O vocábulo QUE – parte 1

Por: Denise Carneiro (tia Deny)

O Vocábulo QUE Parte 1

Olá, sobrinhos* e novinhos*, a tia chegou!

*sobrinhos = alunos mais antigos
*novinhos = alunos mais recentes

Faz muito tempo que eu não aparecia aqui, mas agora pretendo postar com frequência para vocês e já chego com este vocábulo tão cobrado em provas: o “QUE”.

Apresentarei aqui a parte 1 deste lindo resumo das classificações do vocábulo QUE com foco, logicamente, naquelas mais recorrentes em provas de concurso público. O post está recheado com várias DICAS DE OURO, aproveitem!

1) CONJUNÇÃO INTEGRANTE

DICA! Troque a oração iniciada pelo “que” por ISTO.

Exemplo: Ele disse que faz tudo de propósito.
Substituindo: Ele disse ISTO.

DICA DE OURO: Algumas bancas podem trazer a oração introduzida pela conjunção integrante no início, fique atento! 
Exemplo: Que você mantenha o foco, é fundamental.
Neste caso, lembre que a troca por “isto” deve ser de toda a oração introduzida pelo QUE.
Substituindo: ISTO é fundamental. 

VALE LEMBRAR:A conjunção não exerce função sintática! É utilizada apenas para iniciar (integrar, captou?) as orações subordinadas substantivas, ok?

2) PRONOME RELATIVO

DICA! Substitua por: o qual, a qual, os quais, as quais.

Exemplo: A professora que dá aulas de Português esteve aqui. (O QUE retoma professora.)
Substituindo: A professora a qual dá aulas de Português esteve aqui.

DICA DE OURO:  Quando o “que” aparecer depois dos pronomes demonstrativos “o(s)”, “a(s)”,  a classificação será pronome relativo. 

Exemplo: Ele falou o que esperávamos.
Muitas vezes, quando este tipo de frase aparece na prova, o aluno não nota que há um pronome demonstrativo antes do “que” e acha estranho ao tentar substituir o “que” por “o qual”. Resultado:  acaba errando a classificação do “que”. 
Faça o seguinte: Troque “o” por “aquilo”.

Substituindo:  Ele falou aquilo o qual esperávamos. 
Uhuu! Agora fez sentido! Você não errará mais.

3) CONJUNÇÃO COORDENATIVA EXPLICATIVA

DICA! Tem sentido de “pois”, frequentemente aparece com uma ideia
imperativa antes (um pedido, uma ordem, uma sugestão).

Exemplo: Estude mais, que a prova será difícil.
Substituindo: Estude mais, pois a prova está próxima.

VALE LEMBRAR: une orações coordenadas.

4) CONJUNÇÃO SUBORDINATIVA CONSECUTIVA (de consequência)

DICA! Procure, na oração anterior, as palavras “TÃO”, “TAL”, “TANTO”,
“TAMANHO”.

Exemplo: Ela dançou tanto durante a festa que cansou.
Exemplo: Tal foi o esforço do grupo durante a semana, que a meta foi batida.

PERIGO! Raramente a banca vai destacar o “tal”, “tanto”, “tamanho”, viu! 
Você precisa estar ligado! 

5) PARTÍCULA EXPLETIVA OU DE REALCE

DICA! Com frequência aparece assim: “é que”. Pode ser retirada da frase
sem provocar prejuízos gramaticais ou semânticos.

Exemplo: Eu é que não vou àquela festa.
Retirando a partícula: Eu não vou àquela festa.

Exemplo: Quase que ela chegava atrasada.
Retirando a partícula: Quase ela chegava atrasada.

DICA DE OURO: Na expressão de realce “É que”, não consideramos o “é” como verbo! Tome muito cuidado!
Assim, na frase “Ele é que não acreditará nisso”, temos apenas um verbo (acreditará) e o período é simples, tem apenas uma oração.

É isto, meus amores!
Criei um caderno com mais de 500 questões sobre as classificações do vocábulo QUE, é bom que vocês treinem bastante, pois o assunto despenca nas provas.

Caderno de Questões (é só clicar!)

Vou aproveitar e deixar aqui os links para o meu Instagram e canal do Telegram, pois estou sempre postando muitas dicas e também coisinhas da minha vida por lá. Assim, podemos ficar mais próximos!

– Instagram da Tia
– Canal da tia no Telegram

Beijo grande da tia Deny!

Denise Carneiro (tia Deny)

Servidora Pública Federal desde 2009 (Técnica da Receita Federal), professora de Língua Portuguesa desde 2013, autora do livro Completaço CESPE (Editora Saraiva) e comentarista de mais de 14 mil questões até o momento (e seguindo). Conhecida carinhosamente como tia Deny, tenho encurtando o caminho de milhares de sobrinhos rumo à aprovação.