Programação de Computadores é para todos – Parte 2

Por: Heitor Pasti

No artigo anterior, você pode acessá-lo aqui, eu falei um pouco sobre algoritmos.

Após entendermos esse conceito e vermos alguns exemplos tocamos, de forma breve, no assunto sobre variáveis, porém não fomos além do raso.

No artigo de hoje vamos entender quais são os tipos de variáveis e para serve. Vamos nessa?

Primeiro de tudo, quando pensamos em variáveis logo vem a nossa mente imagens deste tipo

Mas quero tranquilizar você e dizer o seguinte: Você está em contato constante com variáveis, elas fazem parte do seu dia a dia, Seja quando conversa, quando escreve, quando faz uma compra, quando responde uma questão do Cebraspe de Certo e Errado.

Então, Heitor, o que são essas benditas variáveis?

Variáveis são espaços reservados na memória em que informamos para o computador que iremos trabalhar naquele espaço com alguns valores específicos.

Existem variáveis de vários tipos, mas vamos trabalhar primeiro as mais básicas de todas. E pasmem, entender sobre variáveis ajudará você a entender sobre conjuntos numéricos, por exemplo.

Nesse artigo vamos trabalhar as variáveis do tipo inteiro, real, caracter e lógico.

O primeiro tipo que vamos trabalhar são as variáveis de tipo inteiro.

Variáveis do tipo inteiro são aquelas que só aceitam a parte inteira de um número.

Explico. Não temos o hábito de escrever os números inteiros com vírgulas. Quando visualizamos números do tipo: 1; 2; 3; …; estamos, na verdade suprimindo uma parte dele.

O mais clássico a se escrever seria 1,0; 2,0; 3,0; …; Porém de forma usual escrevemos 1; 2; 3. Essa parte, que está antes da vírgula, chamamos de parte inteira do número.

São com essas partes que variáveis inteiras se preocupam. Entendido isso, vamos seguir um pouco mais.

As variáveis do tipo real são aquelas que se preocupam com os números por completo, ou seja, variáveis do tipo real irão se preocupar tanto com a parte inteira, antes da vírgula, como com a parte decimal, depois da vírgula.

Então, podemos concluir que todo número inteiro é também um número, mas nem todo número real é um número inteiro. Tranquilo até aqui?

Obs. Tanto variáveis do tipo inteiro quanto variáveis do tipo real permitem números positivos e negativos.

Vamos caminhar mais um pouquinho. Variáveis do tipo caracter são as variáveis que usamos para escrever nomes, ou se trabalharmos de forma mais técnica, é um tipo de variável que armazena dados alfanuméricos, isto é, letras e números.

Por fim, não menos importante, vamos falar sobre as variáveis lógicas. Esse tipo pode assumir somente dois valores, ou algo é verdadeiro ou algo é falso. Não podemos admitir nada.

Aqui podemos citar o princípio do raciocínio lógico do terceiro excluído. Só teremos valores verdadeiros ou falsos não se admitindo uma terceira possibilidade.

Vamos resumir tudo. Temos, basicamente, 4 tipos de variáveis:

Inteiro → para armazenar números inteiros – positivos ou negativos, a parte antes da vírgula. Ex. 1; -8; 75; -2;
Real → para armazenar tanto números inteiros quanto reais – positivos ou negativos. Ex 1; 2,8; -8,95; 14.
Caractere → para armazenar dados alfanuméricos, ou seja, letras e números. Alguns autores chamam esse tipo também de literal. Ex. Pedro; Maria; João;
Lógico → para armazenar valores verdadeiros ou falsos. Ex. Verdadeiro ou Falso.

Muito bem, Heitor, entendi. Mas uma coisa ficou em minha cabeça. Se o tipo real pode armazernar também números inteiros, então porque tenho dois tipos diferentes para armazenar basicamente a mesma coisa?

A pergunta é muito boa, então vamos fechar esse artigo com ela.

Quando falamos em memória precisamos lembrar que ela possui espaços. Lá em informática básica estudamos esses espaços com os nomes de bit, byte, kilobyte, dentre outras.

Então, cada um dos tipos de variáveis ocupam esses espaços e escolher o tipo “errado” pode ocupar um espaço que poderia ser utilizado para outra coisa.

Uma variável do tipo inteiro ocupa 2 bytes de memória ao passo que uma variável do tipo real ocupa 4 bytes, ou seja, o dobro.

Aí você pensa: Vou criar uma aplicação que só trabalhará com números inteiros, então não faz sentido ocupar a memória com espaços que não vou utilizar, logo, vou declarar apenas variáveis do tipo inteiro.

Então, para não sobrecarregar a memória com espaços vazios devemos analisar cada caso concreto antes de declarar uma variável do tipo inteiro ou real, por isso temos essas duas opções de variáveis.

Por hoje é só. No próximo artigo vamos falar sobre como declarar as variáveis. Até lá e forte abraço.

Heitor Pasti

Graduado em Análise e Desenvolvimento de Sistemas pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo - IFES (2016). Professor, desde 2017, de várias disciplinas, dentre as quais Algoritmo e Lógica de Programação, Linguagem de Programação e POO, do curso técnico em informática integrado ao ensino médio pelo governo do Espírito Santo e também coordenador do mesmo curso.