Gabriel Bonfim Araújo, 4º - Auditor Fiscal da Receita Estadual (SEFAZ GO)

Já conhece a história de sucesso de Gabriel Bonfim Araújo? Veja mais depoimentos de alunos do TEC!

Meu nome é gabriel, tenho 25 anos e sou formado em engenharia civil. Minha jornada no mundo dos concursos começou quando ,no fim do sétimo semestre do meu curso, eu estava no meu terceiro estágio, não gostava de onde eu trabalhava e só conseguia pensar que não tinha interesse nenhum em seguir a profissão de engenheiro. Eu estudava, era responsável, mas não tinha aquele "brilho nos olhos" de quem ama o que faz.
                                  
Pensei em largar meu curso e começar uma faculdade de direito, porque sempre tive uma admiração muito grande nas pessoas que passavam em concursos. Claro que isso me deixava muito mal, porque ia perder quase 4 anos da minha vida. Nesse tempo, comecei a rezar e pedir a Deus que me apontasse um caminho. E do dia pra noite, decidi que ia estudar pra ser auditor fiscal e ia aproveitar os 3 semestres que faltavam para fazer duas coisas ao mesmo tempo: estudar para concursos e faculdade.
                                            
Foi assim durante um ano e meio: eu conseguia manter uma média de 4 horas de estudos pro dia, e, na época das provas e projetos da faculdade, tinha que parar os estudos pra concurso por um tempo, porque queria me formar com notas boas.
             
No meu ultimo ano de faculdade, com essa rotina reduzida de estudos, fiz meus dois primeiros concursos e tive resultados bem melhores do que eu esperava: fiquei em 27 pra técnico de controle externo no TCE/CE e em 52 pra fiscal de tributos do município de Niterói, por apenas duas questões não fiquei dentro das vagas imediatas ( prova que aconteceu apenas 2 semanas depois que apresentei meu TCC na faculdade).                                                   
Depois daquele prova, a partir do início de 2016, eu iria ,pela primeira vez, ter os 3 turnos do dia pra estudar. Estava ansioso pra focar toda minha energia nos estudos pra concurso. Ate essa prova de Niterói, eu me organizava sozinho, estudando por pdfs e organizando meus horários.  Meu maior medo era não conseguir me organizar e aproveitar todo o tempo livre que tinha a partir de janeiro de 2016. Então um amigo me indicou a Ls concursos. Fiz uma entrevista, comecei a consultoria e fui aluno deles durante 2 anos e 10 meses. Já tinha ouvido falar do TEC, mas não era assinante. Por indicação da própria consultoria, fiz minha assinatura no TEC e comecei a usar o sistema de questões. Logo no início, já gostei bastante dos filtros, matérias, questões e comentários que eles ofereciam.
                    
Depois de 5 meses de consultoria e de ser assinante do TEC, saiu o primeiro edital que iria encarar depois de ter me formado: o ISS Teresina. O lado bom é que aquele concurso parecia um sonho pra mim. Salario bom e na cidade onde eu nasci e toda minha família também. O lado ruim é que eram apenas 6 vagas, tinha prova discursiva ( eu nunca tinha feito uma e tinha MUITO medo) e prova de títulos (eu não tinha nenhum título). Quando vi o edital, achava que seria praticamente impossível eu conseguir ser um desses 6. Apesar disso, consegui me desligar de todo o pessimismo que estava dentro de mim e me mantive focado apenas em dar o meu melhor.
                                                
Nesse tempo, estudando pra Teresina, eu realmente consegui me desligar de tudo, só pensava que tinha que dar o meu máximo. Durante a preparação, enquanto fazia VÁRIAS LISTAS questões no TEC e cumpria as metas da consultoria, eu podia sentir que tava evoluindo e melhorando cada dia mais. Todo dia, quando terminava minhas metas da consultoria (que já usavam as listas de questões no TEC), eu ficava revisando e fazendo listas de questões de todas as matérias que iam cair na minha prova, aplicando os filtros da banca examinadora (que era FCC) e dos anos mais recentes. Eu consegui perceber como as questões se repetiam e entender o que a banca gostava de cobrar.
 
Fiz uma excelente primeira fase, consegui ser o 7 colocado e já fiquei muito feliz. E, pra minha surpresa e alegria, após a prova discursiva ( que eu tinha tanto medo e tava tão inseguro pensando que não ia conseguir fazer nem a pontuação mínima) consegui melhorar minha classificação e fui o quarto colocado nesse concurso. Pra mim, foi minha maior vitória, porque era o meu primeiro concurso depois de formado, e tinha apenas 23 anos.
                  
Depois dessa grande vitória, uma tristeza. Entraram com mandado de segurança, o concurso de Teresina foi suspenso ( depois de todas as provas terem sido realizadas), e eu não tinha previsão nenhuma de ser nomeado.
                                               
Continuei na consultoria e como assinante do TEC, e foi uma época muito difícil pra continuar estudando. Eu estava mais interessado no andamento da ação judicial no PI do que em fazer outras provas.  Nessa época, entendi o que é estudar sem animo. Mas continuei seguindo as metas e fazendo várias listas de questões no TEC, mesmo com dificuldade.
                                         
Em 2018, surgiram novos concursos da áreas fiscal, consegui me desligar um pouco do concurso de Teresina e focar nas novas provas que iam sair. E, depois de muito esforço, resolvendo MUITAS QUESTÕES NO TEC (nesse tempo de preparação foram mais de 24.000 questões resolvidas), consegui mais duas grandes vitórias que foi ficar em 3 lugar no ISS São Luís e 4 lugar no ICMS GO.
                             
Enfim, hoje eu olho pra trás e fico muito feliz e orgulhoso com toda minha trajetória no mundo dos concursos. Eu sei como é difícil se manter focado e ter apoio de amigos, família e tudo mais .
                           
É muito importante, durante a preparação, procurar se manter motivado e acreditar que quanto mais você conseguir estudar, menos tempo vai durar essa rotina puxada de estudos. Li muitos livros e vi muitos vídeos motivacionais. Pode parecer besteira, mas eu gostava de me imaginar como um "atleta" me preparando pra uma competição. Rsrs                            
Duas coisas que eu achava chato era aquele olhar de pena e o ar de pessimismo dos outros. Até mesmo dentro de casa. Ouvi muitas vezes aquela clássica pergunta "ah, você SÓ ESTUDA?". E passei a entender que não adianta esperar que as outras pessoas reconheçam seu esforço e sua dedicação nos estudos, você que tem que reconhecer. Até mesmo pessoas da minha família me pediam favores no meio do dia (pra eu receber a água, pra pegar o cachorro no banho etc..) Isso tudo porque ninguém consegue ver o estudo pra concurso como um trabalho. Mas se todo mundo passasse por isso, iria entender que é uma época bem mais puxada do que qualquer trabalho.
                     
Como é difícil pros outros entenderem isso, eu sempre tive a postura de dizer não a tudo e a todos. Meu horário de estudo era sagrado e nada nem ninguém podia mudar. E acho que isso ajudou muito a condicionar meu cérebro àquela rotina e melhorar minha concentração e dedicação.
 
Percebi também que não existe inteligência no mundo dos concursos. Todo mundo que se dedica, se organiza e se planeja passa. Claro que é difícil e trabalhoso, mas é muito mais uma questão de organização do que qualquer outra coisa.
 
Por fim, só quero agradecer a toda a equipe TEC concursos. Essas mais de 24.000 questões que resolvi e o trabalho de vocês tiveram muita importância em todas as minha aprovações!!! 
Deixe seu comentário:
Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.