Administração Geral para MPU - parte 5

por Adriel Sá em 23/04/2013
Olá a todos!

O assunto desse artigo versa sobre questões comentadas do CESPE - tema: Teorias Administrativas. Por ser um pouco complexo a resolução de exercícios desse assunto, achei por bem colocar diretamente os comentários logo abaixo de cada questão, de forma que sirva mais como uma revisão do assunto, do que propriamente um teste.

Não se preocupem, nos próximos artigos voltarei à forma antiga dos "posts", ou seja, com os gabaritos e comentários em separado.

Grande abraço a todos!


Josué 1:09 "Esforça-te e tem bom ânimo".

Teorias Administrativas

  1. 2012 - ANATEL - Técnico Administrativo

    A abordagem clássica da administração foi desenvolvida em razão do crescimento acelerado e desordenado das organizações e da necessidade de aumentar a sua eficiência. A respeito desse assunto, julgue o item abaixo.

A disposição adequada das unidades e a definição de responsabilidades para cada uma delas, como forma de alcançar a eficiência organizacional, eram as preocupações principais da escola de administração científica.

Item errado.

Conforme resumo de Chiavennato das principais Teorias Administrativas e seus principais enfoques:


A teoria geral da administração começou com a ênfase nas tarefas, com a administração científica de Taylor. A seguir, a preocupação básica passou para a ênfase na estrutura com a teoria clássica de Fayol e com a teoria burocrática de Max Weber, seguindo-se mais tarde a teoria estruturalista. A reação humanística surgiu com a ênfase nas pessoas, por meio da teoria comportamental e pela teoria do desenvolvimento organizacional. A ênfase no ambiente surgiu com a Teoria dos Sistemas, sendo completada pela teoria da contingência. Esta, posteriormente, desenvolveu a ênfase na tecnologia. Cada uma dessas cinco variáveis - tarefas, estrutura, pessoas, ambiente e tecnologia - provocou a seu tempo uma diferente teoria administrativa, marcando um gradativo passo no desenvolvimento da TGA. Cada teoria administrativa procurou privilegiar ou enfatizar uma dessas cinco variáveis, omitindo ou relegando a um plano secundário todas as demais.

Portanto, percebemos que a ênfase na estrutura se dá na Administração Clássica, enquanto a Administração Científica focava nas tarefas.

  1. 2012 - ANCINE - Técnico Administrativo

    A administração pública burocrática adota sistemas de controle e gestão centrados em resultados e não em procedimentos.

Item errado.

Segundo Idalberto Chiavenato, a teoria burocrática prevê que um homem pode ser pago para agir e se comportar de certa maneira preestabelecida, a qual lhe deve ser explicada, muito minuciosamente e, em hipótese alguma, permitindo que suas emoções interfiram no seu desempenho. Nesse modelo, todas as ações e procedimentos são feitos por escrito para proporcionar a comprovação e documentação adequadas. Assim, uniformidade de rotinas e procedimentos favorece a padronização, redução de custos e de erros, pois os procedimentos são definidos por escrito.

Logo, a Teoria Burocrática concentra-se em padronização de procedimento, não focando previamente em resultados.

  1. (CESPE/ CÂMARA DOS DEPUTADOS/ ANALISTA – TÉCNICO EM MATERIAL E PATRIMÔNIO / 2012)

    Para Max Weber, no modelo burocrático ideal, a escolha ou a promoção do profissional devem ser fundamentadas exclusivamente no mérito.

Item certo.

Segundo Max Weber, a burocracia tem as seguintes características:

Caráter legal das normas e regulamentos – burocracia é uma organização ligada por normas e regulamentos previamente estabelecidos.

Caráter formal das comunicações – é uma organização ligada por comunicações escritas.

Caráter racional e divisão do trabalho – é uma organização que se caracteriza por uma sistemática divisão do trabalho.

Impessoalidade nas relações – a distribuição das atividades é feita impessoalmente, ou seja, em termos de cargos e funções e não de pessoas envolvidas.

Hierarquia de autoridade – estabelece os cargos segundo o princípio da hierarquia. Cada cargo inferior deve estar sob o controle e supervisão de um posto superior.

Rotinas e procedimentos – fixa as regras e normas técnicas para o desempenho de cada cargo.

Meritocracia – a escolha das pessoas é baseada no mérito e na competência técnica e não em preferências pessoais.

Especialização da administração que é separada da propriedade – os administradores da burocracia não são seus donos, acionistas ou proprietários.

Profissionalização dos participantes.

  1. (CESPE/ FUB/ SECRETÁRIO EXECUTIVO/ 2011)

    De acordo com Taylor, o nível de eficiência do trabalhador é estabelecido com base na capacidade social que esse trabalhador apresenta, e não em sua capacidade de executar o trabalho corretamente no prazo estabelecido.

Item errado.

Chiavenato (2003) enfatiza que a análise do trabalho e do estudo dos tempos e movimentos (motion-time study) é o instrumento básico para se racionalizar o trabalho. Assim este é executado melhor e mais economicamente por meio da análise, isto é, da divisão e subdivisão de todos os movimentos necessários à execução de cada operação de uma tarefa. Taylor, o mentor desta ideia, viu a oportunidade de decompor cada tarefa em uma série ordenada de movimentos simples, já os inúteis eram eliminados, e quanto aos movimentos úteis simplificados. A essa análise do trabalho seguia-se o estudo dos tempos e movimentos, ou seja, a determinação do tempo médio para a realização de uma tarefa.

  1. (CESPE / SEBRAE / ANALISTA TÉCNICO / 2011)

    Segundo Henry Fayol, administração é o alcance de resultados por meio dos esforços de outras pessoas.

Item errado.

As várias definições de administração podem ser convenientemente classificadas em cinco categorias:

Escola funcional – que contém as visões de Henry Fayol, McFarland e George Terry, que podem assim ser consolidadas:

Administração é um processo distinto, que consiste no planejamento, organização, atuação e controle para determinar e alcançar os objetivos da organização pelo uso de pessoas e recursos”.

Escola das relações humanas – que considera a administração como um processo social, porque as ações administrativas são principalmente concernentes com o relacionamento entre pessoas, mais do que com o direcionamento de atividades:

Administração é o alcance de resultados dos esforços de outras pessoas”.

Escola da tomada de decisão , que tem como principal representante Peter Drucker:

Administração é simplesmente o processo de tomada de decisão e o controle sobre as ações dos indivíduos, para o expresso propósito de alcance de metas predeterminadas”.

Escola de sistemas – em que, pela teoria de sistemas, as organizações são sistemas orgânicos e abertosconsistindo da interação e interdependência das partes que têm uma variedade de metas”.

 

Escola contingencial – pela qual a administração é situacional; não existe um modo melhor de projetar organizações e administrá-las; os administradores deveriam desenhar organizações, definir as metas, formular políticas e estratégias de acordo com as condições ambientais prevalecentes.

Perceba que o item trouxe o conceito dado pela Escola das relações humana; a definição que coaduna Henry Fayol é: “Administração é um processo distinto, que consiste no planejamento, organização, atuação e controle para determinar e alcançar os objetivos da organização pelo uso de pessoas e recursos”.

  1. 2012 - TJ-AL - Técnico Judiciário

    A abordagem sistêmica pressupõe uma alta especialização no desenvolvimento de uma tarefa específica de modo que o trabalhador consiga ter uma visão holística do processo produtivo.

Item errado.

Segundo Chiavenato, a abordagem científica preconiza que uma tarefa deve ser dividida ao maior número possível de subtarefas. Quanto menor e mais simples a tarefa, maior será a habilidade do operário em desempenhá-la. Ao realizar um movimento simples repetidas vezes, o funcionário ganha velocidade na sua atividade, aumentando o número de unidades produzidas e elevando seu salário de forma proporcional ao seu esforço.

Entretanto, inúmeras críticas podem ser feitas à Administração Cientifica: o mecanismo de sua abordagem, que lhe garante o nome de teoria da máquina, a superespecialização que robotiza o operário, a visão microscópica do homem tomado isoladamente e como apêndice da maquina industrial, a ausência de qualquer comprovação cientifica de suas afirmações e princípios, a abordagem incompleta envolvendo apenas a organização formal, a limitação do campo de aplicação à fábrica, omitindo o restante da vida de uma empresa, a abordagem eminentemente prescritiva e normativa e tipicamente de sistema fechado.

  1. 2012 - TJ-AL - Técnico Judiciário

    A abordagem clássica da administração tem como princípio aumentar o nível de entropia da organização.

Item errado.

A Teoria dos Sistemas, idealizada pelo biólogo Ludwig Von Bertalanffy, na década de 1930, foi um esforço para criar princípios gerais aplicáveis a todos os ramos do conhecimento. A partir dessa teoria, alguns princípios usados em Biologia aplicam-se da mesma forma às organizações sociais, variando as formas de aplicação conforme das características dos sistemas estudados em casa área.

Um sistema é um conjunto de elementos dinamicamente relacionados entre si, formando uma atividade para atingir um objetivo, operando sobre entradas (informação, energia ou matéria) e fornecendo saídas (informação, energia ou matéria) processadas.

Principais conceitos de sistemas:

Entrada (Input) – O sistema recebe entradas (inputs) ou insumos para poder operar. A entrada de um sistema é tudo o que o sistema importa ou recebe de seu mundo exterior. Pode ser constituída de informação, energia e materiais.

Saída (Output) – É o resultado final da operação de um sistema. Todo sistema produz uma ou várias saídas. Através da saída, o sistema exporta o resultado de suas operações para o meio ambiente. É o caso de organizações que produzem saídas como bens ou serviços e uma infinidade de outras saídas (informações, lucros, pessoas aposentadas ou que se desligam, poluição, etc).

Caixa Negra (Black Box) – Refere-se a um sistema cujo interior não pode ser desvendado, cujos elementos internos são desconhecidos e que só pode ser conhecido “por fora”, através de manipulações externas. Utiliza-se conceito de caixa negra em duas circunstâncias: quando o sistema é impenetrável ou inacessível, por alguma razão ou quando o sistema é complexo, de difícil explicação ou detalhamento.

Retroação (Feedback) – Mecanismo segundo o qual uma parte da energia de saída de um sistema ou de uma máquina volta à entrada. Também chamada de retroalimentação, é um sistema de comunicação de retorno proporcionado pela saída do sistema à sua entrada, no sentido de alterá-la de alguma maneira.

Homeostasia – É o estado de equilíbrio dinâmico, obtido através da autoregulação, ou seja, através do autocontrole, que permite ao sistema manter seu funcionamento estável apesar das flutuações ambientais. É a capacidade que tem o sistema de manter certas variáveis dentro de limites, mesmo quando os estímulos do meio externo forçam essas variáveis a assumirem valores que ultrapassem os limites da normalidade. Todo mecanismo homeostático é um dispositivo de controle para manter certa variável dentro de limites desejados.

Informação – É o conjunto de dados com um significado, ou seja, que reduz a incerteza ou que aumenta o conhecimento a respeito de algo.

Dado - é um registro ou anotação a respeito de um evento ou ocorrência.

Comunicação - é quando uma informação é transmitida a alguém, sendo, então, compartilhada também por essa pessoa. Para que haja comunicação, é necessário que o destinatário da informação a receba e a compreenda.

Redundância – É a repetição da mensagem para que sua recepção correta seja garantida. A redundância introduz no sistema de comunicação uma certa capacidade de eliminar o ruído e prevenir distorções e enganos na recepção da mensagem.

Entropia – Refere-se à perda de energia em sistemas isolados, levando-os à degradação, à desintegração e ao desaparecimento. Significa que partes do sistema perdem sua integração e comunicação entre si, fazendo com que o sistema se decomponha, perca energia e informação e degenere.

Entropia negativa – É o processo reativo de obtenção de reservas de energia e de informação. Para sobreviver o sistema precisa abrir-se e reabastecer-se de energia e de informação para manter a sua estrutura.

Sinergia – Significa trabalho conjunto. Quando duas ou mais causas produzem, atuando conjuntamente, um efeito maior do que a soma dos efeitos que produziriam atuando individualmente.

Morfogênese – É a capacidade de se modificar, de determinar o crescimento e as formas da organização, de se corrigir e de obter novos e melhores resultados.

Resiliência – é a capacidade de superar o distúrbio imposto por um fenômeno externo. É a resiliência que determina o grau de defesa ou de vulnerabilidade do sistema a pressões ambientais externas. As organizações, como sistemas abertos, apresentam capacidade de enfrentar e superar perturbações externas provocadas pela sociedade sem que desapareça seu potencial de auto-organização.

Equifinalidade – característica do sistema aberto pela qual pode chegar ao mesmo objetivo de maneiras diferentes e partindo de condições iniciais diferentes.

  1. 2012 - TJ-AL - Técnico Judiciário

    A abordagem burocrática considera as pessoas em primeiro plano por serem as responsáveis pela aplicação de suas normas e regras.

Item errado.

Chiavenato explica que a abordagem burocrática, desenvolvida pelo sociólogo alemão Max Weber, é uma teoria que enfatiza a formalização (obediência a normas, rotinas e regulamentos), divisão do trabalho, hierarquia (obediência às ordens dos superiores e conferência de status às posições hierárquicas elevadas), impessoalidade e profissionalização e competência técnica dos funcionários. Dessa forma, a Teoria Burocrática se caracterizava pela ênfase nas normas e regras, não pessoas.

  1. 2012 - TJ-AL - Técnico Judiciário

    A visão mecanicista proposta por Bertalanffy revela que, para compreender a realidade, é preciso analisar não apenas elementos isolados, mas também suas inter-relações.

Item errado.

A Teoria dos Sistemas, idealizada pelo biólogo Ludwig Von Bertalanffy, na década de 1930, foi um esforço para criar princípios gerais aplicáveis a todos os ramos do conhecimento. A partir dessa teoria, alguns princípios usados em Biologia aplicam-se da mesma forma às organizações sociais, variando as formas de aplicação conforme das características dos sistemas estudados em casa área.

Um sistema é um conjunto de elementos dinamicamente relacionados entre si, formando uma atividade para atingir um objetivo, operando sobre entradas (informação, energia ou matéria) e fornecendo saídas (informação, energia ou matéria) processadas.

A visão mecanicista foi defendida por Taylor, não Bertalanffy.

  1. 2012 - TJ-AL - Técnico Judiciário

    De acordo com os princípios da administração científica descritos por Taylor, o objetivo da boa administração é pagar altos salários e ter baixos custos.

Item certo.

Segundo Chiavenato (1996), Taylor escreveu um livro (Shop Management), que preconizava os objetivos de uma boa administração, considerando sua essência:

O objetivo de uma boa administração é pagar salários altos e ter baixos custos unitários de produção.

• Para realizar esse objetivo, a Administração deve aplicar métodos científicos de pesquisas e experimentação, a fim de formular princípios e estabelecer processos padronizados que permitam o controle de operações fabris.

• Os empregados devem ser cientificamente colocados em serviços ou postos em que os materiais e as condições de trabalho sejam cientificamente selecionados, para que as normas possam ser cumpridas.

• Os empregados devem ser cientificamente adestrados para aperfeiçoar suas aptidões e, portanto executar um serviço ou tarefa de modo que a produção normal seja cumprida.

• Uma atmosfera de cooperação deve ser cultivada entre a Administração e os trabalhadores, para garantir a continuidade desse ambiente psicológico que possibilite a aplicação dos princípios mencionados.

  1. 2012 - TJ-AL - Técnico Judiciário

    O enfoque sistêmico coloca a gestão de pessoas em primeiro plano por compreender que as relações de uma organização dependem diretamente da interferência humana.

Item errado.

Segundo Clerand, o enfoque sistêmico tem como base a idéia de sistema, que consiste: em um todo complexo ou organizado; é um conjunto de partes ou elementos que formam um todo unitário ou complexo.

Ainda, segundo Maximiano, um sistema é um todo que funciona como todo, devido à interdependência de suas partes.

Portanto, a gestão de pessoas ainda não é colocada em primeiro plano na abordagem sistêmica.

  1. 2012 - TJ-AL - Analista Judiciário - Área Administrativa

    Como proposto por Henry Fayol, o princípio geral da administração que estabelece a necessidade de especialização de empregados, desde a alta hierarquia até os trabalhadores operários, como forma de aprimorar a eficiência da produção e, consequentemente, aumentar a produtividade, é o princípio da divisão do trabalho.

Item certo.

Conforme Chiavenato, os 14 princípios gerais da Administração, segundo Fayol, são os seguintes:

1) Divisão do trabalho - Especialização dos funcionários desde o topo da hierarquia até os operários da fábrica, assim, favorecendo a eficiência da produção aumentando a produtividade.

2) Autoridade e responsabilidade - Autoridade é todo direito dos superiores darem ordens que teoricamente serão obedecidas.

Responsabilidade é a contrapartida da autoridade. Deve-se levar em conta o direito de dar ordens e exigir obediência, chegando a um bom equilíbrio entre autoridade e responsabilidade.

3) Disciplina - Necessidade de estabelecer regras de conduta e de trabalho válidas para todos os funcionários. A ausência de disciplina gera o caos na organização.

4) Unidade de comando - Um funcionário deve receber ordens de apenas um chefe, evitando-se contra-ordens.

5) Unidade de direção - O controle único é possibilitado com a aplicação de um plano para grupo de atividades com os mesmos objetivos.

6) Subordinação dos interesses individuais ao interesse geral - Os interesses gerais da organização devem prevalecer sobre os interesses individuais.

7) Remuneração - Deve ser suficiente para garantir a satisfação dos funcionários e da própria organização.

8) Centralização - As atividades vitais da organização e sua autoridade devem ser centralizadas no topo da hierarquia da organização.

9) Linha de Comando (cadeia escolar) - É a linha de autorizada que vai do escalão mais alto ao mais baixo em função do princípio de comando.

10) Ordem - Deve ser mantida em toda organização, preservando um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar.

11) Equidade - A justiça deve prevalecer em toda organização, justificando a lealdade e a devoção de cada funcionário à empresa. Direitos iguais.

12) Estabilidade dos funcionários - Uma rotatividade alta tem consequências negativas sobre desempenho da empresa e o moral

dos funcionários.

13) Iniciativa - Deve ser entendida como a capacidade de estabelecer um plano e cumpri-lo.

14) Espírito de equipe - O trabalho deve ser conjunto, facilitado pela comunicação dentro da equipe. Os integrantes de um mesmo grupo precisam ter consciência de classe, para que defendam seus propósitos.

  1. 2012 - Câmara dos Deputados - Analista - Técnico em Material e Patrimônio

    O modelo de gerenciamento de Fayol, que deu origem ao que se conhece atualmente como organograma, embasa-se em estratégias.

Item errado.

Para Fayol, segundo Tom Peters, o processo administrativo tem início com o planejamento (consiste em considerar o futuro e traçar um plano de ação de médio e longo prazos). Com o tempo, o planejamento ganhou novos modelos (estratégico, tático, operacional, participativo e outros) e técnicas.

Da concepção estreita do planejamento produtivo de Taylor, Fayol evoluiu para um modelo mais amplo do planejamento organizacional e/ou operacionalde médio e longo prazos. Feito o planejamento, definidos os objetivos, metas, ações e recursos, o passo seguinte do processo administrativo é a organização.

Fayol entendia a organização como a “montagem de uma estrutura humana e material para realizar o empreendimento”. Nesse aspecto, a estrutura administrativa e sua representação gráfica (organograma) ganham relevância no modelo fayolista.

Ao montar a estrutura administrativa, Fayol destacava as áreas da empresa, de acordo com suas funções básicas (técnica, contábil, comercial, financeira, de segurança, administrativa) e, de acordo com esses critérios, alocava pessoal e material em cada uma dessas áreas. Perceba que aqui não há a concepção atual de estratégia.

  1. 2008 - TCU - Analista de Controle Externo - Planejamento e Gestão

    Frederick Winslow Taylor foi o primeiro expert norte-americano em racionalização e eficiência no trabalho. Seu ideário de administração, embora seja do início do século passado, foi o primeiro “manifesto revolucionário” sobre o redesenho de processos de trabalho visando aumentos radicais de produtividade e é, de longe, o mais bem-sucedido de todos até hoje. 

    As pressões geradas pelo aumento da competição no mundo globalizado a partir do final do século XX fizeram que a busca frenética de aumentos em eficiência passasse a ser a prioridade número um de todo executivo. No entanto, ao contrário do que dão a entender propostas modernas, supostamente revolucionárias, o tema não é novo: surgiu em 1911 com a promessa de, já naquela época, alterar para valer as concepções predominantes no mundo do trabalho. Naquela época, não havia nenhum pensamento por trás do ato de trabalhar.

    Trabalho era ação pura; trabalhava-se apenas. Não havia metodologia, só força bruta. Os gerentes limitavam-se a estabelecer cotas de produção, não se preocupavam com processos. Era só “o que”, não “como”. O taylorismo é o germe de todas as propostas que vieram depois para formatar racionalmente o ato de se produzir qualquer coisa. Gerar resultados por intermédio de pessoas. Administrar.

Clemente Nóbrega. Taylor superstar. In: Exame, 24/9/1997 (com adaptações).

Tendo o texto acima como referência inicial, julgue o item a seguir, relativo a abordagens teóricas da administração.

Atualmente, não há mais espaço para a utilização da teoria proposta por Taylor, em nenhum de seus aspectos.

Item errado.

Segundo síntese de explicação de Maximiano, no campo da teoria administrativa gerencial, Fayol foi um pioneiro. Suas idéias enalteceram o papel do dirigente na empresa e a sua importância no contexto empresarial – não é à toa que, por isso, ele é considerado o pai da Administração Moderna e o precursor dos estudos sobre gerência.

A sua concepção da Administração como uma das funções da empresa e o desdobramento do processo administrativo nas atividades de planejamento, organização, comando, coordenação e controle consagraram a Administração como novo campo de estudo científico. Dos seus princípios sobreveio uma nova visão da Administração como um sistema de gestão.

  1. 2009 - SEJUS-ES - Agente Penitenciário

    O fordismo foi totalmente superado, em especial na China, onde a produção industrial se baseia inteiramente no conceito de garantias trabalhistas e sindicatos fortes.

Item errado.

Segundo Alex Mendes, o modelo chinês se baseia no uso intensivo de mão-de-obra devido ao elevado contingente populacional, portanto no sistema fordista de funções manufaturadas, trabalho repetitivo, demandando baixa qualificação profissional e com hiper-especialização funcional.

  1. 2009 - SEJUS-ES - Agente Penitenciário

    O toyotismo, apesar de originado no Japão, mostra força maior nos países do terceiro mundo, em especial naqueles que saíram do comunismo na virada da última década de 80 para 90.

Item errado.

Os países periféricos industrializados apresentam em geral uma entrada acelerada no Toyotismo, inclusive nos países que abandonaram o comunismo como sistema sócio-econômico, mas de maneira geral, as técnicas de produção e gestão do também denominado pós-fordismo é implantado com maior força nos países centrais (desenvolvidos) que são líderes da 3ª Revolução Industrial (Técno-científica-informacional).

  1. 2012 - TJ-AC - Analista Judiciário – Administração

    As organizações formais modernas, desde as pequenas empresas até as grandes corporações, são burocracias que se fundamentam na autoridade legal-racional.

Item certo.

Segundo Max Weber (2001), a Burocracia indica uma forma de organização baseada na racionalidade das leis e que a sociedade e as organizações modernas são sistemas de normas e leis impessoais, que regem o comportamento das pessoas. Para o autor, todas as organizações formais, desde as pequenas empresas até as grandes corporações são burocracias, que se fundamentam na autoridade legal-racional (autoridade das leis).

  1. 2012 - TJ-RO - Analista Judiciário – Administração

    De acordo com a teoria da burocracia, a autoridade deve ser exercida de forma racional-legal.

Item certo.

Segundo Max Weber (2001), a Burocracia indica uma forma de organização baseada na racionalidade das leis e que a sociedade e as organizações modernas são sistemas de normas e leis impessoais, que regem o comportamento das pessoas.

  1. 2012 - TJ-AL - Analista Judiciário - Área Administrativa

    De acordo com a abordagem neoclássica da administração, as principais funções do processo administrativo são planejamento, organização, direção e controle.

Item certo.

Em síntese, Chiavenato (1999) explica que na Teoria Neoclássica, as funções do administrador receberam roupagem nova e atualizada aos elementos da administração defendidos por Fayol (prever, organizar, comandar, coordenar e controlar). As funções do administrador são: Planejamento, organização, direção e controle. O desempenho dessas quatro funções básicas forma o chamado processo administrativo.

  1. 2011 - EBC - Analista – Administração

    A estrutura básica dos sistemas preconiza quatro variáveis: as entradas, as saídas, o próprio sistema e o ambiente em que toda a transformação ocorre.

Item certo.

A banca considerou o item certo.

No entanto, Chiavenato (2003) e Maximiano (2009) preconizam que os sistemas são caracterizados por seus componentes, isto é parâmetros (cinco), onde estes são: Entrada, impulso de partida que fornece energia ou informação para a operação do sistema; Saída ou resultado, os resultados de um sistema são as saídas; Processamento (sistema), é a maneira como os componentes se relacionam, para criar uma seqüência de operações ou procedimentos que produzem os resultados esperados; Controle, inspira-se no principio do feedback, que produz a informação necessária para que o sistema seja capaz de regular seu próprio funcionamento; e Ambiente, meio que envolve externamente o sistema, servindo como fonte de energia, materiais e informações, a sobrevivência do sistema depende da sua capacidade de adaptar-se, mudar e responder às exigências do ambiente externo.

  1. 2011 - EBC - Analista – Administração

    Apesar de a teoria dos sistemas ter revolucionado a forma de se estudar o ambiente, não é possível afirmar que essa teoria tenha estabelecido um novo paradigma a partir da reorientação do pensamento em torno da inter-relação dos elementos, em contraposição às escolas clássicas apoiadas no pensamento analítico.

Item errado.

A Teoria dos Sistemas, idealizada pelo biólogo Ludwig Von Bertalanffy, na década de 1930, foi um esforço para criar princípios gerais aplicáveis a todos os ramos do conhecimento. A partir dessa teoria, alguns princípios usados em Biologia aplicam-se da mesma forma às organizações sociais, variando as formas de aplicação conforme das características dos sistemas estudados em casa área.

Um sistema é um conjunto de elementos dinamicamente relacionados entre si, formando uma atividade para atingir um objetivo, operando sobre entradas (informação, energia ou matéria) e fornecendo saídas (informação, energia ou matéria) processadas.

Portanto, a abordagem sistêmica estabeleceu um novo paradigma a partir da reorientação do pensamento em torno da inter-relação dos elementos, contrariando as posições das escolas clássicas apoiadas no pensamento analítico.

  1. 2010 - ANEEL - Analista Administrativo

    Na abordagem sistêmica, o desempenho de um sistema é determinado pelas relações diretas de causa e efeito das ações executadas pelas partes.

Item errado.

Segundo Maximiano (2000), a Teoria dos Sistemas foi proposta por Bertalanffy, no final da década de 1930, partindo da concepção de que a realidade é feita de sistemas, de elementos interdependentes que precisam ser analisados nas suas inter-relações, com uma visão interdisciplinar e holística.

Ainda, segundo Bertalanffy (1975), sistema é um conjunto de partes interagentes e interdependentes que, conjuntamente, formam um todo unitário com determinado objetivo.

Assim, é incorreto afirmar que há relação direta de causa e efeito das partes, pois elas, apesar de interagentes, são interdependentes.

  1. 2010 - ANEEL - Analista Administrativo

    Com relação à abordagem sistêmica das organizações, há possibilidade de o efeito global sobre um sistema resultar maior ou menor que a soma dos efeitos das ações das partes.

Item certo.

Chiavenato explica que são características obrigatórias dos sistemas o funcionalismo (cada elemento de um subsistema tem um papel ou função a desempenhar num sistema mais amplo) e o holismo (o sistema só pode ser explicado como uma globalidade, além de não ser uma simples soma das partes. O holismo opõe-se ao elementarismo, que encara o total como a soma das partes individuais.

  1. 2011 - TJ-ES - Analista Judiciário – Administração

    Segundo Chester Barnand, um dos primeiros teóricos a enfatizar a organização como um sistema social, as pessoas, para alcançarem seus objetivos, não atuam isoladamente, mas mediante interações com outras pessoas.

Item certo.

Segundo Motta e Vasconcelos, Chester Barnard observa que as organizações são construídas com fins específicos e determinados, porém empregam indivíduos que possuem objetivos diversos e interesses próprios, que podem não se coadunar com os das organizações. Ele reconhece a natureza única do indivíduo, que detém poder de escolha e vontade própria. O autor diz que as organizações são sistemas cooperativos que emergem porque os indivíduos, que detêm objetivos próprios, não podem realizá-los sozinhos, então se associam a fim de satisfazê-los.

  1. 2008 - TCU - Analista de Controle Interno – Tecnologia da Informação

    Frederick Winslow Taylor foi o primeiro expert norte-americano em racionalização e eficiência no trabalho. Seu ideário de administração, embora seja do início do século passado, foi o primeiro “manifesto revolucionário” sobre o redesenho de processos de trabalho visando aumentos radicais de produtividade e é, de longe, o mais bem-sucedido de todos até hoje.

    As pressões geradas pelo aumento da competição no mundo globalizado a partir do final do século XX fizeram que a busca frenética de aumentos em eficiência passasse a ser a prioridade número um de todo executivo. No entanto, ao contrário do que dão a entender propostas modernas, supostamente revolucionárias, o tema não é novo: surgiu em 1911 com a promessa de, já naquela época, alterar para valer as concepções predominantes no mundo do trabalho. Naquela época, não havia nenhum pensamento por trás do ato de trabalhar.

    Trabalho era ação pura; trabalhava-se apenas. Não havia metodologia, só força bruta. Os gerentes limitavam-se a estabelecer cotas de produção, não se preocupavam com processos. Era só “o que”, não “como”. O taylorismo é o germe de todas as propostas que vieram depois para formatar racionalmente o ato de se produzir qualquer coisa. Gerar resultados por intermédio de pessoas. Administrar.

Clemente Nóbrega. Taylor superstar. In: Exame, 24/9/1997 (com adaptações).

Um órgão público, que preconize o respeito ao canal de comunicação e impeça cada setor de acessar outros níveis organizacionais diferentes dos que se encontrem hierarquicamente logo acima e logo abaixo, respeitando a autoridade única do nível acima, estará de acordo com os pressupostos de Fayol em seus princípios gerais da administração no que tange à unidade de comando.

Item certo.

Conforme Chiavenato, os 14 princípios gerais da Administração, segundo Fayol, são os seguintes:

1) Divisão do trabalho - Especialização dos funcionários desde o topo da hierarquia até os operários da fábrica, assim, favorecendo a eficiência da produção aumentando a produtividade.

2) Autoridade e responsabilidade - Autoridade é todo direito dos superiores darem ordens que teoricamente serão obedecidas.

Responsabilidade é a contrapartida da autoridade. Deve-se levar em conta o direito de dar ordens e exigir obediência, chegando a um bom equilíbrio entre autoridade e responsabilidade.

3) Disciplina - Necessidade de estabelecer regras de conduta e de trabalho válidas para todos os funcionários. A ausência de disciplina gera o caos na organização.

4) Unidade de comando - Um funcionário deve receber ordens de apenas um chefe, evitando-se contra-ordens.

5) Unidade de direção - O controle único é possibilitado com a aplicação de um plano para grupo de atividades com os mesmos objetivos.

6) Subordinação dos interesses individuais ao interesse geral - Os interesses gerais da organização devem prevalecer sobre os interesses individuais.

7) Remuneração - Deve ser suficiente para garantir a satisfação dos funcionários e da própria organização.

8) Centralização - As atividades vitais da organização e sua autoridade devem ser centralizadas no topo da hierarquia da organização.

9) Linha de Comando (cadeia escolar) - É a linha de autorizada que vai do escalão mais alto ao mais baixo em função do princípio de comando.

10) Ordem - Deve ser mantida em toda organização, preservando um lugar para cada coisa e cada coisa em seu lugar.

11) Equidade - A justiça deve prevalecer em toda organização, justificando a lealdade e a devoção de cada funcionário à empresa. Direitos iguais.

12) Estabilidade dos funcionários - Uma rotatividade alta tem consequências negativas sobre desempenho da empresa e o moral

dos funcionários.

13) Iniciativa - Deve ser entendida como a capacidade de estabelecer um plano e cumpri-lo.

14) Espírito de equipe - O trabalho deve ser conjunto, facilitado pela comunicação dentro da equipe. Os integrantes de um mesmo grupo precisam ter consciência de classe, para que defendam seus propósitos.

  1. 2008 - TCU - Analista de Controle Interno – Tecnologia da Informação

    Frederick Winslow Taylor foi o primeiro expert norte-americano em racionalização e eficiência no trabalho. Seu ideário de administração, embora seja do início do século passado, foi o primeiro “manifesto revolucionário” sobre o redesenho de processos de trabalho visando aumentos radicais de produtividade e é, de longe, o mais bem-sucedido de todos até hoje.

    As pressões geradas pelo aumento da competição no mundo globalizado a partir do final do século XX fizeram que a busca frenética de aumentos em eficiência passasse a ser a prioridade número um de todo executivo. No entanto, ao contrário do que dão a entender propostas modernas, supostamente revolucionárias, o tema não é novo: surgiu em 1911 com a promessa de, já naquela época, alterar para valer as concepções predominantes no mundo do trabalho. Naquela época, não havia nenhum pensamento por trás do ato de trabalhar.

    Trabalho era ação pura; trabalhava-se apenas. Não havia metodologia, só força bruta. Os gerentes limitavam-se a estabelecer cotas de produção, não se preocupavam com processos. Era só “o que”, não “como”. O taylorismo é o germe de todas as propostas que vieram depois para formatar racionalmente o ato de se produzir qualquer coisa. Gerar resultados por intermédio de pessoas. Administrar.

Clemente Nóbrega. Taylor superstar. In: Exame, 24/9/1997 (com adaptações).

De acordo com o texto em apreço, a busca por maior eficiência e produtividade nas organizações é uma tônica em diversas teorias da administração. Nesse sentido, uma das vantagens destacadas por Max Weber na abordagem burocrática é a rapidez nas decisões.

Item certo.

Segundo Weber, são as seguintes as vantagens da burocracia:

1. Racionalidade em relação ao alcance dos objetivos da organização.

2. Precisão na definição do cargo e na operação, pelo conhecimento exato dos deveres.

3. Rapidez nas decisões, pois cada um conhece o que deve ser feito e por quem e as ordens e papéis tramitam através de canais preestabelecidos.

4. Univocidade de interpretação garantida pela regulamentação específica e escrita. Por outro lado, a informação é discreta, pois é fornecida apenas a quem deve recebê-la.

5. Uniformidade de rotinas e procedimentos que favorece a padronização, redução de custos e erros, pois as rotinas são definidas por escrito.

6. Continuidade da organização através da substituição do pessoal que é afastado. Além disso, os critérios de seleção e escolha de pessoal baseiam-se na capacidade e na competência técnica.

7. Redução do atrito entre as pessoas, pois cada funcionário conhece o que é exigido dele e quais os limites entre suas responsabilidades e as dos outros.

8. Constância, pois os mesmos tipos de decisão devem sem tomados nas mesmas circunstâncias.

9. Confiabilidade, pois o negócio é conduzido através de regras conhecidas, e os csos similares são metodicamente tratados dentro da mesma maneira sistemática. As decisões são previsíveis e o processo decisório, por ser despersonalizado no sentido de excluir sentimentos irracionais, como amor, raiva, preferências pessoais, elimina a discriminação pessoal.

10. Benefícios para as pessoas na organização, pois a hierarquia é formalizada, o trabalho é dividido entre as pessoas de maneira ordenada, as pessoas são treinadas para se tornarem especialistas, podendo encarreirar-se na organização em função de seu mérito pessoal e competência técnica.

  1. 2008 - TCU - Analista de Controle Interno – Tecnologia da Informação

    Frederick Winslow Taylor foi o primeiro expert norte-americano em racionalização e eficiência no trabalho. Seu ideário de administração, embora seja do início do século passado, foi o primeiro “manifesto revolucionário” sobre o redesenho de processos de trabalho visando aumentos radicais de produtividade e é, de longe, o mais bem-sucedido de todos até hoje.

    As pressões geradas pelo aumento da competição no mundo globalizado a partir do final do século XX fizeram que a busca frenética de aumentos em eficiência passasse a ser a prioridade número um de todo executivo. No entanto, ao contrário do que dão a entender propostas modernas, supostamente revolucionárias, o tema não é novo: surgiu em 1911 com a promessa de, já naquela época, alterar para valer as concepções predominantes no mundo do trabalho. Naquela época, não havia nenhum pensamento por trás do ato de trabalhar.

    Trabalho era ação pura; trabalhava-se apenas. Não havia metodologia, só força bruta. Os gerentes limitavam-se a estabelecer cotas de produção, não se preocupavam com processos. Era só “o que”, não “como”. O taylorismo é o germe de todas as propostas que vieram depois para formatar racionalmente o ato de se produzir qualquer coisa. Gerar resultados por intermédio de pessoas. Administrar.

Clemente Nóbrega. Taylor superstar. In: Exame, 24/9/1997 (com adaptações).

Atualmente, não há mais espaço para a utilização da teoria proposta por Taylor, em nenhum de seus aspectos.

Item errado.

Segundo leciona Serafim Ferraz, o conjunto do trabalho de Taylor representa a pioneira, mais completa e estruturada sistematização de diretrizes para organização que se tem notícia, na tradição da racionalidade instrumental ou funcional, ou seja, a que se relaciona com a otimização dos meios como forma de atingir metas especificadas a partir da organização formal.

  1. 2008 - TCU - Analista de Controle Interno – Tecnologia da Informação

    Frederick Winslow Taylor foi o primeiro expert norte-americano em racionalização e eficiência no trabalho. Seu ideário de administração, embora seja do início do século passado, foi o primeiro “manifesto revolucionário” sobre o redesenho de processos de trabalho visando aumentos radicais de produtividade e é, de longe, o mais bem-sucedido de todos até hoje.

    As pressões geradas pelo aumento da competição no mundo globalizado a partir do final do século XX fizeram que a busca frenética de aumentos em eficiência passasse a ser a prioridade número um de todo executivo. No entanto, ao contrário do que dão a entender propostas modernas, supostamente revolucionárias, o tema não é novo: surgiu em 1911 com a promessa de, já naquela época, alterar para valer as concepções predominantes no mundo do trabalho. Naquela época, não havia nenhum pensamento por trás do ato de trabalhar.

    Trabalho era ação pura; trabalhava-se apenas. Não havia metodologia, só força bruta. Os gerentes limitavam-se a estabelecer cotas de produção, não se preocupavam com processos. Era só “o que”, não “como”. O taylorismo é o germe de todas as propostas que vieram depois para formatar racionalmente o ato de se produzir qualquer coisa. Gerar resultados por intermédio de pessoas. Administrar.

Clemente Nóbrega. Taylor superstar. In: Exame, 24/9/1997 (com adaptações).

A abordagem proposta por Taylor defendia que fossem priorizados na administração o empirismo e a prática, dando ênfase, desse modo, ao pragmatismo da ponta da linha e ao conhecimento já existente nos trabalhadores.

Item errado.

Segundo Taylor, os quatro princípios fundamentais da administração científica são:

Princípio de planejamento: substituição de métodos empíricos por procedimentos científicos – sai de cena o improviso e o julgamento individual, o trabalho deve ser planejado e testado, seus movimentos decompostos a fim de reduzir e racionalizar sua execução.

Princípio de preparo dos trabalhadores: selecionar os operários de acordo com as suas aptidões e então prepará-los e treiná-los para produzirem mais e melhor, de acordo com o método planejado para que atinjam a meta estabelecida.

Princípio de controle: controlar o desenvolvimento do trabalho para se certificar de que está sendo realizado de acordo com a metodologia estabelecida e dentro da meta.

Princípio da execução: distribuir as atribuições e responsabilidades para que o trabalho seja o mais disciplinado possível.

  1. 2010 - MPS – Administrador

    O que é uma teoria? Se a palavra teoria tem conotação negativa e lembra uma ideia sem possibilidade de aplicação prática, pense novamente. O grande Einstein dizia que não há nada mais prático que uma boa teoria. As teorias da administração são exatamente isso: ideias práticas que ajudam a entender e administrar organizações.

Antonio Cesar Amaru Maximiano. Introdução à administração. São Paulo: Atlas, 2004, p.47 (com adaptações).

O ambiente no qual estão inseridas as organizações está em constante mudança, fazendo-se necessária a observação cautelosa da realidade e a boa adaptabilidade. Essas são as características centrais da administração da qualidade total, na qual a flexibilidade organizacional é um ponto essencial.

Item errado.

Segundo Morgan (1996), a Teoria da Contingência preocupou-se com o desenho das organizações devido à influência da abordagem de sistemas abertos, pois o desenho da estrutura deve ser função de um ambiente complexo e mutável e requer a identificação das seguintes variáveis como: Entradas, Tecnologias, Tarefas, Estruturas e Saídas ou resultados. Como as organizações vivem em um mundo de mudança a sua estrutura deve-se caracterizar pela flexibilidade e adaptabilidade ao ambiente e à tecnologia.

Já em relação às características mais relevantes da Gestão para a Qualidade Total, podemos citar:

- Focalização no cliente: o grande objetivo da GQT é o aumento da qualidade percebida pelo cliente, ou seja, qualquer melhoria introduzida tem sempre em vista a melhor satisfação das necessidades dos seus clientes.

- Ferramentas: algumas das principais ferramentas utilizadas pela GQT são os gráficos de acompanhamento e de controle desenvolvidos por W. Eduards Deming, os diagramas causa-efeito e o benchmarking.

- Participação de todos: a GQT é um processo que envolve um elevado grau de participação de todos os membros da organização, qualquer que seja o seu nível hierárquico.

  1. 2010 - MPS – Administrador

    A racionalização do trabalho, segundo Taylor, era vista como um meio de aumentar a eficiência da produção, evitando desperdício e promovendo prosperidade entre patrões e empregados, sendo esses os primados da administração científica.

Item certo.

Segundo Maximiano (2004), o início do século XX foi um momento de grandes transformações tecnológicas, econômicas e sociais, e uma das preocupações marcantes dos administradores dessa época era a eficiência dos processos de fabricação; sendo assim, um conjunto de princípios e técnicas para tratar da eficiência foi desenvolvido por Frederick Taylor, líder de um grupo que promoveu o Movimento da Administração Científica.

Segundo o autor, “os princípios e as técnicas criadas por esse movimento procuravam aumentar a eficiência da produção por meio da racionalização do trabalho, para evitar o desperdício e promover a prosperidade dos patrões”.

  1. 2010 - MS – Administrador

    Sob o enfoque da administração estratégica, a diferenciação é uma estratégia empresarial que consiste em impor uma forte identidade própria no serviço ou no produto, de modo a torná-lo distinto dos demais produtos ou serviços concorrentes.

Item certo.

Segundo Porter, adotando estratégias de diferenciação, as firmas alcançam vantagem competitiva mediante a oferta de produtos ou serviços que contenham as qualidades desejadas pelos consumidores e que, ao mesmo tempo, sejam diferentes dos produtos ou serviços oferecidos pelos concorrentes.

  1. 2010 - MS – Administrador

    Uma organização com mais de dez anos de existência, resistente em se atualizar tecnologicamente, e que a cada dia perde um grande número de clientes, é considerada como um sistema aberto, mesmo não tendo se adaptado às mudanças do ambiente externo, por possuir equifinalidade e entropia negativa.

Item errado.

Bertalanffy leciona que o sistema fechado seria um sistema que não é influenciado ou não apresenta relações com meio ambiente, tendo poucas trocas de energia e matéria com o meio, não recebendo desta forma qualquer influência ambiental.

O sistema aberto já seria o contrário do fechado, apresentando relações de intercâmbio com o ambiente, recebendo muitas influências e troca de energia e matéria com o meio, estando sempre se adaptando a ele.

  1. 2010 - MS – Administrador

    Apesar de diferenciarem-se com relação ao foco de estudo, as principais semelhanças entre as teorias científica e clássica encontram-se na abordagem de sistema fechado e na busca da eficiência econômica das organizações.

Item certo.

Segundo Chiavenato (1993), a Administração Científica caracterizava-se pela ênfase na tarefa realizada pelo operário, enquanto a Teoria Clássica caracterizava-se pela ênfase na estrutura que a organização deveria possuir para ser eficiente. Na realidade, o objetivo de ambas as teorias era o mesmo: a busca da eficiência das organizações. Segundo ainda o mesmo autor, essa eficiência era alcançada através da racionalização do trabalho do operário e no somatório da eficiência individual (Administração Cientifica), porém na Teoria Clássica, partia-se do todo organizacional e da sua estrutura para garantir eficiência de todas as partes envolvidas, fossem elas órgãos (sessões, departamentos, etc) ou pessoas (ocupantes de cargos, executores de tarefas, etc).

  1. 2007 - TCU - Analista de Controle Externo

    O patrimonialismo normal inibe a economia racional não apenas por sua política financeira, mas também por peculiaridades de sua administração, entre as quais se pode citar a ausência típica de um quadro de funcionários com qualificação profissional formal.

Item certo.

Segundo Rafael Encinas, no patrimonialismo, na economia, não há “regras do jogo” estáveis. O Estado não assume o papel de fiador e mantenedor de uma ordem jurídica impessoal e universal que possibilite aos agentes econômicos a calculabilidade de suas ações e o livre desenvolvimento de suas potencialidades; ao contrário, intervém, planeja e dirige o mais que pode a economia, tendo em vista os interesses particulares do grupo que o controla.

Ainda, Rodrigo Rennó afirma que dentro das principais características do patrimonialismo, temos a falta de um quadro de servidores qualificados, escolhidos por sua competência e que tenham autonomia profissional para buscar o bem da coletividade. No Patrimonialismo, os cargos são cedidos a pessoas ligadas ao detentor do poder, dentro de uma “troca de favores” entre as partes (chefe político e seus “súditos”).

  1. 2008 - INSS - Analista do Seguro Social

    Os modelos de administração, organização e sociedade que emergiram da Revolução Industrial tiveram Marx como um de seus principais críticos, o qual exerceu forte influência sobre sindicatos e partidos políticos. Entre outros aspectos, Marx propunha, em contraposição ao poder dos capitalistas sobre o Estado, um modelo alternativo de gestão embasado na propriedade coletiva dos meios de produção.

Item certo.

Segundo as concepções clássicas de Marx, uma sociedade socialista é impossível sem a propriedade coletiva dos meios de produção e do sobreproduto social, sem a planificação da economia e de sua gestão pela classe operária em seu conjunto, através de conselhos de trabalhadores democraticamente centralizados, isto é, a autogestão planificada dos trabalhadores. Esta socialização é impossível sem a expropriação econômica e política dos capitalistas e o exercício do poder estatal pela classe operária.

  1. 2008 - STF - Analista Judiciário - Área Administrativa

    Na abordagem clássica da administração, manifestaram-se diferentes posições acerca da centralização e da descentralização da autoridade. Defende-se, entretanto, a centralização em situações de mudança e de incerteza, e a descentralização em situações de risco e de crise.

Item errado.

Segundo explica Cristiana Duran, situações de mudança e de incerteza são situações de risco e de crise. Ou seja, em ambas (situações de mudança / incerteza e situações de risco e de crise), o ideal é a centralização da autoridade.

 

Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.