REDUÇÃO AO VALOR RECUPERÁVEL [FCC 2019]

Por: Ercilio Marinho

Olá, vencedor(a)!
Vamos analisar uma questão de CONTABILIDADE GERAL (FCC 2019) sobre redução ao valor recuperável (CPC 01).
 
(FCC – 2019 – PREF. DE RECIFE) A Cia. Incorpórea tinha registrado, em 31/12/17, um ativo intangível com vida útil indefinida (marca X), cujo valor contábil de R$ 520.000,00 era composto por:
  • Custo de aquisição ……….. R$ 650.000,00.
  • Perda por desvalorização (reconhecida em 2016) …….  R$  130.000,00.
Nesta data, antes de elaborar as demonstrações contábeis, a Cia. realizou o teste de recuperabilidade do ativo intangível e obteve as seguintes informações:
  • Valor em uso …………… R$ 470.000,00.
  • Valor justo líquido de despesas de venda ……..  R$ 670.000,00.
Com base nas informações acima, a Cia. Incorpórea, em 31/12/17,
a)  não fez nenhum registro contábil.
b)  reconheceu um ganho no valor de R$ 130.000,00.
c)  reconheceu uma perda por desvalorização no valor de R$ 50.000,00.
d)  reconheceu uma perda por desvalorização no valor de R$ 180.000,00.
e)  reconheceu um ganho no valor de R$ 150.000,00.
 
Gabarito: B
 
RESOLUÇÃO:
Para resolvermos as questões referente ao teste de recuperabilidade, vamos seguir os 3 passos:
1) Tipo de Bem e o Valor Contábil
Ativo Intangível com Vida Útil Indefinida
BALANÇO PATRIMONIAL
Valor de Aquisição………………….650.000
(-) Perdas estimadas de valor não recuperável (em 2016)………………………(130.000)
= Valor Contábil……………………..520.000
 
2) Achar o Valor Recuperável (VR)
Agora, vamos aplicar o teste de recuperabilidade!
De acordo com o CPC 01, o valor recuperável é:
6. Valor recuperável de um ativo ou de unidade geradora de caixa é o maior montante entre o seu valor justo líquido de despesa de venda e o seu valor em uso.
Valor em Uso = 470.000
Valor Justo Líquido das Despesas de Venda = 670.000 (VALOR RECUPERÁVEL)
3) Ocorre uma Perda ou Não ?
Para verificar se o bem está desvalorizado, o CPC 01 diz que:
8. O ativo está desvalorizado quando seu valor contábil excede seu valor recuperável.(…)
124. A perda por desvalorização reconhecida para o ÁGIO POR EXPECTATIVA DE RENTABILIDADE FUTURA (GOODWILL) não deve ser revertida em período subsequente.
Então, pode ser possível 4 situações:
  • Situação 1 (VC > VR) = Registra uma Perda por Desvalorização.
  • Situação 2 (VC < VR) = Não faz nenhum registro (caso não tenha perda por desvalorização anterior).
  • Situação 3 (VC < VR) = Se houver perda por desvalorização anterior, haverá a reversão total ou parcial (um ganho).
  • Situação 4 (VC < VR) = Se houver perda por desvalorização anterior, ela não é revertida, caso trate-se de goodwill.
 
Portanto, como o valor contábil (R$ 520.000) é menor que o valor recuperável (R$ 670.000), o bem não está mais desvalorizado e, consequentemente, deve ser registrada uma REVERSÃO TOTAL da perda por desvalorização anterior (reconhecida em 2016) no valor de 130.000, o que corresponde a um ganho.
 
Lançamento (Reversão da Perda):
  
  D = Perda Estimada por Valor Não Recuperável
    C = Reversão da Perda por Desvalorização (aumenta o resultado —> ganho)……130.000
 
→ Conclusão: Registra-se um ganho de 130.000 derivado de uma reversão da perda por desvalorização (em 2016).
 
Que Deus abençoe sua caminhada!

Ercilio Marinho

Administração Financeira e Orçamentária Contabilidade Pública Sou Graduado em Ciências Contábeis e Pós-Graduado em Auditoria Fiscal e Tributária. Atualmente, exerço o cargo de Auditor de Controle Externo TCE/PA, o qual fui aprovado em 1 lugar (Ano 2012). Professor num grupo preparatório para concurso público em Belém. Ainda obtive aprovações nos seguintes concursos: 23 lugar Auditor Fiscal Municipal da Pref. de Ananindeua (Ano 2012), 3 lugar e 4 lugar, respectivamente, para Auditor e Técnico em Contabilidade da INFRAERO (Ano 2011), 4 lugar Contador da DPU/PA (Ano 2010), entre outros.