As modificações provocadas nas pessoas podem corresponder à necessidade de treinamento, substituição, transferências, funções, avaliação, etc.; na tecnologia pode ser apresentada pela evolução dos conhecimentos, pelas novas maneiras de fazer os trabalhos, etc.; e nos sistemas podem ocorrer alterações nas responsabilidades estabelecidas nos níveis de autoridade, descentralização, comunicações, procedimentos, instituições, etc.

Princípio da maior eficiência, eficácia e efetividade, segundo o qual o planejamento deve procurar maximizar os resultados e minimizar as deficiências. Através desses aspectos, o planejamento procura proporcionar a empresa uma situação de eficiência, eficácia e efetividade.

Portanto, o item trouxe os princípios gerais do planejamento.

  1. 2012 - TJ-AC - Analista Judiciário - Administração

Os tipos de controle são o preliminar, que ocorre antes das operações iniciarem; o simultâneo, que ocorre enquanto os planos estão sendo implementados; e o de feedback,que enfoca o uso da informação sobre os resultados, no intuito de corrigir desvios em relação aos parâmetros aceitáveis.

Item certo.

Bateman e Snell (1998) reproduzem a distinção clássica dos três tipos principais de controle: o preliminar, o simultâneo e o controle por feedback.

1. Controle preliminar:

Este tipo de controle é basicamente orientado para o futuro. O maior objetivo é evitar que as disfunções, desvios de rota, distanciamento das metas e demais problemas ocorram. Trata-se de uma espécie de controle preventivo e se conecta diretamente à atividade de planejamento, uma vez que não espera a implementação da ação para comparar seus resultados com as metas e sim toma medidas antecipadas. Determinadas regras e procedimentos formais, por exemplo, podem evitar erros antes que eles surjam.

2. Controle simultâneo:

Trata-se do controle que é realizado concomitante à implementação dos planos. Há que, se ressaltar aqui o extraordinário avanço promovido pela tecnologia de processamento de dados nas diversas aplicações do controle simultâneo de operações. As fronteiras e limites das variáveis tempo e espaço foram dramaticamente alargadas e, em alguns casos, até eliminadas por essa tecnologia acoplada à transmissão de dados em tempo real.

3. Controle por feedback:

O controle por feedback implica que os dados de desempenho foram reunidos e analisados e os resultados retornados para alguém (ou algo), no processo para que sejam efetuadas correções. Neste tipo de controle, a temporização é um importante aspecto. Muitas vezes, passam-se grandes intervalos de tempo entre o desempenho e o feedback, no caso do tempo gasto atualmente é comparado com a projeção feita no ano anterior. Se o feedback sobre o desempenho não for feito em tempo hábil, os gestores provavelmente não conseguirão identificar ou eliminar os entraves e problemas e evitar prejuízos mais graves.

  1. 2010 - Banco da Amazônia - Técnico Científico

    Com a mudança constante dos cenários econômicos no mundo, inclusive no Brasil, surgem alguns fatores negativos sobre os quais deverá se concentrar a atenção dos administradores. Questões como reduzido crescimento econômico, globalização, regulamentação governamental, inflação, escassez de alguns recursos, alto custo do petróleo e protecionismo internacional deverão alertar as organizações para a utilização e o aperfeiçoamento dos mecanismos de planejamento que fomentem a flexibilidade e adaptações da organização.

Enquanto projetar o futuro é um processo que envolve decidir como agir com base no que está ocorrendo no ambiente imediato e no futuro próximo, planejar é a tradução dessa decisão em ações gerenciáveis. A projeção futura e o planejamento devem encontrar-se no ponto em que seja possível divisar uma estratégia de ação e traduzila em uma meta ou alvo.

Item certo.

Kotler (1975) leciona que, “enquanto projetar o futuro é um processo que envolve decidir como agir com base no que está ocorrendo no ambiente imediato e no futuro próximo, planejar é a tradução dessa decisão em ações gerenciáveis”. A impossibilidade de se fazer um planejamento para um futuro que se mostra confuso e ambíguo não deve gerar sentimentos de frustração ou impotência. Deve-se, isto sim, desenvolver as qualificações e a disciplina para interpretar continuamente esse futuro em termos de ações e iniciativas estratégicas, e assim usar as habilidades de planejar para concretizar planos coerentes. Pode-se sintetizar as orientações seguidas no planejamento e na projeção do futuro da seguinte forma: a projeção futura e o planejamento devem encontrar-se no ponto em que seja possível divisar uma estratégia de ação e traduzi-la numa meta ou alvo. Nesse sentido, o planejamento torna-se o resultado tático da projeção do futuro, mas não se espera que ele resolva o quebra-cabeça estratégico para a empresa; trata-se de um quebra-cabeça dinâmico, cujas peças são encaixadas a cada dia, a cada mês e ano, e não montadas de uma só vez, na elaboração do chamado plano.

  1. 2008 - STF - Analista Judiciário - Área Administrativa

    As funções administrativas, quando consideradas um todo integrado, formam o processo administrativo. O planejamento, a primeira dessas funções, define os objetivos e os planos para alcançá-los. Os orçamentos são os planos relacionados com os recursos financeiros a serem obtidos e utilizados.

Item certo.

Segundo Chiavenato, as funções administrativas, quando consideradas um todo integrado, formam o processo administrativo. Quando analisadas em seperadas, são chamadas de funções administrativas ou funções do administrador.

Ainda, o mesmo autor explica que orçamentos (também denominados budgets) são planos operacionais relacionados com dinheiro por um determinado período de tempo.

  1. 2012 - TJ-RO - Analista Judiciário – Administração

    As funções clássicas do administrador incluem planejamento, organização, comando e controle.

Item certo.

Em síntese, Chiavenato explica que Fayol foi o primeiro a definir as funções básicas do Administrador: planejar, organizar, coordenar, comandar e controlar - POCCC. Atualmente, sobretudo com as contribuições da Abordagem Neoclássica da Administração, em que um dos maiores nomes é Peter Drucker, os princípios foram retrabalhados e são conhecidos como Planejar, Organizar, Dirigir (ou comandar) e Controlar (PODC).

  1. 2012 - TJ-RO - Analista Judiciário - Administração

O monitoramento do progresso de uma atividade e a implementação das mudanças necessárias à sua efetivação relacionam-se à função denominada controlar.

Item certo.

Segundo Tenório (1997), “Controle é a função que compara as ações planejadas com os resultados obtidos. A partir dessa análise é possível dar início a eventuais correções nos rumos definidos pela organização”.

Ainda, Chiavenato (1999) leciona que “a essência do controle reside na verificação, se a atividade controlada está ou não alcançando os objetivos ou recursos desejados”.

Por fim, Silva (2007) afirma que controle “é o processo administrativo que consiste em verificar se tudo esta sendo feito de acordo com o que foi planejado e as ordens dadas, bem como assinalar as faltas e os erros, a fim de repará-los e evitar sua repetição”.

  1. 2006 - ANCINE - Analista Administrativo

    Em relação a organização para a administração, julgue o item a seguir.

As funções devem ser distribuídas de forma a assegurar equilíbrio na organização e evitar: duplicidade, omissão de funções essenciais e supervalorização de funções secundárias.

Item certo.

Segundo Silva (2001), são as seguintes as normas básicas para o planejamento de uma estrutura organizacional:

a) A organização dever ser estruturada segundo seus objetivos e não em funções das pessoas ou grupos que a integram;

b) As funções devem se distribuídas de forma a assegurar equilíbrio da organização e a evitar: duplicidade, omissão de funções essenciais e supervalorização de funções secundárias;

c) Deve-se definir a competência de cada chefia, de maneira a facilitar a solução rápida dos problemas urgentes;

d) A delegação de responsabilidades deve ser acompanhada de autoridade necessária para cumpri-la;

e) A autoridade deve ser delegada de forma a que possa exercer-se no local de operação, e de forma que se possam, sempre que necessário, coordenar e resolver os problemas nos níveis inferiores da organização;

f) A estrutura da organização deve ser suficientemente flexível para permitir adaptações novas e condições novas. Nos projetos de organização deve-se prever a possibilidade de expansão ou redução;

g) Cada chefia deve ter um limite máximo de subordinados diretos;

h) Nenhum empregado deve estar subordinado a mais de uma chefia; e

i) Devem limitar-se os níveis hierárquicos, pois quanto mais numerosos são estes, maior é a “cadeia de comando” e, consequentemente, a burocracia e a demora no cumprimento das ordens dadas.

  1. 2012 - MPE-PI - Técnico Ministerial - Área Administrativa

    Julgue o item que se segue, relativo a funções administrativas e ambiente organizacional.

Uma das funções básicas da administração é a organização ou estruturação, que consiste na reunião e coordenação de atividades e de recursos necessários para o alcance dos objetivos organizacionais.

Item certo.

Chiavenato descreve a organização como a função administrativa através da qual são reunidos os recursos necessários e definidas as atividades para execução do que foi planejado.

  1. 2012 - MPE-PI - Técnico Ministerial - Área Administrativa

    No processo de tomada de decisões e de realização de ações, entre os aspectos mais importantes da administração encontram-se o planejamento, a organização, a direção e o controle.

Item certo.

Segundo síntese de CHURCHMAN (1972), as práticas correntes de tomadas de decisões são uma dinâmica dos responsáveis pela organização, envolvendo as relações acerca do controle, organização, planejamento e direção, que serão utilizados para que as empresas alcancem os resultados esperados.

  1. 2010 - ABIN - AGENTE TÉCNICO DE INTELIGÊNCIA - ÁREA DE ADMINISTRAÇÃO

    A delegação de autoridade, vinculada aos níveis hierárquicos de uma instituição, independe do tipo de estrutura organizacional centralizada ou descentralizada.

Item certo.

Em síntese, Chiavenato explica que delegação pode ser definida como a transferência de autoridade e responsabilidade de uma pessoa para outra, para a execução de atividades específicas. O grau que a autoridade é delegada determina o grau de centralização ou descentralização. A centralização implica delegação menor de autoridade, ao passo que a descentralização diz respeito à liberação de grandes amplitudes de autoridade. O grau de descentralização implantado em uma organização, reflete sua filosofia gerencial.

  1. 2010 - ABIN - AGENTE TÉCNICO DE INTELIGÊNCIA - ÁREA DE ADMINISTRAÇÃO

    A descentralização atinge, geralmente, diversos níveis hierárquicos, ao passo que a delegação restringe-se a um único nível.

Item certo.

Em síntese, Chiavenato conceitua delegação como a transferência de autoridade e responsabilidade de uma pessoa para outra, para a execução de atividades específicas, enquanto descentralização é a menor concentração do poder decisório na alta administração da empresa, sendo, portanto, mais distribuído por seus diversos níveis hierárquicos.

Observe as diferenças entre os 2 conceitos (Chiavenato):

Descentralização:

  • Ligada ao cargo

  • Atinge vários níveis

  • Caráter mais formal

  • Menor pessoalidade

  • Mais estável no tempo

Delegação:

  • Ligada à pessoa

  • Atinge um nível hierárquico

  • Caráter mais informal

  • Maios pessoalidade

  • Menos estável no tempo

  1. 2010 - ABIN - AGENTE TÉCNICO DE INTELIGÊNCIA - ÁREA DE ADMINISTRAÇÃO

    Considera-se descentralizada a estrutura organizacional com pouca distribuição de poder, tipo de estrutura que beneficia os níveis hierárquicos mais baixos.

Item errado.

Chiavenato leciona que descentralização significa maior distribuição de poder e que a autoridade para decidir está dispersa nos níveis organizacionais mais baixos.

  1. 2010 - ABIN - AGENTE TÉCNICO DE INTELIGÊNCIA - ÁREA DE ADMINISTRAÇÃO

    A responsabilidade, definida como o direito de dar ordens ao ocupante de cargo administrativo, objetiva a execução correta do trabalho.

Item errado.

Segundo Chiavenato, autoridade é direito formal e legitimo de tomar decisões, dar ordens e alocar recursos para alcançar objetivos organizacionais desejados.

Ainda, segundo o mesmo autor, responsabilidade é o dever de executar a tarefa ou atividade atribuída a um funcionário.

Portanto, o item trouxe o conceito de autoridade.

  1. 2010 - ABIN - AGENTE TÉCNICO DE INTELIGÊNCIA - ÁREA DE ADMINISTRAÇÃO

    A determinação de uma linha clara de autoridade na estrutura organizacional é necessária para que a delegação de autoridade seja executada sem conflitos hierárquicos.

Item certo.

Segundo Silva (1996), estabelecer uma linha clara de autoridade, indo do nível mais alto ao nível mais baixo, é a regra conhecida como princípio escalar, que ajuda os membros da organização a compreender para quem podem delegar, quem pode delegar para eles, e a quem devem prestar contas.

  1. 2010 - ABIN - AGENTE TÉCNICO DE INTELIGÊNCIA - ÁREA DE ADMINISTRAÇÃO

    As organizações modernas têm como objetivo fundamental o alcance de resultados predeterminados, razão pela qual, nessas instituições, as atividades devem ser organizadas e agrupadas.

Item certo.

Conforme Chiavenato, a administração se refere ao agrupamento e aplicação de recursos organizacionais – humanos, materiais, financeiros, informação e tecnologia – para alcançar objetivos e atingir desempenho excepcional. Administração é o processo de planejar, organizar, dirigir e controlar a aplicação dos recursos organizacionais para alcançar determinados objetivos de maneira eficiente e eficaz.

  1. 2010 - ABIN - AGENTE TÉCNICO DE INTELIGÊNCIA - ÁREA DE ADMINISTRAÇÃO

    A departamentalização matricial, por meio da qual se unem a estrutura funcional e a de projeto, é necessária em razão de as instituições terem, atualmente, filiais em diversas cidades ou países.

Item errado.

Segundo Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira, departamentalização é o agrupamento, de acordo com um critério específico de homogeneidade, das atividades e correspondente recursos (humanos, financeiros, materiais e equipamentos) em unidades organizacionais.

A departamentalização geográfica ou territorial é o agrupamento de atividades de acordo com os lugares onde estão localizadas as operações.

A departamentalização matricial é um tipo híbrido, no qual equipes compostas por pessoas de diversas especialidades, são reunidas com o objetivo de realizar tarefas com características temporárias, geralmente oriundas da junção da departamentalização funcional com a de projetos.

Assim, a razão da necessidade de as instituições terem, atualmente, filiais em diversas cidades ou países, caracteriza a departamentalização geográfica ou territorial, não a matricial.

  1. 2010 - ABIN - AGENTE TÉCNICO DE INTELIGÊNCIA - ÁREA DE ADMINISTRAÇÃO

    O sistema de autoridades, um dos componentes da estrutura organizacional de uma instituição, é resultado da distribuição hierárquica do poder.

Item certo.

Segundo Peter Drucker, são os seguintes os componentes da estrutura organizacional:

  • Sistema de responsabilidade, constituído por:

- Departamentalização;

- Linha e assessoria; e

- Especialização do trabalho.

  • Sistema de autoridade, constituído por:

- Amplitude administrativa ou de controle;

- Níveis hierárquicos;

- Delegação; e

- Centralização/descentralização.

  • Sistema de comunicações (Resultado da interação das unidades organizacionais), constituído por:

- O que;

- Como;

- Quando;

- De quem; e

- Para quem.

  • Sistema de decisão – o resultado da ação sobre as informações, constituído por:

- Análise das atividades;

- Análise das decisões; e

- Análise das relações.

  1. 2010 - ABIN - AGENTE TÉCNICO DE INTELIGÊNCIA - ÁREA DE ADMINISTRAÇÃO

    Nas organizações modernas, as redes sociais e pessoais, fundamentais para a estrutura organizacional, integram a sua estrutura informal, e a concorrência com a estrutura formal é identificada como fator favorável à melhoria do desempenho da organização.

Item errado.

Chiavenato afirma que uma das características da organização informal - redes sociais ou pessoais - é a possibilidade de oposição à organização formal. Ele afirma que a organização informal pode se desenvolver em oposição à organização formal e em desarmonia com os objetivos da empresa quando há inabilidade da direção em propiciar um clima adequado de boas relações humanas com o pessoal.

  1. 2010 - MPU - Técnico Administrativo

    O enfraquecimento da especialização constitui uma desvantagem da departamentalização geográfica.

Item certo.

Segundo Chiavenato, uma das desvantagens da departamentalização geográfica é o fato de a preocupação estritamente territorial concentrar-se mais nos aspectos mercadológicos e de produção, quase não requererendo especialização, tornando secundários as outras áreas da empresa.

  1. 2010 - MPU - Técnico Administrativo

    A departamentalização por clientes atende de forma mais apropriada a organização cujos objetivos principais sejam o lucro e a produtividade.

Item errado.

Conforme Chiavenato, na departamentalização por clientes, os demais objetivos da organização (como lucratividade, produtividade, eficiência, etc) podem ser deixados de lado ou sacrificados em função da satisfação do cliente.

  1. 2010 - MPU - Técnico Administrativo

    De acordo com um dos princípios da departamentalização, as atividades de controle devem estar separadas das que serão objeto de controle.

Item certo.

Segundo Chiavenato, são 4 (quatro) os princípios da departamentalização:

a) Princípio de maior uso: o departamento que utiliza mais uma atividade deve tê-la sob sua jurisdição;

b) Princípio de maior interesse: o departamento que mais interesse tiver sob uma atividade deve supervisioná-la, porque se torna proficiente nela;

c) Princípio de separação do controle: as atividades de controle devem ser autônomas, independentes e separadas das atividades que estão sendo controladas;

d) Princípio da supressão da concorrência: deve-se eliminar a concorrência entre departamentos, agrupando atividades diversas em um só departamento, embora, em certos casos, a rivalidade interdepartamental seja salutar, quando cria uma competição leal e sadia.

  1. 2010 - MPU - Técnico Administrativo

    A departamentalização por processos favorece a rápida adaptação da empresa às mudanças organizacionais.

Item errado.

Segundo Oscar Guimarães Neto, a departamentalização por processos é utilizada nas empresas industriais aos níveis mais baixos da estrutura organizacional das áreas produtivas ou de operações. Esta estratégia representa a influência pura da tecnologia utilizada pela empresa em sua estrutura organizacional. É o que ocorre nos centros de processamentos de dados, onde as instalações são demasiado onerosas e complexas, o arranjo físico das máquinas e os equipamentos definem o agrupamento de pessoas e de materiais para processar as operações.

Suas vantagens:

A vantagem deste tipo de departamentalização é extrair vantagens econômicas oferecidas pela própria natureza do equipamento ou da tecnologia. A tecnologia passa a ser o foco e o ponto de referência para o agrupamento de unidades e posições.

Suas desvantagens:

Quando a tecnologia utilizada sofre mudanças e desenvolvimento revolucionários, a ponto de alterar profundamente o processo, este tipo de departamentalização peca pela absoluta falta de flexibilidade e da adaptação.

  1. 2010 - MPU - Técnico Administrativo

    A departamentalização funcional é adequada para o desenvolvimento de atividades continuadas e rotineiras em que sejam utilizados recursos especializados.

Item certo.

Segundo Chiavenato, a departamentalização funcional consiste no agrupamento das atividades e tarefas de acordo com as funções principais desenvolvidas dentro da empresa. As unidades são formadas por especialistas de um mesmo assunto, ou função. Por exemplo, setor financeiro, setor de vendas, setor de compras. Cada departamento exerce uma função típica dos elementos que o compõe.

O autor afirma que esse é o critério mais utilizado para organizar atividades empresariais, sendo adequado para ambientes estáveis, de poucas mudanças e que requeiram desempenho continuado de tarefas rotineiras. Contudo, não é adequada para ambientes instáveis, pois possui pouca flexibilidade.

  1. 2010 - MPU - Técnico Administrativo

    A departamentalização por produto permite uma visão única acerca da organização e o controle eficaz sobre seu conjunto.

Item errado.

Chiavenato explica que a departamentalização por produtos separa a estrutura organizacional em unidades na base de produtos,
projetos ou programas desenvolvidos pelas organizações que apresentam um ciclo de vida longo, como no caso das indústrias automobilísticas.
Na divisão por podutos, é difícil ver a organização como um todo porque cada divisão defende o seu próprio produto e os seus próprios objetivos divisionais.

  1. 2010 - MPU - Técnico Administrativo

    A organização estruturada de forma simples e centralizada em torno de uma autoridade máxima adota estrutura funcional.

Item errado.

Segundo Chiavenato, a característica de estrutura baseada na autoridade máxima refere-se ao modelo linear, não funcional.

Em síntese de Chiavenato, seguem as características das estruturas lineares e funcionais:

Estrutura Linear

  • Comum em empresas pequenas, onde não há diversificação do trabalho. Pouca especialização e trabalhos menos complexos.

  • Baseada na estrutura dos antigos. Total autoridade do chefe. Rígida unidade de comando.

  • Todos os órgãos são estruturados sob uma única linha de subordinação. Há centralização das decisões. As linhas formais de comunicação, geralmente com fluxo descendente. Cada unidade de trabalho executa tarefas especificas e bem definidas. Corresponde a uma estrutura simples.

Vantagens:

  • Autoridade única.

  • Indicado para pequenas empresas.

  • Mais simples e econômicas.

  • Facilita a unidade de mando e disciplina (disciplina rígida).

  • Clara delimitação de responsabilidade e autoridade.

Desvantagens:

  • Tendência burocratizante.

  • Diminui o poder de controle técnico.

  • Comando único e direto, com menor cooperação das pessoas.

  • Comunicação demorada e com distorções.

  • Sobrecarrega a direção e as chefias.

  • Não favorece o espírito de cooperação e equipe.

Estrutura Funcional

  • É aquela em que se encontra uma chefia para cada função, de modo que os subalternos exerçam mais de uma função, ficando sob o mando de mais de um chefe.

  • Organiza-se segundo os tipos de recursos técnicos utilizados.

  • Objetivos são a longo prazo.

  • Necessidade básica é a especialização.

  • A organização se divide segundo diferentes funções, como: produção, finanças, recursos humanos, marketing etc.

  • Todos os níveis de execução se subordinam funcionalmente aos seus correspondentes níveis de comando funcional.

Vantagens:

  • Promove o aperfeiçoamento.

  • Facilita a especialização, nos escalões hierárquicos superiores.

  • Facilita o trabalho em equipe (formação de equipes).

  • Dá maior flexibilidade de adaptação à empresa.

  • O especialista sente-se mais valorizado.

Desvantagens:

  • Muitas chefias, causando confusão.

  • Não há unidade de mando, o que dificulta a disciplina.

  • É mais dispendiosa.

  • Confusão quanto aos objetivos.

  • Aumento do conflito inter-funcional.

  1. 2010 - MPU - Técnico Administrativo

    A estrutura matricial é indicada para organizações que lidam com projetos específicos.

Item certo.

Segundo Djalma de Pinho Rebouças de Oliveira, a Departamentalização Matricial refere-se à fusão entre a estrutura funcional e a estrutura por projetos, e as principais vantagens de estrutura matricial são:

  • Possibilidade de maior aprimoramento técnico de sua equipe de trabalho;

  • Coordenação da equipe de forma mais adequada e coerente;

  • Maior desenvolvimento da capacitação profissional;

  • Maior especialização nas atividades desenvolvidas;

  • Uso adequado dos vários recursos;

  • Maior cumprimento de prazos e do orçamento; e

  • Melhor atendimento aos clientes de projeto.

  1. 2010 - MPU - Técnico Administrativo

    Os órgãos de assessoria da organização em estrutura linha-staff exercem autoridade de linha sobre os colaboradores dos demais setores, com o intuito de alcançar os objetivos organizacionais.

Item errado.

Segundo Chiavenatto, os órgãos de staff têm a função de complementar e apoiar os órgãos de linha para que eles trabalhem melhor. Um departamento de staff é o responsável pela assessoria e consultoria interna dentro da organização.

  1. 2010 - MPU - Técnico Administrativo

    Chefias generalistas, estabilidade e constância nas relações são características próprias da estrutura organizacional linear.

Item certo.

Segundo Chiavenato, a organização linear apresenta, dentre outras características:

1. Estabilidade e constância das relações formais: podem levar à rigidez e à inflexibilidade da organização linear, dificultando a inovação e a adaptação da organização a novas situações ou condições externas. Como as relações formais não mudam, a tendência para a manutenção do status quo e para o continuismo é inevitável. A organização linear não responde às mudanças rápidas e constantes da sociedade moderna); e

2. Unidade de comando, que torna o chefe um generalista (não se especializa em nada): além da excessiva ênfase na chefia, a organização linear impede a especialização, pois acumula os chefes com todos os assuntos possíveis dentro da organização. De tudo o chefe tem de tomar conhecimento. Ele assume todos os assuntos principais e secundários de sua área.

  1. 2010 - INCA - Assistente em Ciência e Tecnologia - Apoio Técnico Administrativo

    A orientação rápida para as exceções deve ser uma prática adotada em um hospital que procure ser efetivo em seu processo de controle.

Item certo.

Segundo Chiavenato, um sistema efetivo de controle precisa reunir alguns aspectos, dentre eles:

Orientação estratégica para resultados (o controle deve apoiar planos estratégicos e focalizar as atividades essenciais que fazem a real diferença para a organização);

Compreensão (o controle deve apoiar o processo de tomada de decisões apresentando dado em termos compreensíveis);

Orientação rápida para as exceções (o controle deve indicar os desvios rapidamente, através de uma visão panorâmica sobre onde as variações estão ocorrendo e o que deve ser feito para corrigi-las adequadamente);

Flexibilidade (o controle deve proporcionar um julgamento individual e que possa ser modificado para adaptar-se a novas circunstâncias e situações);

Autocontrole (o controle deve proporcionar confiabilidade, boa comunicação e participação entre as pessoas envolvidas)

Natureza positiva (o controle deve enfatizar o desenvolvimento, mudança e melhoria, devendo alavancar a iniciativa das pessoas e minimizando o papel da penalidade e das punições); e

Clareza e objetividade (o controle deve ser imparcial e acurado para todos, devendo ser respeitado como um propósito fundamental que é a melhoria do desempenho).

  1. 2010 - INCA - Assistente em Ciência e Tecnologia - Apoio Técnico Administrativo

    Se um diretor de hospital tem como prática enfatizar recompensas salariais, sociais e simbólicas aos funcionários, ele adota o sistema autoritário coercitivo, segundo Likert.

Item errado.

Likert propõe uma classificação de sistemas de Administração, definindo quatro perfis organizacionais:

Sistema 1 - Autoritário – coercitivo:

  • Impõe regras e regulamentos;

  • Sistema fechado, duro e arbitrário;

  • Decisões monopolizadas;

  • Impede a liberdade/desconfiança;

  • Motivação negativa, utiliza punições e castigos;

  • Impõe intimidação e medo.

    Sistema 2 - Autoritário – Benevolente:

  • Menos coercitivo e fechado;

  • Fluxo vertical de informação;

  • Permite algum relacionamento;

  • Permite delegação sujeitas a confirmação;

  • Ainda existe desconfiança entre as pessoas;

  • utiliza punições e castigos.

    Sistema 3 - Consultivo:

  • Descentralização e delegação das decisões;

  • Confiança nas pessoas;

  • Trabalho em grupos e equipes ocasionalmente;

  • Comunicação intensa e fluxo vertical;

  • Utiliza mais recompensas materiais e ocasionalmente sociais e poucas punições.

    Sistema 4 – Participativo:

  • Sistema aberto e democrático;

  • Total descentralização e delegação;

  • Controle dos resultados por parte da cúpula;

  • Comunicações verticais e horizontais;

  • Utiliza mais recompensas salariais, sociais ou simbólicas, e menos punições.

Portanto, se um diretor de hospital tem como prática enfatizar recompensas salariais, sociais e simbólicas aos funcionários, ele adota o sistema Consultivo ou Participativo.

  1. 2010 - INCA - Assistente em Ciência e Tecnologia - Apoio Técnico Administrativo

    Ao assumir a direção do novo setor de cadastro do sistema único de saúde (SUS), o diretor propôs uma redistribuição de funções de modo a dar mais autoridade aos supervisores e capacidade de cobrança dos resultados a serem obtidos por cada área. Posteriormente, determinou que todos os funcionários deviam atuar em todas as atividades, sem distinções, não havendo mais funcionário com apenas uma atribuição. Alguns dos colaboradores do setor estão envolvidos em um projeto de implantação de um novo sistema de controle de prontuários médicos, desenvolvendo seus trabalhos em outro prédio, e subordinados ao gerente desse projeto, que é de outro setor.

No contexto da mudança no sistema de controle de prontuário, a departamentalização por processos não seria suficientemente flexível para recepcionar a mudança acarretada.

Item certo.

Segundo Chiavenato (2000), a departamentalização por processo é utilizada nas empresas industriais nos níveis mais baixos da estrutura organizacional das áreas produtivas ou de operações. A diferenciação e o agrupamento se fazem por meio de seqüência do processo produtivo ou operacional ou, ainda, por meio do arranjo e disposição racional do equipamento utilizado.

Assim, a proposta de mudança do diretor, ao determinar que todos os funcionários devem atuar em todas as atividades, sem distinção, vai de encontro à estrutura por processos.

  1. 2010 - INCA - Assistente em Ciência e Tecnologia - Apoio Técnico Administrativo

    Ao assumir a direção do novo setor de cadastro do sistema único de saúde (SUS), o diretor propôs uma redistribuição de funções de modo a dar mais autoridade aos supervisores e capacidade de cobrança dos resultados a serem obtidos por cada área. Posteriormente, determinou que todos os funcionários deviam atuar em todas as atividades, sem distinções, não havendo mais funcionário com apenas uma atribuição. Alguns dos colaboradores do setor estão envolvidos em um projeto de implantação de um novo sistema de controle de prontuários médicos, desenvolvendo seus trabalhos em outro prédio, e subordinados ao gerente desse projeto, que é de outro setor.

A departamentalização funcional é a mais indicada para as mudanças programadas pelo diretor.

Item errado.

Segundo Chiavenato, as características, vantagens e desvantagens da estrutura funcional são:

Estrutura Funcional

  • É aquela em que se encontra uma chefia para cada função, de modo que os subalternos exerçam mais de uma função, ficando sob o mando de mais de um chefe.

  • Organiza-se segundo os tipos de recursos técnicos utilizados.

  • Objetivos são a longo prazo.

  • Necessidade básica é a especialização.

  • A organização se divide segundo diferentes funções, como: produção, finanças, recursos humanos, marketing etc.

  • Todos os níveis de execução se subordinam funcionalmente aos seus correspondentes níveis de comando funcional.

Vantagens:

  • Promove o aperfeiçoamento.

  • Facilita a especialização, nos escalões hierárquicos superiores.

  • Facilita o trabalho em equipe (formação de equipes).

  • Dá maior flexibilidade de adaptação à empresa.

  • O especialista sente-se mais valorizado.

Desvantagens:

  • Muitas chefias, causando confusão.

  • Não há unidade de mando, o que dificulta a disciplina.

  • É mais dispendiosa.

  • Confusão quanto aos objetivos.

  • Aumento do conflito inter-funcional.

  1. 2010 - INCA - Assistente em Ciência e Tecnologia - Apoio Técnico Administrativo

    Ao assumir a direção do novo setor de cadastro do sistema único de saúde (SUS), o diretor propôs uma redistribuição de funções de modo a dar mais autoridade aos supervisores e capacidade de cobrança dos resultados a serem obtidos por cada área. Posteriormente, determinou que todos os funcionários deviam atuar em todas as atividades, sem distinções, não havendo mais funcionário com apenas uma atribuição. Alguns dos colaboradores do setor estão envolvidos em um projeto de implantação de um novo sistema de controle de prontuários médicos, desenvolvendo seus trabalhos em outro prédio, e subordinados ao gerente desse projeto, que é de outro setor.

Ao evitar a especialização, o diretor assegura a isonomia entre os funcionários, uma das características da organização formal.

Item errado.

Os grupos formais, segundo Chiavenato (2005), são estabelecidos pela organização, que atribui tarefas específicas a eles. Esse tipo de grupo tem como finalidade alcançar os objetivos organizacionais.

Já os grupos informais, como explica Chiavenato (2005), surgem espontaneamente graças as relações de interação entre as pessoas. Sua natureza é tipicamente social. Ocorrem naturalmente no ambiente de trabalho em resposta a necessidade de contato social.

  1. 2010 - INCA - Assistente em Ciência e Tecnologia - Apoio Técnico Administrativo

    Ao assumir a direção do novo setor de cadastro do sistema único de saúde (SUS), o diretor propôs uma redistribuição de funções de modo a dar mais autoridade aos supervisores e capacidade de cobrança dos resultados a serem obtidos por cada área. Posteriormente, determinou que todos os funcionários deviam atuar em todas as atividades, sem distinções, não havendo mais funcionário com apenas uma atribuição. Alguns dos colaboradores do setor estão envolvidos em um projeto de implantação de um novo sistema de controle de prontuários médicos, desenvolvendo seus trabalhos em outro prédio, e subordinados ao gerente desse projeto, que é de outro setor.

O diretor em questão está atento a uma das principais características de uma organização formal, já que se preocupou com a distribuição da autoridade e a responsabilidade do seu setor.

Item certo.

Segundo Chiavenato, a hierarquia na organização formal representa a autoridade e a responsabilidade em cada nível da estrutura. Por toda a organização, existem pessoas cumprindo ordens de outras situadas em níveis mais elevados, o que denota suas posições relativas, bem como o grau de autoridade em relação às demais. A autoridade é, pois, o fundamento da responsabilidade, dentro da organização formal, ela deve ser delimitada explicitamente. De um modo geral, a generalidade do direito de comandar diminui à medida que se vai do alto para baixo na estrutura hierárquica.

  1. 2008 - INSS - Técnico do Seguro Social

    Para que sejam efetivas, as funções administrativas de planejamento, direção, organização e controle devem ser impessoais.

Item errado.

Segundo leciona Chiavenato, enquanto as funções administrativas - planejamento, organização e controle – são impessoais, a direção constitui um processo interpessoal que define as relações entre indivíduos. A direção está relacionada diretamente com a atuação sobre as pessoas da organização.

  1. 2009 - MEC - Agente Administrativo

    O gestor que busca sucesso no relacionamento com seus colaboradores deve levar em conta as organizações informais existentes no âmbito de sua organização e usá-las como meio de comunicação, coesão e proteção da integridade individual.

Item certo.

Segundo Idalberto Chiavenato, dá-se o nome de organização formal à estrutura de relações profissionais entre pessoas, planejada no sentido de facilitar a realização dos objetivos globais da organização. A organização formal é a organização oficialmente adotada e é geralmente caracterizada pelo organograma e pelos manuais de organização.

As organizações, apesar de sua natureza lógica e racional, não são entidades totalmente mecânicas. Elas são dotadas de pessoas que, embora ocupem posições dentro da organização formal e realizem o trabalho através da tecnologia, desenvolvimento o que chamamos de organização informal.

Assim, o desafio para a administrador é conciliar a harmonizar as características desses dois fenômenos, ou seja, adequar o perfil da organização formal e da organização informal para obter efeito de sinergia e eliminar qualquer tipo de dissonância entre ambas.

  1. 2005 - TRE-MT - Técnico Judiciário - Área Administrativa

    A Sports & Shoes tornou-se uma grande empresa graças ao desenho e à produção de calçados personalizados para atletas profissionais. A Sports & Shoes decidiu ampliar a sua atuação, produzindo calçados para atletas amadores também. Atualmente, a empresa produz calçados, roupas, equipamentos de proteção, entre outros, para atletas profissionais, para atletas de fim de semana e para os times.

Nessa situação hipotética, a empresa Sports & Shoes utiliza departamentalização por cliente.

Item certo.

Conforme Chiavenato, a departamentalização por cliente é adotada pela organização que faz uma abordagem divisional, ou seja, envolve a diferenciação e o agrupamento das atividades de acordo com o tipo de cliente ou mercado para quem o produto ou serviço é realizado.

As diferentes características e necessidades dos clientes, como idade, nível sócio-econômico e hábitos de compra, constituem a base para essa estrutura onde a ênfase é no consumidor do produto ou serviço oferecido pela organização, para que este seja atendido da melhor forma possível. O produto ou serviço deve ser adaptado e ajustado ao cliente e às suas necessidades.

  1. CESPE - 2010 - MPU - Técnico Administrativo

    Paulo, novo diretor de uma organização pública, pretende desenvolver um sistema de controle capaz de apontar erros cometidos durante a execução dos serviços. Para a consecução de seu objetivo, definiu novas formas de controle com base em informações que coletou pessoalmente, ao interagir com colaboradores de todos os setores da instituição, sem se restringir aos métodos tradicionais de obtenção de dados.

O sistema que Paulo pretende desenvolver apresenta uma das principais características de um sistema de controle efetivo: a instantaneidade.

Item certo.

O controle, presente em maior ou menor grau nas empresas, pode ser definido, consoante Chiavenato (2003), como “a função administrativa que consiste em medir o desempenho a fim de assegurar que os objetivos organizacionais e os planos estabelecidos sejam realizados”.

O controle necessita ter como características fatores que possibilitem em momentos precisos introdução de medidas a viabilizar a realização do que foi planejado, organizado e dirigido, para o alcance dos objetivos almejados pela organização.

Nesse sentido, Adelfino Teixeira da Silva (1980) cita como características:

Maleabilidade – Possibilitar a introdução de mudanças decorrentes de alterações nos planos e nas ordens;

Instantaneidade - Acusar o mais depressa possível as faltas e os erros verificados;

Correção - Permitir a reparação das faltas e dos erros, evitando-se a sua repetição.

  1. CESPE - 2010 - MPU - Técnico Administrativo

    Paulo, novo diretor de uma organização pública, pretende desenvolver um sistema de controle capaz de apontar erros cometidos durante a execução dos serviços. Para a consecução de seu objetivo, definiu novas formas de controle com base em informações que coletou pessoalmente, ao interagir com colaboradores de todos os setores da instituição, sem se restringir aos métodos tradicionais de obtenção de dados.

A concepção de uma nova política de controle constitui ação de planejamento no nível operacional.

Item errado.

Chiavenato (2004) e Maximiano (2005) dividem o processo de controle organizacional em três níveis, a saber:

Controle estratégico: implementado a nível institucional abordando a organização como um todo. Esse controle tem duas finalidades: acompanhar e avaliar o desempenho da organização na realização de sua missão e acompanhar os fatores externos que influenciam suas tomadas de decisão. Para Maximiano, o controle estratégico define a missão e o desempenho desejado com base na análise interna do ambiente (a própria organização) e na análise externa (o meio que a circunda);

• Controle administrativo ou tático: focado nas áreas funcionais da organização, ou seja, nos departamentos. É aplicado, assim, a nível intermediário ou departamental, possibilitando a tomada de decisão e um melhor acompanhamento e avaliação em cada um dos setores. É menos genérico e mais detalhado do que o controle estratégico;

• Controle operacional: voltado às atividades em qualquer área funcional e aos recursos utilizados em sua realização. É direcionado a curto prazo e cada operação em separado.

Portanto, uma nova política de controle abrangerá toda a organização; logo, o nível de controle será estratégico.

  1. CESPE - 2010 - MPU - Técnico Administrativo

    Paulo, novo diretor de uma organização pública, pretende desenvolver um sistema de controle capaz de apontar erros cometidos durante a execução dos serviços. Para a consecução de seu objetivo, definiu novas formas de controle com base em informações que coletou pessoalmente, ao interagir com colaboradores de todos os setores da instituição, sem se restringir aos métodos tradicionais de obtenção de dados.

A definição de novas formas de controle resulta do processo de planejamento.

Item certo.

Segundo Chiavenato (2006), o planejamento melhora o controle. O controle administrativo envolve medição e avaliação dos resultados do desempenho e a tomada de ação corretiva para melhorar as coisas quando necessário. O planejamento ajuda a tornar isso possível através da definição dos objetivos - resultados de desempenho desejados - e identificação das ações específicas por meio das quais eles devem ser perseguidos. Se os resultados estiverem abaixo do esperado, os objetivos ou os planos de ação, ou ambos, devem ser ajustados ao processo de controle.

  1. 2004 - TRE-AL - Técnico Judiciário - Área Administrativa

    O controle burocrático é típico de organizações centralizadas e de estrutura funcional com muitos cargos de chefia.

Item certo.

Segundo Gomes e Salas (2001), os controles burocráticos estão baseados em normas e regulamentos bastante rígidos, estes sistemas de controle adotam a estrutura funcional com grande número de cargos de chefia, distribuídos hierarquicamente, mas com muito pouco grau de autonomia. Por esta razão, não é de estranhar a ênfase atribuída aos mecanismos formais e à sofisticação dos sistemas de controle financeiro, totalmente baseados em medidas contábeis e muito poucos instrumentos gerenciais.

  1. 2004 - TRE-AL - Técnico Judiciário - Área Administrativa

    A departamentalização ligada a produtos facilita a coordenação entre os departamentos da organização.

Item certo.

Conforme Chiavenato (2004), a departamentalização por produtos facilita a coordenação interdepartamental, uma vez que a preocupação básica é o produto e as diversas atividades departamentais tornam-se secundárias e precisam sujeitar-se ao objetivo principal que é o produto.

  1. 2011 - EBC - Analista – Administração

    A existência de processo organizacional análogo em empresa do mesmo ramo de atividade é condição sine qua non, ou seja, indispensável, para que se possa realizar benchmarking em uma organização.

Item errado.

Benchmarking, segundo Robbins (2000), consiste na prática de comparação, através de parâmetros mensuráveis, visando avaliar o desempenho de um processo da empresa com um processo semelhante de outra organização.

Spendolini (1994) conceitua benchmarking como “um processo contínuo e sistemático para avaliar produtos, serviços e processos de trabalho de organizações que são reconhecidas como representantes das melhores práticas, com a finalidade de melhoria organizacional”.

Logo, não há a necessidade de as organizações em comparação pertencerem ao mesmo ramo de atividade.

  1. 2009 - ANATEL - Analista Administrativo – Administração

    A expressão benchmarking pode ser definida como a reformulação da maneira de condução dos negócios de uma organização.

Item errado.

Benchmarking, segundo Robbins (2000), consiste na prática de comparação, através de parâmetros mensuráveis, visando avaliar o desempenho de um processo da empresa com um processo semelhante de outra organização.

O item trouxe o conceito de reengenharia. Observe:

A reengenharia para Stair e Reynolds (2002, p.39) é vista como “redesenho de processos, envolve a readequação dos processos empresariais, estruturas organizacionais, sistemas de informação e valores da organização objetivando uma guinada nos resultados dos negócios da organização”.

  1. 2012 - TJ-AL - Analista Judiciário - Área Administrativa

    A técnica de geração de ideias, de modo isolado ou associativo, que possam, por sua vez, estimular novas ideias com a finalidade de solucionar problemas é denominada brainstorming.

Item certo.

De acordo com Simcsik (2001), brainstorming “é uma técnica e uma ferramenta gerencial, que permite realçar a criatividade de pessoas e equipes através da geração de um número indeterminado de idéias sobre um tema proposto”.

Maximiano (2000, p. 158) complementa que no brainstorming “cada pessoa fala dando sugestões para resolver um problema, sem que estas sugestões sejam criticadas pelos outros participantes”.

Araújo (2001) destaca que esta ferramenta é capaz de rapidamente gerar, esclarecer e avaliar diversas idéias, problemas e pontos de discussão. Capta o pensamento criativo de uma equipe, o autor ressalta ainda que o importante é a quantidade de idéias apresentadas e não a qualidade das mesmas.

  1. 2011 - TRE-ES - Analista - Relações Públicas

    Uma das técnicas utilizadas no processo de tomada de decisão é o brainstorming não estruturado, que facilita e propicia a participação espontânea dos mais tímidos nas discussões, sem que seja necessário pressioná-los a interagir.

Item errado.

Em síntese, Chiavenato explica que a expressão brainstorming significa “tempestade mental” ou “tempestade de idéias” e também pode ser utilizado para identificar problemas no questionamento de causas ou para se fazer a análise da relação causa-efeito.

No
braistorming estruturado, todos os integrantes devem dar uma idéia quando chegar a sua vez na rodada, ou passar a vez até a próxima rodada. Isso evita a preponderância dos integrantes mais falantes, proporciona a todos uma oportunidade igual para contribuir com idéias e promove o envolvimento maior de todos os integrantes, mesmo os mais tímidos. O brainstorming termina quando nenhum dos integrantes tem mais idéias e todos “passam a vez” em uma mesma rodada.

No brainstorming não estruturado, qualquer integrante lança idéias à medida que vão surgindo na mente. Tende-se a criar uma atmosfera mais relaxada, mas também há o risco dos integrantes mais falantes dominarem o ambiente. Torna-se mais fácil para certos integrantes “pegar carona” nas idéias dos outros. Essa técnica termina quando nenhum integrante tem mais idéias e todos concordam em parar.

Portanto, é o brainstorming estruturado, que facilita e propicia a participação espontânea dos mais tímidos nas discussões, sem que seja necessário pressioná-los a interagir.

Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.