Gerverson Martins de Araújo, 34º - Auditor - Fiscal da Receita Estadual - Auditoria e Fiscalização (SEFAZ SC)

Já conhece a história de sucesso de Gerverson Martins de Araújo? Veja mais depoimentos de alunos do TEC!

Olá, concurseiros, é um prazer enorme contar um pouco da minha trajetória como concurseiro.
 
Me chamo Geverson Martins de Araújo, tenho 28 anos e sou engenheiro civil. Fui aprovado em 34° Lugar pro cargo de Auditor Fiscal do Estado de Santa Catarina. 
 
Em maio de 2016 conheci o cargo de auditor fiscal e me identifiquei. Li vários depoimentos de aprovados e percebi que, com dedicação, qualquer um poderia obter êxito até mesmo nos concursos mais concorridos do país. Decidi então me dedicar integralmente aos estudos, e em 17 de Maio de 2016 estava eu elaborando meu planejamento. 
 
Fui apresentado ao TEC por uma consultoria que iniciei, e desde então não deixei mais de utilizar a ferramenta. O tec foi um divisor de águas pra mim. Como as provas estavam cada vez com mais questões e menos tempo pra resolver, a resolução de milhares de questões no tec me fez conseguir superar um obstáculo que muitos concurseiros ainda enfrenta: A falta de tempo para terminar a prova e até mesmo para preencher o gabarito.
 
Já em 2017, que foi um período de seca da área fiscal, eu mantive o ritmo e evolui bastante, nesse ínterim eu noivei e descobri que iria ser pai. A pressão aumentou bastante: concurseiro, desempregado, prestes a ser pai e com minhas economias diminuindo exponencialmente. Fiz a prova do TRF 5 e consegui ficar em 6º lugar pra técnico administrativo e 48° lugar pra Analista. Fiquei muito feliz com o resultado.
 
Agora estava decidido a estudar somente pra área fiscal, eu queria ser auditor e nada iria me impedir. Minha filhota nasceu em abril de 2018: a rotina mudou, a responsabilidade aumentou e a carga horária de estudos diminuiu. Até então eu morava no interior do Ceará, mas daí eu e minha esposa decidimos nos mudar pra Fortaleza, passei a morar na casa da minha sogra. À essa altura qualquer economia era válida, sem falar na ajuda que teríamos com a vovó, assim eu poderia estudar mais. Foi um período de muitas mudanças. 
 
Daí saiu o edital pro SEFAZ Goiás. Antes eu tinha que dizer não à minha agora esposa, ao meu lazer e agora também à minha filhinha recém-nascida. Na minha concepção, eu tinha que passar a todo custo, já estava há 2 anos sem trabalhar e acabei não equilibrando a rotina, foquei demais nos estudos, abdiquei de tempo com a família e lazer e essa falta de harmonia fez com que eu quase perdesse também meu casamento. Cometi outro erro: viajei pra Goiânia no dia da prova e a viagem durou umas 8 horas, dormi mal e fiz a prova cansado. Resultado: não fui bem em Goiás, fiz 76% e fiquei fora até mesmo do Cadastro de Reserva. Sabia que não era falta de estudo, que poderia ter ido melhor, mas não era hora de lamentações, a prova de Santa Catarina estava a apenas 1 mês e meio e o edital era gigante, chamado de Edital da NASA. 
 
Nunca pensei em desistir, mas confesso que a confiança não era a mesma. Mesmo assim continuei firme, só pedi a Deus que continuasse me dando força e dedicação pra estudar. Faltava 1 mês pra prova, estava me doando ao máximo, mantive a média de 60h líquidas por semana. Mesmo assim sabia não seria nada fácil, vinha uma galera muito forte pra esse concurso, era o sonho de muita gente, conhecido como melhor fisco do país. Eu precisava melhora meu psicológico, então passei a equilibrar mais a rotina: acordava mais cedo e dormia mais tarde pra poder dar mais atenção à minha família sem prejudicar muito os estudos. Com isso, a convivência melhorou e as horas de estudo rendiam mais.  
 
Dei o meu melhor até o fim, corrigi meus erros e fui pra Florianópolis com a sensação de que tinha boas chances de passar, descansei bem e sempre que me dava ansiedade eu olhava um bilhetinho que minha esposa deixou colado na minha carteira e que até hoje está lá. Ele diz assim: Vai dar tudo certo, estamos na torcida. Te amamos! Ass: Luanna e Maria Clara. 
 
Sei o quanto é difícil a vida de alguém que está ao seu lado nessa dura rotina de estudos. E por mais que tenha sido um bilhete simples, seu significado foi enorme pra mim.
 
Fiz a prova, não sabia se tinha ido bem o suficiente, mas sabia que tinha dado o meu melhor. Ao conferir o gabarito vi tinha acertado 85%, comecei a me tremer, fui conferir o ranking e estava dentro das vagas. Comecei a pensar que poderia ter sido meu último concurso, que a partir daquele momento eu teria tempo pra ficar com minha família. A ficha não caía, eu estava prestes a passar num dos concursos mais almejados e disputados da área fiscal.
 
Então, no dia 04 de Janeiro de 2019, o resultado se confirmou. E, depois de 2 anos e meio me dedicando diariamente aos estudos, consegui a tão sonhada aprovação em um concurso que me realizasse. Tenho muito orgulho de dizer que serei Auditor Fiscal da SEFAZ de Santa Catarina. 
 
Não foi nada fácil, quase 6000 horas de estudo abrindo mão de muita coisa. É necessário dizer muito “NÃO”, renunciar momentos com as pessoas que a gente ama, acordar cedo numa manhã chuvosa de domingo sem saber quando o edital pode chegar.  Algumas vezes fiquei triste, sem esperança, mas nunca, jamais, pensei em desistir. 
 
Minha rotina variou durante a aprovação: eu costumava acordar entre 6:30 e 7:00, estudava o dia todo e ia até umas 22:00 ou 23:00, dependendo do cansaço e dos imprevistos durante o dia. Fazia pequenos intervalos de 5 a 10 minutos na troca de matérias, tomava uma água, um café, me alimentava e etc. Tanto fazia se tinha edital na praça ou não, esse era o mínimo que eu buscava. No fim de semana eu dava uma diminuída, fazia de 5 a 7hs no sábado e no domingo de 3 a 5hs. 
 
Algumas dicas que funcionaram pra mim foram:
 
Como eu não gostava de fazer resumo completo da matéria, sempre aproveitava o resumo que os professores colocavam no fim do pdf, então eu imprimia o resumo de todas as aulas, encadernava só frente ou frente e verso e então só complementava com anotações, jurisprudências, súmulas, entendimentos doutrinários, etc. As matérias de Lei Seca, como constitucional, civil, legislação tributária, direito tributário. Eu imprimia a lei e fazia anotações também, então as revisões eram leituras desse material.
 
Estudei quase todas as matérias por pdfs, exceto contabilidade que eu iniciei por vídeos com o curso do Silvio Sande e depois complementei com os pdfs do professor Feliphe Araújo do exponencial.
 
Faça revisões: pra mim funcionava fazer a cada pdf ou a cada 2 pdfs q eu estudava, dava apenas uma lida no meu material de revisão, e assim eu fazia até finalizar a matéria.
 
Depois dava uma revisada geral mesclando com questões, até o ponto de filtrar no TEC questões de todos os assuntos da matéria. Quando finalizava uma matéria, eu criava um caderno no TEC com todas as questões e fazia apenas as questões ímpares, na outra vez que fosse ver essa matéria fazia as questões pares, isso ajudava a fazer a revisão de toda a matéria por meio de questões, pois o tec ordena as questões por assunto, então se eu fizesse na ordem normal, acabaria fazendo muitas questões de um assunto e deixando outros sem resolver. 
 
Tenha algum momento de lazer pelo menos 1 vez por semana: eu costumava jogar bola com meus amigos, aproveitava pra conversar um pouco e ainda exercitava o corpo. 
 
Use as redes sociais ao seu favor: eu conheci alguns concurseiros pelo facebook, criamos um grupo de estudos de 5 pessoas no whatsapp e elaborávamos questões de matérias que tinham poucas, tirávamos duvidas, compartilhávamos conhecimento e desespero, rsrsrs. 
 
O recado final que eu dou é: não desista, tenha foco, faça sua parte, dê o seu melhor. Concurso não se trata do quão forte você consegue bater, e sim do quanto você consegue apanhar. Não deixe ninguém dizer do que você é ou não capaz. Se você mirar no céu, no mínimo você acerta uma estrela. Acredite!
 
Espero ter ajudado, aguardo vocês no serviço público. Boa sorte!
 
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.