Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.

Ivan Bispo Santos, 34º e 264º - Escrivão de Polícia Civil (PC DF), Agente de Polícia Civil (PC DF) e outros.

Já conhece a história de sucesso de Ivan Bispo Santos? Veja mais depoimentos de alunos do TEC!

1) Quais são as suas aprovações (cargos e colocação)?


Bombeiro (91º) e Polícia Militar do estado de Sergipe(413º) ; PRF (3182º) ; PF agente (802º); PCDF agente (264º); PCDF escrivão (34º)


2) Qual sua formação e por que decidiu estudar para concursos? Fique à vontade para nos falar de sua história.

 

Sou formado em engenharia mecânica na Universidade Federal de Sergipe. Em 2017, no meu último ano de faculdade, fiz estágio em uma grande cervejaria do país, porém, foi lá onde descobri que não queria seguir no setor privado. A falta de reconhecimento e os baixos salários foram os principais fatores que fizeram eu optar por estudar para concursos públicos.


3) Há quanto tempo estuda para concursos? Quantas horas por dia você estudava?


Em 2018, iniciei meus estudos para concursos e busquei uma área que tivesse mais oportunidades (carreiras policiais estavam em alta), e descobri que o direito me enchiam os olhos, principalmente o Direito Penal. A cada vídeo motivacional que assistia (principalmente os da PRF e PF) mais eu tinha a certeza do que queria. A motivação foi aumentando aos poucos e com ela, as horas de estudos. No primeiro ano, em 2018, não conseguia passar das 3 horas líquidas. Porém, em 2019, quando tive as minhas primeiras reprovações (PRF e oficial de bombeiro da Bahia) descobri que precisava melhorar meu rendimento e passei a estudar, em média, 5 horas por dia durante a semana e descansava aos sábados e domingos no pré-edital. No pós-edital aumentei a média semanal entre 6-7 horas e fazia questões e simulados aos sábados pela manhã (sábado a tarde e domingo descansava).


4) Qual a importância da resolução de questões na sua preparação? Como o Tec te ajudou nessa tarefa?


A resolução de questões é fundamental, diria até que é a principal ferramenta. O estudo passivo, através de leituras de materiais teóricos, vídeo-aulas e etc , é importante no primeiro contato com a matéria, porém, o passo seguinte é o estudo ativo, por meio de resolução de questões a fim de fixar o conteúdo. Nesse sentido, o Tec foi de fundamental importância nas minhas aprovações. Como já havia estudado boa parte dos editais, concentrei 80% do meu tempo de estudo na plataforma do Tec concursos através das guias de estudos. Os comentários atualizados dos professores, logo após a resolução da questão, otimizaram muito o tempo de estudo, e evitaram que perdesse tempo em busca das respostas nos meus materiais.


5) Recado aos demais concurseiros e considerações finais.


A resiliência é a palavra chave, principalmente nesses tempos de pandemia. Passei por várias suspensões de concursos na véspera da prova, a exemplo de: escrivão PCDF, PRF, PF e a pior de todas, PCPR (prova foi suspensa no dia, quando já estavam todos os candidatos na cidade). Motivos para desistir sempre vão existir, mas não se deixe abalar, se concentre no que está ao seu alcance, dia após dia, que a vitória chegará. 

Deixe seu comentário: