Comentários da Prova de Auditoria ISS Gov Valadares MSM 2020

Por: Tonyvan de Carvalho

Olá, Concursante!

Hoje comentarei a prova de Auditoria de Auditor Fiscal do ISS Governador Valadares/MG. A MSM Consultoria acabou se “atrapalhando” em uma das três questões que cobrou de Auditoria. As outras duas abordaram normas típicas de Auditoria Interna e Independente. Assim, cabe recurso contra a questão 21.

Vamos aos comentários?

Assunto: Objetivos gerais do Auditor
21.  (MSM CONSULTORIA – AUDITOR FISCAL – ISS GOV. VALADARES – 2020) Não são consideradas características do Auditor, EXCETO:
a) Emitir parecer sobre as demonstrações financeiras.
b) Manter independência total da empresa.
c) Revisar integralmente os registros contábeis.
d) Existir em todas empresas de capital aberto.
Comentários:
Questão aborda aspectos gerais do auditor. Ela apresenta problemas de construção, impedindo um julgamento objetivo do candidato. Vejamos a análise.
Como sabemos existem, basicamente, dois tipos de auditores – interno e externo/independente. Dois problemas de construção:
1) Afinal, a banca faz referência a qual tipo de Auditor? Interno ou externo?  

A resposta influenciará na análise, pois ambos possuem objetivos distintos.

Segundo a NBC TA 200(R1), o auditor externo tem os seguintes objetivos gerais:

a) obter segurança razoável de que as demonstrações contábeis como um todo estão livres de distorção relevante, independentemente se causadas por fraude ou erro, possibilitando assim que o auditor expresse sua opinião sobre se as demonstrações contábeis foram elaboradas, em todos os aspectos relevantes, em conformidade com a estrutura de relatório financeiro aplicável; e
b) apresentar relatório sobre as demonstrações contábeis e comunicar-se como exigido pelas NBCs TA, em conformidade com as constatações do auditor.[grifos não constantes no original]

Já a NBC TI 01, traz os objetivos gerais do Auditor Interno, assistir à administração da entidade no cumprimento de seus objetivos.”.

Vamos a análise da questão sem levar em consideração o enunciado:

a) Emitir parecer sobre as demonstrações financeiras.
Ante o exposto, essa é uma das características/objetivos do Auditor Externo.

b) Manter independência total da empresa.
Tanto o Auditor interno quanto o externo possuem independência (objetividade/imparcialidade/não interferência), mas em graus diferentes. Nesse contexto, essa é uma das características/objetivos do Auditor Externo.

c) Revisar integralmente os registros contábeis.
Ressaltamos que as demonstrações sujeitas à auditoria são da entidade e, portanto, quem tem que revisá-las integralmente, para evitar erros antes de publicá-las, é a própria entidade. Ressalte-se que em entidade bem estruturas possuem unidades de Controle Interno. Uma das atribuições do Auditor Interno está associada à revisão dos registros contábeis para validar se estão em conformidade. Ante o exposto, essa é uma das características/objetivos do Auditor Interno.

d) Existir em todas empresas de capital aberto. Essa é uma das características/objetivos do Auditor Externo.

Atenção: Não está claro o que a questão queria. Então, resolvi pesquisar se essa questão já tinha sido cobrada em outro concurso. E adivinhem? Bingo!

Ela foi retirada, com adaptação mal feita, de um concurso realizado pelo ESAF em 2002, inclusive essa questão encontra-se cadastrada aqui no TEC (https://www.tecconcursos.com.br/questoes/30674). Veja:

(INSS/AFPS/2002/ESAF) – É uma característica da auditoria interna:
A) manter independência total da empresa
B) ser sempre executada por profissional liberal
C) emitir parecer sobre as demonstrações financeiras
D) revisar integralmente os registros contábeis
E) existir em todas empresas de capital aberto.
Gabarito dessa questão: D.

Em outros termos, a questão acima apresenta o mesmo gabarito (“revisar integralmente os registros contábeis”) utilizado pela banca MSM Consultoria, mas com ENUNCIADOS TOTALMENTE DISTINTOS.

Ante o exposto, pede-se ANULAÇÃO DA QUESTÃO, por apresentar evidente falha da construção do enunciado da questão, prejudicando o julgamento objetivo do candidato.

A banca apontou como gabarito preliminar: C.
Sugestão: ANULAÇÃO

Assunto: Evidência de auditoria interna
22.  (MSM CONSULTORIA – AUDITOR FISCAL – ISS GOV. VALADARES – 2020) No que tange à aplicação dos procedimentos, o Auditor deve obter, analisar, interpretar e aumentar as informações físicas, contábeis, financeiras e operacionais para dar suporte aos resultados de seu trabalho.
Segundo o CFC, essas informações devem ser suficientes, adequadas, relevantes e úteis no fornecimento de evidências às conclusões e recomendações da auditoria.
Com base nessas premissas, enumere a 2ª coluna em relação à 1ª, em seguida marque a alternativa correta: a
COLUNA
1 – Informação suficiente.                 (    ) É a que dá suporte às conclusões e recomendações.
2 – Informação adequada.                 (    ) É aquela que auxilia a entidade a atingir suas metas
3 – Informação relevante.                  (     ) É suficiente é aquela que é factual e convincente, de tal forma que    uma pessoa prudente e informada possa entendê-la da mesma forma que o auditor interno
4 – Informação útil.                               (      ) é aquela que, sendo confiável, propicia a melhor evidência alcançável, por meio do uso apropriado das técnicas de Auditoria Interna;
a) 1,2,3.4.
b) 3,4, 1,2.
c) 2,3,4, 1.
d) 4, 1,2,3.
Comentários:
Questão tranquila que trata das características das informações que servirão de evidências para o auditor fundamentar sua opinião, segundo a NBC TI 01. Veja:

12.2.3.5 – O processo de obtenção e avaliação das informações  compreende:
I – a obtenção de informações sobre os assuntos relacionados     aos objetivos e ao alcance da Auditoria Interna, devendo ser observado que:
a) a informação suficiente é aquela que é factual e convincente, de tal forma que uma pessoa prudente e informada possa entendê-la da mesma forma que o auditor interno;
b) a informação adequada é aquela que, sendo confiável, propicia a melhor evidência alcançável, por meio do uso apropriado das técnicas de Auditoria Interna;
c)a informação relevante é a que dá suporte às conclusões e às recomendações da Auditoria Interna;
d)a informação útil é a que auxilia a entidade a atingir suas metas.

Aqui, a banca pergunta e quem responde é o nosso mapa!

A banca apontou como gabarito preliminar: B.

Assunto: Risco de Auditoria
23.  (MSM CONSULTORIA – AUDITOR FISCAL – ISS GOV. VALADAREAS – 2020)  Leia com atenção, analise as assertivas abaixo e marque a alternativa correta.
Podem ser classificados da seguinte forma os riscos de auditoria:
X – Risco de Controle: é o risco de que um erro ou classificação indevida de materiais que possam constar de uma afirmação não sejam evitados ou detectados tempestivamente pelos controles internos da entidade.
Y – Risco de Detecção: é o risco de que o auditor não detecte um erro ou classificação indevida relevante que existe em uma afirmação.
Z – Risco Inerente: é a suscetibilidade de uma afirmação a um erro ou classificação indevida material, supondo que não haja controles.
a) As alternativas X, Y e Z estão corretas.
b) Apenas a alternativa Y não está correta.
c) Apenas a alternativa Z está correta.
d) As alternativas X e Y não estão corretas.

Comentários:

Questão bem tranquila que aborda o risco de auditoria e seus componentes.
Aqui, a banca pergunta e quem responde é o nosso mapa!

Analisando o mapa acima e os itens, verificamos que todos os itens estão corretos:
X: Risco de Controle – “Controle interno”
Y: Risco de Detecção – “Auditor”
Z: Risco Inerente – “ sem controle”
A banca apontou como gabarito preliminar: A.

Bons estudos e até a próxima!

Abraços,

Tonyvan

Tonyvan de Carvalho

Graduado em Licenciatura Plena em Matemática (UFPI, 2002), Bacharelado em Matemática(UFPI, 2003) , Licenciatura em Computação (UESPI, 2003) e Bacharelado em Administração (UESPI, 2005). Pós-graduado em Matemática (UFPI, 2004), Estatística(UFPI, 2008) e Contabilidade e Auditoria Governamental (UESPI, 2013). Exerceu o cargo de Auditor Interno no Tribunal de Justiça do Piauí. Atualmente é Auditor Fiscal de Controle Externo no Tribunal de Contas do Estado do Piauí. Tem experiência na área Auditoria e Docência na área de Matemática e Estatística. Concursos aprovados : ATA/MF(2009), Auditor Interno TJ PI (2009), Fiscal de Rendas do ISS RJ (2010), Analista de Planejamento e Orçamento da SEPLAN PI (2013), Auditor Fiscal de Controle Externo TCE PI (2014).