O grande erro de Sergio Moro

Por: Thiago Signoretti

O Grande Erro de Sergio Moro

Olá, pessoal! Estes últimos dias foram bem movimentados na política brasileira. Dentre tantos acontecimentos, chamou-me a atenção um “grande erro” de Sergio Moro, ex-Ministro da Justiça.

Contexto do Episódio:

Devido à troca de acusações com o Presidente da República, Jair Bolsonaro, Moro se sentiu na obrigação de provar o que alegou em sua famigerada entrevista de demissão. Para tanto, apresentou prints ao Jornal Nacional:

Print Conversa Sergio Moro e Carla Zambelli

A conversa acima, feita por meio do aplicativo de mensagens Whatsapp, ocorreu entre o ex-Ministro e a Deputada Federal Carla Zambelli. Quero focar no seguinte trecho em destaque:

Prezada, não estou a venda”.

Mas qual o grande erro de Sergio Moro afinal?

Lembram que falei do “grande erro de Sergio Moro”? Pois então, rs! Brincadeiras à parte e, desconsiderando que a conversa é informal, é interessante analisarmos esta frase sobre o prima da Redação Oficial, tema bastante cobrado em concursos. Mas o que é, afinal, a Redação Oficial? Segundo o Manual de Redação da Presidência da República (MRPR), 3ª Edição:

“redação oficial é a maneira pela qual o Poder Público redige comunicações oficiais e atos normativos.”

Então, transportemos o diálogo entre o ex-Ministro e a Deputada para a formalidade e, assim, fixarmos alguns conteúdos interessantes.

1. Qual seria o tipo de comunicação deveria ser usado entre os envolvidos?
R: Seria o ofício (lembrando que não existe mais aviso e nem memorando).

2. Qual o vocativo deveria ser usado?
R: Eis aqui o “grande erro” a que me referi no início deste post. O vocativo para deputados federais é “Senhor(a) + Deputado(a),” e não “Prezada,” que é usado para particulares. Interessante notar que a possibilidade se usar “Prezado,” no vocativo para particulares é uma das grandes inovações do MRPR 3ª Edição, pois antes era proibido a utilização de tal expressão.

3. Qual o fecho deveria ser usado?
R: O fecho adequado é “Atenciosamente,”. Lembremos da regra, segundo o MRPR:

Com o objetivo de simplificá-los e uniformizá-los, este Manual estabelece o emprego de somente dois fechos diferentes para todas as modalidades de comunicação oficial:
a) Para autoridades de hierarquia superior a do remetente, inclusive o Presidente da República: Respeitosamente,
b) Para autoridades de mesma hierarquia, de hierarquia inferior ou demais casos: Atenciosamente,

Percebam que não há como se definir uma relação de hierarquia entre um Ministro de Estado e um Deputado Federal. Desta forma, caímos na regra subsidiária negritada acima.

Para finalizar:

Bom, espero que tenham gostado das dicas acima. Mas se você quer realmente aprender Redação Oficial recomendo o meu curso aqui do Tec. Está todo atualizado e muito completo, fruto de minha experiência na resolução comentada massiva de questões. Ao contrário do que se vê por aí no mercado, eu não me contentei em apenas transcrever o Manual, mas sim em agregar conteúdo, dar exemplos e abordar todas as polêmicas do MRPR (não são poucas, rs!).

Bons Estudos.

Thiago Signoretti

Bacharel em Ciências da Computação pela Universidade Federal de Itajubá (UNIFEI). Exerceu as atividades de consultor de TI na empresa PriceWaterhouseCoopers (2005 a 2007) e Técnico Federal de Controle Externo no Tribunal de Contas da União (2008 a 2019). É sócio-fundador do Tec Concursos e, atualmente, trabalha exclusivamente na gestão da empresa.