Ocorreu um erro na requisição, tente executar a operação novamente.

Allan Lacerda, 4º - Auditor Fiscal da Receita Estadual (SEFAZ AL)

Já conhece a história de sucesso de Allan Lacerda? Veja mais depoimentos de alunos do TEC!

Olá, pessoal. Meu nome é Allan Lacerda, tenho 27 anos, sou Engenheiro Civil formado pela Universidade Federal da Paraíba e fui aprovado em quarto lugar para o cargo de Auditor Fiscal da Receita Estadual de Alagoas. Conheci o TEC Concursos a partir de uma indicação de uma consultoria para concursos. O site foi uma ferramenta fundamental para minha aprovação pela facilidade na montagem de cadernos e na escolha dos filtros, além dos comentários dos professores e dos alunos que sempre agregavam conhecimento.

Minha história como concurseiro começou no início de 2017. Eu era recém formado e decidi seguir o caminho dos concursos públicos ao conversar com amigos e com minha família sobre a possibilidade ir para a carreira pública. Passei a avaliar a hipótese de estudar pra área fiscal, após aprofundar o assunto com meu pai, que é Auditor da Sefaz Paraíba. Iniciei, então, meus estudos no dia 01/02/2017.

Estudei praticamente um ano e meio sem fazer prova, pois gostaria de ter uma boa base antes de fazer uma prova pra valer. Assim, meu primeiro certame foi o Sefaz Goiás, em 2018. Foi meu primeiro pós-edital, e posso dizer que o ritmo de estudos é muito mais intenso, comparado ao pré-edital. Na prova de Goiás, fiquei na posição de número 271, com 75% de acerto, bem distante das vagas, mas eu senti, após esse pós-edital, que eu havia pulado muitos degraus a caminho da aprovação.

Minha segunda prova foi para a Sefaz Bahia, um edital que cobrou muitas matérias exatas, o que seria uma vantagem pra mim, devido a minha formação. Após o 75% de acertos em Goiás, queria um percentual de 80% na Bahia. Não me cobrava pra passar, por achar que havia outros ainda na minha frente. Eu estava enganado, pois, na Bahia, fiz 90,5% na prova objetiva, o que me deu o nono lugar. Todavia, a prova discursiva exigiu muito, e por um descuido, acabei errando no que não podia. Resultado: fui eliminado. Chorei muito, fiquei muito mal, pois, apesar de ter ido com um objetivo menor, eu tinha chances claras de ser aprovado. Fiquei me perguntando quando que teria outra oportunidade dessa, com um edital que foi feito para quem é da área de exatas. Muitas vezes você tem que tirar forças de onde não existe e, simplesmente, continuar.

Saiu, então, o edital de Alagoas. Que sonho seria continuar morando no Nordeste, próximo a minha família. O edital não veio nada parecido com o edital da Bahia, as matérias exatas valiam quase nada, Direito Penal, Civil, Empresarial, Auditoria de NFe, deixavam o edital muito pesado. Estudei muito. Não tive Natal, não tive Ano Novo, não tive praia, mesmo morando em João Pessoa. Estudava de segunda a sábado e, religiosamente, descansava no domingo.

Veio, então, o dia da prova que, coincidentemente, caiu no dia do meu aniversário, 08/02. Poderia ser um bom sinal. Eu estava muito nervoso, pois, devido ao resultado de quase passar na Bahia, eu já estava em posição de brigar por vaga. A prova foi difícil, principalmente Auditoria, na objetiva, e toda a prova discursiva, não podendo prever o gabarito final da banca quanto a esta última.

Chegou o dia da divulgação do resultado final e, apesar de não acreditar, lá no fundo, algo me dizia que poderia dar certo. E deu! Eu estava em quarto lugar no resultado preliminar, mas não queria cantar vitória ainda. Foram dois meses de angústia, para que, no dia 22/05, o resultado se confirmasse. Um inacreditável quarto lugar e a certeza de que Deus havia guardado essa vaga pra mim. Meu lugar não era na iniciativa privada, sendo fiscal de obra, não era também sendo Auditor na Bahia. Meu lugar é em Alagoas!

Saiba que para você passar em concurso público não é necessário que seja um fora da curva ou aluno superinteligente. Você precisa estudar, estudar muito, até passar, e vai passar, só basta acreditar. Um grande abraço!

Deixe seu comentário: